quinta-feira, 22 de junho de 2017

Surtremo Triponal Foderall


“País Canalha é o que não paga precatórios”

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Maurício Mantiqueira

A suprema felicidade do filósofo é ver que um discípulo o supera.

Surtemos e tremamos de espanto ao presenciar egotrips de urubus, da agência funerária self-service, na Sodoma planaltina.

Lembrei-me da sugestão light de um anjo decaído: “Estupra mas não mata!”.

Nossa amada Cãostituição ultimamente tem sido abusada sem o menor pejo ou remorso. Acho que são radicais da Égira.

No trem fantasma em que nos encontramos, de sustos e sobressaltos não estamos faltos.

Nada a temer; afinal as instituicães estão funcionando...(au, au !).

A cobiça internacional por nossas amazônicas riquezas, nem cãomandante nega. Ao visitar o país da rima, deveria recordar ao monarca (que quis visitar incógnito uma raposa ensolarada, pensando fosse dona Onça de nada) a bela recepção que inesperadamente teve.

Em linguagem felina o caso significa:”Isto daqui tem dono e sabemos onde você está !”

A porcada logo, logo, virará churrasco muito embora para muitos, agora, provoque asco.

De tanto rir, já piramos!

Quando o arquidiabo pirará?


Carlos Maurício Mantiqueira é um livre pensador.

3 comentários:

Joma Bastos G P disse...

A cobiça de grandes empresas nacionais para substituir as nossas riquezas Amazônicas por plantações Agro-industriais a qualquer preço... foram e continuam a ser demoníacas.
Os governos de Lula e Dilma foram os maiores impulsionadores na substituição da Floresta Amazônica pela Agro-indústria, pois queriam subir o PIB de qualquer modo e sem olharem a meios, para mostrarem ao mundo que o Brasil estava em franco desenvolvimento.
Portanto, nada de culpar o mundo exterior pela feroz bandidagem interna que corrói o nosso Brasil a nível florestal.

Loumari disse...

Adam Weishaupt (Ingolstadt, 6 de fevereiro de 1748 — Gota, 18 de novembro de 1830),[1][2][3][4] professor de Direito Canónico na Universidade de Ingolstadt, famoso por fundar a "Ordem dos Perfeitos" mais conhecida como Illuminati. Ensinava que existia uma iluminação racional, fora e acima da fé, acessível a qualquer pessoa, e poderia levar a uma maior perfeição.

Adam Weishaupt nasceu em 6 de fevereiro de 1748 em Ingolstadt[1][5] no condado da Baviera. Weishaupt nasceu em uma família judia, cujo pai era o rabino Johann Georg Weishaupt (1717-1753) que morreu quando ele tinha cinco anos de idade[5]. Após a morte de seu pai, ele ficou sob a tutela de seu padrinho, Johann Adam Freiherr von Ickstatt[6] que, como seu pai, era um professor de direito na Universidade de Ingolstadt, diretor de um colégio jesuíta e membro do Conselho Privado.[7] Há algumas discrepâncias em relação aos vínculos familiares de Weishaupt e Ickstatt, já que os nomes não coincidirem, o fato é que Ickstatt deixou o sobrenome Weishaupt quando abandonou a religião judaica.

Ickstatt era um defensor da filosofia de Christian Wolff e do Iluminismo,[8] e influenciou o jovem Weishaupt com o seu racionalismo. Weishaupt começou sua educação formal na idade de sete anos em uma escola jesuíta.[1] Estudou direito, economia, política, história e correntes como o gnosticismo e a filosofia da Maçonaria recente. Mais tarde, se matriculou na Universidade de Ingolstadt e formou-se em 1768 aos 20 anos de idade com um doutorado de direito.[9] Alguns autores defendem que no ano de 1771 conheceu um comerciante dinamarquês chamado Franz Kolmer, que o introduziu às práticas mágicas do Egito e as doutrinas maniqueístas anti-religiosas, provocando na mente do jovem Weishaupt um espírito anarquista e de pouca tolerância para a religião.

