domingo, 5 de novembro de 2017

O Terrorismo é a dominação pelo terror


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos I. S. Azambuja         

Essa dominação verifica-se em atos violentos cujo fim é semear o terror. O terrorismo, por conseguinte, procura coagir e pressionar os governos ou a sociedade em geral para impor os seus apelos e as suas proclamações.
    
O terrorismo pode ser exercido por diversos tipos de organizações sociais ou políticas, tanto da direita como da esquerda. Este tipo de ações pode até ser exercido por grupos pouco organizados.
    
A violência política do terrorismo desenvolve-se fora do contexto de uma guerra. Por isso, combater o terrorismo e levar os terroristas a tribunal são tarefas muito difíceis para um governo.
  
A definição do conceito não é precisa e pode variar consoante os interesses de quem o pronuncia. É comum um político acusar um opositor de terrorista pelo simples fato de este não concordar com as suas idéias. O terrorista, por outro lado, tende a negar a sua condição, defendendo o uso da violência como legítima defesa.
   
Na Argentina, a título de exemplo, a ditadura militar que tomou o poder em 1976, acusou de terrorismo a todo aquele que “difunde idéias contrárias à civilização ocidental e cristã”. Essa idéia tão ampla deixou do lado dos terroristas qualquer pessoa opositora ao regime, incluindo numerosas organizações pacíficas.

Após os ataques terroristas de 11 de Setembro de 2001, o governo norte-americano estendeu a sua definição de terrorismo para incluir numerosos opositores. No caso da sua invasão ao Iraque, por exemplo, a resistência é acusada de terrorismo por alguns setores e legitimada por outros.

Carlos I. S. Azambuja é Historiador.

Nenhum comentário: