quinta-feira, 21 de setembro de 2017

Salvemos as crianças!


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Maria Lucia Victor Barbosa

Discutir o que é contemporâneo avançou sob novas formas através das transformações revolucionárias da comunicação trazidas pela tecnologia. É bom frisar que tal progresso não significa em si perfeição, pois a ação humana serve tanto para o bem quanto para o mal, para a mentira ou para a verdade, para o amor ou o ódio.

De todo modo, as redes sociais avultam hoje como o quinto poder, algo que não foi ainda analisado em toda sua potencialidade e complexidade, sendo que não há indícios de recuo na participação e na interação de pessoas através das redes sociais onde opiniões trafegam livremente, debates se cruzam, ideologias provocam embates acalorados.

Na análise de tal fenômeno social quero retomar a tese de Robert A. Dahl sobre o que ele denominou de “poliarquia”, termo que significa “o governo de muitos, que permite ao povo participar das principais escolhas, sobretudo nas dos dirigentes”.

Atualizando o conceito se pode dizer que, além das escolhas políticas, hoje a participação nas redes sociais ampliou a poliarquia, que nada mais é do que uma forma de democracia na qual excessos deveriam encontrar seus limites não na censura, mas nos direitos fundamentados nas leis.
Dito isso, tomemos como exemplo de discussão recente que percorreu as redes sociais e a mídia, aquela relativa ao encerramento da exposição Queermuseu havida em Porto Alegre (RS), patrocinada pelo Banco Santander e financiada pela Lei Rouanet com a nada modesta quantia de R$ 800.000,00.

Nesse sentido, significativa foi a matéria da Veja (20/09/ 2017), que teceu duras críticas ao Movimento Brasil Livre (MBL), chamando-o de obscurantista por ter pedido nas redes sociais o boicote a tal exposição por conta do incentivo a pedofilia, a zoofilia e pelo desrespeito a símbolos sagrados. Além do MBL, outros grupos também se indignaram com a mostra. O título da matéria da Veja foi: “A Vitória das Trevas”.

De modo sucinto, pois um artigo tem seus limites, faço referência ás “trevas” citadas, uma alusão à Idade Média. Mas, haverá realmente obscurantismo e trevas no repúdio de grupos sociais à exposição? Não teria sido uma reação normal diante do claro apelo a pedofilia e a zoofilia que aparece de forma contundente na tela de Adriana Varejão, em que pese as interpretações sofisticadas dadas pela autora? Mais chocantes ainda as figuras das “crianças viadas”, apelo forçado ao homossexualismo e indutor da pedofilia.

Uma caixa de hóstias era cercada por palavrões, um arremedo de Nossa Senhora carregava em vez de Jesus um macaco, um Cristo estapafúrdio cheio de braços refletia mais uma vez o mau gosto da mostra. E havia muito mais coisas que no passado, em vez de arte, eram chamadas de modo politicamente incorreto de taras, aberrações, blasfêmias.

Se a mostra pelo menos tivesse tido uma classificação por idade, como no teatro e no cinema, vá lá, mesmo provocando reações instintivas de repúdio e asco. Mas a questão crucial é que a exposição, que tratava de questões de gênero e diversidade, “receberia alunos de escolas públicas e particulares e ensejaria trabalhos” sobre obras dos expositores.
Como, pergunto, olhos infantis espantados veriam aquilo tudo? De que modo o inexplicável sexo com animais repercutiria em suas mentes em formação? 

Penso que cada um é livre para escolher seu modo de viver, mas incomoda a obsessiva doutrinação existente, como se todos fossem obrigados a se converter em homossexuais. E a doutrinação começa nas escolas com crianças muito novas, fazendo-as perder suas referências, o que pode mais tarde gerar adultos problemáticos; estimula-se a diversidade de experiências sexuais precoces, perigoso caminho para a legitimação da pedofilia, sendo que entendo pedofilia como crime hediondo; em construções arbitrárias ensina-se que não existe diferença entre meninos e meninas, o que raiaria ao absurdo de se querer revogar leis da natureza.

Se trevas existem é porque o momento é de graves manipulações. Há um desmanche de valores e grupos permissivos se impõe. Corrompe-se a juventude e a infância. Prega-se o vale-tudo. Não existe mais limites nem moral. Prevalece o prazer individual como único bem possível. Há uma busca de felicidade nunca alcançada, pois se dá por motivos errados. E os insatisfeitos correm atrás de novas experiências desesperadas das drogas e do sexo. Parece que estamos vivendo o fim de uma civilização de criaturas perdidas, que será substituída por outra mais evoluída, quem sabe, composta por inteligências artificiais.

Mas ainda é tempo, salvemos as crianças resgatando valores desaparecidos. Que os pais estejam atentos aos crimes cometidos contra seus filhos inocentes. E os que querem respeito, que aprendam a respeitar e exercer também a tolerância, para que banalização da sexualidade não faça a violência se voltar contra eles mesmos.

Com a palavra as redes sociais.

Maria Lucia Victor Barbosa é socióloga.

18 comentários:

Anônimo disse...

NÃO FALE COM AQUELA CABRITINHA,POIS ELA É MENTIROSA... MOLEQUE TEM EXTINTO E TEM VERGONHA... A ZOOFILIA É UMA FARRA DA MOLECADA DA ZONA RURAL E NADA QUE RESPIRE ESCAPA, A CABRITA E A PORCA SÃO MAIS APERTADA, A VAQUINHA É FRIGIDA MAS LAMBE GOSTOSO, A MULA E A ÉGUA VICIAM E ENCOSTAM NO BARRANCO CHAMANDO A MOLECADA QUE AS VICIARAM NA SURUBA DA ROÇA, AS GALINHAS E AS CACHORRINHAS FICAM PARA OS QUE FICAM DE BAIXO DA CAMA E DENTRO DE CASA... ESSA PRATICA DE INICIAÇÃO SEXUAL É NORMAL DO EXTINTO HUMANO E É BILHENAR,TODOS SABEM MAS NINGUÉM COMENTA,MAS VOLTA E MEIA SEMPRE SAI UMA PIADA... O QUE NÃO É NORMAL SÃO OS QUE ULTILIZAM DAS BATINAS PARA COMETEREM ABUSOS SEXUAIS,O HOMOSSEXUALISMO E A PEDOILIA DENTRO E FÓRA DOS TEMPLOS RELIGIOSOS E NAS ESCOLAS ISTO NÃO É NORMAL, QUEIMAR DESAFETOS EM PRAÇA PUBLICA EM NOME DE DEUS, ISTO NÃO É NORMAL, ESCRAVIZAR OS NEGROS POR 400 ANOS ISTO NÃO É NORMAL, ESCONDER O HOLOCAUSTO NÃO É NORMAL, MOSTRAR O CORPO DE UM ROMANO NO LUGAR DE UM PALESTINO E AFIRMAR QUE O ROMANO É QUE FOI CRUSSIFICADO, FAZ PARTE DE UM PLANO DE MANIPULAÇÃO DAS MASSAS QUE DURAM 2 MIL ANOS TUDO ISTO NÃO É NORMAL, ENTÃO FOFOCAR E DEDURAR O TROCA TROCA DA MOLECADA E AS BRINCADEIRAS DE MÉDICOS COM AS COLEGUINHAS E PRIMINHAS DE NADA ADIANTA, AH DONA SE A SENHORA NÃO SABE A MOLECADA JÁ NASCE REALIZANDO COMPETIÇÕES DE BATER PUNHETA PRA VER QUEM ESPIRRA MAIS LONGE... OH NÃO FALFEI DOS MOLEQUES QUE JÁ NASCEM VIADINHO, NEM DAS SAPATINHAS, NEM DAS BISCATINHAS... VOCÊ COLOU O VELGRO OU BRINCOU DE MÉDICO??? ESSAS COISAS NÃO SÃO ENSINADAS POIS NÓS NASCEMOS SABENDO E É ESCOLHA DE CADA UM... SÓ NÃO VALE O ESTUPRO...

Anônimo disse...

Protestar: sim, é eficaz!

Realizada na galeria Santander Cultural e financiada com quase um milhão de reais (aproximadamente 300 mil dólares) de dinheiro público, a custosa exibição reuniu 270 obras de 85 expositores e incluía pornografia, representações blasfemas — que já se tornaram recorrentes nesse tipo de mostras —, e até “imagens de zoofilia e pedofilia”, tal como denunciou o prefeito de Porto Alegre, Nelson Marchezan.

