terça-feira, 12 de dezembro de 2017

Mafionaria – Estamos em Perigo Real


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por João Guilherme C. Ribeiro

Detesto teorias de conspiração, boatos, cartas anônimas e fofocas em geral. O que vou mostrar é real.  Real e perigoso. Os atos mesquinhos e inconsequentes do nefasto trouxeram uma consequência particularmente ameaçadora.

Tenho uma preocupação enorme com relação a uma vigarice que está correndo solta em revistas, jornais, cartazes e até TV, promovendo um negócio chamado Soberana Maçonaria.  O sujeito que aparece na foto com a mulher (ambos com paramentos de Grão -Mestre) esteve envolvido em um escândalo no Paraná, envolvendo muito dinheiro.  Agora aparece gastando dinheiro a rodo para promoção de uma arapuca completamente irregular.

Fui publicitário por mais de 40 anos, como você sabe.  Sei exatamente o que custa uma campanha publicitária dessa envergadura em páginas inteiras e meias páginas de revista como Época e Veja, por semanas a fio, além de outros veículos, incluindo jornal e televisão.  

Ainda que fosse capaz de explorar milhares de curiosos, desavisados ou simplesotários, não acredito que tivesse retorno para pagar esse investimento.  Não mesmo.  

Meu temor é que esteja lavando dinheiro.  Difícil que seja outra coisa.
E, se assim for, quando a bolha estourar, vai atingir-nos em cheio.  No meio do escândalo, a sociedade em geral certamente vai achar que todos somos farinha do mesmo saco.

Por favor, fale sobre isto na sua campanha.   Temos que alertar os maçons regulares do perigo causado pela desagregação causada pelo nefasto e sua quadrilha.

Este é um problema que precisa ser enfocado e enfrentado.  De nada adianta esperar que a coisa se resolva por si só.  É preciso ir além dos assuntos específicos de uma campanha eleitoral, quando algo capaz de prejudicar-nos de forma tão visceral está ocorrendo debaixo de nossos narizes, causada pela estupidez e falta de caráter desse personagem nefasto que enlameou o trono do GOB para seus interesses mesquinhos.  Há muito mais consequências do que se imagina.  

É preciso atemorizar a Maçonaria regular, torná-la consciente do perigo que corre.  Imagina se formos confundidos com esse estelionatário!  
Há que tomar a iniciativa, liderar a reação e procurar a Receita Federal, o Ministério Público, seja lá o que for – e isto só deve ser feito pelas autoridades maçônicas que nos representam, mesmo que seja ainda um candidato. Você tem passado e autoridade para falar.  Então, assuma a liderança e aceite o desafio, porque o assunto é sério, muito sério.

Minha oposição ferrenha a tudo que fez o nefasto gm atual do GOB sempre foi muito além de questões pessoais, por mais falto de caráter que eu o julgue e que as ações dele confirmam.  Ao fragilizar a união da Maçonaria regular, ele deu condições que ocorresse aquilo que temia o Irm. Thomas Jackson, GM de Honra da World Conference of Regular Grand Lodges.  Em discurso no Grand Encampment, ele previu que a internet favoreceria esse tipo de picaretagem.  

Mas este caso específico do tal soberano.org tem implicações sinistras.   Se os dirigentes, que representam a voz de seus comandados, não agirem com rigor, todos pagaremos um preço muito alto.

Vou enviar mensagem aos Grão-Mestres, mas você, que está em campanha, terá voz muito mais eficaz do que a minha.  Estou dando uma bandeira a você para incorporar na sua campanha.

Pode usar, como bem entender, meu e-mail e os e-mails em que acuso o nefasto da torpeza que fragilizou a Maçonaria regular brasileira.
Contamos com você e sua liderança!

João Guilherme C. Ribeiro é membro do Supremo Grande Capítulo de Maçons do Real Arco do Brasil. Carta enviada a Benedito Ballouk Filho.

2 comentários:

Augusto disse...

Parabéns ao João Guilherme pela manifestação e ao Serrao por repercuti-la. Tenho sido voz rouca em outra potência regular ao expressar essa mesma preocupação e tentar mostrar aos meus pares, um imobilismo total da autoridade competente diante do problema.
Parece que priorizam atos de gestão que resultem de imediato em aplauso alheio, não enxergando que o futuro da Ordem depende da preservação de sua essência.

Paulo Machado disse...

Como diria um Ir. De nossa Loja: "em outras épocas, o Ir.Terrivel já teria recebido sua missão"...