sábado, 29 de julho de 2017

Os dias eram assim: O Marxismo na América Latina


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos I. S. Azambuja

Os Dias eram Assim... Michael Lowy é um autor que dispensa apresentações.  Seus inúmeros livros e artigos publicados no Brasil o tornaram conhecido como um dos maiores estudiosos do marxismo em nossos dias. Nessa antologia o autor desenvolve um estudo amplo do pensamento marxista na América Latina, desde a primeira etapa do século XX até os nossos dias. Dado o pluralismo e a riqueza dos textos, assim como a excelente introdução que lhes serve de preâmbulo, esta antologia é, não só um instrumento de trabalho precioso para todos os estudiosos do assunto, como também a prova viva da “permanência da utopia revolucionária de inspiração marxista na América Latina, que torna, pelo menos prematura, as tentativas de declarar como terminado o grande capítulo histórico iniciado com a Revolução Cubana”. 
--------------------------

A revolução, já em andamento e alguns países, é uma exigência imediata em outros e uma perspectiva futura para o resto, e tem um definido caráter antiimperialista e acordo com os seus objetivos antioligárquicos.
    
O primeiro objetivo da revolução popular no continente é a tomada do Poder, mediante a destruição do aparelho burocrático-militar do Estado e sua substituição pelo povo armado para mudar o regime social e econômico existente; esse objetivo só pode ser alcançado pela luta armada.
    
O desenvolvimento e a organização da luta dependem da justa seleção do cenário onde ela deve ser realizada e do meio organizacional mais idôneo.
    
Os ensinamentos da Revolução Cubana, as experiências acumuladas pelo movimento revolucionário nos últimos anos, no mundo, e a presença na Bolívia, na Venezuela, na Colômbia, e na Guatemala de um crescente movimento revolucionário armado, demonstram que a guerra de guerrilhas, como genuína expressão da luta armada popular, é o método mais eficaz e a forma mais adequada para efetuar e desenvolver a guerra revolucionária na maioria dos nossos países e conseqüentemente em escala continental.
    
Nesta situação particular, a unidade dos povos, a identidade de objetivos, a unificação de critérios e a disposição conjunta de lutar são os elementos que caracterizam a estratégia comum eu deve se contrapor, em caráter continental, à desenvolvida pelo imperialismo.
    
Esta estratégia requer uma nítida e clara expressão de solidariedade, cujo caráter mais efetivo é a própria luta revolucionária cuja extensão é o continente e cujos destacamentos de vanguarda são a guerrilha e os exércitos de libertação.
    
Nós, representantes dos povos de nossa América, conscientes das condições existentes no continente, sabedores da existência de uma estratégia comum contra-revolucionária, dirigida pelo imperialismo ianque,
     
Proclamamos:
    
1. Que constitui um direito e um dever dos povos da América Latina fazer a revolução.
    
2. Que a revolução na América Latina tem suas mais profundas históricas no movimento de libertação contra o colonialismo europeu neste século. A epopéia dos povos da América e as grandes batalhas de classe contra o imperialismo, realizadas por nossos povos em décadas anteriores constituem a fonte de inspiração histórica do movimento revolucionário latino-americano.
    
3. Que o conteúdo essencial da revolução na América Latina está dado por seu enfrentamento ao imperialismo e às oligarquias de burgueses e latifundiários. Conseqüentemente, o caráter da revolução é o da luta pela independência nacional, a emancipação das oligarquias e o caminho socialista para o seu pleno desenvolvimento econômico e social.
    
4. Que os princípios do marxismo-leninismo orientam o movimento revolucionário da América Latina.
    
5. Que a luta revolucionária armada constitui a linha fundamental da revolução na América Latina.
    
6. Que todas as demais formas de luta devem servir e não atrasar o desenvolvimento da linha fundamental, que éa luta armada.
    
7. Que para a maioria dos países do continente o problema de iniciar, desenvolver e fazer culminar a luta armada constitui hoje  tarefa imediata e fundamental do movimento revolucionário.
    
8. Que aos países aos quais esta tarefa não tiver sido proposta de modo imediato, devem considerá-la de todas as formas como uma perspectiva inevitável no desenvolvimento da luta revolucionaria em seu país.
     
9. Que aos povos de cada país e às suas vanguardas revolucionárias corresponderá a necessidade histórica de estimular a revolução em cada um deles.
    
10. Que a guerrilha – como embrião dos exércitos de libertação – constitui o método mais eficaz para iniciar e desenvolver a luta revolucionária na maioria dos nossos países.
    
11. Que a direção da revolução exige, como princípio organizativo, a existência do comando unificado político e militar, como garantia para o seu êxito.
    
12. Que a solidariedade mais efetiva dos movimentos revolucionários entre si é constituída pelo desenvolvimento e pela culminação da própria luta no seio de cada país.
    
13. Que a solidariedade com Cuba e e a colaboração e a cooperação com o movimento revolucionário em armas constituem um dever iniludível de tipo internacional de todas as Organizações antiimperialistas dôo continente.
    
14. Que a Revolução Cubana como símbolo do triunfo do movimento revolucionário armado, constitui a vanguarda do movimento antiimperialista latino-americano. Os povos que realizam a luta armada, na medida em que avançam por esse caminho, situam-se também na vanguarda.
    
15. Que os povos diretamente colonizados pelas metrópoles européias, ou sujeitos pela dominação direta aos EUA, em seu caminho para a libertação têm, como objetivo imediato e  fundamental, a lua pela independência e a vinculação à luta geral do continente como única forma de evitar ser absorvidos pelo neocolonialismo americano.
    
16. Que a Segunda Declaração de Havana, resumindo a bela e gloriosa tradição revolucionária dos últimos 150 anos da história da América constitui um documento programático da Revolução Latino-Americana, que os povos deste continente confirmaram, aprofundaram, enriqueceram e radicalizaram nestes últimos cinco anos.
    
17. Que os povos da América Latina não têm antagonismo com nenhum outro povo do mundo e estendem sua mão fraterna ao próprio povo dos EUA, exortando-o a lutar contra a política repressiva dos monopólios imperialistas.
    
18. Que a luta na América Latina fortalece seus vínculos de solidariedade com os povos da África, Ásia, e países socialistas, assim como com os trabalhadores dos países capitalistas, especialmente com a população negra dos EUA, que sofre, ao mesmo tempo, exploração de classe, miséria, desemprego, discriminação racial, e a negação dos mais elementares direitos humanos, e constitui uma importante força a considerar no contexto da luta revolucionária.
    
19. Que a lua histórica do povo do Vietnã presta a todos os povos revolucionários que combatem o imperialismo, uma inestimável ajuda, constituindo um exemplo inspirador para os povos da América Latina.
    
20. Que aprovamos o Estatuto e criamos o Comitê Permanente, com sede em Havana, da Organização Latino-Americana de Solidariedade que constitui a genuína representação dos povos da América Latina.
    
Nós, revolucionários da nossa America, da América do Sul do rio Bravo, sucessores dos homens que nos deram a primeira independência, armados de férrea vontade de lutar e de uma orientação revolucionária científica, e sem outra coisa a perder exceto os grilhões que nos oprimem.
     
Afirmamos:
    
Que nossa luta constitui um aporte decisivo à luta histórica da humanidade pa se livrar da exploração e da escravidão.
    
O dever de todo revolucionário é fazer a revolução.

Carlos I. S. Azambuja é Historiador.

2 comentários:

O Libertário disse...

Mas que merda é esta? Mas que palavreado do atraso!!! E estudar para adquirir conhecimento, trabalhar duro e produzir com qualidade e eficiência para, aí sim, ficar soberano e independente isto não? Vai continuar atrasado, matando os próprios irmãos com armas produzidas por outros e na ignorância.

Mario38W disse...

Perfeito!!!!