O presidente da Comissão Parlamentar de Investigação (CPI) sobre Maus- tratos a Crianças e Adolescentes, senador Magno Malta, decidiu convocar os responsáveis do Queermuseu para “investigar o uso de recursos públicos em evento que agride uma nação cristã, ameaça crianças, jovens e os bons costumes da família brasileira”. Afirmou que a mostra é “um evento criminoso que faz apologia da pedofilia, considerada crime hediondo”.

Dezenas de milhares de aderentes de diversas instituições e sites, entre os quais o Instituto Plinio Corrêa de Oliveira se somaram à onda de protestos virtuais, convidando os que se utilizam dos serviços do Banco Santander a considerarem a possibilidade deixar de fazê-lo. A proposta causou impacto no ponto que mais dói a uma instituição bancária: em poucos dias, 22 mil clientes indignados encerraram suas contas no referido banco. E a gangrena continua.

A sucursal brasileira do Santander detém a maior carteira de clientes desse banco fora da Espanha. Com linguajar confuso e edulcorado, seu diretor-executivo, Sergio Rial, visivelmente alarmado, tentou justificar a exibição alegando que ela só mostrava “a diversidade observada sob os aspectos da variedade, da pluralidade e da diferença” segundo “diferentes ângulos de visão e abordagens” (na realidade é um só ângulo e uma só abordagem: o revolucionário), e que visava apenas apresentar “a realidade das obras e do mundo atual em questões de gênero e seus matizes”. Por trás de tanto palavreado, é a ideologia de “gênero” que surge…

O curador da mostra, Gaudêncio Fidelis, foi mais direto e revelou o objetivo da mesma: acabar com o modelo de museu “patriarcal e heteronormativo” (sic). O termo Queer — explicou — foi escolhido como “instrumento para subverter” e provocar “a queda das barreiras de gênero”. Aqui essa perversa ideologia aparece sem dissimulações…

Mas o rechaço da opinião pública se tornou cada vez mais categórico e incontenível. Até que, por fim, no domingo 10 de setembro — um mês antes do previsto —, o Banco Santander deu surpreendentemente por encerrada a mostra.

Nesse mesmo dia, a Assessoria de Imprensa do Banco enviou um e-mail a milhares de assinantes dos protestos online, reconhecendo que a exibição foi “considerada ofensiva por algumas pessoas e grupos”, e pedindo “sinceras desculpas a todos aqueles que viram uma falta de respeito a símbolos e crenças na exposição Queermuseu”.

Que lição nos deixa este desenlace? Que os protestos contra a nova modalidade revolucionária que conjuga ideologia de gênero com extremos de ódio anticristão, quando feitos com inteligência e perseverança, apelando para princípios morais e religiosos, impactam o público, despertam as consciências e criam na opinião pública uma barreira contra a Revolução Cultural impossível de ser transposta.

Fonte:
http://www.abim.inf.br/protestar-sim-e-eficaz/

Anônimo disse...

"O título da matéria da Veja foi: “A Vitória das Trevas”.

De modo sucinto, pois um artigo tem seus limites, faço referência ás “trevas” citadas, uma alusão à Idade Média. "


Catolicismo — Aprendemos nas escolas que a Idade Média foi um “período de trevas” — de estagnação, fanatismo e difamações semelhantes. E que a época histórica, desde o fim da Idade Média até a Revolução Francesa, denominada Ancien Régime, foi um período de snobismo, privilégios e prepotências. Por que razão o senhor elogia em seu livro essas épocas, afirmando que suas virtudes suplantaram seus vícios?

Adolpho Lindenberg — Essas críticas feitas nos dias atuais ao período medieval estão sendo desclassificadas. Historiadores sérios e sociólogos de peso — muitos deles não católicos e, portanto, insuspeitos — nos apresentam um quadro totalmente diverso. Na Idade Média, a preocupação central não era levar uma vida gostosa, emoliente, mas em direcioná-la para um louvor a Deus. Os hábitos primitivos e pagãos dos bárbaros foram sendo gradativamente substituídos por um teor de vida civilizado, cristão, com certa nota de candura e simplicidade. A figura luminosa de São Luís IX, rei da França, encarna de modo perfeito os ideais dominantes naquele tempo.

