quarta-feira, 18 de outubro de 2017

Lições Republicanas


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Henrique Abrão e Laércio Laurelli

A recente decisão do Senado Federal que chama de volta ao pleno exercício do mandato o Senador Mineiro Aécio Neves nos dá luzes para algumas reflexões. Primeira, o Senado é um poder unido e o Supremo desunido. Basta ver o resultado apertado e o longo tempo de uma
discussão inócua.

O Senado se considera o intérprete maior da Constituição Federal e a pretexto de autonomia, tal como rolo compressor, não dá a mínima para o STF. Finalmente, a leitura dos que votaram a favor e contra,e os ausentes nos deixam a certeza de que a aliança entre PMDB e PSDB foi a chave do sucesso do resultado colhido na triste desunificação da Nação e submissão ao parlamento das decisões judiciais exaradas pela mais alta corte do País.

Não é tempo de se lamentar porém de reconstruir e refundir a Nação esfacelada em razão de tantos desmandos e absurdos com um quadro míope de representatividade. Apequenou-se a Corte maior e agigantou-se o senado que livre de amarras e apegos exceto ao espírito de corpo, validou o que bem e livremente decidiu, já que há quadros de outros parlamentares nas mesmas circunstâncias.

Enquanto isso convivemos com mais um procedimento de impedimento a paralisar a Nação e embebedar os espíritos ferozes de armas para quebra da normalidade institucional. Algo de muito errado aconteceu no Brasil, notadamente na última década, entramos fosso abaixo numa generalizada decadência de valores éticos e morais cuja mídia bate fundo e corrobora para trazer o quanto pior melhor.

Não adianta ser feita uma assembléia nacional constituinte com deputados e senadores, sem a convocação de representantes do povo e da sociedade. As medidas cautelares impostas aos componentes do parlamento se fragilizam. Eis que a decisão está nas mãos da casa, aliás com pleno poderes de tudo analisar e decidir numa republiqueta assolada pela corrupção e devastada pela má gestão do dinheiro público, distribuído a rodo para programas sociais repletos de fraudes e escamoteados dos ganhos eleitorais futuros.

Como vamos praticar a democracia em 2018 se a eleição de 2014 está engasgada em todos os brasileiros bons patriotas, um gigantesco conto do vigário, a presidente afastada, seu concorrente fazendo das tripas coração para salvar o mandato e o envolvimento de políticos em falcatruas somente alarga a urgente necessidade de se por fim ao foro privilegiado e reconstruir uma verdadeira Nação.

A Constituição Federal ao conferir e consagrar imunidade somada à impunidade aos parlamentares conspurcou preceitos democráticos e violou o sagrado direito da igualdade entre todos. Enquanto o STF não punir e agilizar os julgamentos de dezena de centenas de políticos o nosso Parlamento de costas para sociedade continuará a rir da nossa cara e fazer do legislativo uma verdadeira casa de favores, de preferências ilegais e ilícitos.


Carlos Henrique Abrão (ativa) e Laércio Laurelli (Aposentado) são Desembargadores do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo.

Um comentário:

Anônimo disse...

AGILIZAR O JULGAMENTO, EIS A QUESTÃO... O JUDICIARIO SEM NOÇÃO DE MORAL E ÉTICA PRATICA SABOTAGENS EM TODOS OS MUNICIPIOS DOS ESTADOS, A OPERAÇÃO TARTARUGA ONDE SIMPLES PROCESSOS SE ARRASTAM POR DÉCADAS JÁ É UM ATESTADO DE INCOMPETENCIA, ESQUENTANDO AS COSTAS DE NARCOTRAFICANTES, CONTRABANDISTAS E BICHEIROS MOSTRA O QUANTO É CORRUPTO E VIVENDO SOB A XIBATA DA MAÇONARIA NOS MOSTRAM QUE DE NADA NOS VALE... SEM UMA POLICIA ESPECIALIZADA E SEM A MODIFICAÇÃO NA LEI DA MAGISTRATURA,PROMOTORES, JUIZES E DESEMBARGADORES CONTINUARÃO A JOGAR CONTRA O PATRIMONIO E DOANDO O NOSSO PATRIMONIO... E POR FALAR EM PATRIMONIO ROUBADO, O EX DIRETOR GERAL DA SAUDE DO ESTADO DE SÃO PAULO, NELSON PAULO ANDREAZZA DA SILVEIRA CONTINUA SE DANDO BEM COM AS DOAÇÕES DE VEREADORES,PREFEITOS, E DE OUTROS LADRÕES... O QUE O SENHORES FARÃO COM ESSA DENUNCIA??? PREVARIRARÃO???