quarta-feira, 5 de abril de 2017

Zé Mayer e o indecente Capimunismo rentista


Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net

Executivo e Legislativo seguem mantendo o Brasil na vanguarda do atraso com decisões estúpidas que colocam o País na contramão do mundo desenvolvido. Deputados e senadores querem estatizar o serviço de táxis por aplicativos de Internet, inviabilizando empresas como Uber e afins. Nossas excelências também se calam, criminosamente, diante do assassinato do agronegócio brasileiro, com a recente decisão do “presidente paralelo” Henrique Meirelles de cobrar IOF de cooperativas de crédito, tornando seus empréstimos mais caros que o dos bancos tradicionais.

Outra doideira é a decisão governamental de empréstimos consignados (com desconto direto no pagamento do salário) usando como garantia o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço – que só deveria ser liberado para o trabalhador na hora da demissão. Parte dos recursos seriam retidos pelos bancos em caso de inadimplência. A mentirinha oficial alegada é que deseja-se estimular o consumo por meio do fornecimento de crédito com juros mais baixos, porém de forma mais “segura” para as instituições financeiras. A crédula Velhinha de Taubaté, endividada até o pescoço, acredita que os juros baixarão por causa da medida...

A politicagem tupiniquim insiste na proposta canalha e retrógrada de “estatizar” o financiamento de campanhas eleitorais. A maioria dos partidos no Congresso Nacional apóia a criação de um tal de “fundo de financiamento para a democracia”. A ideia consiste em usar dinheiro público para bancar o caríssimo (muitas vezes superfaturado) modelo de propaganda política. Assim segue o Brasil com novos absurdos aprovados pelo Executivo e pelo Legislativo, aprofundando nosso atrasado e injusto modelo Capimunista – rentista e corrupto.

Enquanto isso, o cidadão-eleitor-contribuinte é obrigado a assistir ao faz de conta do governo Michel Temer e suas supostas reformas, para desviar a atenção da opinião pública sobre os grandes negócios e negociatas de interesse dos políticos no poder, dilapidando ativos públicos, vendidos a preço de banana, usando a recessão econômica como desculpa esfarrapada.  

Já pensou se o cidadão brasileiro tivesse o poder de suspender por tempo indeterminado políticos canalhas – agindo da mesma forma enérgica como o Grupo Globo puniu o ator José Mayer – que pediu perdão público por um escandaloso caso de assédio sexual a uma figurinista?

Por enquanto, a classe política segue estuprando nossa paciência e violentando o bolso dos trabalhadores e o caixa das empresas, via infindável cobrança de impostos, taxas, contribuições e multas que inviabilizam uma Nação produtiva.

Os próximos capítulos da novela da vida real brasileira prometem ser tétricos... A chapa Dilma-Temer pode até terminar “punida” de mentirinha, mas o sistema dará aquele “jeitinho” de garantir que Michel Temer chegue ao final do mandato-tampão, porque tem o apoio amplo, geral e irrestrito dos deuses do tal “mercado”...

Cabeleira criticando


Colabore com o Alerta Total

Os leitores, amigos e admiradores que quiserem colaborar financeiramente com o Alerta Total poderão fazê-lo de várias formas, com qualquer quantia, e com uma periodicidade compatível com suas possibilidades.

Nos botões do lado direito deste site, temos as seguintes opções:

I) Depósito em Conta Corrente no Banco do Brasil.
Agência 4209-9, C/C: 9042-5, em favor de Jorge Serrão.

II) Depósito em Conta Poupança da Caixa Econômica Federal ou em agências lotéricas: 2995 013 00008261-7, em favor de Jorge Serrão.

OBS) Valores até R$ 9.999,00 não precisam identificar quem faz o depósito; R$ 10 mil ou mais, sim.

III) Depósito no sistema PagSeguro, da UOL, utilizando-se diferentes formas (débito automático ou cartão de crédito).

IV) Depósito no sistema PayPal, para doações feitas no Brasil ou no exterior.

Vida que segue... Ave atque Vale! Fiquem com Deus. Nekan Adonai!

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Independente, analítico e provocador de novos valores humanos, pela análise política e estratégica, com conhecimento criativo, informação fidedigna e verdade objetiva. Jorge Serrão é Jornalista, Radialista, Publicitário e Professor. Editor-chefe do blog Alerta Total: www.alertatotal.net. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos. 

