quarta-feira, 30 de agosto de 2017

Se "sem Judiciário livre, forte e imparcial não há Democracia”, então faça CNJ funcionar direito


Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net

O Brasil terá hoje mais um debate sobre a liberdade que só existe no papel ou na atitude dos que têm coragem de exercer tal direito humano fundamental. O Supremo Tribunal Federal julgará uma Ação Direta de Inconstitucionalidade na qual a Procuradoria Geral da República combate o ensino religioso na escola pública. A cruzada anti-religiosa, com caráter ideológico, pode sair vitoriosa. Será mais uma polêmica para a população ficar de olho no STF e suas decisões no mínimo estranhas.

Ontem, muita gente ficou injuriada ao saber que o Ministro Marco Aurélio mandou soltar um motorista de 53 anos que foi preso em flagrante e ficou 34 dias encarcerado, porque foi pego carregando 211,5 quilos de cocaína em seu caminhão. Nada de anormal em um STF que já tinha mandado soltar um poderoso senador com 450 kg de cocaína em um helicóptero. O lamentável é que agora o supremo magistrado tenha ignorado o argumento da juíza de plantão na comarca de Presidente Venceslau, que decretou a prisão do personagem – que é apenas um mero bagrinho do grande oceano do tráfico no País.

A juíza Daiane Thais Oliva Souto de Souza foi diretamente ao ponto: Os efeitos deletérios que a droga causa à sociedade, quando distribuída, estão estampados diariamente nas páginas dos noticiários em todo o Brasil, destruindo a vida de pessoas, dissolvendo famílias e gerando intranquilidade social. Diversos crimes graves são decorrentes do tráfico de drogas: roubos, homicídios, latrocínios, extorsões, corrupção, concussão, dentre outros. Trata-se, portanto, de um crime-gênese que acaba por desencadear toda uma sequência de violência, dor, sofrimento e ódio”.

A magistrada Daiane foi além: “Diante do chamado constitucional, não pode o Poder Judiciário fechar os olhos para essa realidade sem dar o devido tratamento ao problema. Os fatos narrados pela Autoridade Policial reclamam, portanto, uma resposta à altura da gravidade apresentada.  Diante desse quadro, analisando em concreto detidamente os fatos, considerando a quantidade de droga apreendida e a forma em que estava, a periculosidade do autuado é manifesta, sendo certo que a liberdade dele representará uma porta aberta para a continuidade delitiva”.

Idiota da objetividade confesso, o Negão da Chatuba pergunta: “Como é que um supremo magistrado não se comove com esses argumentos legais básicos de uma juíza de primeira instância, e manda soltar um bandido”. A indagação do Chatubão vale para decisões do Gilmar Mendes – que aceita soltar delinqüentes do andar de cima da política e economia. Aliás, ontem, a ministra Carmem Lúcia, presidente do STF e do CNJ, Ontem, Cármen Lúcia pediu para Gilmar Mendes se manifestar sobre os pedidos de impedimento propostos contra ele pelo Procurador-Geral Rodrigo Janot, depois do caso Jacob Barata Filho.

Janot alega a proximidade de Gilmar com a família Barata. Em 2013 o ministro foi padrinho de casamento de Beatriz Barata, filha de Jacob Barata Filho, com Francisco Feitosa Filho. O noivo era sobrinho de Guiomar Mendes, casada com Gilmar. Janot também apontou que o escritório do advogado Sérgio Bermudes, onde Guiomar trabalha, atuado em processos na Operação Ponto Final, inclusive em ações de interesse de Barata Filho.

Engraçada foi a manifestação de Marco Aurélio, indagado sobre como agiria em relação ao barato do amigo do Barata: Não falo sobre isso, não. Em relação a esse rapaz, não falo”... Já que ele não fala, então falemos de outro assunto correlato. As belas manifestações da suprema-presidente Carmem Lúcia na mais recente sessão do Conselho Nacional de Justiça. Ficou parecendo que a líder máxima do CNJ deu um recado a alguns colegas que declaram guerra, publicamente, à Lava Jato e outros processos de combate à corrupção. A mineira Carmem Lúcia foi poética:      

“Muito obrigada a todos os juízes brasileiros que contarão sempre comigo, ainda que em um ou outro ponto haja discordância quanto à forma de procedimentos. Mas não haverá de alguém imaginar que o Conselho Nacional de Justiça, especialmente esta presidência, não tem o maior respeito e principalmente a certeza de que o juiz é necessário para que possa trabalhar bem, como tem trabalhado, e honrar bem o Brasil, como tem honrado, e com isso teremos certamente melhores condições para termos uma democracia republicana federativa, como está posta na Constituição. A valorosa magistratura federal tem dado demonstração de tanto compromisso com as necessidades do povo brasileiro em termos de prestação da Justiça”.

No entanto, a declaração mais tocante de Carmem Lúcia foi a repetição de um princípio republicano difícil de cumprir em um Brasil que precisa ser reinventado, para não ser mais dominado pelo Crime Institucionalizado: “Sem um Judiciário forte, livre e imparcial, não há Democracia”.

Carmem Lúcia tem toda razão. No entanto, no Brasil, não temos Democracia. Aqui prevalece, infelizmente, a Insegurança do Direito – que é o primado da mais escrota ditadura absolutista e anti-republicana. É por isso que Carmem deveria ouvir algumas reclamações muito fortes nos bastidores da suprema magistratura.

No STF e no CNJ, os servidores de carreira reclamam que tudo está muito bonito no discurso. Porém, na prática, o órgão funciona de maneira letárgica, com projetos fundamentais andando abaixo da velocidade de jabuti. Por isso, fica a humilde sugestão para que Carmem escute o que falam baixinho ao seu redor e tome as providências para o órgão máximo do Judiciário cumprir sua missão.

Afinal, sem Judiciário livre, forte, imparcial (mas, sobretudo, operacional, eficiente e eficaz) não existe mesmo nenhuma chance de Democracia.

Leia os artigos: Descatolização e Memorial em defesa do ensino religioso 


Vamos refundar o Brasil?

Recado-proposta do livre pensador e construtor social flamenguista Marcelo Mahler:

“Vivemos um momento de transição e profunda injustiça, onde os brasileiros, em sua grande totalidade são cúmplices e copartícipes desta grande fossa imunda chamada República do Brasil. Homens como Sérgio Moro e Marcelo Bretas são louváveis exceções num país onde o Congresso legisla em causa própria - sempre!”

“O Brasil precisa ser refundado. Precisamos declarar uma nova Independência e fundar uma nação com um projeto de poder secular, voltado à sociedade, à sua gente; portanto, para todos nós, gente de bem e trabalhadora. Brasil Acima de Tudo!!!”.

Fufucar é preciso

  
Futura incerto


Colabore com o Alerta Total

Os leitores, amigos e admiradores que quiserem colaborar financeiramente com o Alerta Total poderão fazê-lo de várias formas, com qualquer quantia, e com uma periodicidade compatível com suas possibilidades.

Nos botões do lado direito deste site, temos as seguintes opções:

I) Depósito em Conta Corrente no Banco do Brasil.
Agência 4209-9, C/C: 9042-5, em favor de Jorge Serrão.

II) Depósito em Conta Poupança da Caixa Econômica Federal ou em agências lotéricas: 2995 013 00008261-7, em favor de Jorge Serrão.

OBS) Valores até R$ 9.999,00 não precisam identificar quem faz o depósito; R$ 10 mil ou mais, sim.

III) Depósito no sistema PagSeguro, da UOL, utilizando-se diferentes formas (débito automático ou cartão de crédito).

IV) Depósito no sistema PayPal, para doações feitas no Brasil ou no exterior.

Vida que segue... Ave atque Vale! Fiquem com Deus. Nekan Adonai!


O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Independente, analítico e provocador de novos valores humanos, pela análise política e estratégica, com conhecimento criativo, informação fidedigna e verdade objetiva. Jorge Serrão é Jornalista, Radialista, Publicitário e Professor. Editor-chefe do blog Alerta Total: www.alertatotal.net. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos. 

A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 30 de Julho de 2017.

18 comentários:

Anônimo disse...

BLOG CHUMBO GROSSO
quarta-feira, 30 de agosto de 2017
POVO CHAMA LULA DE LADRÃO EM CARAVANA FRACASSADA PELO NORDESTE
Foi fracasso de público e de crítica o comício do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em Campina Grande-PB, no último domingo (27). Apesar do domínio dos sindicatos, movimentos de sem terra e de partidos de esquerda, um coro de nordestinos indignados com o petista condenado por corrupção e lavagem de dinheiro chamou Lula de ladrão e pediu sua prisão.
O ex-presidente engasgou e deu um sorriso amarelo, ao ser interrompido por gritos de: “Lula, ladrão, roubou toda a nação”, quando cumpria sua a agenda de campanha eleitoral antecipada que pretende levá-lo à disputa pela Presidência da República, se a Justiça permitir.
O vexame foi registrado em transmissão ao vivo pela própria página de Lula no Facebook, justamente no momento em que o petista criticava integrantes do PSDB, sugerindo ter mais força que os tucanos para resistir às denúncias.
O fracasso de público também foi registrado por um morador de Campina Grande, que filmou a dimensão real da falsa multidão reunida para o comício. “Fracasso total a visita do homem aqui em Campina Grande. Só o MST, os sindicatos e alguns babão[sic]... Campina Grande mais uma vez mostrou que não é comandada por esses bandidos. Nunca ganharam uma eleição em Campina Grande”, disse o autor das imagens.
Assista:

A reação contra Lula em pleno ato político de seus aliados de esquerda aconteceu um dia depois de o ex-presidente atacar membros da Operação Lava jato, ao discursar em João Pessoa-PB, na noite de sábado (26), chamando-os de canalhas e acusando as instituições de estar há três anos com a operação, “prendendo de forma arbitrária”, desrespeitando a presunção de inocência e de julgá-lo, mesmo “sabendo quem pegou dinheiro”.
O vídeo original do momento em que Lula foi hostilizado em Campina Grande pode ser assistido no endereço: https://www.facebook.com/Lula/videos/1416620265073636 nos três minutos finais transmissão ao vivo.
continua....

