terça-feira, 14 de novembro de 2017

Tributucudo


“País Canalha é o que não paga precatórios”
                    
Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Maurício Mantiqueira                      

A moderna tecnologia permite alterar (para melhor) o sistema tributário. Até o aparecimento da informática, os governos taxavam a produção e o consumo; era mais fácil de fiscalizar. O problema era que esse sistema inibe a capacidade empreendedora dos produtores e comerciantes.

Se for adotado um Imposto Justo, aproveitando-se os softwares da antiga CPMF, poderão ser eliminados todos os demais impostos (com exceção dos de Importação e Exportação).

A extinção absoluta da burocracia fiscalizatória sobre a produção e o consumo desonerará os empreendedores e facilitará enormemente seus negócios. Com o crescimento da atividade econômica, automaticamente aumenta a arrecadação tributária.

A elite do aparato fiscalizatório deverá ser realocada na fiscalização do comércio exterior, para evitar subfaturamento, desabastecimento interno e “dumping”.

Haverá gritaria contra esse novo sistema. Os poderosos que criam dificuldades para vender facilidades não se conformarão em perder sua botocuda truculência e “majestade”.

Para salvar o Brasil a receita é simples:

Mudar o sistema tributário; extinguir o Banco Central; reformar integralmente o judiciário e fuzilar os traidores da pátria, na forma do Código Penal Militar vigente.

O resto é conversa mole para boi dormir.


Carlos Maurício Mantiqueira é um livre pensador.

4 comentários:

jomabastos disse...

Poderá ser uma solução provisória. O aspeto negativo do CPMF é que pode desencorajar as transações financeiras, aumentar a circulação de dinheiro em espécie e assim estrangular de algum modo o sistema financeiro. Também pode provocar inflação, pela contribuição cumulativa em todas as transações.

jomabastos disse...

Essa de fuzilar, é uma solução à Duterte.

Anônimo disse...

Mas os bancos credores continuam arrecadando com o dinheiro de plástico como se a CPMF estivesse aí sem tirar e nem por. Foi por isto que desistiram da CPMF.
A grande questão diante da leniência dos bancos é saber quem são de fato os credores de 3.5 trilhões dos brasileiros?
Quem fez essa dívida monstruosa todo mundo sabe que foi o Temer, é claro.
Quem é que rapa 50% da arrecadação nacional todo santo mês e a grande questão?
Vejamos o mapa com a relação dos credores dessa fábula?

Italo Salomão disse...

Isso, essa de fuzilar me deu água na boca. Lambi os beiços!