A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 5 de Abril de 2017.

18 comentários:

Anônimo disse...

No Estadão desta quarta-feira: O Estado podre e a Nação emparedada
JOSE NEUMANNE PINTO
Ladrões de bilhões querem segredo e impunidade para ficar com poder e fortuna
“Há algo de podre no reino da Dinamarca”
1. Shakespeare (Hamlet)
O estágio de decomposição moral vivido no Brasil oficial hoje resulta de muitos anos – o correto seria dizer séculos – de completa devassidão e absoluta impunidade gozadas por nossas elites dirigentes política e econômica. No entanto, chegamos agora a um ponto, inusitado em nossa História, em que o cinismo ultrapassou todos os limites da decência e da normalidade. A dimensão do rombo na economia pode ser imaginada após a leitura da chamada de primeira página do Estado de anteontem, Ações da Lava Jato pedem R$ 70 bilhões de indenização, ou seja, cerca de metade do déficit previsto para o Orçamento da República este ano.
Parlamentares, membros do Executivo, dirigentes partidários do governo e da oposição e agora fiscais da atuação destes no Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro foram pilhados cobrando propinas de empresas que prestam serviços a estatais, em troca do atendimento a suas reivindicações e seus interesses. E lhes propiciaram lucros exorbitantes em obras não executadas ou mal realizadas. O noticiário acompanha dia a dia o esvaziamento metódico e solerte de todos os cofres do erário, tudo feito com a maior desfaçatez
O novo caso revela o extremo desse desplante. Parlamentares permitiam que empresas fizessem leis a seu talante e governantes lhes abriam os cofres para que deles fizessem o que bem pretendessem. E pelo menos uma das “cortes” que deveriam auditar as contas de um Estado também foi calada por propinas. Pode-se afirmar que nunca antes na História deste país (e quiçá do inteiro gênero humano) foi praticado o que se executou nestes 14 anos: um assalto de enormes proporções sem que nenhuma providência prática tenha sido adotada para pôr fim a tanta bandalheira. E embora não seja possível conviver mais com isso, é difícil imaginar como pode ser feito, pois o Estado, em franco apodrecimento, emparedou a Nação para impedir que esta aja.
CONTINUA...

Anônimo disse...


JOSE NEUMANNE PINTO CONTINUA II
Neste pântano em que o Brasil oficial afundou o País real, a constatação ganha ares (melhor dizer miasmas) de rigidez cadavérica pelo fato de que os três Poderes republicanos agem para acobertar os criminosos, impedindo que eles sejam devidamente processados e punidos, na medida em que possam fazê-lo. É bem verdade que não vige mais entre nós o preceito que destina só aos três pês – prostitutas, pobres e pretos – o inferno prisional. Nas masmorras da “república de Curitiba” o príncipe dos empreiteiros brasileiros, da fina-flor do empresariado, Marcelo Odebrecht, cumpre dolorosa pena. E outros tiveram de apelar para a delação premiada a fim de evitar o mesmo destino. Essa, contudo, não é a regra.
Neste momento, urge dar outro passo histórico. Um dos beneficiários do clube dos acobertados pelo manto da impunidade garantida vem de ser condenado a 15 anos e 4 meses de prisão pelo juiz Sergio Moro, o principal responsável pela revolução presente. Ex-presidente da Câmara dos Deputados e principal responsável pela abertura do processo do impeachment – mais que indispensável, necessário – da petista Dilma Rousseff, Eduardo Cunha recorreu ao cinismo, à truculência e, sobretudo, a chicanas jurídicas e regimentais do Parlamento para se livrar das penas da lei. Mas terminou sendo investigado, preso, processado e condenado pelos rigores da primeira instância, deixando de se valer da tolerância máxima permitida pelo Supremo Tribunal Federal (STF).
CONTINUA...

Anônimo disse...