Anônimo disse...

Chumbogrosso continua II e termina
As reações contrárias à presença de Lula foram registradas desde o início da agenda de campanha antecipada do petista. Em Maceió-AL, onde o ex-presidente foi ciceroneado pelo senador Renan Calheiros (PMDB-AL), houve carreata pedindo sua prisão e o boneco Pixuleco foi erguido à porta da Superintendência da Polícia Federal.
Nesta mesma terça-feira (29), em Quixadá, no Ceará, nordestinos também reagiram, envergonhados, contra o ex-presidente que exalta ser representante da região na história do Brasil. - Fonte: Diário do Poder -

Veja algumas imagens: imagens no blog chumbo grosso
Em Quixadá-CE


Em Penedo-AL:
Em Maceió-AL:
Postado por Altamir Pinheiro às 8/30/2017 04:26:00 AM

Anônimo disse...

http://lorotaspoliticaseverdades.blogspot.com.br/
TUDO O QUE VOCÊ TINHA VERGONHA DE PERGUNTAR SOBRE O BNDES
O BNDES tem sido alvo de interesse nos últimos anos, e ao final deste texto você deve entender o porquê. A dimensão dos números chega a nada modestos trilhões de reais.

Ao longo da era petista no governo federal, especialmente desde 2008, o BNDES subsidiou empresas, as chamadas “campeãs nacionais”, que hoje se encontram em dificuldades financeiras ou criminais. Também foi utilizado para maquiar as contas públicas, inclusive nas “pedaladas” que levaram ao impedimento de Dilma.

O BNDES foi parte central da política econômica no final do governo Lula e isso se intensificou durante todo o primeiro mandato de Dilma. Com o impeachment e a nomeação de Maria Silvia Bastos para a presidência, o banco parecia viver uma nova fase. Desde a delação premiada de Joesley Batista, sócio do BNDES, acreditar nesta reformulação tem se tornado mais difícil.

Empresários interessados no gordo caixa do BNDES aumentaram a pressão pela volta antigo regime e Maria Sílvia renunciou, oficialmente “por motivos pessoais”. Algumas declarações do novo presidente do banco contra uma das principais propostas da gestão Maria Sílvia levaram à renúncia de dois diretores de perfil técnico.

E a maioria das pessoas não entende muito bem as engrenagens que levaram isso a ocorrer, nem as dimensões do que houve. Para efeito de comparação, o custo do BNDES para o contribuinte durante esse período foi superior ao do Plano Marshall, histórica ajuda americana para reconstruir a Europa após a Segunda Guerra Mundial.


Por que existe um BNDES? Teoricamente, o que o banco deveria fazer?

O do BNDES é promover o desenvolvimento econômico e social do país e combater as desigualdades regionais e sociais através de apoio financeiro ao investimento, sobretudo de longo prazo. Este apoio consiste, essencialmente, de empréstimos (e outras operações de financiamento) a juros menores do que os devedores pagariam em bancos privados. continua...

Anônimo disse...


http://lorotaspoliticaseverdades.blogspot.com.br/ continua II

Em muitos projetos de investimento, existe um retorno social, que não entra nos cálculos de quem busca o lucro privado. Imagine, simplificadamente, uma empresa que queira fornecer água encanada ou internet para uma região do sertão nordestino. Os consumidores vão pagar pelo serviço, mas não o suficiente para financiar as obras pagando o que um banco privado cobraria.

O BNDES existe para aplicar recursos do Tesouro Nacional (ou seja, do contribuinte) e do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT) nesse tipo de projeto. O que se chama de subsídios são os juros menores, que teoricamente deveriam ser proporcionais ao retorno social.

Desta forma, é difícil justificar projetos como um estádio em São Paulo ou mesmo estradas em Angola. Ou ainda financiar aquisições – como as que transformaram a JBS na maior empresa de carnes do mundo – que simplesmente concentraram o mercado. Ou seja, financiaram a compra de outra empresa, e não um investimento que aumentou a produção, no que foi um dos pontos mais polêmicos dos chamados “campeões nacionais”.
Quando aconteceu essa expansão do BNDES? De onde saiu o dinheiro?

