sábado, 27 de maio de 2017

A verdade sobre a Cracolândia


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Rita de Cássia Lanschi Bonesi

Como defensora da vida, da cidadania, da moralidade e do civismo, como SOCIÓLOGA especializada, experiente, inteligente e capacitada (deixo a modéstia de lado) SOU TOTALMENTE CONTRA incapazes profissionais formados através de catecismos petistas e da "nova ordem dos direitos humanos" que têm criticado e impedido que sejam exterminados os "pontos turísticos" criados com a entrada do PT no governo, a Crackolândia!

É desumana a omissão de governantes, vereadores, prefeitos e os ditos "direitos desumanos"!

Não é humano assistir e permitir que pessoas viciadas transformem-se em zumbis e esperem a morte chegar através de overdoses ou males fatais.

O crack é uma das dependências mais difíceis de se tratar!

ESTOU COM JOÃO DÓRIA E APOIO O SEU TRABALHO em retirar e levar para tratamento, os dependentes.

Ministério Publico e Defensoria Pública,, não emperrem esse trabalho!

Arregacem as mangas e juntem-se ao prefeito para que muitas vidas ainda possam ser salvas.

No estágio avançado desses dependentes não se pode "dar ao luxo" de chegar ao local e perguntar:

Quem quer se tratar, levante a mão!

Sejam realistas e objetivos.

Não mascarem a gravidade da dependência!

Tratamento URGENTE e fim do "ponto turístico petista"


Rita de Cassia Lanschi Bonesi é Psicóloga.

8 comentários:

Anônimo disse...

A HONESTIDADE ESTARIA EM POR A BOCA NO TROMBONE E FALAR A VERDADE... O PROBLEMA TODO FOI CAUSADO POR QUEM DISCRIMINALIZOU O USUARIO E O PEQUENO TRAFICANTE, ENTÃO ACHE ESSES FDP QUE SABEREMOS QUEM SÃO OS GRANDES NARCOTRAFICANTES, QUEM FOR PEGO USANDO OU VENDENDO TEM QUE SER PENALIZADO, SE O MACONHEIRINHO PASSASSE UMA SEMANA NA CADEIA POR ACENDER UM BASEADO, SE O DEPUTADO, SENADOR, ARTISTAS,PÉ RAPADO OU FILINHO DE PAPAI PAGASSE POR PORTE ILEGAL COMO BANDIDOS PENSARIAM 2 VEZES ANTES DE ENTRAR NESSA ROUBADA... NÃO FALAR A VERDADE QUE AS DROGAS FORAM IMPLANTADAS NO PAIS MUITO ANTES DO PT É UM MODO DE PROTEGER A MAFIA QUE É FORMADA DESDE SEMPRE PELAS FFAA, JUDICIARIO, POLITICOS E EMPRESARIOS TODOS COMANDADOS PELA MAÇONARIA... NA DÉCADA DE 90 QUEM ENTREGAVA AS DROGAS PARA OS TRFICANTES ERAM AS POLICIAS QUE FORAM SUBISTIDUIDOS DEVIDO O AVANÇO DOS MONITORAMENTOS E FILMADORAS PELO CRIME ORGANIZADO PELAS MESMAS AUTORIDADES QUE DESCRIMINALIZARAM OS USUARIOS E PEQUENOS TRAFICANTES PARA ALMENTAR O LUCRO... ENTÃO SEJA HONESTA E DENUNCIE A VERDADEIRA MAFIA SE FOR CAPAZ, POIS PORTAR, USAR, OU VENDER DROGAS AINDA É CRIME E CRIME É TAMBÉM QUEM ROUBA E MATA PARA CONSEGUIR E AINDA TEMOS O DIREITO DE LEGITIMA DEFESA QUE AS AUTORIDADES NOS TRA PARA FACILITAR A VIDA DESSES FDP...

Estéfani JOSÉ Agoston disse...

A maioria dos psicólogos consegue manter linha de bom senso na condução da própria vida, penso que graças aos estudos e práticas que aprenderam nos locais de formação, e inclusive na prática da profissão, porém alguns outros não conseguem se curar dos problemas internos que os levaram a estudar Psicologia; lembro-me de um estimado Mestre que na primeira aula no curso de Psicologia foi franco e até bruto em afirmar "todos vocês que vieram para estudar Psicologia, têm deficiências.......", afirmação dura, mas depois fui constatando a inteira verdade contida naquela afirmação curta e grossa, de que, quem estuda Psicologia têm problemas internos e por isso busca caminhos para supera-los, o que requer muita coragem. Os que não conseguem superação, então, tontos, passam a falar muita merda nos caminhos da vida, prejudicando a sociedade indiretamente ou de forma direta, e um exemplo de um desses que falam muita merda é a psicóloga Rita de Cassia Lanschi Bonesi, conforme o texto acima comprova; para ilustrar o desconhecimento dela na matéria da qual se julga "sábia" indico um endereço no qual pode ser encontrado um artigo escrito por um Mestre e Doutor formado em Yale/USA que dificilmente pode contestado, do qual também transcrevo a parte inicial

“Por que eu estou aqui de jaleco branco, enquanto esse sujeito está fumando crack?”