JOSE NEUMANNE PINTO CONTINUA III
No momento em que isso ocorre, contudo, mais de uma centena de seus colegas de poder partidário usufruem a benesse do sigilo, sob o qual reina a impunidade garantida pela benemerência do relator da Lava Jato na Corte, Luiz Edson Fachin. Entre tais privilegiados está o presidente nacional do PSDB, Aécio Neves, que execra a “delação seletiva” de que foi vítima e clama pela divulgação, da qual não escapará.
O cidadão sem foro exige saber quais são os gatunos que dilapidam o patrimônio coletivo para manter poder e fortuna. Pois esse tempo é empregado “noturna e diuturnamente” ([ITALIC]sic[/ITALIC]), como diria dona Dilma, por eles mesmos para tornar legais os próprios delitos.
O senador Roberto Requião (PMDB-PR), criador impune do falso pistoleiro Ferreirinha, protagonista da fraude eleitoral que o alçou ao governo de seu Estado, relata um projeto dito de abuso de autoridade, mas que deveria ser chamado de garantia da impunidade. O deputado Vicente Cândido (PT-SP) prepara uma lei mais sórdida, pois tira completamente do cidadão o direito de escolher os próprios representantes no sistema (já em si defeituoso) proporcional vigente no Brasil. A lista fechada, sonho de consumo de dirigentes de partidos, pois abole a consulta ao eleitor, isolaria mais a sociedade do Poder que finge representá-la.
CONTINUA...

Anônimo disse...

JOSE NEUMANNE PINTO CONTINUA IV E TERMINA
Na Venezuela, esse sistema espúrio levou a Hugo Chávez e a Nicolás Maduro, que ora golpeia a democracia usando títeres no Judiciário. Tem sido vã a insistência em aprovar uma lei em que os coleguinhas políticos que tungaram o Fisco se anistiam e jogam no lixo da História o princípio da igualdade de todos perante a lei, já que a sonegação de impostos continuaria sendo vedada a empresários, mas permitida apenas para políticos. Só que, com a Nação emparedada e desmobilizada, a autoanistia é pule de dez no Congresso de malandros com mandato.
O Estado-pântano esforça-se para apodrecer tudo e confirmar a sabedoria popular, segundo a qual uma maçã vencida estraga todas as outras frutas, sãs, de um cesto. E encaminha a Nação para um beco sem saída, cujo muro final só poderá ser ultrapassado pela Constituinte independente, sem nenhum mandatário atual entre seus membros, como sugere o professor Modesto Carvalhosa. De preferência adotando performance bonds, que os ianques usam para impedir que empreiteiros de obras, políticos e burocratas corruptos se comuniquem. O resto é palha.
José Nêumanne Pinto
Jornalista, poeta e escritor
(Publicado na Pag.2A do Estado de S. Paulo da quarta-feira 5 de outubro de 2017)

Anônimo disse...

Comentário no Jornal Eldorado da Rádio Eldorado: Nada de perdão à fraude!

O presidente do TSE, Gilmar Mendes, tem dito que o julgamento da chapa Dilma-Temer levará em conta a situação política delicada no País atualmente, podendo não cassar os direitos políticos dos réus, caso sejam condenados. Muita gente boa e bem intencionada defende este argumento. Eu, contudo, penso que avaliar conjunturas não faz parte dos deveres e prerrogativas do Poder Judiciário. Na vitória da chapa reeleita contestada pelo PSDB, cujo candidato foi derrotado e hoje faz parte do governo, ocorreu a maior fraude eleitoral da História do Brasil e, se a Justiça Eleitoral não levar isso em conta, mais do que a atual conjuntura, tema do samba do crioulo doido, ferirá, primeiramente, o direito da igualdade de todos os cidadãos perante a lei e também sacramentará a interferência indevida de poderes políticos e econômicos na distorção da vontade e da escolha do cidadão, o maior e mais sagrado de seus direitos.
(Comentário no Jornal Eldorado da Rádio Eldorado – FM 107,3 – na terça-feira 4 de abril de 2017, às 7h30m)
Para ouvir clique no link abaixo e, em seguida, no ícone de play
https://soundcloud.com/jose-neumanne-pinto/neumanne-0404
Para ouvir no Blog do Nêumanne, Política, Estadão, clique no link abaixo:
http://politica.estadao.com.br/blogs/neumanne/perdao-a-fraude-nao/

Anônimo disse...

No Blog do Nêumanne, Política, Estadão: Enxofre na Guanabara
Para Garotinho, delação de Cabral será o quinto dos infernos e vai empestear o Rio
Houve um tempo em que o Rio de Janeiro, mercê da marcha famosa de André Filho, era conhecido como “cidade maravilhosa”. Hoje outra canção de sucesso, de Gilberto Gil, também é profética ao decretar que a antiga capital do País “continua sendo”. No Rio, modas são criadas e adotadas e, depois, se transmitem ao resto do País. E foi assim que a capital do samba e da bossa nova virou também o exemplo mais descarado da corrupção desregrada que assola o País desde que a aliança entre PT, PMDB e partidos menos importantes tomou o poder na República insana.
Os métodos adotados pelo ex-governador Sérgio Cabral para cobrar e receber propinas de empreiteiros amigos que depois viraram desafetos, como Fernando Cavendish, da Delta, vieram acompanhados de histórias de amor, desamor, desejo, ciúmes e traição. Seu caso com uma parente do empresário tornou-se público depois da queda do helicóptero que a transportava para uma festa na Bahia, para a qual ele iria em outro. A descoberta e a insistência dele em não aceitar a imposição pela mulher, Adriana Ancelmo, do ex-marido para chefiar a Casa Civil resultaram numa separação do casal, que logo em seguida voltou a conviver como se nada tivesse acontecido. Esse vaivém de alianças também ocorreu na política, pois ele e seu amigão do peito Jorge Picciani, presidente da Assembleia Legislativa do Estado e cúmplice em várias falcatruas e tramoias, apoiaram o adversário tucano do PT na eleição presidencial de 2014. CONTINUA...

Anônimo disse...

No Blog do Nêumanne, Política, Estadão: Enxofre na Guanabara CONTINUA II
Aécio Neves e Aloysio Nunes Ferreira perderam a eleição para Dilma e Temer, mas a delação dos 77 da Odebrecht deixou claro que a dita oposição também sujou as mãos na porcaria da roubalheira geral brasileira. E nesta semana os netos de Tancredo Neves, o conciliador-mor do século 20 na política brasileira, tanto Aécio quanto a irmã Andrea, foram citados nas famigeradas delações premiadas dos 77 da Odebrecht. Na semana em que Aécio é capa de Veja, os jornais anunciam a marcha para a delação premiada do próprio Cabral. Para temor generalizado dos três poderes no Estado que ele governou e na Federação.
Por enquanto, o mundo já desabou sobre o Executivo, que ele chefiou, e o Legislativo. A Operação O Quinto do Ouro, da Polícia Federal, prendeu cinco, mantendo quatro presos em Bangu e o presidente em exercício usando tornozeleiras no lar amargo lar, dos sete conselheiros do Tribunal de Contas do Estado. Dos dois restantes, um – Jonas Lopes Filho – delatou os outros. E uma restou sendo a única representante sem explicações a dar à polícia e à Justiça. O TCE do Rio inaugurou uma nova dúvida nacional: e os outros TCEs do País? Como terão se comportado os conselheiros estaduais, municipais e o federal? O chefão do TCE, que não é órgão do Judiciário, mas assessor da Alerj, deputado estadual Jorge Picciani, presidente da Casa, foi também conduzido coercitivamente para se explicar na Polícia Federal. E na bagunça geral brasileira voltou do depoimento para discursar na tribuna de representante do povo.
As respostas estão sendo dadas nas reuniões do ex com os procuradores do Ministério Público Federal para negociar uma prisão mais leve, como, por exemplo, a da mulher, Adriana Ancelmo, agraciada com uma decisão leniente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), em nome de sua condição maternal.
Anthony Garotinho, que recentemente protagonizou cenas de esperneio explícito ao ser preso acusado de fraude eleitoral, tem acompanhado de forma diligente as aventuras do político que o lançou em cena na política fluminense, em seu blog sempre muito bem informado. CONTINUA....

Anônimo disse...