Após a crise de 2008, Lula deu uma conhecida “guinada à esquerda” (ou ‘desenvolvimentista’) na política econômica. Essa guinada seria mais tarde intensificada e até ganharia um nome dado pelos técnicos do governo Dilma: Nova Matriz Econômica. A expansão do BNDES esteve no centro do plano.

O gráfico abaixo mostra tanto a expansão do BNDES quanto o seu principal meio de financiamento.

A linha preta mostra a carteira de empréstimos do BNDES, que se manteve estável até 2008. Há três períodos diferentes no crescimento: de 2008 a 2010, é mais acelerado; de 2011 a 2016, continua crescendo em ritmo forte, mas inferior ao período anterior; e, desde 2016, é notável a redução da carteira.

A linha vermelha mostra quanto o BNDES deve ao contribuinte. Os três períodos ficam ainda mais claros, especialmente quando se nota o crescimento ao fim do governo Lula.
O que o BNDES tem a ver com a crise nas contas públicas?

Críticos como Mansueto Almeida, ainda em 2010, trataram a expansão como parte de uma política maior do governo: abusar de definições contábeis para gastar mais sem esbarrar nos contrapesos previstos na Lei de Responsabilidade Fiscal.continua...

Anônimo disse...


http://lorotaspoliticaseverdades.blogspot.com.br/ continua III

Existem diversas maneiras de fazer isso através do BNDES, e geralmente elas se relacionam com a natureza de um banco, que lida com operações entre passado e futuro.

O dinheiro que o BNDES recebe é devolvido ao Tesouro Nacional e do Fundo de Amparo ao Trabalhador com juros, especificamente pela Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP).

Isso significa, por um lado, que o dinheiro entregue é um gasto do governo federal, mas formalmente trata-se de um empréstimo. Desta forma, não entra no orçamento e nas despesas que são alvo de boa parte da Lei de Responsabilidade Fiscal. O governo é obrigado a declarar como gasto somente quando o juro é menor que a TJLP, o que é chamado de subsídio explícito.

Como o próprio Tesouro também se financia com dívida a taxas mais elevadas que a TJLP, existe também o subsídio implícito, que se deve ao valor do dinheiro no tempo. Essa diferença acaba aumentando a dívida pública da mesma maneira que gastos “normais”, mas não é declarada.

Imagine um empréstimo muito simples, que consiste em tomar dinheiro agora e devolver amanhã um montante maior. Você pega 10 reais e empresta os mesmos 10 agora. Agora imagine que amanhã você precisa devolver 15 a quem lhe emprestou, mas receberá apenas 12 pelo empréstimo. Ou seja, você incorreu em um gasto.

Embora as operações do Tesouro com o BNDES sejam obviamente complexas, o raciocínio é o mesmo. A taxa de juros que o Tesouro paga em seus títulos (em vermelho), aqui representada pela Selic, é consistentemente maior da que o BNDES devolve. continua...

Anônimo disse...


http://lorotaspoliticaseverdades.blogspot.com.br/ continua IV

A preços de junho de 2017, o Tesouro Nacional emprestou pouco menos de R$ 500 bilhões ao BNDES. O subsídio custou algo próximo de R$ 300 bilhões ao Tesouro, o que equivale a cerca de dez anos do Programa Bolsa Família ou 40% do que a Receita Federal arrecada anualmente em impostos. Assim como o Tesouro Nacional, o Fundo de Amparo ao Trabalhador, outra fonte de recursos do banco, vem acumulando déficits. Ao fim e ao cabo, a política do BNDES custou caro ao Tesouro e tirou recursos de outras políticas.
A expansão do BNDES foi efetiva?

Durante esse período, o Estado passou a ser responsável pela maior parte do crédito no Brasil, superando o setor privado. Apesar de todo o incentivo, o cenário no investimento – contraparte esperada do crédito – é de década perdida. Em 2017, o investimento na economia brasileira deve ser semelhante ao realizado em 2007.

Fonte: Sistema de contas nacionais – IBGE

Há um contraste entre o vigoroso esforço empreendido, principalmente através do BNDES, e a queda nos investimentos a partir de 2013. Se havia mais dinheiro para ser emprestado, por que ele não foi investido?

De acordo com um estudo feito por Sérgio Lazzarini, o BNDES tipicamente financiou empresas grandes e capazes de captar recursos no setor privado, o contrário do que justificaria teoricamente o subsídio público. As conclusões já foram corroboradas por outro estudo, de Marco Bonomo.

Nesse caso, as empresas teriam usado o crédito público para financiar os mesmos projetos que já fariam com financiamento de um banco privado. Com os melhores projetos na mão do Estado, o crédito privado passou a ter juros ainda maiores. Além disso, o juro barato garantido pelo Tesouro Nacional pode ter sido destinado – em última análise – a distribuição de lucro a seus acionistas, agregando pouco ao “desenvolvimento econômico e social” no longo prazo. continua...

