quarta-feira, 27 de dezembro de 2017

Por que temos de malhar o Judasciário?


Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net

De que adianta alguns ministros do Supremo Tribunal Federal voarem em jatinhos da FAB para fugirem de hostilidades dentro dos vôos de carreira? Para que exigir o mesmo privilégio que já é dado aos presidentes dos poderes Executivo, Legislativo, Judiciário, alguns ministros de Estado e Comandantes Militares? Resolve alguma coisa fugir da ira do povo, do cidadão e contribuinte? Tal manobra é uma inútil canalhice cometida por cleptocratas. Trata-se de um ato indigno para uma autoridade pública.

Parece que 2018 começa muito esquisito... Os “donos do poder”, embora acuados, não querem mudar suas práticas hediondas. O Crime Institucionalizado apenas se reinventa para continuar dominando. Por isso, o tesão de uma retomada já se torna algo broxante. O sentimento é de um coito interrompido pela roubalheira, incompetência, impotência e inação de uma sociedade que reage muito lentamente. No cenário, o que se vislumbra é mais impostos que seremos obrigados a pagar, apenas para cobrir os rombos gerados pelo Estado-Ladrão e seus bandidos associados.   

O bom brasiliano já percebeu que seu maior inimigo é o Estado-Ladrão, sua Constituição-Vilã e as máquinas cartoriais e fiscais montadas para moer, extorquir e abusar do poder contra cidadãos – principalmente os que desejam produzir e empreender. O exemplo mais dantesco e daninho é máquina do Judiciário – incluindo nela o Ministério Público e os aparelhos de repressão fiscal. Em vez de promover Justiça, opera como uma espécie de supergestapo burocrática que gira em torno dela mesma, criando e garantindo privilégios para seus membros e “donos do poder”.

Isso acontece porque o Crime Institucionalizado não só tomou conta e domina a máquina estatal, mas exatamente porque o nosso aparelho estatal foi montado para operar a famosa “Organização Criminosa” – que só existe com a presença da gigantesca e cada vez maior burocracia estatal. O cidadão normal tem pouca ou nenhuma chance de defesa contra este “Leviano leviatã”. Por isso, a única saída civilizada e democrática é acabar com o Estado-Ladrão. É preciso reinventá-lo, com transparência total sobre atos e gastos, o mínimo de burocracia, junto com fiscalização direta e controle do cidadão (eleito diretamente para tal finalidade).

Eis por que precisamos de uma Intervenção Institucional, outorgando, de imediato, uma Constituição enxuta e programática, fácil de ser cumprida por qualquer cidadão, sem necessidade de interpretações pelo topo do Judiciário. Hoje, as centenas de milhares de leis em vigor servem, exatamente, para que se justifique a existência de um gigantesco e caríssimo “judasciário” – que bem remunera seus operadores e enriquece poderosos escritórios de advocacia (principalmente os transnacionais). Um País assim só pode ser injusto, violento e inseguro. Jamais será desenvolvido.

2018 deve ser o marco de uma grande mudança estrutural. Se o Brasil não mudar, certamente vai perecer como Nação. Será apenas uma imensidão de terra subdesenvolvida, em franco processo de fragmentação por uma guerra civil não-declarada, já em andamento. O Brasil está sendo dividido diante dos olhares dos comandantes das Forças Armadas – que têm o dever supraconstitucional de defender e proteger a Pátria de seus inimigos internos e externos.

Os militares não têm o direito de barrar o processo de Intervenção Institucional, seja por ação ou inação. Tal postura pode custar muito caro ao Brasil no curtíssimo prazo. No futuro, nem se fala. Os donos do poder desejam que nada mude, apenas seja “reformado”, para ficar do mesmo jeitinho como sempre esteve. Quem tem de exigir e agir pelas mudanças estruturais efetivas é o segmento esclarecido e honesto do tal “povo”. O momento é de aumentar a pressão sobre os membros do Estado-Ladrão, sobretudo malhando o mais perverso: o Judasciário. Ao mesmo tempo, temos de debater tudo que precisa mudar para melhor e cada um fazer a sua parte.

Tenhamos foco nas soluções, e não aceitemos ficar reféns dos problemas e, pior ainda, dos bandidos do alto ou do baixo clero.   

