sexta-feira, 30 de junho de 2017

A solução é legalizar a corrupção


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Sérgio Taboada

Enfim uma proposta realista capaz de debelar a crise política, social e econômica pela qual passa nosso país. Sejamos pragmáticos! Nosso problema não é a corrupção. É o saque! Esse precisa ser proibido e punido até com prisão perpétua se for o caso. Já a corrupção não. Como  patrimônio cultural da nossa sociedade é necessária apenas sua regulação.

As pessoas, após o festival de delação premiada que colocou à mostra as cifras bilionárias movimentadas em propinas, entraram em pânico. Chocadas com o que viram saíam às ruas e redes sociais gritando histericamente contra a corrupção. Mas, o que elas viram não foi corrupção. Foi saque! Não percebem que os fatos revelam algo muito pior do que o hábito brasileiro de levar vantagem em quase tudo. Corrupção é algo menor. Saque é algo muito maior. Corrupção é do bem! Saque é do mal!

Podemos determinar uma tabela. Valores até cinquenta milhões serão considerados mera  corrupção. A partir daí já é saque. A corrupção será permitida em valores pequenos. No caso de contratos de serviços e obras com a Administração Pública o superfaturamento será possível até dez por cento. Somente se passar desses valores e percentuais é que será considerado saque!

Dessa forma pacificamos o país, os corruptos se acalmam, os investigadores poderão focar nas grandes cifras e a população será livre para continuar fazendo as “gambiarras” do dia a dia para sobreviver. Que tal uma bolsa corrupção? Melhor não. Vai virar debate ideológico. A proposta aqui é revolucionária. Corrupção para todos independentemente de concepções partidárias, religiosas ou filosóficas.

Sobre a renda auferida com a corrupção poderemos cobrar impostos menores para garantir incentivos fiscais aos cidadãos competentemente corruptos e para os mais pobres será dada isenção total em impostos e tributos.

Poderá haver prêmios anuais para os melhores corruptos e medalhas de honra ao mérito para aqueles que empregarem parte desses recursos em programas sociais. As crianças serão ensinadas a serem honestamente corruptas. Os pais dirão: “_Nunca aceite mais de dez por cento de propina!” “Nunca faça o serviço pela metade. Faça pelo menos noventa por cento!” “_Hoje roube um lápis do seu coleguinha, mas não pegue mais uma borracha que eu castigo!”

Já quanto ao saque... O saque de milhões e bilhões de reais que afunda o Brasil será punido ferozmente!! Sugerimos inclusive que seja proibido “lenga-lenga,” ataques a investigadores e à imprensa, apoio de deputado e senador e solidariedade de ministro do Supremo aos pegos saqueando o país.  Nada de moleza para esses indivíduos. Serão proibidos de usar o direito de defesa para postegar julgamentos, choro falso pela família, cinismo absoluto e jamais poderão dizer “sou inocente” ou “não renunciarei!”

Para esses, o chamado processo legal será realizado ao contrário. Primeiro serão presos  e condenados a no mínimo dez anos de prisão e só então começarão a ser ouvidas as testemunhas de defesa, que com certeza, boa parte, será presa por falso testemunho. O ato final será a confirmação ou não da pena. Se for considerado culpado a pena poderá aumentar. Se for considerado inocente, o que é quase impossível, o juiz responsável pelo julgamento será preso porque com certeza será fraude processual. O julgamento do réu será anulado e a a pena dobrada.

Para terminar essa moderna proposta adequada ao tipo de país que temos hoje, as delações premiadas para os casos de “saqueação” serão ampliadas e popularizadas e deverão ser transmitidas aos vivo nesses programas dominicais com direito a plateia, shows de calouros da corrupção e histórias de roubos extraordinários. As contrapartidas pelas delações incluirão redução de penas, prisão domiciliar, eletrodomésticos, geladeiras, móveis, televisões, sofás, celulares e passagens aéreas.

Ahhh, e ninguém se envergonhará de usar estampados em camisetas os rostos dos seus bandidos de estimação com suas frases icônicas. “A corrupção não acabou!,”  “Corruptos Uni-vos!” “ Mas vale um corrupto vivo, que um herói morto!” “ A corrupção de esquerda faz bem ao país,” “Corrupção liberal e de direita: a solução,” "Eu amor ser corrupto," “Brasil a pátria da corrupção!”

Mas, no fundo, no fundo, esse texto acima é fruto do desespero.

O que eu quero mesmo é gritar!!!!

Gritar desesperadamente:

ACOOORDAAAAA  BRASILEIROOOOOOOOOOO!!!!

PELO AMOR AOS SEUS FILHOS, IRMÃOS, NETOS!

POR AMOR AOS SEU PAÍS!

ACOOOOOOORRRRRDDDAAAAAAAAA!


Sérgio Taboada é Servidor do Ministério Público Federal.

4 comentários:

Joma Bastos G P disse...

Qual a percepção do povo brasileiro ao assistir ao descalabro do Brasil e da sociedade brasileira, em que no Senado, na Câmara e no Executivo estão a legislar alguns acusados de corrupção e mais de 100 suspeitos de corrupção confirmada pelas delações da Lava-jato? O mundo olha o Brasil com uma grande desconfiança ao ver este descalabro do nosso sistema político, que se traduz em uma forte quebra social e econômica.
Neste momento estamos a viver um Brasil ditatorial em que até novos passaportes não estão disponíveis.
Há que acabar com este regime presidencialista concentrador de poder.
Há que descentralizar o poder e criar um verdadeiro federalismo.
Há que acabar com o capitalismo de estado e criar uma verdadeira economia de mercado.
Necessitamos de uma globalização econômica que signifique livre comércio e livre mercado.
Queremos um Brasil desenvolvido, economicamente liberal, olhando frontalmente e abertamente para o mundo desenvolvido e não fechado nesta redoma de aço protecionista em que vivemos atualmente.
Ma para conseguir esse objetivo, este país necessita de renovar a Constituição!
Intervenção Cívica Constitucional! Já!

Anderson Coelho disse...

Caracas! sinistro esse desabafo heim, senti um certo medo, pois me pareceu, sim, uma saída "medonha" para o Brasil. A guerra chegou ao seu ápice, o que está em jogo é o futuro das instituições do Brasil que combatem o Crime!(improbidade não, é crime mesmo) e o bom desenvolvimento do Brasil. No momento só há desespero, a indignação está virando desespero, não há mais representação política. Cadê a movimentação nas ruas!?.

Anônimo disse...

Talvez a palavra mais correta seja mesmo pilhagem.

Anônimo disse...

O comentário de Joma Bastos é sério ou é ironia? Não vejo nenhum protecionismo no Brasil e o mote da questão nem é esse. Acho que não só o viés do comentário está equivocado, como também o próprio conteúdo do discurso. Renovar a Constituição? Essa foi demais: uma constituição novíssima e avançadíssima, que vem sido remendada para costurar as fraudes da tal globalização, do tal livre comércio, onde as mercadorias que têm menos valor são os trabalhadores. Faça-me o favor!!!