Anônimo disse...


http://lorotaspoliticaseverdades.blogspot.com.br/ continua V

Informamos que, no parágrafo a seguir, não serão considerados órgãos da administração pública direta; que os valores a seguir não foram necessariamente desembolsados, apenas contratados; que uma fração pequena dos empréstimos registrados na categoria não dispõe o valor contratado; e que todos os valores foram corrigidos pelo IPCA e foram trazidos a valores de maio de 2017.

Os empréstimos do BNDES são extremamente desiguais: 34 empresas/consórcios (0,01% dos clientes) detêm pouco mais 25% do valor contratado no período. Considerando grupos maiores, mas ainda pequenos, as empresas no 1% do topo contrataram 76,8%; os primeiros 10% contrataram 91,9%.

O índice Gini – uma outra medida de desigualdade – seria 0,936. Trata-se de um índice que varia entre 0 (todos recebem os mesmos recursos) e 1 (apenas uma empresa receberia todos os recursos). Para efeitos de comparação, o índice Gini da renda no Brasil é 0,515 e, por este critério, o país é considerado o décimo mais desigual do mundo.

A bem da verdade, o índice de Gini dos empréstimos é mais ou menos o mesmo ao longo do tempo – em 2002, antes de o PT assumir o poder, o índice foi 0,925 e, em 2017, o índice está por enquanto em 0,891.

Os vinte maiores beneficiários entre 2008 e 2016 estão no gráfico abaixo.

Cabe notar que muitos clientes compõem conglomerados – a Braskem, por exemplo, é propriedade tanto da Petrobras quanto da Odebrecht. Outros são consórcios – como a Norte Energia S.A., criada para a construção da Usina de Belo Monte -, de modo que é possível que estejamos subestimando a concentração dos empréstimos do BNDES. continua...

Anônimo disse...


http://lorotaspoliticaseverdades.blogspot.com.br/ continua VI

Fonte: Elaboração própria com dados do BNDES
A JBS S.A. contratou, pelo menos, R$ 2,37 bilhões entre 2008 e 2016 e ocupa o 84º lugar da lista. Se considerarmos o período de 2002 até maio de 2017, a empresa contratou R$ 4,94 bilhões e está em 50º lugar da lista de clientes. Os maiores empréstimos ocorreram em 2005 e 2006 e cabe notar que nem todas as operações foram desse tipo – grande parte envolveu compra de parte da empresa pelo BNDESPar, que hoje é sócio dos irmãos Batista e é um tema à parte.

Enquanto empréstimos à Petrobras e à Odebrecht poderiam, em tese, ser justificados sob o pretexto de criação de tecnologia e infraestrutura, respectivamente, é difícil crer que um projeto de frigoríficos apresente alguma externalidade positiva. Pior, é possível que os retornos privados superem os sociais neste caso: como notamos acima, a JBS aproveitou o crédito farto e barato para realizar fusões e aquisições e assim concentrar o mercado, tomando assim dinheiro primeiro do contribuinte e depois do consumidor.
Onde encontrar dados do BNDES?

Na página do BNDES é possível ver os grandes números dos empréstimos realizados pelo banco: por exemplo, houve um desembolso de R$ 1,775 trilhão a preços de junho de 2017 entre 2008 e 2016, que São Paulo e a região Sudeste receberam, respectivamente, 25,9% e 45,1% dos empréstimos em 2016, e grandes empresas receberam 69,1% dos empréstimos no mesmo ano. Em suma, além de apoiar principalmente empresas capazes de se financiar por conta própria, o BNDES não parece dar ênfase ao combate às desigualdades regionais.

Para ver dados mais específicos, como os que usamos acima, a central de downloads dispõe dados da maioria dos empréstimos. Destacamos a planilha de operações não automáticas, que dispõem também informações sobre os projetos financiados (inclusive sobre os estádios para a Copa de 2014). Recomendamos àqueles aflitos pela curiosidade, no entanto, que tomem cuidado ao abrir os arquivos no Excel: alguns deles contêm centenas de milhares de linhas e têm uma boa chance de travar o computador dos incautos.
Quais foram as últimas mudanças? Por que elas estão ameaçadas? continua...

Anônimo disse...


http://lorotaspoliticaseverdades.blogspot.com.br/ continua VII e termina

Em um dos primeiros atos como primeira mulher a presidir o BNDES, Maria Silvia Bastos e sua equipe devolveram cerca de R$ 100 bilhões do BNDES ao Tesouro Nacional, e prometeram mais critério e parcimônia para o futuro.

Uma das reformas com esse objetivo é a Medida Provisória nº 777, que substituirá a TJLP, em 1º de janeiro de 2018, pela Taxa de Longo Prazo (TLP). A TJLP foi mencionada acima e trata-se da taxa de juros que remunera os empréstimos do Tesouro ao BNDES.

