sexta-feira, 22 de setembro de 2017

Carta ao Senador Randolfe Rodrigues


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Paulo Chagas

Exmo Sr Senador Randolfe Rodrigues

Corrija-me, por favor, se eu estiver enganado, mas, de acordo com as minhas observações, baseadas na forma como VExa faz seus pronunciamentos públicos, o Sr faz parte de uma minoria que se julga discriminada no conjunto da sociedade e que, coerentemente, empenha-se pela aprovação de leis que privilegiem o seu direito à vida, à manifestação de suas opções e à integridade física, acima do que é oferecido aos demais brasileiros. Repito, por favor, corrija-me e desculpe-me se eu estiver enganado!

Pensando assim, julgo ser incoerência da sua parte a exclusão dos militares do direito à opinião e a criminalização das Instituições Armadas por realizarem a análise e o planejamento da execução das suas missões constitucionais.

O seu pronunciamento na Tribuna do Senado a respeito da palestra e das declarações do General Antônio Hamilton Mourão, no Grande Oriente do Brasil, permite acreditar que, na sua opinião,  os militares não têm esse direito e que devem ser considerados e tratados como cidadãos de segunda classe, condenados ao silêncio e ao servilismo!

O Sr, se refere a um integrante do Alto Comando do Exército como "maluco", e à instituição a que pertence como "chantagista" sem considerar que fazem parte da sociedade e da estrutura organizacional do estado brasileiro e desconsidera que a democracia garante a TODOS os brasileiros o direito de pensar, querer, defender suas ideias e anseios e de exercer, na plenitude, a sua profissão e o seu dever profissional!

A postura adotada por VExa, nos permite aduzir que, na sua maneira de pensar, a divulgação de posições pessoais e, neste caso,  PROFISSIONAIS de militares, mesmo que no ambiente reservado de um Templo Maçônico, constitui-se em ameaça à democracia e à hierarquia, quando, na verdade, é e foi, apenas, a difusão da análise institucional de uma missão prevista na constituição!

Os militares, Senador Randolfe, têm o dever de estar SEMPRE atentos às conjunturas interna e externa para, SE NECESSÁRIO, correr em socorro da Pátria e da sociedade quando essas estiverem dominadas pela ilegalidade e pela desordem, como é, sem dúvida, o rumo tomado pelo Brasil quando o observamos de dentro do local de trabalho de VExa.

Mais ainda, senhor Senador, as FFAA devem planejar seu emprego dando prioridade às hipóteses mais extremas e graves, como é o caso da situação de completa ausência de condições de qualquer dos poderes para cumprir seus deveres e de assumir a iniciativa das providências necessárias ao restabelecimento da ordem e do cumprimento das leis, conforme foi comentado pelo General!

Na opinião de grande parte da sociedade, onde incluo a minha, considerando a fragilidade moral dos três poderes da República, essa hipótese, além de ser a mais grave, é também a de maior probabilidade de ocorrer, portanto, senhor Senador, crescem de importância, de seriedade e de utilidade pública as declarações do brilhante militar pretensiosamente criticado por VExa.

Sugiro  que o Sr medite sobre a incoerência e o despropósito do seu pronunciamento e que, em oportunidade que obviamente não lhe faltará, retrate-se publicamente, para o bem da verdade, da sua imagem e da tranquilidade do povo dessa terra devastada pela prática da demagogia, da desonestidade e da irresponsabilidade, como VExa muito bem sabe!

Respeitosamente


General de Brigada Paulo Chagas.

7 comentários:

Paulo Robson Ferreira disse...

Com todo respeito que o general nos inspira, tenho a impressão que a voz dele afinou. Há cerca de quatro anos atrás, ele nos dava mostra da sua indignação contra o total desrespeito da classe política pelo povo, com um verbo mais severo. "O tranco vai ser duro", foram suas palavras quando começaram a se revelar os primeiros episódios da ação predatória dos políticos contra o patrimônio público. E agora, depois de tantas exibições de desrespeito da classe política ao mínimo cabível dentro dos padrões de decência, o general opta, de novo, pelo discurso ao invés da ação? O congresso já deu provas cabais que só legisla em causa própria e em defesa do corporativismo. Não adianta nos iludirmos com mudanças que não virão. A classe militar já passou por humilhações inaceitáveis, será que não é chegada a hora de se promover o tal do "tranco"?
É preciso entender que a classe política é unanimemente contra qualquer reação militar, simplesmente porque, se isso acontecer, ela entra no ostracismo, portanto não é hora de se ouvir ponderação de político, mas de calá-los.

jomabastos disse...

Excelentes palavras!

A Intervenção Constitucional torna-se cada vez mais necessária para o bem deste país.

Realista disse...

Muito bem colocado o posicionamento do General. Parabéns!
O Sr. Randolfe Rodrigues, senador eleito em um Estado de pequena população, porém atuando como representante do partido a que é filiado no Senado Federal, sempre é contrário à condições de lógica.
Sinceramente, ao ver na tv e escutar as atitudes e pronunciamentos da citada pessoa, vem à mente a sensação de se estar escutando as ideias pré fabricadas incutidas no cérebro de um pré-adolescente.
O Brasil é grande, com uma população enorme, mil problemas a solucionar, mas não com infantilidades e ingenuidades. Necessitamos de seriedade no trato com as coisas públicas.

scdhvbhvbhf disse...

E o Linderbergh vai ficar sem resposta?????

Pedro Rodrigues disse...

E o lindebergh vai ficar sem resposta????

Anônimo disse...

Lendo os comentários acima, todos corretos, afirmo, que todos os meios de comunicação (socialistas, comunistas), já iniciaram o processo de "lembrar" o "Zé Povinho", que o exército é malvado, fez maldades com os pobres e indefesos terroristas (que se dizem estudantes...), a "GLOBO-GAY" já colocou no ar "hoje sexta-feira 22" a invasão da escolinha (ocorrido 40 anos atraz), pronto começou...
A grande propaganda "contra os militares", já iniciou, na tv comunista, vem aí documentários e outros...
É preciso esplicitar isso nas redes, se a maioria acreditar nesses malandros, eles mesmos pedirão uma votação, e a população assustada votará "não"...
Notem que: os sabotadores comunistas já estão espalhando comentários aos montes na internete, alguns aqui mesmo no Alerta Total, contra os militares.
Sejam patriotas, ajudem os outros a entenderem isso, a procurar a verdade, mais um detalhe, por a caso, quantos documentários e séries da "GLOBO-GAY", falam das vítimas desses terroristas, ou mesmo se lembram delas, gente feita em pedaços (literalmente falando), bombas, tiros, facadas... cadê a verdade?

WILLIAMS COSTA disse...

Palavras são palavras e nada mais. Ações resolvem para melhor ou pior.Não nos deixemos levar para as profundezas do poço.Devemos estar ciente que o momento urge por atitudes radicais à tirar o Brasil da misérias institucionais.