Releia o artigo: O alto custo de um Supremo que vira piada


A Deus, Manoel Gomes...

Em pleno Natal, Deus convocou o artista Manoel Gomes para fazer parte da academia celestial.

Um dos lendários poetas e músicos da boemia niteroiense e sãogonçalense, Manoel Gomes faleceu em decorrência de complicações causadas por um atropelamento.

“Nas horas vagas” – conforme dizia o amigo Manoel -, ele era servidor do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro.

O sepultamento do corpo do eterno Manoel acontece nesta quarta-feira, às 15h 30min, no Cemitério de São Miguel, em São Gonçalo, onde acontece o velório.







Colabore com o Alerta Total

Os leitores, amigos e admiradores que quiserem colaborar financeiramente com o Alerta Total poderão fazê-lo de várias formas, com qualquer quantia, e com uma periodicidade compatível com suas possibilidades.

Nos botões do lado direito deste site, temos as seguintes opções:

I) Depósito em Conta Corrente no Banco do Brasil.
Agência 4209-9, C/C: 9042-5, em favor de Jorge Serrão.

II) Depósito em Conta Poupança da Caixa Econômica Federal ou em agências lotéricas: 2995 013 00008261-7, em favor de Jorge Serrão.

OBS) Valores até R$ 9.999,00 não precisam identificar quem faz o depósito; R$ 10 mil ou mais, sim.

III) Depósito no sistema PagSeguro, da UOL, utilizando-se diferentes formas (débito automático ou cartão de crédito).

IV) Depósito no sistema PayPal, para doações feitas no Brasil ou no exterior.

Vida que segue... Ave atque Vale! Fiquem com Deus. Nekan Adonai!


O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Independente, analítico e provocador de novos valores humanos, pela análise política e estratégica, com conhecimento criativo, informação fidedigna e verdade objetiva. Jorge Serrão é Jornalista, Radialista, Publicitário e Professor. Editor-chefe do blog Alerta Total: www.alertatotal.net. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos. 
A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 27 de Dezembro de 2017.

8 comentários:

Anônimo disse...

http://midiasemmascara.org/colunistas/candidatosdaglobo-ipojuca/
Candidatos do esquema global
Ipojuca Pontes
27 de novembro de 2017 - 8:23:45
Desde que Roberto Marinho morreu (agosto, 2003), o Grupo Globo (antiga Organizações Globo) não acerta uma. Lá se vão quase 15 anos, mas o grupo, aferrado aos ditames e interesses do “politicamente correto”, navega na contramão do que pensa a população brasileira, como se sabe, de natureza notoriamente conservadora.
Já assinalei aqui, muitas vezes, que o povo brasileiro, na sua imensa maioria, acredita em Deus, repudia o aborto, o casamento gay, o fanatismo ambientalista, etc. etc., além de ter se manifestado, em referendo, favorável ao livre comércio de armas e à compra de munições.
Nos últimos tempos, no plano da catequese política, o esquema da Rede Globo foi derrotado nas suas pretensões inúteis de triturar o presidente eleito dos EUA, Donald Trump. Já no caso do plebiscito inglês, torcendo os fatos em favor da embananada União Europeia e contra a criação do vitorioso Brexit, o esquema se ferrou de véu e grinalda (tal como a social democrata Angela Merkel, a “Dama de Alumínio”).
Na campanha pela Prefeitura do Rio de Janeiro, circuito interno, o pessoal do esquema, sempre arrojado, apostou suas fichas nas enfadonhas arengas do comunista Freixo (acolitado pela dupla Gil & Caetano) que, tal como previsto, terminou surrado pelo inodoro pastor Crivella. De fato, até o cambaleante Temer, encostado nas cordas do ringue, conseguiu vencer o Grupo Globo na sua campanha pró impeachment presidencial – em que pese a ferrenha atuação dos seus jornais, rádios e rede de TV.
No momento, o Grupo Globo atravessa o seu inferno astral, vitimado pelas contradições do mundo “politicamente correto”. Por exemplo: em data recente, um galã das novelas (rebarbativas) da TV Globo foi posto em quarentena por assédio sexual a uma figurinista da emissora – assédio em que valia tudo, inclusive apalpadelas na “genitália” da mulher.
Por sua vez, William Waack, âncora do Jornal da Globo, o mais “austero” da casa, foi posto de escanteio por fazer comentário tipificado, nos dias atuais, como racista: em Washington, durante a campanha de Trump, em entrevista ao vivo entrecortada por buzinaços, o jornalista deixou escapar em “off”: “É coisa de preto”.CONTINUA...

