domingo, 3 de setembro de 2017

195 de Independência


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Henrique Abrão e Laércio Laurelli

Comemoraremos no  próximo 7 de setembro 195 anos de independência, mas é preciso radiografar o modelo e se realmente somos livres e preparados para a democracia do século XXI. Na realidade, temos hoje um quadro mais pulsante de morte sem independência, diante da luta sem trégua pelo poder, de partidos que não nos representam e de uma esquelética recuperação da econômica e um déficit público jamais assistido ao longo de toda a circunstância do Brasil.

Saimos dos laços de Portugal há quase 200 anos, e ainda temos muitas coisas para melhorar, notadamente quando constatamos que o desgoverno causou uma forte queda do poder aquisitivo e os poderes institucionais não funcionam como deveriam e aqui o nostra culpa é essencial para que diagnostiquemos com virtuosismo o momento  da vida  nacional.

Dois séculos quase se passaram e as amarras de uma colônia puderam desaparecer, mas isso, por si só, não é suficiente, já que nosso desenvolvimento contempla muita concentração nas mãos do Estado e a riqueza não é tributada pelo Estado, e sim a classe  assalariada como um todo em total prejuízo dos setores que ganham folgadamente em cifras polpudas.

Desaparecidos os laços que nos atrelavam aos portugueses resolvemos nessa perspectiva construir pós autoritarismo uma sociedade democrática. No entanto, as questões colocadas nos animam a ter critério na aferição de antigas capitanias hereditárias que hoje se espalham entre poíticos e apadrinhados na composição dos quadros.

Dessa forma, a composição em qualquer órgão não pode ser feita apenas por indicação, de tal modo que os tribunais de contas devem ter seus membros concursados, de tal maneira os órgãos reguladores que precisam ser despolitizados. As vicissitudes atuais demonstram que vivemos morte, a violência das ruas do cotidiano da rotina, sem independência, somos mais
de 50 milhões de brasileiros na linha de endividamento e tanto mais na miserabilidade plena.

Contudo, a recuperação se faz lenta mas traz um sentimento de expectativa doravante, com a liberação de recursos financeiros para efeito de obras de infraestrutura e concessões a serem realizadas dentro em breve. Estamos atrás de capital estrangeiro, China, India, Russia, mas nossos parceiros devem ser os países da Europa ocidental, na medida em que os norte americanos cada vez mais protecionistas, sobrariam México e Canada para que a contabilidade pudesse ser descortinada com maior independencia.

Ao grito do ipiranga que se repete independência ou morte, mera balela feita à época, hoje temos uma pseudodemocracia, já que o sistema político é governado pelo capital, pelos donos do dinheiro que espalham seus valores e adquirem simpatia dentre tantos os políticos governantes. Existe algo de prático e salutar para ser comemorado nos 195 anos da independência do Brasil?

A igreja brasileira pede jejum e oração para vencermos a crise, mas é muito pouco devemos avançar e traçar diretrizes que nos inspirem num ritmo mais frenético de reformas, a partir da político partidária, da tributária, da previdenciária e de modo fundamental com o fim do voto obrigatório, do horário obrigatório e financiamento público de campanha.

Nada impede que o eleitor faça a doação limitada a mil reais, pessoa física e pessoa jurídica no teto de cem mil reais, as eleições brasileiras são consideradas as mais caras do mundo e quais são os motivos explicativos? Exatamente o valor é proporcional a minúscula relação entre eleitor e eleito, significa dizer que uma eleição é turbinada por favores e dinheiro ilícito já que nossos políticos não se preocupam ou ocupam de penetrar no âmago dos problemas brasileiros e ter noção sobre as distâncias e o reclamo da população.

Depois de um ano do impedimento de uma presidenta isolada,que só queria pedalar todo o dia e ao sabor da crise, ainda não absorvemos o resultado e continuam querendo eleições diretas já. No tempo azado ela se realizará, não há candidato algum para conquistar o poder e o que percebemos é que a luta já fora deflagrada, faltando 16 meses para o
pleito sucessório os candidatos abandonaram seus cargos e já estão em viagem no Brasil e no exterior.

O que é plausível é fixarmos um valor de campanha para presidente somente poderiam ser gastos dez milhões de reais, governador 3 milhões e prefeitos não mais do que um milhão de reais, deputados 2 milhões de reais e senadores 2,5 milhões de reais. Com essa radiografia dificilmente teríamos caixa dois ou manipulação, já que o candidato que se apresentasse traria os dados e quanto fora empenhado na campanha, acaso não conseguisse comprovar automaticamente não tomaria posse e seria alijado por até dez anos dos demais pleitos eleitorais.

