quinta-feira, 2 de março de 2017

Temer tem pressa para a agenda antes do “juízo final”


Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net

Era previsível que Michel Temer enfrentaria problemas reais com o questionamento judicial da chapa reeleitoral encabeçada pela Dilma e com ele de vice. A aposta de Temer é que, se porventura terminar condenado a perder o mandato, isto só deve acontecer depois de março de 2018. Até lá, a avaliação temerária é que nada será julgado antes deste prazo. Por isso, a ordem é acelerar nas “reformas” e nos “negócios” (privatizações e Parcerias Público Privadas), para minimizar os riscos.

Quem também está na maior correria é o ministro Hermann Benjamin, relator do caso Dilma-Temer, cujo mandato no Tribunal Superior Eleitoral se encerra em outubro. O “Presidente-réu” vai indicar o substituto dele... Além disso, joga contra o processo o fato de Temer ter poder para indicar, em abril e maio, dois novos integrantes para o TSE. Assim, Temer terá chance de emplacar três dos sete ministros que julgarão a situação da chapa presidencial de 2014 – que certamente recebeu dinheiro de corrupção que acabou “lavado” pela via de “doações” eleitorais “dentro da lei”.

Temer ficou tranqüilo com o depoimento dado ontem por Marcelo Odebrecht. Outras dezenas de testemunhas terão de ser ouvidas. O processo vai demorar... Haverá produção de provas, contraprovas, questionamentos, reinquirições e as providenciais pressões de bastidores para que tudo ande o mais devagar possível. Temer não tem certeza de que ganha o processo. No entanto, tem certeza de que ganhará tempo, porque vai correr contra para cumprir sua “missão”. Uma CPI da Previdência, por exemplo, incomoda mais Temer que o processo no TSE.

Vale repetir por 13 x 13: Temer pode balançar, porém não vai cair. Se for derrubado, será no finalzinho do mandato, em 2018. A chance real é de uma antecipação da eleição presidencial, em vez de uma eleição indireta para o Palácio do Planalto. O trunfo de Temer é que a agenda econômica será cumprida, custe o que custar. Se depender dos deuses do mercado financeiro, Temer ficará onde está até seu último dia de mandato.  

Visão de fora

Do cientista político Steven Brams, do Departamento de Política da Universidade de Nova York, conhecido por usar as técnicas da teoria dos jogos, a teoria da escolha pública, e a teoria da escolha social para analisar sistemas de votação e divisão justa em eleições americanas, analisando a crescente opção de brasileiros que pedem “intervenção militar”:

“Há vários segmentos que pensam diferente, com objetivos diferentes. Pelo que eu vejo, há grupos de pessoas que estão sugerindo uma intervenção militar no Brasil. Podemos dizer que este segmento é mais coeso do que os outros, pois se fixam apenas em um único objetivo. Este segmento não defende partidos, políticos e nem o sistema. É mais patriótico e mais coeso do que os demais segmentos. Este grupo de pessoas exigem uma mudança radical no sistema, ou sua total destruição. É mais radical e mais coeso neste sentido. Talvez por isso não encontre apoio de políticos e nem da mídia que vive nas beiradas do sistema. Uma intervenção militar com o povo exigindo mudanças, certamente colocaria em risco o atual sistema político brasileiro”.

Vaccari indigesto


Constatação francesa


Reclamação pós-carnavalesca


Colabore com o Alerta Total

Os leitores, amigos e admiradores que quiserem colaborar financeiramente com o Alerta Total poderão fazê-lo de várias formas, com qualquer quantia, e com uma periodicidade compatível com suas possibilidades.

Nos botões do lado direito deste site, temos as seguintes opções:

I) Depósito em Conta Corrente no Banco do Brasil.
Agência 4209-9, C/C: 9042-5, em favor de Jorge Serrão.

II) Depósito em Conta Poupança da Caixa Econômica Federal ou em agências lotéricas: 2995 013 00008261-7, em favor de Jorge Serrão.

OBS) Valores até R$ 9.999,00 não precisam identificar quem faz o depósito; R$ 10 mil ou mais, sim.

III) Depósito no sistema PagSeguro, da UOL, utilizando-se diferentes formas (débito automático ou cartão de crédito).

IV) Depósito no sistema PayPal, para doações feitas no Brasil ou no exterior.

Vida que segue... Ave atque Vale! Fiquem com Deus. Nekan Adonai!


O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Independente, analítico e provocador de novos valores humanos, pela análise política e estratégica, com conhecimento criativo, informação fidedigna e verdade objetiva. Jorge Serrão é Jornalista, Radialista, Publicitário e Professor. Editor-chefe do blog Alerta Total: www.alertatotal.net. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos. 

A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 2 de Março de 2017.

6 comentários:

Anônimo disse...

O BRASIL EM POLITICAS PUBLICAS DESDE GETULIO PARA CA SE MOSTROU UM PAIS PE DE CHINELO. ELE NAO QUIS ASSUMIR SUA LIDERANÇA NA AMERDICA DO SUL ELE PREFERIU FICAR DE JOELHOS PARA OS PAISES POBRES E CONTINUAR SE MANTENDO NA RETRANCA. CONCLUSAO BRILHANTE NOSSO PAIS E UM FRACASSO EM TODOS OS SENTIDOS. FIZERAM ACORDOS EXPUREOS QUE SO BENEFICIARAM OS PAISES DE MERDA IGUAIS AOS NOSSOS. TUDO QUE FOI ADIQUIRIDO ATRAVEZ DESSES ACORDOS COM MERDA SUL, MERDA EUROPA E MERDA AFRICA NAO NOS TROUXE AVANÇO. FICAMOS EMPACADOS NA ESTAÇAO SEM AINDAR UM MILIMETRO PARA A FRENTE. CONTINUAMOS DEVENDO OS TUBOS, SEM CREDIBILIDADE E SEM CACIFE PARA FAZER ACORDOS COM NAÇOES QUE AVANÇARAM QUE JAMAIS VAO QUERER FAZER NEGOCIOS COM OS VAGABUNDOS POLITICOS BRASILEIROS. NOSSA SUPREMA CORTE E UMA FARSA E DA NOJO DE VER A MANEIRA COMO ACHAM SEMPRE BRECHAS NA LEI PARA SAFAR TUDO QUANTO E VAGABUNDO GOLPISTA DO PAIS. CONCLUSAO BRILHANTE. NAO TEMOS NADA. O GAZ QUE VEM DE FORA E UMA MERDA EMPORCALHA A CASA E E UM GAZ SUJO. OS MAIS MEDICOS SEM REVALIDA UMA MERDA. NOSSA SAUDE NEM NA AFRICA TEM DESEMPENHO IGUAL AO BRASIL APOSTO QUE DEVE TER DESEMPENHO MELHOR PORQUE TEM OS MEDICOS SEM FRONTEIRAS. AQUI TEMOS 15000 OU MAIS QUE TEMER ASSINOU TAMBEM E QUE VAI LEVAR NAO SEI MAIS QUANTOS ANOS TERMOS ESTE TIPO DE GENTE NO PAIS. QUEM TEM UM SUPREMO FEDERAL E ELEITORAL COM SUAS MAQUINHINHAS NOGENTES NAO PRECISA DE INIMIGOS PORQUE ELES SAO OS REAIS FACILITADORES DOS ILICITOS E NO QUE DEPENDER DELES VAO SEMPRE BURROCRATIZAR AS LEIS PERNETAS DE NOSSA CONSTITUIÇAO PERNETA. ESTE VIGARISTA DO TEMER QUE TEM COMO COMPANHIA A MAFIA QUE E SUA SIGLA E SEU PARTIDO COM ESSE TIPO DE PESSOAS POR PERTO VAI SER A MESMA MERDA DE SEMPRE. ESTAS ANCIOSO PARA METER A MAO NO RESTINHO QUE A NAÇAO AINDA POSSUI NATURALMENTE VENDENDO TUDO A PREÇO DE BANANA. ELE SEMPRE FOI UM BANANA SEM PERSONALIDADE E SEGUIU OS PASSOS DA VAGABUNDA SEM VERGONHA. ETA PAIS DE MERDA COM COMPLEXO DE VIRALATA QUE NAO QUER SAIR DA LIXEIRA. DEPENDENDO DA CONSTITUIÇAO MAMBEMBE E DOS SUPREMOS EGOS DOS VAGABUNDOS DOS SUPREMOS O QUE TEREMOS E A CRIMINALIZAÇAO DA JUSTIÇA. OS JUIZES DE CARREIROS SENDO SEMPRE SACRIFICADOS FAZENDO SEUS TRABALHOS E AINDA TENDO QUE SER ADVERTIDOS PELA VAGABUNDAGEM QUE GANHOU SEUS RABOS SENTADOS NA SUPREMA CORTE GRAÇAS AO TRAFICO DE INFLUENCIA. ESTAMOS NAS PORTAS DA ULTIMA MERDA QUE E A OPERA BUFA DOS TRES PODERES. AGORA O PT VAGABUNDO CAUSADOR DE NOSSA DESTRUIÇAO QUER CPI DAS APOSENTADORIAS. MAIS BLA,BLA,BLA QUE NAO VAI DAR NADA E MUITO MENOR VAI DAR ALGUMA COISA QUE PRESTE QUALQUER AÇAO VINDA DO HIPOCRITA SABUGO TEMER. ESSA GENTE TEM QUE SE EXECRADA E SEUS PARTIDOS EXTINTOS. GRAÇAS A ELES NOSSA SOBERANIA FOI PARA O ESGOTO. TANTA ROUBALHEIRA QUE OS SUPREMOS SEM VERGONHAS NAO TEM CACIFE PARA PUNIR PORQUE FORAM INDICADOS PELOS VAGABUNDOS VERMELHOS. VAMOS CONTINUAR COM ESTE CONTRATO DRACONIANO. E O VAGABUNDO DO MERDELES NAO QUESTIONA DE ONDE SAI TANTO DINHEIRO PARA OS POLITICOS DE MERDA MAS JA ESTA COM OS DENTES ARREGANHADOS PARA ZE POVAO. ETA PAIS DE MERDA COM POLITICOS DE MERDA A MAFIA ESTA TODA DENTRO DOS TRES PODERES. E HAJA PACIENCIA E SACO PARA OUVIR TANTA MENTIRA E BESTEIRA. ESSE E UM PAIS DIGNOS DE MAIS DO QUE TERCEIRO MUNDO. ESTE PAIS NAO EXISTE.

Anônimo disse...

A alegria acabou, a choradeira continua.

Loumari disse...

MP autoriza Odebrecht a celebrar contratos com instituições públicas e privadas

Na sequência da implementação do seu compromisso com a ética, a integridade e a transparência, em todos os seus negócios, o Grupo Odebrecht foi autorizado pelo Ministério Público (MP) Federal do Brasil a celebrar e renovar contratos com instituições públicas e privadas.

A Odebrecht tem vindo a implementar todos os mecanismos de controlo interno e externo para prevenir e mitigar a probabilidade de ocorrência de quaisquer desvios, começando pelo rígido Programa de Compliance aplicável a todos os negócios do Grupo, em todos os países onde está presente. Com efeito, o Ministério Público Federal do Brasil tem emitido, através de certidões, declarações a terceiros sobre os compromissos que a Odebrecht assume perante a Justiça do Brasil, dos Estados Unidos e da Suíça.

Dentre estes compromissos, destacam-se o de adoptar as melhores práticas de Integridade, Ética e Transparência e o de sujeitar-se ao monitoramento independente relativo a tais práticas. Alguns dos destinatários dos certificados emitidos são: o Banco Nacional de Desenvolvimento Económico e Social – BNDES, a Petrobrás e o Tribunal de Contas da União (TCU) e é resultado do Acordo de Leniência firmado entre a Odebrecht e o Ministério Público Federal, já devidamente homologado pela 5ª Câmara de Coordenação e Revisão do órgão. Ficam assim criadas as condições para a retomada do curso normal das relações empresariais, nomeadamente a celebração e a renovação de contratos da Odebrecht com terceiros, incluindo instituições financeiras públicas e privadas, e clientes, também públicos e privados, actuais ou em prospecção. Em paralelo, a Odebrecht no Panamá, responsável pela construção da linha dois do metro daquele país, em parceria com a empresa espanhola FCC, num Projecto de dois biliões de dólares norte-americanos, apresentou a documentação necessária aos bancos internacionais para o financiamento de 1,8 bilião de dólares do Projecto. Estes recursos vão financiar a conclusão das obras do metro do Panamá, que se encontra em cerca de 33 por cento de progresso físico. Redacção
Fonte: Jornal Diário do País
Edição nº2378
02 de Março de 2017
Moçambique

Loumari disse...