Catolicismo — Certos historiadores parciais referem-se a torturas, guerras, perseguição às ciências na Idade Média...

Adolpho Lindenberg — No tocante às ciências, nada houve que se assemelhasse a uma hostilidade; pelo contrário, hoje em dia está provado que o período medieval caracterizou-se por um progresso acentuado em todas as áreas do conhecimento humano. Torturas e guerras houve, embora menos do que na Renascença. E cumpre lembrar que os costumes bárbaros vigentes em épocas anteriores só com o tempo foram eliminados, e pouco-a-pouco os bárbaros foram sendo civilizados. A prática das virtudes se estabeleceram ao longo das gerações. O reto agir fez com que os homens aprimorassem suas personalidades, seu modo de ser, sua aparência e passassem a apreciar as coisas por sua beleza, classe e sacralidade. Noutras palavras, as pessoas foram ficando mais civilizadas, mais finas e cultas.

Fonte:
http://www.abim.inf.br/utopia-igualitaria-aviltamento-da-dignidade-humana/

Anônimo disse...

"De modo sucinto, pois um artigo tem seus limites, faço referência ás “trevas” citadas, uma alusão à Idade Média. Mas, haverá realmente obscurantismo e trevas no repúdio de grupos sociais à exposição? Não teria sido uma reação normal diante do claro apelo a pedofilia e a zoofilia que aparece de forma contundente na tela de Adriana Varejão, em que pese as interpretações sofisticadas dadas pela autora? Mais chocantes ainda as figuras das “crianças viadas”, apelo forçado ao homossexualismo e indutor da pedofilia."





Isso não é arte é outra coisa...

Catolicismo — “Plano universal”? O que significa isso?

Adolpho Lindenberg — Para a difusão, num primeiro momento da Arte Moderna e atualmente da Arte Contemporânea, colaboram grandes entidades de caráter mundial, que intentam criar um mundo novo e igualitário, nos antípodas da Cristandade de outrora: a ONU, a União Europeia, fundações como Rockfeller, Ford, Gates e dezenas de outras, bem como universidades dominadas pelo pensamento marxista, grandes grifes orientadoras da moda, revistas e jornais de ponta, e o jet-set internacional.



Catolicismo — Se esse movimento revolucionário nivelador possui essa força, que procedimento o senhor recomendaria aos nossos leitores?

Adolpho Lindenberg — De início, um esforço pedagógico: eliminemos de nós mesmos as condescendências com esse mundo novo extravagante, bem como essa arte hermética e absurda que nos está sendo imposta. Num segundo momento, procuremos alertar nossos amigos e conhecidos para que vejam com isenção de ânimo o quanto é incongruente e de baixo nível as obras apresentadas nos museus e exposições de vanguarda. Um só exemplo: Duchamp, o criador da arte contemporânea, apresentou um mictório como peça artística central de uma de suas amostras. E a mídia revolucionária se encarregou de propagar extravagâncias como essa.

Fonte:
http://www.abim.inf.br/utopia-igualitaria-aviltamento-da-dignidade-humana/

Anônimo disse...

"...mas incomoda a obsessiva doutrinação existente, como se todos fossem obrigados a se converter em homossexuais. E a doutrinação começa nas escolas com crianças muito novas, fazendo-as perder suas referências..."


Pessoas desprovidas de qualquer senso moral, tanto pelo exemplo de suas vidas como por suas ideias, instilam o seu veneno na sociedade. E tais “pensadores” são objetos de estudos em escolas e universidades. Principalmente, refiro-me a quatro dos principais promotores da Ideologia de Gênero: Wilhelm Reich, Margaret Sanger, Michel Focault e Margaret Mead.

A Ideologia de Gênero — teoria sem base na ciência e na natureza humana — teve como principais idealizadores pessoas que foram encerradas em manicômio, tentaram o suicídio ou suicidaram-se. A esse propósito, comenta Javier Torres no site actuall.com (*):

“É como se alguém tivesse aberto as portas do manicômio e as teorias de seus loucos mais célebres se convertessem em doutrinas mundiais.

“Não há nada objetivo — nem sequer a diferenciação biológica XX e XY, oh, cromossomas fascistas! — que determina se somos homem ou mulher. Cada um, e só cada um, decide o que é”.