O controle máximo nas eleições é imprescindível além dos gastos a renovação do quadro, assim nossos políticos não poderiam exercer seus cargos por mais de dez anos, obedecendo em seguida uma quarentena de no mínimo de quatro anos. Não se justifica um Ministro de Corte Superior ter mandato de dez anos e um político permanecer em exercício por dois mandatos a exemplo de senadores que conquistariam aposentadorias e
benesses ao longo de 16 anos de exercicio.

Finalizamos na premissa ditada para que a independência ainda está longe para chegar e a morte já está exuberante todos os dias na vida dos brasileiros que tentam sobreviver por causa de uma grave crise impactada na corrupção e na roubalheira.

O judiciário, caro anônimo, tem feito a sua parte mostrando a verdade com cara e coragem sem medo de se apresentar, ao contrário de ti que acovardado e amigo de bispo neopentecostal tenta enganar a opinião pública no templo de Salomão, mas logo será resgastado para prestar contas desses absurdos.


Carlos Henrique Abrão (ativa) e Laércio Laurelli (aposentado) são Desembargadores do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo.

9 comentários:

Anônimo disse...

ABSURDO É UM DITADOR, SABOTADOR VIVER ECREVENDO MÉRDAS.... SE VOCÊ JÁ SE APOSENTOU DEPOIS DE TER ESCRAVIZADO, TOTURADO, ASSASSINADO E DEIXADO SEU POVO NA MISÉRIA, SE VOCÊ FAZ VISTAS GROSSAS E NÃO TEM CÚ PARA DENUNCIAR OS CRIMES QUE ESSA MAFIA COMANDA POR TODO PAIS, SE VOCÊ TEM O RABO PRESO POR NÃO FAZER NADA SOBRE A OPERAÇÃO TARTARUGA QUE PRATICAM, SE VOCÊ ACHA QUE PODE SAIR GOZANDO NA CARA DOS BRASILEIROS, TOME VERGONHA SE LIMITE A DESFRUTAR DOSEU SALARIOS E PREVILÉGIOS MILIONARIOS QUE SUA MAFIA LHE PROPORCIONOU, POIS JÁ FAZEM 195 ANOS QUE O JUDICIARIO PARTICIPA DE TODAS AS CAGADAS E SEMPRE SAEM COMO SANTOS, MAS ISTO ESTÁ POR ACABAR, SEUS DIAS DE TIRANIA ESTÃO CHEGANDO AO FIM POIS O TEMPO NÃO PERDOA E VOCÊ IGUALMENTE AOS SEUS ENTRARÁ PARA HISTÓRIA COMO UM EDIR MACEDO, OU SEJA 171 ... EM BREVE UMA CORREGEDORIA SÉRIA, UMA POLICIA ESPECIALIZADA E A MODIFICAÇÃO NA LEI DA MAGISTRTURA, OBRIGARÃO SUA AMEAÇAS CESSAREM, ENQUANTO A MIM QUEM TEM MEDO DE PAU GRANDE NÃO COLOCA O CÚ NA RETA E APESAR DOS MEUS 86 ANOS O MEU 38 É ZERO, VEM QUENTE QUE ESTOU FERVENDO...

Anônimo disse...

O Judiciário nunca fez a parte que lhe coube enquanto " Um Poder que deveria ser Independente e sim sempre agindo como Amigo dos Amigos. E não venham me dizer que o Judiciário têm que ser provocado, pois quando é para beneficiá-los em benesses corporativistas V.Excelências são extremamente eficientes. São a Elite dos Poderes ! o que me dizer de uma frota oficial que atende juízes e desembargadores com motorista para levá-los de casa ao trabalho e do trabalho para suas residências quando não para fins particulares com combustível pago pelo Estado que na ponta quem paga somos nós os contribuintes e aí de um de nós do Povo se levantar contra esses escárnio, vamos ser solenemente ignorados quando não achincalhados por declarações oficiais técnicas déspotas e tudo continua como no "Quartel de Ablantes ". O Povo em sua quase totalidade usa o transporte público e aqueles que possuem um automóvel abastecem com seus próprios recursos e não têm motorista particular. Isso é fazer a sua parte " Poder Judiciário "? É vergonhoso !!! Isso é um exemplo mais simplório das distorções e o abismo que existe entre o Judiciário e o cidadão . Cito também o acinte e falta de vergonha na cara do famigerado auxílio moradia para todos os juízes e desembargadores que tem imóvel próprio e trabalha na Capital e não em comarcas distantes de suas residências. Se começar a me estender no corporativismo do Judiciário não vou acabar o comentário; Que há exceções no Judiciário em uma leva jovens de magistrados que estão fazendo um trabalho brilhante mesmo sendo muito pressionados para não levarem adiante seu mister com tanto afinco e perseverança afim chacoalhar esse Estado corrupto e sistêmico que se apoderou de todos os entes da República e já infestam todos os Poderes! Que cada vez mais floresçam magistrados destemidos como o juiz Sérgio Moro , Marcelo Bretas e outro mais sem ser injusto .

