quarta-feira, 26 de julho de 2017

Pronunciamento


Poesia política musicada no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Sérgio Taboada

Composto lembrando a técnica de discurso legislativo, o texto quase analítico, não deixa de ser poesia e música com harmonia diversificada, longe da simplificação harmônica e das letras de conteúdos duvidosos que predominam atualmente na música que toca na mídia brasileira.

Senhor Presidente
Senhores Deputados
Meus Senhores e Senhoras
aqui presentes nesta hora

Não quero mais ser um escravo, nem palhaço
cidadão feito em pedaços
acho que tá tudo errado
e que este aparato jurídico institucional
virou mera ilusão, campo de concentração
para ideias novas e atitudes

porque não dá
pra ouvir tantas palavras de burocratas
cortando a verdade como facas

Porque não dá
Pra ver a Justiça e a Esperança
assassinadas a golpes de gravatas

Porque não dá
Pra ouvir conversa mole, lenga-lenga,
baboseiras, disparates, blá-blá-blá

Porque não dá
pra ver tanta gente, olhos, mentes,
“vidas secas,” na escuridão

E em todo lugar as marcas da desilusão
Esperança não habita agora o meu peito e outros corações

Senhor Presidente do Congresso Nacional
Senhores Senadores

Dizem que o povo é o verdadeiro culpado
que inconsciente vota errado, que não tem educação,
mas cadê educação?
Virou promessa de eleição e discurso de sessão
dizem até que o dinheiro é pouco e que nunca dá

Mas o que não dá
é ver tanta mentira e arrogância reproduzindo a ignorância

O que não dá
é ver intelectuais com suas novas teorias
mas votando em velhos senhores

O que não dá
é ver tantos bacanas desfilando na cidade
e votando em certos sacanas

O que não dá
é ver tanta gente, olhos, mentes,
“vidas secas,” na escuridão

E em todo lugar as marcas da desilusão
Esperança não habita agora o meu peito e outros corações

Senhores Presidentes dos Tribunais
Senhores Ministros do Supremo

É tanta vaidade que a fogueira vai queimando,
quem tá perto vai sofrendo, quem tá longe vai chorando,
vai gritando pela lei, quer justiça e quer a paz,
mas não sabe o que fazer, pensa até em desistir,
sabe que pode morrer na esquina

Porque não dá
pra ver desembargadores, senhores das sentenças,
fazendo certos favores

Porque não dá
pra ver juízes, donos de tantas verdades,
cometendo seus deslizes

Porque não dá
pra ver prefeitos, vereadores, governadores
causando tantos dissabores

Porque não dá
pra ver tanta gente, olhos, mentes,
“vidas secas,” na escuridão

E em todo lugar as marcas da desilusão
Esperança não habita agora o meu peito e outros corações

...esperança não habita mais o meu peito e outros corações

Sérgio Taboada é Poeta e Servidor do Ministério Público Federal.

2 comentários:

jomabastos disse...

Ainda tratam deputados e ministros acusados de corrupção por senhores?
Quando é que "juízes" sem formação de JUIZ para um digno e profissional Supremo, deixarão de ser apelidados de "ministros" que atuam como se fossem um braço judicial do executivo?
Quando é que "juízes" sem formação de JUIZ deixarão de pertencer a um profissional Supremo que se quer digno, competente e independente do poder executivo e legislativo?
Quando mais "cantamos", mais esses "senhores" irão meter a mão no nosso bolso.

aurora disse...

Por essa razao nunca os chamo de senhores, os chamo de bandidos temerda gilmerda e por ai afora.