A “gasosa” das elites portuguesas

Por: João Miguel Tavares

Nós andámos décadas a alimentar a cleptocracia portuguesa sem que o povo tivesse sequer reparado.

Os angolanos chamam “gasosa” tanto às bebidas gaseificadas como aos subornos. Se um polícia o mandar parar em Luanda por qualquer razão, ainda que absurda, é quase certo que vai ter de pagar “gasosa”. Se precisar de um visto urgente, tem de pagar “gasosa”. E sempre que exista qualquer participação num negócio lucrativo, os angolanos, modo geral, querem “gasosa” pelo esforço. Claro que nós, portugueses impolutos, tendemos a olhar para isto muito sobranceiros, porque não temos de pagar “gasosa” à polícia nem aos funcionários das embaixadas. É verdade, e ainda bem – ao nível da pequena corrupção somos, de facto, um país muito mais sério e decente. Mas será que podemos dizer o mesmo da grande corrupção? Tenho cada vez mais dúvidas. Quando olho para as elites económicas e financeiras dos dois países, o que vejo é muita “gasosa” a borbulhar tanto em Angola como em Portugal.

Se há algum ponto em que me identifico com as queixas recorrentes de Luanda, sempre que um alto quadro seu é investigado em Portugal, é esse: também a mim me irrita a sobranceria de uma virtude inexistente. Perante as graves suspeitas que incidem sobre o vice-presidente Manuel Vicente lá tivemos de levar com os costumeiros protestos oficiosos e malcriados do regime, viaJornal de Angola. Estamos habituados. Contudo, estou convencido de que aquilo que está subjacente a tais insultos é a convicção por parte da elite angolana de que as práticas da elite portuguesa em nada diferem das suas – por cada tampa de "gasosa" que se abre em Luanda há uma garganta que se abre em Lisboa. A única verdadeira diferença é que nós somos mais dissimulados, e não chamamos “gasosa” à “gasosa”. A corrupção não está instituída em toda a sociedade. Está escondida no seu topo.

Basta olhar para a lista actualizada de arguidos da Operação Marquês. Há dez anos, aqueles eram os homens mais poderosos de Portugal. A nossa mais destacada elite económica. Os jornais faziam vénias à passagem de Zeinal Bava, de Henrique Granadeiro ou de Ricardo Salgado. Havia entrevistas, perfis de sucesso, conferências, influência e a habitual sabujice. Nós engolimos explicações que jamais deveriam ter sido aceites por uma sociedade saudável, atenta e minimamente exigente. Salgado recebia 14 milhões de um cliente do BES, chamava a isso uma “liberalidade”, juntava pareceres de eminentes professores catedráticos a justificar que uma “liberalidade” era coisa perfeitamente aceitável – e o pessoal encolhia os ombros. Bava recebia 18,5 milhões do saco azul do BES, só os devolvia depois de começar a ser investigado, de seguida argumentava tratar-se um valor que lhe havia sido “confiado a título fiduciário, consignado a uma finalidade legítima a concretizar em momento futuro” – e a pátria não queria saber. Enfiavam-nos dois garfos nos olhos, diziam que se tratava de uma operação às cataratas, e no fim ainda pagávamos a conta.

Não admira que os angolanos, que conhecem tão bem o senhor Bataglia, o senhor Salgado ou o senhor Sócrates arranquem os cabelos de raiva quando assistem à velha pátria lusitana de dedinho em riste, a perorar sobre a lastimável cleptocracia angolana. Não é que ela não seja lastimável – com certeza que é. Mas nós andámos décadas a alimentar a cleptocracia portuguesa sem que o povo tivesse sequer reparado. Não somos melhores. Somos apenas mais hipócritas e mais reservados. A “gasosa” é a bebida favorita das nossas elites – só que é preciso chegar lá para nos abrirem a porta do bar.

Loumari disse...

Fillon faltou à palavra e porta-voz demitiu-se

O candidato às primárias que declarou o seu apoio a Fillon disse que o político quebrou a promessa de se demitir caso fosse acusado

O ex-ministro francês Bruno Le Maire demitiu-se hoje da campanha de François Fillon por discordar da decisão do candidato presidencial de se manter na corrida apesar de estar prestes a ser formalmente acusado.

"Acredito no respeito pela palavra dada, é indispensável à credibilidade na política", afirmou Le Maire num comunicado, referindo-se à promessa feita por Fillon no início da campanha de que se demitiria se fosse formalmente acusado.