No Blog do Nêumanne, Política, Estadão: Enxofre na Guanabara CONTINUA III
Segundo Garotinho, agora desafeto, comenta-se no Rio que esta não é a única delação premiada temida por juízes, parlamentares, pois fala-se muito em outro ex-assessor da intimidade do ex-governador, que, segundo consta, foi escolhido exatamente para o lugar que a sra. Ancelmo desejava para o ex-marido.
Garotinho, cujo blog publicou as célebres fotos da turma do Guanabara dançando o cancã num restaurante em Paris, deu um furo espetacular, ao revelar que “Cabral desconfiava já há algum tempo que a não inclusão do nome de Regis Fichtner em qualquer operação ou investigação cheirava a proteção. Ou seja, o homem que o acompanha desde os tempos de deputado estadual, foi seu suplente de senador e seu chefe da Casa Civil, estaria entregando informações do grupo do qual fazia parte em troca de não ser investigado. No início da semana passada Sérgio Cabral teve certeza disso, e quem lhe contou foi um dos enviados, que foi especialmente a Bangu para detalhar o acordo de proteção a Regis Fichtner. Segundo o aliado que virou desafeto, Cabral foi “tomado de ira” e, entre  palavras e expressões de baixo calão, referiu-se a Regis Fichtner como  “traíra”, prometendo ao tal interlocutor que vai delatar “todo o esquema dele e da família com a Justiça do Rio”.
Segundo Garotinho, há vários capítulos dedicados a juízes, mas a delação também envolve “sua relação com Jorge Picciani, Pezão, Eduardo Paes e outros nomes do PMDB”. Teria, segundo seu informante, sobrado até para o emissário petista que recebia parte das propinas de verbas federais enviadas para obras no Rio. “Aliás, isso está anotado em uma das cadernetas apreendidas pelo Ministério Público Federal”, jura o outro ex-governador. CONTINUA...

Anônimo disse...

No Blog do Nêumanne, Política, Estadão: Enxofre na Guanabara CONTINUA IV E TERMINA
E Garotinho não deixa por menos ao anotar que “a operação no Tribunal de Contas do Estado foi denominada O Quinto do Ouro. A delação de Cabral, se for homologada, está sendo chamada de O quinto dos infernos, porque vai encerrar a carreira de muita gente prematuramente, gente grande, poderosa, que segundo Cabral está num lago de enxofre”.
De qualquer maneira, a soma das delações de Sérgio Cabral e do infiel Fichtner vai produzir muita dor de cabeça às margens da Guanabara, que encantou Cole Porter antes de se tornar a baía da imundície que fez mal a iatistas disputando a Olimpíada de 2016. Ou bem longe delas a seus asseclas espalhados pelo resto do Brasil. Certamente, muita gente importante da República gostaria de pagar para não ver no pôquer da impunidade, cada vez mais desejado e distante, sua carta jogada na baía do diabo.
José Nêumanne
Jornalista, poeta e escritor
(Publicado no Blog do Nêumanne, Política, Estadão, na segunda-feira 3 de abril de 2017)

Anônimo disse...

Home » Direto ao Assunto » Comentário no Jornal Eldorado da Rádio Eldorado: O quinto dos infernos

Comentário no Jornal Eldorado da Rádio Eldorado: O quinto dos infernos

O senador José Serra (PSDB-SP) poderia ter sido investigado em 2008, quando o Ministério Público da Suíça informou às autoridades brasileiras que havia indícios de que a multinacional francesa Alstom havia pago propina a funcionários do governo do Estado de São Paulo para obter contratos nas áreas de energia e transporte. E aí aconteceu o quê? O procurador Rodrigo de Grandis, que investigava o propinoduto da Alston no Brasil, engavetou o pedido da Suiça numa pasta errada!!! A manada de elefantes passou e ninguém viu. Pois é, por isso que estamos nesse escândalo sem fim!!!! Restam os 13.5 milhões de desempregados. E o federal Protógenes Queiroz, condenado, ainda a salvo na Suíça…
(Comentário no Jornal Eldorado da Rádio Eldorado – FM 107,3 – na segunda-feira 3 de abril de 2017, às 7h30m)
Para ouvir clique no link abaixo e, em seguida, no ícone do play
https://soundcloud.com/jose-neumanne-pinto/neumanne-eldorado-tce-rio
Para ouvir no Blog do Nêumanne, Política, Estadão, clique no link abaixo:
http://politica.estadao.com.br/blogs/neumanne/o-quinto-dos-infernos/

Anônimo disse...

O Antagonista
Dilma Rousseff, ontem, disse que um desarranjo intestinal a impediu de entender o alerta de Marcelo Odebrecht de que sua campanha estava contaminada com dinheiro de propina.
Hoje ela voltou ao assunto e analisou por escrito cada item do depoimento do empreiteiro...
"
Os desarranjos intestinais de Janete
Brasil 05.04.17 06:20
Dilma Rousseff, ontem, disse que um desarranjo intestinal a impediu de entender o alerta de Marcelo Odebrecht de que sua campanha estava contaminada com dinheiro de propina.
Hoje ela voltou ao assunto e analisou por escrito cada item do depoimento do empreiteiro.
Ela escreveu para a Folha de S. Paulo que não existia uma conta corrente entre a Odebrecht e sua campanha, e sim entre a empreiteira "e quem dirigia a operação do João Santana, que todos diziam que era a Mônica Moura".
Janete continua com seus desaranjos intestinais, que a impedem de compreender as palavras de Marcelo Odebrecht.
O empreiteiro declarou ao TSE que existia uma conta corrente entre a Odebrecht e a presidência da República, em nome de Lula, Antonio Palocci e Guido Mantega.
Ele declarou também que, durante a campanha de 2014, os pagamentos ilegais a João Santana – em espécie ou depositados em sua offshore – eram requisitados por Guido Mantega, que foi expressamente designado por Dilma Rousseff para cumprir esse papel.

Anônimo disse...


As dificuldades de Dilma Rousseff
Brasil 05.04.17 06:32
Dilma Rousseff, em seus comentários à Folha de S. Paulo, disse que gosta “muito” do marqueteiro João Santana e que vai ter "muita dificuldade" se ele “falar coisas que não são reais”.
Quem vai ter “muita dificuldade” se “falar coisas que não são reais” é o próprio João Santana, que assumiu o compromisso legal de dizer toda a verdade.
"Defecatio matutina"
Brasil 05.04.17 06:07
Dilma Rousseff está de volta à Folha de S. Paulo.
É sempre salutar acordar com seus comentários, porque eles funcionam como uma espécie de expurgo.
O jornal deveria contratá-la para uma coluna diária.
Defecatio matutina bona tam quam medicina.
Momento Antagonista: O criador vai matar a criatura
Brasil 04.04.17 21:01
O marqueteiro João Santana, que ajudou a construir a imagem pública de Dilma Rousseff, agora será responsável por sua desconstrução, ou melhor, pela destruição de sua criatura política. A delação do Feira também vai atingir Lula.
O ANTAGONISTA

Anônimo disse...

O ANTAGONISTA
Exclusivo: Feira delatou manobras de Janete para obstruir Lava Jato
Brasil 05.04.17 07:18
Dilma Rousseff disse que “gosta muito” de João Santana.
Ela vai mudar de ideia rapidamente.
O Antagonista foi informado de que Feira e Dona Xepa não delataram apenas os pagamentos ilegais para as campanhas de 2010 e 2014.
Eles delataram também as manobras de Janete para obstruir a Lava Jato.
A senadora Janete
Brasil 05.04.17 07:44
Leia o comentário de Joaquim Falcão sobre o descrédito dos tribunais brasilienses, publicado em O Globo:
“Cresce cada vez mais a distância entre a esperança da população nas decisões dos tribunais e o desapontamento diante de adiamentos, lentidões e não decisões. Por motivo simples: quando não decide, o tribunal delega esta função primordial da democracia — fazer justiça, condenar ou absolver — a outras instituições. A lei do mais forte ou da negociação de bastidor.
Vejam neste caso. Ao adiar o julgamento sobre a legalidade da chapa Temer e Dilma, o TSE, no fundo, está mantendo a legalidade da chapa sem dizer de alto e bom som. Pode até não dizer. Mas a população está escutando.
Pelas previsões de adiamentos, quando for decidir de verdade, corre-se a possibilidade do mandato
de Temer já ter terminado. E Dilma já estar concorrendo ao Senado pelo Rio Grande do Sul.

Anônimo disse...

Agamenon: "Tribunal de faz de contas"
Cultura 05.04.17 07:27
A Lava Jato é uma espécie de Big Brother que já dura mais de três anos. A diferença é que não tem “anjo” nem “líder”. Os participantes nunca saem da Casa. Ao contrário, só entram na Casa. Casa de Detenção. A quantidade de gente que vai para o “paredão” é cada vez maior, só que ninguém precisa mandar SMS para votar em quem tem que ser preso na manhã seguinte. E o que é melhor ainda: não precisa aturar as digressões poéticas do Pedro Bial nem as análises sociológicas do Tiago Leifert.
Mas, depois do Big Brother, o maior problema do Rio de Janeiro é o aumento da criminalidade, que desceu das favelas, ocupou a Baixada, dominou o subúrbio, embicou pela Zona Sul e atacou até mesmo o Palácio da Guanabara, onde a perigosa facção criminosa ADS (Amigos do Serginho) cobrava o esculacho e dividia a grana dos achaques em plena luz do dia. Pois então: desta vez os Federais estouraram mais uma quadrilha que atuava no Tribunal de Contas do Estado! Só um conselheiro não foi preso. Aliás, uma mulher, uma conselheira, a única que não participava da roubalheira. Uma atitude machista e preconceituosa dos seus colegas!
Como diria Boris Casoy: isso é uma vergonha! É uma vergonha em mais de 80 anos de jornalismo eu nunca ter arrumado uma bocada dessas! O serviço de “conselheiro” do tribunal de contas é muito simples. O “conselheiro”, como o nome já diz, só tem que dar conselhos. E os conselhos não precisam ser bons. E taí uma coisa que eu sei fazer. Aliás, como dizia o Stanislaw Porto, o Sérgio Ponte Preta: “C**!!! **##u e conselho só se dá a quem pede!”.
Além dos conselhos, o conselheiro leva um capilé caprichado só para aprovar as contas do governador. Como todo mundo sabe, Serginho Cabral sempre foi muito bom em Matemática, principalmente nas três operações: somando propinas, subtraindo verbas e multiplicando a sua fortuna. Dividir nunca foi o forte de Sérgio Cobal.
Infelizmente, a casa caiu. Deu no que deu esconder aquela grana toda numa unidade do Minha Casa, Minha Vida. Foram todos parar em Bangu, prisão de detenção premiada. Mas nem tudo deu ruim para a Famiglia Cabral. Depois das rebeliões nos presídios em janeiro, as autoridades carcerárias resolveram tomar providências para melhorar o sistema prisional. Depois de “dar um tapa” em cada um dos "cadeiantes", a diretoria do Complexo de Bangu resolveu inaugurar uma nova unidade no Leblon, Zona Sul do Rio de Janeiro, onde o(a) apenado(a) pode cumprir a sua pena tomando banho de sol na praia e mandando vir quentinha do Antiquarius. Se tiver bom comportamento, pode até tomar um chope no Jobi ou fazer compras nas joalherias do shopping.
Agamenon Mendes Pedreira é conseglieri do Tribunal de Contas da Camorra.

Anônimo disse...

A ORCRIM internacional
Brasil 05.04.17 07:12
Além das ilegalidades cometidas por Lula e Dilma Rousseff, João Santana e Mônica Moura delataram também “irregularidades nas campanhas de Hugo Chavez e Nicolas Maduro, na Venezuela, de Maurício Funes, em El Salvador, de Danilo Medina, na República Dominicana e de José Eduardo dos Santos, em Angola”.
De acordo com O Globo, “nenhuma das campanhas das quais participaram ficou de fora das delações”.
Dez anos de propinas para Lula e Dilma
Brasil 05.04.17 07:05
“O publicitário João Santana e a mulher dele Mônica Moura denunciaram, em acordo de delação premiada, movimentação irregular de dinheiro em todas as campanhas eleitorais que participaram no Brasil e em outros países da América Latina de 2006 até serem presos em fevereiro do ano passado”, disse O Globo.
“Os dois relataram ilegalidades nas campanhas dos ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva, de Dilma Rousseff, ambos do PT, na mesma linha das acusações formuladas por ex-executivos da empreiteira Odebrecht”.
O que Feira e Dona Xepa contaram à PGR
Brasil 05.04.17 06:59
João Santana e Mônica Moura entregaram “detalhes sobre apoio ilegal de Eike Batista e do Grupo J&F ao PT”, disse O Globo...
E mais:
“Eles levaram a PGR ao coração do financiamento escuso de campanhas petistas, ao meio da sala onde se debateu a reação às descobertas da Lava Jato e o próprio risco de prisão dos envolvidos.
Também foram à intimidade da relação do ex-presidente Lula com líderes latino-americanos eleitos em campanhas sob responsabilidade do casal”. O ANTAGONISTA

Anônimo disse...


