sábado, 29 de julho de 2017

Palavras enganosas para venezuelizar o Brasil


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Renato Sant’Ana

Será que o governo Temer é tão bom a ponto de o Psol ter de mentir para fazer-lhe oposição? Na propaganda eleitoral gratuita, no rádio (25/07/17), o Psol foi o de sempre. Numa das "inserções", por exemplo, a ex-deputada Luciana Genro - que, para demonstrar a profundidade do seu pensamento, abriu com um originalíssimo "Para começar, fora Temer!" - fez malabarismo retórico para dizer sem dizer que é culpa de Michel Temer haver 14 milhões de brasileiros desempregados. Tudo bem! Ele era o vice de Dilma.

Mas, como bem sabe Luciana Genro, Temer assumiu o governo com o país ladeira abaixo, com mais de 12 milhões de desempregados, inflação disparando, juros estratosféricos e nenhuma previsão de crescimento. E ela sabe mais, o que empurrou o Brasil para o abismo econômico foi existir, com as impressões digitais de Dilma Rousseff, a macabra combinação de absoluta incompetência administrativa com roubalheira descontrolada.

Estarei defendendo Michel Temer? Não! Só alguém com deficiência cognitiva tiraria semelhante conclusão: repelir uma acusação falsa não implica ignorar os erros do presidente. Ademais, basta ter juízo – não sei se alguém do Psol tem - para enxergar a realidade. Fato é que, apesar de estar enrolado com a polícia, o governo Temer começou a recuperar a economia. Inclusive, embora lentamente, o desemprego vem caindo. Sim, é um governante menor do que o seu governo: a equipe do suspeitíssimo Michel Temer conseguiu melhorias palpáveis na economia, desfazendo pouco a pouco o desastre deixado por Dilma.

Mas o Psol não terá nada de base conceitual a discutir? Nenhuma ideia? Não conseguirá ir além daquela arenga de grêmio estudantil, atacando as reformas que, há não muito tempo, até as esquerdas pediam?

Não. O Psol jamais fará uma oposição racional. E se o governo é ou não acossado por denúncias não muda nada em sua agenda. Porque o objetivo do Psol é o caos social e político, reduzir tudo a ruínas para, num final imaginado por ele, implantar a sua ditadura do proletariado. Sim, o Psol, que é só um PT sem grife, quer venezuelizar o Brasil.


Renato Sant'Ana é Psicólogo e Bacharel em Direito.

3 comentários:

Anônimo disse...

A "Pátria Educadora" da Dilma continua a produzir cérebros vazios facilmente dominados.

rolusanro disse...

O PSOL é um partido sem propostas para um Brasil melhor, só sabem ser do contra, querem o poder a partir da destruição do que está estabelecido.

jomabastos disse...

BRASIL ÀS AVESSAS
Temos o Brasil virado às avessas, em que o presidente Temer só tem apoio de 6% da população, mas no entanto lá continua a desgovernar o país. O comunista do PT e o seu "associado" PMDB(aonde estava integrado o pró-comunista Temer), desgovernaram e destruíram economicamente e socialmente o país durante 14 anos, conseguindo construir algo parecido com uma ditadura comunista. E o pró-comunista Temer continua a desgovernar e a destruir o país.
No total, o programa Mais Médicos criado pelo PT com o apoio do PMDB, conta com cerca de 18.000 médicos, entre cubanos, brasileiros e de outras nacionalidades. Eles trabalham em mais de 4.000 municípios e 30 distritos indígenas. A bolsa dos profissionais que atuam no programa Mais Médicos é de aproximadamente R$ 11.520. Os médicos cubanos ficam com pouco mais de R$ 2,9 mil. O restante é enviado a Cuba. O auxílio moradia e alimentação pagos a todos os profissionais do Mais Médicos alocados em áreas indígenas é de R$ 2.750. Estamos diretamente a financiar Cuba com o programa Mais Médicos. E o atual executivo e legislativo lá continuam a apoiar Cuba, com aproximadamente quinze milhões de reais mensais deste programa.
Os partidos comunistas do Foro de São Paulo foram apoiados diretamente pela maiores empresas deste Brasil e continuam sendo apoiados pela atual governação através da operação Mais-Médicos, através de empresas corruptas pró-comunistas, através da Rússia tal como são apoiados os governos de Cuba, Uruguai, Bolívia, Equador, Nicarágua e Venezuela.
Atualmente na Câmara, no Senado e no governo, a maioria dos políticos estão "abandonando seus partidos" e juntam-se ao PCU (partido dos corruptos unidos), unidos contra a Justiça e unidos contra o Brasil.
Este Brasil com a política de capitalismo de estado, vem desde sempre sendo uma redoma demasiado protecionista e nada aberta para com o investimento diversificado nacional e internacional. Se o Brasil trabalhar para um livre economia de mercado e reduzir o Estado ao mínimo, em poucos anos e com o resultado de investimento privado nacional e internacional, será auto-sustentável, um grande exportador e uma das maiores potências econômicas do mundo. Portanto, nada de ser subserviente a nenhuma potência mundial, qualquer que seja ela.
Há que acabar com a pobreza e o subdesenvolvimento. Quanto mais e melhor educação acadêmica, saúde, saneamento básico, infraestrutura logística e desenvolvimento tivermos, mais rapidamente os comunistas irão perder terreno e força partidária.
Para acabar com esta sangria das riquezas brasileiras e com o exagerado aumento da dívida pública, há que acontecer uma Intervenção cívica Constitucional, criar um governo provisório de preferência militar para evitar violência, e dar uma renovada cirúrgica na atual Constituição. Há que lembrar que a Constituição tem vindo a ser rasgada ao longo de todas as desgovernações. Temos no Brasil muitas pessoas apartidárias anti-comunistas, com excelentes capacidades e defensores de uma livre economia de mercado, para darem uma caprichada revisão na Constituição de modo que esta nos livre das hostes comunistas que estão a depredar o Brasil.