quarta-feira, 16 de agosto de 2017

O Exercício do Falar


Poesia no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Ivna Mozart

O exercício do falar
Sente aqui, meu caro amigo
Precisamos conversar
Só dois dedinhos de prosa
Prometo não demorar
É que já há algum tempo
Eu me pus a questionar
Um Judiciário fraco e sem voz
A quem deve interessar?
Primeiro fui refletir
Depois resolvi falar
Porque quem cala consente
Com o que está a se passar
Ultimamente se esforçam
Pra nos desmoralizar
Jogar nosso nome no fosso
Nossa independência usurpar
Ainda contam mentiras
Para o povo acreditar
Que somos os seu algozes
E Poder contra quem lutar
A nossa nobre missão
Se empenham em aviltar
E os tolos acreditam
Ou fingem acreditar
Que juiz só serve mesmo
Para papel assinar
Pra prender ladrão de galinha
E conter briga de bar
Ainda tem fogo amigo
Que se põe a colaborar
Pra destruir nossa imagem
E nos fazer recuar
Pergunto mais uma vez
A quem deve interessar
Uma justiça sem crédito
Que mal consegue julgar?
Ao simples, ao pobre, ao fraco
Não parece aproveitar
Um Estado sem Justiça
Sem ninguém pra controlar
Ao honesto e trabalhador
Não deve interessar
Porque a esses a Lei
Nunca vai incomodar
Para aqueles que acreditam
Que com cifras podem comprar
Moral, probidade e caráter
A estes deve incomodar
Um país sem rédeas, sem freio
So pode interessar
Àquele que se recusa
As normas observar
Pra bandidos, ladrões, malfeitores
Esse país vem a calhar
Porque impunidade é terreno fértil
Pra criminalidade brotar
Por isso mesmo atacam
A quem os ousa enfrentar
Um poder que é cego e justo
E não se deixa alienar
Lançam mão de todo ardil
Para o juiz derrubar
Escarnecem a cada queda
E tornam a atacar
Mas mesmo feridos de morte,
Nós não iremos tombar
Ainda cambaleando
Continuamos a lutar
O valor do bom soldado
Não está em triunfar
Mas em não fugir à luta
E tampouco se entregar
Uma batalha perdida
Não nos faz resignar
Somos fortes, persistentes
E sabemos superar
Enquanto estivermos aqui
Corrupto não passará
Não adianta insistir
Nem mesmo espernear
Vou ficando por aqui
Não vou mais me alongar
Pra não cansar o amigo
Nem a promessa quebrar
Só peço que pense com calma
E depois vá propagar
A desmoralização da justiça
A quem vai interessar


Ivna Mozart é Juíza de Direito.

Um comentário:

Anônimo disse...

Senhora Ivna Mozart é Juíza, sei que veio de outra dimensão, ou de um universo paralelo, ou quem sabe do um outro planeta,

"Enquanto estivermos aqui
Corrupto não passará
Não adianta insistir
Nem mesmo espernear" (...)

Sei que chegou ao planeta terra agora, mas encontre "um" político, que não é corrupto, apenas "um"...


"Que juiz só serve mesmo
Para papel assinar
Pra prender ladrão de galinha
E conter briga de bar"

Não, está errada, soltam assassinos, estupradores, terroristas e prendem (cobram, multa ), quem conta isso pra alguém (por acaso quer nomes e casos reais )...

"Ultimamente se esforçam
Pra nos desmoralizar
Jogar nosso nome no fosso
Nossa independência usurpar"

O nome da tal "justiça injusta" já foi pra lama, só não viu, quem não quis...

Sei que não é deste planeta, pois não diria essas coisas sem pé nem cabeça...

Caso não saiba, a população honesta, pede, desesperadamente, pela ajuda militar,
pois a "tal justiça" (assim como os políticos), já são carta fora do baralho...

Sim, sei que a está altura do texto está com raiva, e me chamando de idiota, que não sei nada (...), do que realmente acontece, por acaso é mentira as coisas feias, que digo ?
Vai dizer, que não entendi, suas intenções, mas antes de me prender e jogar a chaves fora, pergunto eu, por acaso entendeu as coisas, que tentei dizer...

Juízes, que ganham uma quantia de dinheiro (por mês, de salário), "maior do que" um legitimo ganhador de loteria...

O "Zé povinho", não entende de nada disso... Pedem por uma justiça, que não chega a eles...

(...) Por acaso entendeu as coisas, que tentei dizer...