"Um desastre completo"
Brasil 05.04.17 06:45
A entrevista de Dilma Rousseff, publicada ontem pela Folha de S. Paulo, enterrou-a ainda mais.
Um jurista petista disse ao Estadão:
“É um desastre completo essa entrevista agora!”
Dois ministros do TSE concordaram com ele.
Diz a reportagem:
“Quando diz que seu comitê financeiro custeou quase todas as despesas de Michel Temer, de jatinhos ao pagamento de salário de assessores, e foi responsável pelo grosso da arrecadação, Dilma praticamente corroborou a tese de que Temer não teve a chamada responsabilidade objetiva por eventuais irregularidades no caixa”.
As dificuldades de Dilma Rousseff
Brasil 05.04.17 06:32
Dilma Rousseff, em seus comentários à Folha de S. Paulo, disse que gosta “muito” do marqueteiro João Santana e que vai ter "muita dificuldade" se ele “falar coisas que não são reais”.
Quem vai ter “muita dificuldade” se “falar coisas que não são reais” é o próprio João Santana, que assumiu o compromisso legal de dizer toda a verdade.
O ANTAGONISTA

Anônimo disse...

A tragédia que foi o fim do Regime Militar do Brasil
2 de abril de 2017
*DISCURSO DO GENERAL PAULO CHAGAS.*

*Liberdade para quê?* *Liberdade para quem?*
*Liberdade para roubar, matar, corromper, mentir, enganar, traficar e viciar?*
*Liberdade para ladrões, assassinos, corruptos e corruptores, para mentirosos, traficantes, viciados e hipócritas?*
*Falam de uma “noite” que durou 21 anos, enquanto fecham os olhos para a baderna, a roubalheira e o desmando que, à luz do dia, já dura 26!*
*Fala-se muito em liberdade!*
*Liberdade que se vê de dentro de casa, por detrás das grades de segurança, de dentro de carros blindados e dos vidros fumê!*
*Mas, afinal, o que se vê?*
*Vê-se tiroteios,* *incompetência, corrupção, quadrilhas e*
*quadrilheiros, guerra de gangues e traficantes,* *Polícia Pacificadora, Exército nos morros, negociação com bandidos, violência e muita hipocrisia.*
*Olhando mais adiante, enxergamos assaltos, estupros, pedófilos, professores desmoralizados, ameaçados e mortos, vemos “bullying”, conivência e mentiras, vemos crianças que matam, crianças drogadas, crianças famintas, crianças armadas, crianças arrastadas, crianças assassinadas.*
*Da janela dos apartamentos e nas telas das televisões vemos arrastões, bloqueios de ruas e estradas, terras invadidas, favelas atacadas, policiais bandidos e assaltos a mão armada.*
*Vivemos em uma terra sem lei, assistimos a massacres, chacinas e seqüestros. Uma terra em que a família não é valor, onde menores são explorados e violados por pais, parentes, amigos, patrícios e estrangeiros.*
*Mas, afinal, onde é que nós vivemos?*
*Vivemos no país da impunidade onde o crime compensa e o criminoso é conhecido, reconhecido, recompensado, indenizado e transformado em herói!* *Onde bandidos de todos os colarinhos fazem leis para si, organizam “mensalões” e vendem sentenças!*
*Nesta terra, a propriedade alheia, a qualquer hora e em qualquer lugar, é tomada de seus donos, os bancos são assaltados e os caixas explodidos. É aqui, na terra da “liberdade”, que encontramos a “cracolândia” e a “robauto”, “dominadas” e vigiadas pela polícia!*
*Vivemos no país da censura velada, do “microndas”, dos toques de recolher, da lei do silêncio e da convivência pacífica do contraventor com o homem da lei. País onde bandidos comandam o crime e a vida de dentro das prisões, onde fazendas são invadidas, lavouras destruídas e o gado dizimado, sem contar quando destroem pesquisas cientificas de anos, irrecuperáveis!*
*Mas, afinal, de quem é a liberdade que se vê?*
*Nossa, que somos prisioneiros do medo e reféns da impunidade ou da bandidagem organizada e institucionalizada que a controla?*
*Afinal, aqueles da escuridão eram “anos de chumbo” ou anos de paz?*
*E estes em que vivemos, são anos de liberdade ou de compensação do crime, do desmando e da desordem?*
*Quanta falsidade, quanta mentira, quanta canalhice ainda teremos que suportar, sentir e sofrer, até que a indignação nos traga de volta a vergonha, a autoestima e a própria dignidade?*
*Quando será que nós, homens e mulheres de bem, traremos de volta a nossa liberdade?*
*Paulo Chagas é General da Reserva do Exército do Brasil.*
*Após a leitura, não deixe de repassar. É o retrato do Brasil.*
Publicado em 00 ÚLTIMO ANO DE LULA 2010

Anônimo disse...

Só a desobediência civil em peso nos livrará desses crápulas.