“Tudo se pode negar porque não há nada fora de nós que seja objetivo”, dizia Friedrich Nietzsche, o filósofo que inspirou grande parte dos ideólogos de gênero.”

Nietzsche, que afirmou que Deus está morto, terminou seus dias em um manicômio. Ele morreu, mas Deus é eterno. “¡Dios no muere!”, exclamou o presidente-mártir do Equador, Gabriel Garcia Moreno, ao ser apunhalado em 1875.

O médico Wilhelm Reich, marxista e grande idealizador da revolução sexual, praticava o vício solitário de maneira compulsiva desde os seis ou sete anos de idade, e também a zoofilia, tendo votado forte ódio contra a figura do pai. Em sua clínica de psiquiatria abusava de mulheres praticando suas “terapias sexuais”. Em 1957 morreu em um cárcere. Ele tinha sido diagnosticado como portador de paranoia e esquizofrenia progressiva.

O filósofo francês Michel Foucault pertencia ao Partido Comunista, sendo considerado um dos maiores idealizadores da Ideologia de Gênero. Praticava o sadomasoquismo homossexual e consumia drogas. Tentou o suicídio em várias ocasiões, porém morreu de AIDS em 1984.

Margaret Sanger, fundadora da Planned Parenthood — a maior organização abortista dos Estados Unidos —, abandonou os filhos por causa de sua ninfomania. Ela morreu em 1966, quando já era uma alcoólatra incontrolável.

A feminista Schulamith Firestone, para quem a maternidade era “a opressão radical que sofre a mulher”, também sofria de esquizofrenia e passou vários anos em uma clínica psiquiátrica. Em 1912 foi encontrada morta em sua residência.

Outra feminista radical foi Kate Millet. Tinha ideias maoístas e tornou-se lésbica não por impulso sexual, mas por ódio aos homens. Quando estava internada em uma clínica psiquiátrica, no final de sua vida, pediu para ser vigiada durante 24 horas por causa de um impulso incontrolável ao suicídio.

Por sua vez, Elizabeth Fischer, amiga de Kate e fundadora da revista feminista americana “Aphra”, suicidou-se. Outras duas feministas, Maria del Drago e Ellen Frankfurt, ambas cubanas, também suicidaram-se.

Duas importantes feministas, Simone de Beauvoir e Margaret Mead, foram exceções nesta lista macabra de suicidas.

“Talis vita, finis ita” (“Tal vida, tal fim”), diz o ditado. Aqueles que desejaram destruir por seus atos e suas doutrinas a própria ordem da natureza humana como Deus a criou, acabaram destruindo a si próprios, tanto com seus vícios quanto pelo suicídio.

(*) https://www.actuall.com/criterio/familia/pedofilos-drogadictos-locos-y-con-tendencia-al-suicidio-asi-eran-los-ideologos-de-genero/

Anônimo disse...

Ao Anônimo das "8:23 AM",

homens e mulheres de família não fazem essa sujeira, a qual se refere, filhos de gente decente são educados e ensinados, possuem honra e moral, é um desses infelizes sem pai e mãe? Sinto muito por você, seja lá quem for, deve ter tido uma vida muito ruim, mas se Deus quiser abrirá os olhos um dia, preste atenção agora: "não foi um romano, que morreu na cruz, mas sim um judeu", aqueles que você chama de palestinos, são na verdade judeus, o romano que morreu na cruz foi Pedro...
Provavelmente estudou na mesmo escola comunista, que "os militantes da ONU", tentando roubar Israel... suas terras... sua história...
Tudo está registrado em livros bem antigos, não conseguiram queimar todos ...
As crianças as quais se refere, precisam de tratamento médico, são doentes.
O mundo não é quadrado, nem é sustentado por quatro elefantes brancos (como dizem os comunistas na internete).

Anônimo disse...