Em cinco anos, a TLP irá gradativamente aproximar-se das taxas de títulos públicos chamados NTN-B de cinco anos. Mais importante do que as siglas é perceber que a nova taxa será mais próxima do que o Tesouro usa para se financiar, diminuindo radicalmente o subsídio implícito.

Se o governo quiser despejar dinheiro no BNDES futuramente, terá que declarar o subsídio como qualquer outra despesa no orçamento federal, e enfrentar a Lei de Responsabilidade Fiscal.

Desde a última fase da crise política, Maria Sílvia renunciou e o novo presidente do banco, Paulo Rabello de Castro, mostra-se mais resistente a mudanças. Ele tem, aliás, ecoado as opiniões sustentadas por líderes empresariais como Paulo Skaf, presidente da FIESP.

Em protesto contra as declarações, dois diretores de perfil técnico renunciaram, e Paulo em seguida assinou uma nota recente lançada pelo Banco Centraldeclarando apoio à MP 777. Parece-nos, então, que apesar da oposição, o lado reformista está ganhando.

Se esta reforma lograr, segundo Marcos Lisboa e Vinicius Carrasco, a medida tornará as operações do BNDES mais transparentes e menos discricionárias, passando ao Congresso a responsabilidade por aprovar despesas do Estado – como deve ocorrer em qualquer democracia funcional.

29 de agosto de 2017
mauricio shwartsman

Anônimo disse...

terça-feira, 29 de agosto de 2017
https://subversivoxxi.blogspot.com.br/2015/08/idiotocracia-o-poder-dos-idiotas.html
Veja o que o socialismo está fazendo com a Venezuela!
Crianças venezuelanas procurando comida no caminhão de lixo. Isto também já está acontecendo no Brasil, fruto do socialismo vigarista dos partidos de esquerda.

WKYW: Veja o que o socialismo está fazendo com o Brasil

Biblioteca Subversiva: Dicas de livros

DISCOTECA SUBVERSIVA: As 200 músicas mais expressivas do final século XX

Veja mais frases libertárias

Ambientalismo e Desenvolvimento Sustentável: Falácias & Mentiras
Postado por Anon Iman às 08:20

Anônimo disse...

quinta-feira, 27 de agosto de 2015
https://subversivoxxi.blogspot.com.br/2015/08/idiotocracia-o-poder-dos-idiotas.html
Idiotocracia - O poder dos idiotas
Por Anon,
Caras, eu descobri uma coisa razoavelmente inteligente. Descobri que somos muito idiotas. Imaginem milhões de brasileiros dando o seu dinheiro, através de impostos, taxas e multas, para um bando de malandros, delinquentes e psicopatas que gastam o nosso dinheiro com baboseiras mais estapafúrdias e ainda possuem o poder de falsificar mais dinheiro para se locupletarem do modo mais conveniente possível, dentro e acima da lei.
Ao longo das gerações, graças aos filosofalsos estatistas do tipo: rousseauniano, marxista, gramscista e economistas keynesianos, temos o que se poderia chamar de democracia perfeita, isso sob o ponto de vista da elite, mas sob a ótica do povo isso não passa de uma bela Idiotocracia. Nunca em toda história a elite conseguiu se dar tão bem, pois ela possui o poder absoluto e com o aval, quer queira quer não, de milhões de idiotas.
Se há um contrato social arquitetado por Jean-Jacques Rousseau ou uma constituição brasileira elaborada por comunistas, a pergunta é: quem assinou embaixo consentindo-a? Parabéns, elite! Você se superou! Conseguiu que todos se curvassem aos seus interesses usando apenas um calhamaço de leis ridículas e uma caneta sádica. É surpreendente o fato de como as pessoas são, meramente, tão susceptíveis à falsa moralidade do Estado. O grau de idiotice e a pronta servidão dos novos vassalos democráticos trariam uma desolação insofismável na mente de incontáveis filósofos liberais e conservadores do passado, principalmente aqueles que viam o futuro como o grande divisor de águas entre a liberdade do indivíduo e a servidão coletivista dos dias atuais. Como já dizia Henry David Thoreau “Qualquer idiota pode fazer uma regra e qualquer idiota a seguirá”. Porém o que vemos hoje é um bando de bovinos que além de seguir incontestavelmente todas as leis, ainda pede mais e mais leis para o estado estábulo quase onipresente, pois se delegou o poder de invadir nas esferas que eram, pelo direito natural, intrínsecas, cabíveis, somente aos indivíduos.continua...