Foi essa a pergunta que surgiu na cabeça do neurocientista Carl Hart, em 1998, enquanto ele tomava notas de suas observações para a pesquisa sobre efeitos do crack que estava realizando no Hospital da Universidade Columbia, em Nova York.

Hart era um cientista respeitável de Columbia, com três pós-doutorados, o primeiro negro a ser contratado como professor titular na área de ciências desta que é uma das melhores e mais tradicionais universidades americanas. O homem à sua frente era negro também, também na quarta década de vida, embora sua expressão indicasse muito mais idade. Era um vendedor ambulante, que tinha o hábito frequente de fumar crack nas ruas de Nova York, e que tinha concordado em participar da pesquisa em troca de droga grátis e algum dinheiro.

Os dois não poderiam estar em situação mais diferente. Mas Hart sabia bem que, por pouco, ele próprio tinha escapado do destino do outro. É essa a história que ele conta no livro Um Preço Muito Alto, que demole vários mitos sobre o crack.
http://super.abril.com.br/comportamento/crack-tudo-o-que-sabiamos-sobre-ele-estava-errado/

Anonipost disse...

O maior problema de acabar com a cracolandia é onde alojar os zumbis... e aguentar os "especialistas" em não resolver coisa alguma dando pitacos e criticando acoes concretas de enfrentamento da situação. Eh Brazil!!!

Anônimo disse...

Lugar de bandido é na cadeia, o usuário era bandido virou contraventor e agora como estão dando um lucro violento para a máfia foram transformados em vitimas, quem protege o que é errado é porque lucra com o erro...

Joma Bastos G P disse...

"Como vencer?
O Brasil tentou vencer o crack com repressão. A polícia prendia os usuários que viviam na rua, queimava seus barracos improvisados, levava-os algemados a um tratamento compulsório. O resultado foi que as cenas de uso, antes concentradas, se espalharam por toda parte. As pessoas que eram forçadas a se tratar podiam até parar por algum tempo, mas, sem “reforço alternativo”, acabavam voltando para a rua. Afinal, sempre haverá um beco escuro para se drogar. E sempre haverá uma pedra de crack para comprar, já que é impossível vigiar toda a imensa fronteira entre a Amazônia brasileira e os países produtores de cocaína – Bolívia, Colômbia e Peru."
http://super.abril.com.br/comportamento/crack-tudo-o-que-sabiamos-sobre-ele-estava-errado/

Anônimo disse...

PARA OS FARISEUS QUE SÃO CONTRA O RECOLHIMENTO DOS REFERIDOS USUÁRIOS, PELA LEI E PELA ORDEM, DEFESA DO CIDADÃO PAGADOR DE IMPOSTOS, SUGIRO QUE LEVE-OS LIVREMENTE PARA SUAS PRÓPRIAS CASAS, TRATEM DELES LIVREMENTE, OFEREÇA A SUA FAMILIA, SUAS FILHAS, PARENTES E ADERENTES... E, PAREM DE FALAR BOBAGENS!!!

Marcos Umberto disse...

Vício não é doença é opção de usar ou não a droga, até final dos anos 80 o porte de droga era considerado crime e uma situação como essa da "cracolândia" era inimaginável. O brasileiro se iludiu com a falácia da esquerda e elegeu somente esquerdistas comunistas, quando FHC assumiu a presidência tratou de descriminalizar o porte de drogas e proibir o porte de armas pelo cidadão de bem, e veja no que deu. Agora escuto pessoas dizendo que temos que cuidar dos "doentes nóias", não fui eu quem vendeu drogas para nenhum "nóia", prefiro ver o dinheiro que pago de imposto para cuidar de quem realmente precisa, para cuidar dos verdadeiros doentes do Brasil. Ser viciado é opção, portanto, a família que gaste até o último tostão se quiser tentar "recuperar" o traste, não coloquem essa conta nas costas do povo pagador de impostos.

Unknown disse...

Psicólogos que defendem.a não intervenção sabem de seus problemas internos e não querem perder seus fornecedores.