Ao anônimo das "8:23 AM",

homens e mulheres de família não fazem essa sujeira, a qual se refere, filhos de gente decente são educados e ensinados, possuem honra e moral, é um desses infelizes sem pai e mãe? Sinto muito por você, seja lá quem for, deve ter tido uma vida muito ruim, mas se Deus quiser abrirá os olhos um dia, preste atenção agora: "não foi um romano, que morreu na cruz, mas sim um judeu", aqueles que você chama de palestinos, são na verdade judeus, o romano que morreu na cruz foi Pedro...
Provavelmente estudou na mesmo escola comunista, que "os militantes da ONU", tentando roubar Israel... suas terras... sua história...
Tudo está registrado em livros bem antigos, não conseguiram queimar todos ...
As crianças as quais se refere, precisam de tratamento médico, são doentes.
O mundo não é quadrado, nem é sustentado por quatro elefantes brancos (como dizem os comunistas na internete).

Anônimo disse...

O ANONIMO DAS 6.31 NÃO ENTENDEU PORRA NEM UMA OU ESTÁ SE FAZENDO DE TONTO... EU AFIRMEI QUE A IMAGEM DE UM LOURO DE OLHOS AZUIS PREGADO NA CRUZ FOI GOLPE... JESUS ERA PALESTINO,UM SER PARECIDO COM OS NOSSOS BUGRES... PEDRO O PRIMEIRO PAPA DA IGREJA CATÓLICA NÃO FOI CRUSSIFICADO E COMUNISTA É A PQP... O CORNO MANSO NÃO QUER ADMITIR QUE A IGREJA CATÓLICA SEMPRE FOI UMA MAFIA E FINGE QUE OS CRIMES QUE DESCREVI NUNCA EXISTIRAM... POR QUE QUE O CRISTO NÃO DESCEU LÁ DO CÉU???

Anônimo disse...

Formado como jurista Tertuliano (155-222 d.C.) falou da morte de Pedro em Roma:

A Igreja também dos romanos pública - isto é, demonstra por instrumentos públicos e provas - que Clemente foi ordenado por Pedro.

Feliz Igreja, na qual os Apóstolos verteram seu sangue por sua doutrina integral!" - e falando da Igreja Romana, "onde a paixão de Pedro se fez como a paixão do Senhor.

Nero foi o primeiro a banhar no sangue o berço da fé. Pedro então, segundo a promessa de Cristo, foi por outrem cingido quando o suspenderam na Cruz.

Fonte:
https://pt.wikipedia.org/wiki/S%C3%A3o_Pedro

Anônimo disse...

Orígenes (185 - 253) responsável pela Escola Catequética de Alexandria afirmou:

Pedro, ao ser martirizado em Roma, pediu e obteve que fosse crucificado de cabeça para baixo

Pedro, finalmente tendo ido para Roma, lá foi crucificado de cabeça para baixo.

Fonte:
https://pt.wikipedia.org/wiki/S%C3%A3o_Pedro

Anônimo disse...

Primado de Pedro

Conforme fragmento conservado na "História Eclesiástica" de Eusébio, III, 1 Orígenes conta como foi o martírio do apóstolo Pedro em Roma: "Pedro, finalmente tendo ido para Roma, lá foi crucificado de cabeça para baixo".

E professa também o Primado de Pedro: "E Pedro, sobre quem a Igreja de Cristo foi edificada, contra a qual as portas do inferno não prevalecerão. (…)" (In Joan. T.5 n.3).

Fonte:
https://pt.wikipedia.org/wiki/Or%C3%ADgenes

Anônimo disse...

El Papa te explica porqué San Pedro pidió ser crucificado en una cruz invertida


Papa Francisco: Jesús confió sus ovejas a Pedro, el más pecador de los apóstoles, lo invitó a pastorear al pueblo con humildad y amor

"Jesús confió sus ovejas a Pedro, el más pecador de los otros once apóstoles, y lo invitó a pastorear al pueblo de Dios con humildad y amor, a pesar de sus errores y pecados". Ese fue el mensaje del Papa Francisco en la homilía de la Santa misa que celebra por la mañana en la Casa Santa Marta.

El Papa Francisco comentó el Evangelio de Juan (Jn 21,15-19), en el cual Jesús resucitado conversa con Pedro en la orilla del lago donde había sido llamado por primera vez.
Por muy pecador que seas, Dios puede escogerte

Fue un diálogo tranquilo y sereno entre amigos y que tuvo lugar en el ambiente de la Resurrección. En ese caso, Jesús confía sus ovejas a Pedro, pidiéndole tres veces si lo amaba.