Anônimo disse...


https://subversivoxxi.blogspot.com.br/2015/08/idiotocracia-o-poder-dos-idiotas.html continua II
É o estado sem ética e sem moral ditando e criando regras incompatíveis aos verdadeiros anseios do povo. É o verdadeiro totalitarismo amoral, inapropriado até mesmo para seres inferiores, mas que já está impregnado nas mentes acomodadas e moldadas por doutrinas coletivistas seculares.
Os cínicos estão no poder: estão no planalto, nos congressos e no supremo, e nada mais poderá detê-los. Não há mais oposição, não há mais contrapeso; o pêndulo socialista começa a oprimir o povo e sem nenhuma cerimônia. É o monopólio do poder acima de tudo, acima até mesmo da economia, cuja missão mais importante dos progressistas é destruí-la para deixar os súditos cada vez mais pusilânimes e dependentes. A elite já possui os seus fiscais, os seus janízaros, suas mídias alucinógenas, e a ordem é para que eles sejam absolutamente implacáveis, dentro da “lei”: extorquir, prender e ludibriar como se nada de anormal estivesse ocorrendo.
E os cínicos não se cansam de gozar na cara do povo, fazendo CPIs teatrais cômicas, tapinhas nas costas, piadinhas de mau gosto... Com sórdidos exemplos: e sua mãe está boa? Manda aquele abraço para... Está tudo em casa, temos o poder e milhões de idiotas em nossas mãos, pensam todos os eleitos. Isto é o máximo da Idiotocracia. Os idiotas votam nas maquininhas Smartmatic, colocam os mesmos psicopatas, que nunca deixaram de estar no poder, e tudo bem!
Um país não é rico por aquilo que ele possui no subsolo; aliás: país, estado, nação e democracia são apenas ideias coletivas e abstratas que foram induzidas nas mentes humanas por uma elite dominante. A riqueza está no poder de criação de cada indivíduo, a riqueza está na liberdade de escolher o que é bom para si, e é daí que surge o valor das coisas. Só assim poderemos contornar melhor os problemas advindos da escassez. Não vivemos num paraíso, não existe solução estatal mágica, qualquer problema pode ser mais facilmente resolvido pelo livre mercado ou por trocas voluntarias entre os indivíduos, toda solução tem seu preço, mas não é roubando, em nome do socialismo, os bens que pertencem aos outros que encontraremos a solução, pois um socialista não passa de um ladrão, e quem concorda com este tipo de sistema não passa de um cúmplice. continua...

Anônimo disse...


https://subversivoxxi.blogspot.com.br/2015/08/idiotocracia-o-poder-dos-idiotas.html continua III e termina
Quem precisa desses cínicos, desses déspotas, desses vampiros do fruto do suor alheio? São esses sujeitos ávidos pelo poder os causadores do desemprego, da pobreza e da opressão. São suas leis relativistas e pré-crime que inibem e, até mesmo destroem a livre iniciativa. São os excessos de leis trabalhistas as causadoras dos milhares de desempregos que temos hoje, fora do mercado, o individuo fica incapacitado, desprovido, e inerte em frente às tantas regulamentações. E assim, o estado, com sua gana e como péssimo atravessador, contribui mais e mais para aproximar a nossa dura realidade o mais perto possível do inferno, a verdadeira fábrica de excluídos.
Idiocracia é delegar aos cínicos o poder que será usado contra os próprios provedores de seus poderes. É fazer um simples vereador virar rei, é colocar um desconhecido deputado no papel de anjo, é fazer de um presidente um Deus. É como se o universo não funcionasse sem essas execráveis figuras. É incrível como esses caras se acham! É incrível como eles se colocam a cima das leis e da justiça. O Estado sou eu! E foi para cercear futuros absolutistas do tipo de Luís XIV, que se criou um sofisticado mecanismo de pesos e contrapesos, e a divisão do poder em três: executivo, legislativo e judiciário. Mas o problema de ideias “inocentes” é que a conta, na prática dos homens e na realidade do mundo real, são os vassalos os eternos pagadores. Será que os filósofos se esqueceram do tal Espírito de Corpo?
Mas a simples verdade é que: Onde a justiça não impera, impera a desconfiança. E onde não há confiança, não há progresso. Anon, SSXXI
Postado por Anon Iman às 05:12

Anônimo disse...

O lobista e seus comparsas
Brasil 30.08.17 06:24
Lula se tornou um lobista da Odebrecht.
Seu julgamento, a partir da semana que vem, vai demonstrar que ele recebeu propina para desempenhar esse papel.
É natural que os defensores de Lula tentem desacreditar os delatores da empreiteira.
É um tantinho menos natural que a imprensa participe ativamente dessa artimanha.
O antagonista
O poste panamense de Lula
Mundo 30.08.17 06:02
José Domingo Arias foi preso no aeroporto da Cidade do Panamá.
Sua campanha presidencial, em 2014, foi financiada com propina da Odebrecht.
O esquema, de acordo com Monica Moura, foi intermediado por Lula e Emilio Odebrecht, que trataram diretamente com João Santana.
Releia aqui: ps – leitura no blog O antagonista
Juízes do Acre rebatem Gilmar
Brasil 29.08.17 23:59
Em nota, a Associação de Magistrados do Acre informa que nenhum juiz do estado recebe a gratificação cancelada por Gilmar Mendes hoje e diz que “a única utilidade da decisão do ministro é engrossar a avassaladora campanha contra a magistratura nacional”.
O antagonista
É namoro ou amizade?
Brasil 29.08.17 21:33
Tasso Jereissati e líderes do Movimento Brasil Livre se reuniram hoje no gabinete do senador e presidente interino do PSDB, relata o Estadão.
A reunião foi promovida com a ajuda de dois “cabeças-pretas” (a ala mais jovem dos tucanos na Câmara), Daniel Coelho e Pedro Cunha Lima.
As conversas com o MBL, obviamente, têm em vista a eleição do ano que vem. Mas uma parte do tucanato resiste.

