terça-feira, 21 de março de 2017

O truque do voto em lista


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Renato Sant’Ana

No tempo do mensalão, o PT amplificou sua voz para propor o "voto em lista fechada". Ninguém apoiou! Sabidamente, era um truque para salvar figurões do partido que estavam sendo processados ou na iminência de.

Só que, hoje, todos os ditos "grandes partidos" estão no mesmo barco que o PT - fazendo a travessia para o inferno. Não é de estranhar, pois, que caciques das grandes siglas estejam cogitando instituir o "voto em lista fechada". É o jeito de salvar o próprio couro.

Grosso modo, funciona assim: o eleitor não vota no candidato, mas na lista que o partido apresenta. E o partido decide quem é o primeiro da lista e os subsequentes, sendo-lhe facultado colocar na frente dos outros um fulano que já tenha mandato e esteja sendo processado, garantindo-lhe a reeleição e o "foro privilegiado". Não presta!

Não adianta dizer que esse mecanismo já existe nalguns países sem maiores reclamações. Por aqui, seria um desastre completo, implantado sem uma reforma política profunda. Para começar, sem a instituição do voto distrital misto, a "novidade" que os caciques tiraram da cartola só serve para o fim macabro que o PT (agora imitado) pretendeu desde o início. E as raposas não estão falando em voto distrital misto.

Convenhamos, é bizarro haver petistas exultantes a dizerem: "Viu? Nós somos os pais dessa criança! Eles não queriam porque achavam que favorecia o PT...". E favorecia mesmo! E agora outros espertinhos querem o mesmo favor. Oportunismo descarado!

Mas há algo positivo. No Brasil, a opinião pública afeta, sim, o funcionamento DOS TRÊS PODERES (preocupação com a imagem). O Congresso Nacional, por exemplo, tem recuado de algumas iniciativas cretinas em virtude do clamor popular. Assim, se houver forte reação da opinião pública, o "voto em lista fechada" não se cria. Noutras palavras: quanto mais gente na rua em 26 de março, menos chance para esse truque. E mais difícil será manter a velha política dos caciques.

Leia no Alerta Total "Energia das ruas":

http://www.alertatotal.net/2017/03/energia-das-ruas.html


Renato Sant'Ana é Psicólogo e Bacharel em Direito.

2 comentários:

juarez pereira disse...

Concordo plenamente com dr. Sant'Ana. A eleição em listas só serve para perpetuar no poder as raposas velhas. Novas lideranças não teriam vez. Não haveria renovação da classe politica. Parabéns ao articulista.

Anônimo disse...

Meu Caro Dr.Sant'Ana: Peço a Vossa Senhoria licença para discordar que mais essa mobilização da sociedade iria fazer esses caras recuarem do projeto em andamento do voto em lista. Essa gente perdeu totalmente a vergonha na cara. Estão cagando e andando para o que as poucas pessoas esclarecidas acham dessa nova bandalheira que reativaram,junto com o PT. Afinal,elas estão em minoria,e "eles" sabem disso,e a maioria idiota é que tem o poder de eleger,mesmo com voto em lista,porque o que vale mesmo é o feriado e o carnaval das eleições. Como todos os dias têm uma bandalheira política nova,a de ontem é abafada pela de hoje, a de hoje pela do amanhã,a do amanhã pela do depois-de-amanhã e assim por diante.Sérgio A.Oliveira.