Jesús, escogió entre los apóstoles, al más pecador. Los otros escaparon, pero Pedro le negó: "No lo conozco" .Y Jesús le preguntó: "¿Me amas más que estos?" Jesús escogió al peor pecador"

Pastorear al pueblo de Dios con humildad, a pesar de los errores

La elección de Jesús de elegir al más pecador de los once apóstoles restantes para pastorear al pueblo de Dios con amor nos hace pensar.
Corregir con amor, con humildad

No pastorear con la cabeza bien alta, como un conquistador. No; pastorea con humildad, con amor, como lo hizo Jesús. Esta es la misión que Jesús le da a Pedro. Sí, con pecados y errores.

Justo después de este diálogo, Pedro resbala de nuevo, comete un error y se siente tentado por la curiosidad y le pregunta al Señor: "Pero este otro discípulo, ¿a dónde irá, qué hará?" Jesús lo corrige, pero con amor, en medio de sus errores y pecados... con amor:

"Porque estas ovejas no son tus ovejas sino mías... Ama. Si eres mi amigo, debes ser amigo de ellos"
Pedro elige ser crucificado cabeza abajo

Recordemos cómo Pedro negó a Jesús ante el siervo del Sumo Sacerdote y cómo Jesús lo miró en ese momento, al que acababa de negar a su Señor.

Pero el apóstol que es valiente en negar, también es capaz de llorar lágrimas amargas.

Después de toda una vida dedicada al servicio del Señor, su vida terminó como la de su Señor: en la cruz. Pero él no se jactará: "¡Yo termino así como mi Señor!", sino que más bien pide:

"Por favor, pónganme en la cruz con la cabeza hacia abajo, de manera que al menos, no se vea que yo soy el Señor, sino un siervo"

Esto es lo que podemos aprender de este diálogo hermoso, sereno, amistoso y modesto.

Mantenemos la cabeza alta por la dignidad que Dios nos da, pero bajamos la cabeza, sabiendo que somos pecadores y que el único Señor es Jesús; Nosotros somos siervos.

Fonte:
https://www.pildorasdefe.net/noticias/papa-francisco-san-pedro-pidio-ser-crucificado-cruz-invertida-boca-abajo

Anônimo disse...

“Feliz Igreja, na qual os Apóstolos verteram seu sangue por sua doutrina integral!” - e falando da Igreja Romana,“onde a paixão de Pedro se fez como a paixão do Senhor.“

“Nero foi o primeiro a banhar no sangue o berço da fé. Pedro então, segundo a promessa de Cristo, foi por outrem cingido quando o suspenderam na Cruz.” (Scorpiace - Capítulo 15)

Fonte:
http://www.apologistascatolicos.com.br/index.php/apologetica/papado/488-provas-irrefutaveis-do-episcopado-e-martirio-de-pedro-em-roma

Anônimo disse...

Lactâncioda África – que viveu por volta de 310 d.C - conta como os apóstolos, incluindo Paulo:

“durante 25 anos, e até o início do reinado do imperador Nero ... ocuparam-se em lançar as bases da Igreja em todas as Província e Cidades. E enquanto Nero reinava, o apóstolo Pedro chegou a Roma, e ... construiu um templo fiel e firme para o Senhor. Quando Nero ouviu essas coisas ... ele crucificou Pedro, e matou Paulo” (Handbook of Cronologia bíblica, por Jack Finegan. Princeton, NJ, 1964).

Fonte:
http://www.apologistascatolicos.com.br/index.php/apologetica/papado/488-provas-irrefutaveis-do-episcopado-e-martirio-de-pedro-em-roma

Anônimo disse...

O Eusébio (+ 324) observa que Pedro “parece ter pregado através de Pontus, Galácia, Bitínia, Capadócia e Ásia, e finalmente chegando a Roma, foi crucificado de cabeça para baixo, a seu pedido.” Em outros lugares em seus escritos, Eusébio afirma que "Paulo foi sido decapitado em Roma e Pedro ter sido crucificado ...."

Fonte:
http://www.apologistascatolicos.com.br/index.php/apologetica/papado/488-provas-irrefutaveis-do-episcopado-e-martirio-de-pedro-em-roma

Anônimo disse...