Anônimo II disse...

O Judiciário nunca fez a parte que lhe coube enquanto " Um Poder que deveria ser Independente e sim sempre agindo como Amigo dos Amigos. E não venham me dizer que o Judiciário têm que ser provocado, pois quando é para beneficiá-los em benesses corporativistas V.Excelências são extremamente eficientes. São a Elite dos Poderes ! o que me dizer de uma frota oficial que atende juízes e desembargadores com motorista para levá-los de casa ao trabalho e do trabalho para suas residências quando não para fins particulares com combustível pago pelo Estado que na ponta quem paga somos nós os contribuintes e aí de um de nós do Povo se levantar contra esses escárnio, vamos ser solenemente ignorados quando não achincalhados por declarações oficiais técnicas déspotas e tudo continua como no "Quartel de Ablantes ". O Povo em sua quase totalidade usa o transporte público e aqueles que possuem um automóvel abastecem com seus próprios recursos e não têm motorista particular. Isso é fazer a sua parte " Poder Judiciário "? É vergonhoso !!! Isso é um exemplo mais simplório das distorções e o abismo que existe entre o Judiciário e o cidadão . Cito também o acinte e falta de respeito com a sociedade brasileira paga seus tributos para manter privilégios vergonhosos como famigerado auxílio moradia para todos os juízes e desembargadores que tem imóvel próprio e trabalha na Capital e não em comarcas distantes de suas residências. Se começar a me estender no corporativismo do Judiciário não vou acabar o comentário; Que há exceções no Judiciário em uma leva jovens de magistrados que estão fazendo um trabalho brilhante mesmo sendo muito pressionados para não levarem adiante seu mister com tanto afinco e perseverança afim chacoalhar esse Estado corrupto e sistêmico que se apoderou de todos os Entes da República e já infestam todos os Poderes! Que cada vez mais floresçam magistrados destemidos como o juiz Sérgio Moro , Marcelo Bretas e outro mais sem ser injusto . O Judiciário está muito distante do POVO BRASILEIRO. Ainda é tempo de mudar essa trajetória. Só depende de Vossas Excelências.

Anônimo II disse...

O Judiciário nunca fez a parte que lhe coube enquanto " Um Poder que deveria ser Independente e sim sempre agindo como Amigo dos Amigos. E não venham me dizer que o Judiciário têm que ser provocado, pois quando é para beneficiá-los em benesses corporativistas V.Excelências são extremamente eficientes. São a Elite dos Poderes ! o que me dizer de uma frota oficial que atende juízes e desembargadores com motorista para levá-los de casa ao trabalho e do trabalho para suas residências quando não para fins particulares com combustível pago pelo Estado que na ponta quem paga somos nós os contribuintes e aí de um de nós do Povo se levantar contra esses escárnio, vamos ser solenemente ignorados quando não achincalhados por declarações oficiais técnicas déspotas e tudo continua como no "Quartel de Ablantes ". O Povo em sua quase totalidade usa o transporte público e aqueles que possuem um automóvel abastecem com seus próprios recursos e não têm motorista particular. Isso é fazer a sua parte " Poder Judiciário "? É vergonhoso !!! Isso é um exemplo mais simplório das distorções e o abismo que existe entre o Judiciário e o cidadão . Cito também o acinte e falta de respeito com a sociedade brasileira que paga seus tributos para manter privilégios vergonhosos como famigerado auxílio moradia para todos os juízes e desembargadores que tem imóvel próprio e trabalha na Capital e não em comarcas distantes de suas residências. Se começar a me estender no corporativismo do Judiciário não vou acabar o comentário; Que há exceções no Judiciário em uma leva jovens de magistrados que estão fazendo um trabalho brilhante mesmo sendo muito pressionados para não levarem adiante seu mister com tanto afinco e perseverança afim chacoalhar esse Estado corrupto e sistêmico que se apoderou de todos os Entes da República e já infestam todos os Poderes! Que cada vez mais floresçam magistrados destemidos como o juiz Sérgio Moro , Marcelo Bretas e outros mais sem ser injusto . O Judiciário está muito distante do POVO BRASILEIRO. Ainda é tempo de mudar essa trajetória. Só depende de Vossas Excelências.

Anônimo II disse...