Anônimo disse...

O JUDICIARIO TEM OBRIGAÇÃO DE FUNCIONAR DIREITO E NÃO APENAS NO CNJ... JÁ PASSOU DA HORA DESSE PODER INCOMPETENTE E CORRUPTO SOFRER UMA INTERVENÇÃO DRASTICA, APENAS COM A MODIFICAÇÃO NA LEI DA MAGISTRATURA E UMA POLICIA ESPECIALIZADA ACABARIA COM A MAFIA QUE LÁ EXISTEM... VOU ATENTAR QUE AS SABOTAGENS E TRAPAÇAS DESSA MÁFIA PERMITEM QUE OS MUNICIPIOS DOS ESTADOS SE TRANSFORMEM EM CUPINZEIROS QUE DESPERDIÇAM E CONSSOMEM TUDO QUE ERA PARA SER NOSSO... REMÉDIOS DE AUTO CUSTO DESPERDIÇADOS DEVERIAM SEREM INVESTIGADOS O PORQUE DE TANTO AUTO CUSTO, DEMORA NO SUS, APENAS PARA QUEM NÃO PAGA POR FORA OU NÃO TEM UM PADRINHO PARA FURAR A FILA, JUIZES, PROMOTORES, DESEMBARGADORES, VEREADORES E OUTROS BICHOS ENVOLVIDOS EM UM PLANO DESGRAÇADO DE, DEGRADAÇÃO E PROMOÇÃO DE UM CAOS QUE SEMPRE INTERESSOU APENAS PARA A BODAIADA...

Anônimo disse...

O Lula está se sentindo sozinho e já quer escolher quem vai dividir a cela com ele, Renan. Vão ter muito assunto para conversar. Senti pena do Fufuquinha. Jogado no meio das "feras" numa hora dessas?

Anônimo disse...

Já está devidamente esclarecido,em vários canais da imprensa, que Gilmar Mendes não é tio do noivo em questão.A esposa de Gilmar é tia do noivo e foi madrinha do casamento. Gilmar Mendes apenas acompanhou a esposa na solenidade. Além domais, conceder habeas corpus é uma prerrogativa do juiz. Êle concede ou não concede. A LEI estabelece êsse direito. O juiz não tem que conceder ou negar habeas corpus por conta do alarida das redes sociais. Além domais, o PGR Janot apontou como razão da suspeição fato de a mulher de Mendes ter o número do celular de um dos Barata no celular dela. Estamos já estamos em estado totalitário com o poder de determinar quais os números de celulares uma pessoa pode ter na sua agenda? Acho que o senhor está caminhando por uma vereda perigosa, ou seja, compactuando com os atos de um PGR discrionário que estabelece regras de acordo com o alvo em questão: se for amigo ou aliado, pode confessar 245 crimes e ainda recebe a liberdade como prêmio. Se for inimigo a ser abatido,até o celular da esposa sofre investigação. Para ser um jornalista, seu comportamento está ficando muito estranho. Jornalistas não devem compactuar com ilegalidades, seja de quem for, mesmo de um PGR buliçoso.Jornalistas que honram êsse nome não ficam de quatro por medo da autoridade ou por medo das gangues da internet. Meu nome é José Francisco Gomes, cpf 06587526420. Leio êste blog há mais de dez anos e não aceito êsse tipo de ilação.a

jomabastos disse...

O STF, nos moldes em que trabalha, não tem estrutura nem competência para ser um tribunal judiciário.
O STF deveria eliminar a sua Função de Judiciário e passar a trabalhar apenas como Tribunal Supremo Administrativo e Tribunal Constitucional.
A função de supremo tribunal judiciário ficaria apenas em um STJ devidamente estruturado, como deveria estar previsto na Constituição.
E em todos os tribunais fazerem parte apenas Juízes de Togado e por concurso público devidamente estruturado, sem quaisquer indicações do poder político.
É necessária a total independência dos três poderes, mantendo somente a necessária harmonia entre si.
Queremos um Brasil Liberal e livre de corrupção!