Por 10 anos Pedro governou a Igreja na cidade Jerusalém, na Judéia, Samaria, no litoral e em Antioquia. No ano de 42 D.C. transferiu a Igreja para a sede do Império a cidade de Roma. Foi estratégia de evangelização. A parir do centro do Império seria mais fácil a locomoção para evangelizar. No tempo de Nero, em 67 D.C. , foi preso e crucificado nos arredores de Roma (atual Vaticano), além do rio Tibre. Conta à tradição apostólica que na hora da crucificação pediu aos algozes que fosse crucificado de cabeça para baixo, dizendo “Não sou digno de morrer como meu mestre Jesus”, que morreu em posição normal. Os algozes atenderam este pedido de Pedro.

Fonte:
http://www.abiblia.org/ver.php?id=3120

Anônimo disse...

Ao anônimo das "8:23 AM", e, 10:12 AM...


Quem fala sem ter certeza ou toma ou dá prejuízo

“País Canalha é o que não paga precatórios”

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Maurício Mantiqueira

A internet passou a ser fonte inesgotável de afirmações não comprovadas (ou comprováveis).

As pessoas curtem e/ou repassam textos sem nenhuma preocupação com sua veracidade.

Assim, temos legiões de bocós a serviço do caos.

“Quis, quid, ubi, quibus auxiliis, cur, quomodo, quando?”

Quem? O quê? Onde? Por que meios? Por quê? Como? Quando?
(Verso hexâmetro de Quintiliano, que sintetiza a divisão da Retórica).

Nada importa. Vence a compulsão frenética de interagir nas redes sociais.

Tempos modernos. No passado se propagavam as pestes por falta de higiene. Hoje, por falta de escrúpulos.

Vicejam os sofismas, formais e materiais.

Exemplo: Tudo o que é raro é caro; cavalo bom e barato é raro; portanto cavalo bom e barato é caro.

Quando era pequeno tirava água do poço; hoje que sou grande, perdi o balde.

No caso particular deste pobre pensador, o que perdi foi a paciência com idiotas.

Deleto-os sem dó nem piedade de minhas redes sociais.

Muitas vezes eles me auxiliam na limpeza deletando-me antes.

No crepúsculo, um diz ”Amanhece”; outro, “Anoitece” e vão ambos imbuídos na própria fé.


Carlos Maurício Mantiqueira é um livre pensador.

Fonte:
http://www.alertatotal.net/2017/09/quem-fala-sem-ter-certeza-ou-toma-ou-da.html

PS: Não consigo parar de rir, tá espera um pouco, tá vamos as explicações, bem, como não deu para desenhar, pois não tenho como colocar desenhos nos comentários do Alerta Total, resolvi colocar o mestre, Senhor Carlos Maurício Mantiqueira, para explicar a situação, o testo é perfeito, muito bom, não apela para palavrões, e é muito legal, agradeço ao Senhor Carlos Maurício Mantiqueira e peço desculpas, por usar seu texto sem sua permisssão, agradeço, também ao Senhor Jorge Serrão, por permitir meus contários (desculpe, não resisti, é muito engraçado).

Anônimo disse...

A IGREJA CATÓLICA ASSIM COMO QUALQUER OUTRA RELIGIÃO VIVEM DE ESTELIONATO... JÁ OS MAIORES CRIMES CONTRA HUMANIDADE FORAM COMETIDOS PELA IGREJA CATÓLICA... PARTE DE UM PLANO SECRETO AMIGO FIÉL DE JESUS FUI ESCOLHIDO POR ELE PARA PREGA LO NA CRUZ, CRISTO MORREU COMO HOMEM UM MARTIM DA SALVAÇÃO DEIXANDO PRA MIM SEU AMIGO O SINAL DA TRAIÇÃO, JUDAS FOI ASSASSINADO PELA MAÇONARIA, ENFORCADO E TEVE AS VISERAS ARRANCADA, O PAPÉL ACEITA TUDO, POIS ACEITOU A ASSINATURA DE UM PAPA PARA ESCRAVIZAR O POVO AFRO POR 400 ANOS E DEPOIS DA LIBERTAÇÃO FABRICOU SANTOS NEGROS PARA RECOLHER AS CONTRIBUIÇÕES,A FÉ RENOVE MONTANHA, TAMBÉM TRAZ GRANA E UM MONTE DE MULHER...