Em 1772, se tornou professor de direito civil e canônico na Universidade de Ingolstadt. Muito rapidamente a concepção liberal de Weishaupt entrou em conflito com os jesuítas, no entanto, pela dissolução da Companhia de Jesus pelo Papa Clemente XIV em 1773, Weishaupt se tornou reitor da Faculdade de Direito da Universidade,[10] uma posição que era realizada exclusivamente pelos jesuítas até aquele momento. No ano seguinte, casou-se com Afra Sausenhofer de Eichstätt[11] sem a aprovação de Ickstadt.

Em 1775, Weishaupt foi apresentado a filosofia empírica de Johann Georg Heinrich Feder da Universidade de Göttingen. Ambos Feder e Weishaupt se tornariam mais tarde os adversários do idealismo kantiano.

Ler mais neste link:

https://pt.wikipedia.org/wiki/Adam_Weishaupt

Loumari disse...

Resumo da notícia da revista Time, de 25/5/1992, “A Chat with the Gorbatchevs”, pg 51.

“Nada sobre a visita triunfal de duas semanas de Mikhail Gorbatchev aos EUA sugere que ele seja um político removido do poder. Os americanos … o receberam com ovações… Embora sua visita aos EUA tenha sido para angariar fundos e fazer contactos para …. a Fundação Gorbatchev, ela também serviu para apresentá-lo aos estadistas, cujos pronunciamentos terão repercussões em todo o mundo.
Seu tema é um corolário de sua própria Perestroika: o mundo inteiro precisa de uma mudança e de uma reorientação… Gorbatchev não foi forçado a admitir que a teoria socialista falhou ou que o comunismo morreu. Uma alternativa entre capitalismo e comunismo estará sendo oferecida em um futuro próximo ….”
A maioria de vocês provavelmente está balançando a cabeça, confusa com essa notícia, não percebendo que ela contém uma das maiores admissões na história do mundo moderno! No entanto, qualquer aluno da conspiração Iluminista da Nova Ordem Mundial, saberia imediatamente o que Gorbatchev quis dizer quando afirmou “uma alternativa entre capitalismo e comunismo estará sendo oferecida em um futuro próximo”.
Ao considerarmos a afirmação de Gorbatchev com cuidado, vemos que ele nos disse que existem três sistemas de governo, dois atualmente constituídos e um por vir. Ele especificamente menciona o comunismo e o capitalismo como atualmente estabelecidos no mundo, mas afirma que um terceiro, ainda sem nome definido, será implantado, que não será nem comunista nem capitalista.
A que ele pode estar referenciando? Para compreender, precisamos voltar na história, para 1 de maio de 1776, o dia em que Adam Weishaupt, um ex-padre jesuíta, formou seu grupo ocultista, ao qual chamou de Mestres dos Illuminati. Adam Weishaupt fundou seu novo grupo com base na Ordem Jesuíta, com a qual estava familiarizado. Os Mestres dos Illuminati eram uma verdadeira sociedade secreta, completamente fechada para o mundo exterior. Eles tinham um plano definitivo para derrubar todas as instituições civis e religiosas e os governos, substituindo-os com um novo governo mundial, um sistema que Weishaupt chamou de Nova Ordem Mundial."

Quais são os planos específicos para a Nova Ordem Mundial? Nesta Webster, escrevendo em seu livro, “World Revolution”, listou os seguintes seis objetivos:

Abolição da Monarquia e de todos os governos constituídos
Abolição da propriedade privada
Abolição da herança
Abolição do patriotismo
Abolição da família (isto é destruição da família)
Abolição de todas as religiões

Para continuação e ficar sabendo que terceiro sistema de governo é esse, como seria estabelecido e em que estágio se encontra (já está em estágio bem avançado)