quinta-feira, 10 de agosto de 2017

Sem assunto, miro no Defunto


“País Canalha é o que não paga precatórios”

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Maurício Mantiqueira

Dei tratos à bola; espremi o bestunto.

O que mais falar de um regime defunto?

A Onça o que espera; que viremos presunto?

Enfiar-nos-ão pela goela impostos até nos tornar uma Venezuela? Cidadãos estejamos a postos.

Toda maldade traz a sequela.

Pro vampiro, suco de ciriguela; pro boiola, suco de graviola.

O fedor do cão egresso já é indisfarçável.

O do judas ciário é de carne podre.

O desgoverno naufraga, vítima de opróbrio e praga.

Na república do faz de conta, os estragos são de grande monta.

Até o dia do tumulto, da revolta do povo inculto, não vê seu fim o bandido estulto.

Eleicães, instituicães e outras besteiras são vãs tentativas de o sol tapar com peneiras.

Já está combinada a senha. Uma singela musiquinha que da sabedoria popular se herda:

Chamaram o meu boi de espalha merda!

O defunto vai cantar para subir!


Carlos Maurício Mantiqueira é um livre pensador.

2 comentários:

Anônimo disse...

Acho que o presidente está sonhando muito com a Dilma, sua aliada e manteúda no governo. Está fazendo tudo, igualzinho a ela.

Anônimo disse...

O presidente Temer, antes de sair, vai falar o "dilmês" corretamente. As ações já são as mesmas.