O Judiciário nunca fez a parte que lhe coube enquanto " Um Poder que deveria ser Independente e sim sempre agindo como Amigo dos Amigos. E não venham me dizer que o Judiciário têm que ser provocado, pois quando é para beneficiá-los em benesses corporativistas V.Excelências são extremamente eficientes. São a Elite dos Poderes ! o que me dizer de uma frota oficial que atende juízes e desembargadores com motorista para levá-los de casa ao trabalho e do trabalho para suas residências quando não para fins particulares com combustível pago pelo Estado que na ponta quem paga somos nós os contribuintes e aí de um de nós do Povo se levantar contra esses escárnio, vamos ser solenemente ignorados quando não achincalhados por declarações oficiais técnicas déspotas e tudo continua como no "Quartel de Ablantes ". O Povo em sua quase totalidade usa o transporte público e aqueles que possuem um automóvel abastecem com seus próprios recursos e não têm motorista particular. Isso é fazer a sua parte " Poder Judiciário "? É vergonhoso !!! Isso é um exemplo mais simplório das distorções e o abismo que existe entre o Judiciário e o cidadão . Cito também o acinte e falta de respeito com a sociedade brasileira paga seus tributos para manter privilégios vergonhosos como famigerado auxílio moradia para todos os juízes e desembargadores que tem imóvel próprio e trabalha na Capital e não em comarcas distantes de suas residências. Se começar a me estender no corporativismo do Judiciário não vou acabar o comentário; Que há exceções no Judiciário em uma leva jovens de magistrados que estão fazendo um trabalho brilhante mesmo sendo muito pressionados para não levarem adiante seu mister com tanto afinco e perseverança afim chacoalhar esse Estado corrupto e sistêmico que se apoderou de todos os Entes da República e já infestam todos os Poderes! Que cada vez mais floresçam magistrados destemidos como o juiz Sérgio Moro , Marcelo Bretas e outro mais sem ser injusto . O Judiciário está muito distante do POVO BRASILEIRO. Ainda é tempo de mudar essa trajetória. Só depende de Vossas Excelências.

Anônimo disse...

O Senhor é o nosso escudo e o tempo se encarregará de mostrar a verdade

Anônimo disse...

Acho que foi transformar o congresso em feira popular de R$1,99.

Anônimo disse...

16h26
Juiz brasileiro custou R$ 47 mil por mês em 2016
Por Luísa Martins | Valor
BRASÍLIA - Um levantamento do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) divulgado nesta segunda-feira (4) aponta que, no ano passado, cada magistrado brasileiro custou, em média, R$ 47,7 mil por mês aos cofres públicos - valor que inclui salário, encargos sociais e outras despesas como diárias e passagens aéreas.

O número mostrou aumento de 3,2% em relação a 2015, quando a média ficou em R$ 46,2 mil.

Os dados foram colhidos em 90 tribunais do Brasil, entre cortes superiores, tribunais de Justiça, tribunais de Justiça Militar e tribunais regionais federais, eleitorais e do trabalho.


O Supremo Tribunal Federal (STF) não foi considerado para a elaboração do estudo, divulgado anualmente pelo CNJ.

O custo mensal por magistrado tem uma amplitude considerável, variando entre R$ 8,7 mil em tribunais regionais eleitorais e R$ 53 mil na Justiça Militar, por exemplo.

Nos tribunais superiores, a média ficou em R$ 41,5 mil, enquanto nos tribunais de justiça dos Estados também houve bastante variação: R$ 23 mil no Piauí e R$ 95 mil no Mato Grosso do Sul, detalhou o levantamento.

Os dados foram divulgados na abertura do XI Encontro Nacional do Poder Judiciário. A presidente do CNJ e do STF, ministra Cármen Lúcia, defendeu o princípio da transparência: "Sabemos que há números que podem ser questionados e serão, mas o próprio Poder Judiciário não tem interesse em se mostrar encoberto pelo que quer que seja", afirmou.

Anônimo disse...

Despesas com juízes
Divulgado nesta segunda, o Justiça em Números informa que a despesa média com magistrados é maior no Mato Grosso do Sul, onde juízes e desembargadores receberam R$ 95,895 mil por mês em 2016.
O menor valor médio por magistrado é registrado no Piauí, onde cada um recebe R$ 23,387 mil (veja os dados completos abaixo).
TJPI - 23.387
TJAL - 25.104
TJRN - 34.328
TJAC - 41.941
TJRR - 43.454
TJPB - 44.180
TJAP - 46.405
TJRO - 49.854
TJSE - 53.987
TJAM - 55.833
TJTO - 68.967
TJMS - 95.895
TJPA - 31.038
TJCE - 35.980
TJMA - 42.675
TJES - 44.398
TJPE - 45.889
TJBA - 47.620
TJMT - 47.658
TJDFT - 55.171
TJSC - 57.623
TJGO - 70.573
TJSP - 42.951
TJPR - 44.539
TJRS - 45.740
TJMG - 64.993
TJRJ - 65.691