François Fillon anunciou hoje que foi convocado para uma audição judicial a 15 de março, na qual, segundo os seus advogados, vai ser formalmente acusado no caso que envolve a alegada criação de empregos fictícios para a mulher e dois filhos.

Fonte ligada ao processo disse horas depois à agência France-Presse que a mulher do candidato, Penelope Fillon, também vai ser formalmente acusada.

Contrariamente ao que prometeu em janeiro, o candidato do partido Os Republicanos (direita) disse hoje que recusa ceder ao que considera uma tentativa de "assassínio político" e que se mantém na corrida às presidenciais de 23 de abril e 7 de maio.

http://www.dn.pt/mundo/interior/apoiante-do-candidato-francois-fillon-demite-se-da-campanha-5697909.html

Loumari disse...

Dois candidatos franceses envolvidos em escândalos de corrupção

PARIS — A menos de três meses das eleições na França, dois candidatos à Presidência enfrentam denúncias de corrupção, podendo prejudicar suas aspirações de chegar ao Palácio do Eliseu. Investigado por um suposto emprego fantasma de sua mulher, o candidato conservador François Fillon caiu na última pesquisa de intenção de voto, divulgada na quarta-feira. Já a candidata da extrema-direita Marine Le Pen é acusada de desvio de recursos pelo Parlamento Europeu. Ambos alegam que as denúncias fazem parte de uma tentativa da oposição de impedir suas as candidaturas.

Ex-primeiro-ministro e candidato pelo partido Os Republicanos, Fillon tem perdido apoio após a revista Le Canard Echaîné revelar nos últimos dias que ele contratou dois de seus filhos como assistentes parlamentares quando era deputado na Assembleia Nacional, e também sua mulher, que nunca pisou no Legislativo francês.

Penelope Fillon teria recebido também ‎€ 900 mil euros, sem trabalhar, pela função de colaboradora literária na revista La Revue dês Deux Limpes, uma das publicações mais antigas da França ligada à centro-direita.

Na França não é ilegal que um deputado ou senador contrate membros de sua família, mas a revista informou que não existem registros de atividades da mulher de Fillon, que até agora havia se apresentado como dona de casa. Fillon disse que não tem intenção de abandonar a corrida presidencial, e afirmou que só vai abandonar a candidatura se for formalmente acusado.

Outra envolvida em escândalo é Marine Le Pen, candidata pelo partido Frente Nacional (FN). Na quarta-feira, o Parlamento Europeu decidiu cortar pela metade o salário da líder da extrema-direita francesa por desvio de recursos. Le Pen tinha até a meia-noite de terça-feira para restituir € 340 mil, mas se negou, argumentando que essa é uma estratégia da oposição para prejudicá-la.

Além da redução salarial, a Comissão de Finanças do Parlamento Europeu vai restringir a partir de março os recursos repassados à líder da Frente Nacional para despesas gerais e gastos com diárias.

Le Pen teria usado os recursos para pagar dois funcionários do partido que não atuam em funções relacionadas ao Parlamento Europeu. Cerca de € 300 mil teriam sido desviados para pagar a chefe de gabinete Catherine Grisset, que trabalha para a FN em Nanterre, na França. Outros 40 mil teriam sido destinados para o pagamento dos salários de Thierry Leger, guarda-costas de Le Pen.

PESQUISA

De acordo com uma pesquisa divulgada na quarta-feira, Fillon seria eliminado no primeiro turno da eleição de abril. Ele perdeu de 5 a 6 pontos desde o início do ano, depois da revelação do caso da mulher pela revista Le Canard Enchaîné.

O candidato receberia 20% dos votos no primeiro turno, sendo superado por Le Pen (26-27%) e pelo ex-ministro da Economia Emmanuel Macron (22-23%).

Macron, que nunca foi eleito para qualquer cargo, derrotaria Le Pen no segundo turno, em maio, com 65% dos votos.

O candidato socialista Benoît Hamon, que venceu as primárias de domingo passado, ficaria em quarto lugar (16%), à frente do líder da extrema-esquerda Jean-Luc Mnélenchon (10%).

http://www.oparana.com.br/noticia/dois-candidatos-franceses-envolvidos-em-escandalos-de-corrupcao/44945/