quinta-feira, 12 de outubro de 2017

Quem saberá?


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Renato Sant’Ana

A autoridade pública terá sido apanhada numa armadilha ou será ela mesma partícipe da "armação"? Vai a notícia, mas sem resposta à pergunta.

Marcos Lula da Silva - enteado do ex-presidente Lula -, segundo o noticiário, teve sua casa invadida pela polícia em razão de uma denúncia anônima de que, no local, havia drogas. Mas uma denúncia anônima seria bastante para a polícia entrar na casa de quem quer que seja? O que motivou o mandado da juíza Marta Brandão Pistelli, que autorizou a operação de "busca e apreensão"?

Até o momento de escrever este comentário, falta esclarecimento e sobra desconfiança: os jornais não trazem informações suficientes. Mas não se deve desconhecer que os possíveis agentes não são amadores.

Agora, se houve irregularidade, terá sido o tipo de fatóide apto a desmoralizar as instituições perante a opinião pública. Quer dizer, se não forem apresentados fundamentos legais consistentes para a operação, polícia e judiciário sairão com a imagem enxovalhada.

Não há como tapar o sol com a peneira. Uma arbitrariedade atingindo personagens dessa espécie é o pretexto ideal para que o lulopetismo acuse: "vejam como a direita (!) persegue a honrada família de Lula da Silva!" Como se fosse possível piorar a já difícil situação de Lula com uma operação dessas... Por sinal, mesmo quando a operação tem plena juridicidade, versão desse tipo é trombeteada para predispor os patetas contra a ordem pública e fomentar a adesão à causa das pretensas vítimas.

Somente alguém com grave limitação cognitiva não saberia, de antemão, como haveria de repercutir a tal ação policial. Daí, a ideia de perseguição é inverossímil! Quem o faria e para ganhar o quê? Não obstante a falta de esclarecimento, o fato foi repelido por inumeráveis adversários do PT e por milhões de brasileiros que não vão com a cara do Lula. Ainda assim, petistas, jornalistas bolivarianos e blogs sujos repetem à exaustão a falácia da "motivação política".

Não há como ignorar o que acontece no Brasil: uma "guerra de todos contra todos", como sói dizer o editor de Alerta Total (Jornalista Jorge Serrão). Nesse enfrentamento estão desde alguns que desejam restaurar a dignidade do país até uns outros que só pensam em vampirizar a nação. Nenhum, absolutamente nenhum exagero há, pois, em aventar-se que a tal ação policial possa haver sido apenas e tão-somente uma jogada para desmoralizar a polícia e o Poder Judiciário.

Mas, nessa hipótese, quem seriam os protagonistas? Ora, sabidamente as instituições públicas (dos três poderes) estão infiltradas por agentes cuja "missão" é subverter a ordem e criar as condições para implantar a "revolução". Será necessário enumerar exemplos descobertos? Na polícia e no judiciário (os dois órgãos envolvidos no caso) há elementos à espera da ocasião para fazer um "gol contra" e deitar tudo a perder.

Não é paranoia, não! É realidade objetiva! Esse tipo de gente pode, sim, articular uma "Operação Tabajara" e deixar a bola picando para ativistas entrarem na área chutando. E não é o que estão fazendo?


Renato Sant'Ana é Psicólogo e Bacharel em Direito.

Nenhum comentário: