segunda-feira, 8 de maio de 2017

Trilogia das Excelências


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Aileda de Mattos Oliveira

No Brasil, afogado na impunidade por instituições a serviço dos réus, essas tragédias são encenadas pelos próprios componentes do chamado Três Poderes que executam, legislam e julgam em causa própria e em causa de quem lhes facilitou a vida. São atores completos, uns na arte da prestidigitação do dinheiro público, outros, gênios nas interpretações das leis, meras manobras capciosas nas vozes do trio chicaneiro de magistrados.

O indigno STF deveria compor-se de isentos profissionais investidos da mais alta autoridade, e não de partícipes da vergonhosa representação teatral que vem desmoralizando o país em todos os níveis. Não são julgadores, faltam-lhes profundo acervo jurídico e independência de ação. São coordenados por agentes exteriores, movidos por interesses pessoais e gratos pelas vagas que ocupam na que já foi a mais Alta Corte da República. Esta Casa, hoje, é sinônimo de Deboche, também corrompida pelo amestramento de membros já desmoralizados pelos qualificativos palavrões do larápio-mor.

Clamamos que não há Justiça no país! Incrível ter que confessar tão horrenda realidade! Os bandidos da pior espécie são libertados por homens frouxos, comprometidos, temerosos com o conteúdo da delação dos Chefões da rede. A ‘morcegagem’ de toga corre a libertá-los para não serem citados por eles. A verdade é que o jogo de intimidação de Palocci deu certo. Grande estrategista! Com a sua ameaça de delação, mandou um recado direto, objetivo e fizera com que os próprios se identificassem e se condenassem.

Os obesos rendimentos pagos pelo povo a essa cambada arrogante que se agarra a seus empregos conquistados pela sujeição e não pelo saber, não deveriam mais ser pagos pelos contribuintes. Não devemos mais arcar com o sustento de abjetos bonecos de togas , conceder-lhes prerrogativas, vantagens, se nada fazem para o bem do país, para o bem da sociedade brasileira.

Por isso, torcem as leis, equilibram-se na verborragia jurídica para acobertamento da incompetência e, principalmente, dos acordos secretos com a quadrilha de larápios que ainda assalta o país.


Aileda de Mattos Oliveira é Dr.ª em Língua Portuguesa. Acadêmica Fundadora da ABD. Membro do CEBRES.

Um comentário:

Anônimo disse...

Doutora Aileda.
Grato pelo seu excelente e esclarecedor texto.
No filme "Os Intocáveis", Eliot Ness consegue que o Juiz determine a troca de todos os jurados - que estavam comprados pela defesa - no julgamento do bandido Al Capone.
Ao ser perguntado por um colega como conseguira essa façanha, Ness afirma que dissera ao Juiz que o nome dele estaria numa lista de autoridades corruptas, que poderia trazer a público. O colega pergunta se o nome do juiz estava mesmo nessa lista, e Ness diz que não!
---------------------------------------
Acho que raríssimos Juízes e nenhum ministro de tribunal do Brasil teriam coragem de peitar o policial honesto, pois também não saberiam se seus nomes estariam, verdadeiramente, na lista de comprados pela corrupção.
Pelo menos três ministros supremos são fortes suspeitos de figurarem em alguma lista de pagamento dos quadrilheiros tupiniquins.