Anônimo disse...


http://midiasemmascara.org/colunistas/candidatosdaglobo-ipojuca/ CONTINUA II

No escândalo do Caso Fifa, a adensar o inferno astral, um ex-executivo da empresa Torneos e Competencias, que fazia mediação entre as competições e as emissoras interessadas em sua transmissão, acusou a TV Globo de pagar propina a dirigentes em troca de direitos de transmissão. Em nota, contestando a acusação feita num Tribunal de Nova York, o Grupo assegurou que jamais negociou ou pagou propina. E informou que “se colocará plenamente à disposição das autoridades americanas para que tudo seja esclarecido” – exatamente como fazem Lula, Temer e tutti quanti diante das acusações do juiz Moro.
Hoje, às vésperas da campanha presidencial de 2018, em que procura detonar a todo custo o candidato Jair Bolsonaro, considerado uma “ameaça”, o esquema Global, em artigos, comentários e entrevistas seletivas, inventa presidenciáveis que possam derrubar o Deputado Federal mais votado do Rio de Janeiro (já que Lula, condenado em primeira instância, pode – e deve – curtir nove anos e meio de cadeia.
Assim, ora promovendo Marina Silva, a Tigresa de Papel, ora badalando o aposentado Joaquim Barbosa, chegou mesmo a compor a “chapa ideal”: Marina de Presidente e Joaquim, de Vice – ou vice e versa. No mesmo diapasão, se incensa a sombria figura de Henrique Meirelles, um sujeito que mente adoidado e que vive ameaçando trazer a CPMF de volta.
Mas a grande onda, que a mídia cultiva como flor de estufa em notas e e comentários diários, é a figura de Luciano Huck, o animador de programa de “brincadeirinhas de auditório” da TV Globo. Óbvio, ninguém de bom senso pode levar a sério a piada de mau gosto. Nem ele próprio. No fundo, tudo não passa de mero jogo de marketing para o inviável candidato viajar na maionese e faturar mais comerciais. Mas é bom lembrar que o comunista Roberto Freire (nomeado procurador do Incra pelo general Médici, o “cruel ditador”), depois de uma “sabatina”, garantiu que o animador é um “brioso social-democrata” e abriu as portas do seu PPS (antigo PCB) para o candidato de voz fanha e nariz de tucano.
Enquanto as eleições não chegam, o pessoal do esquema intensifica sua peçonha diária contra o candidato Bolsonaro, que sobe nas pesquisas. Semana passada, O Globo descobriu que o candidato é contraditório: posando de liberal, Bolsonaro teria votado contra o Plano Real e reformas “progressistas”. Pior: votou contra a privatização da Petrobras e, por não concordar com a venda da Vale do Rio Doce por preço de banana, afirmou que FHC, mentor da façanha, “merecia um tiro”.CONTINUA...

Anônimo disse...



http://midiasemmascara.org/colunistas/candidatosdaglobo-ipojuca/ CONTINUA III E TERMINA
Vamos por partes. Antes de tudo é preciso dizer que o mitológico Plano Real não passou de uma fraude programada. Na conversão da moeda, em 1994, a mercadoria que valia, por exemplo, Cr$ 30,00 passou a custar Cr$ 100,00, visto que a antiga moeda, substituída pelo real, foi desvalorizada em cerca 70%. Por sua vez, num passe de mágica, o dólar passou a valer (artificialmente) menos que o real – o que elevou os juros aos cornos da lua e, mais tarde, alimentou a inflação e o desemprego em dois dígitos, tornando FHC, no segundo mandato, objeto da ira e do deboche popular. Sendo apontado por isso como principal responsável pela vitória eleitoral de Lula, o Chacal.
No que se refere à postura de Bolsonaro quanto a manutenção do monopólio da Petrobras, a empresa foi simplesmente considerada como princípio ativo do nacionalismo econômico dos militares que tiraram o Brasil da merda, de Castelo Branco a Figueiredo, passando por Médici e Geisel. Mais radical, em sentido inverso, foi Roberto Marinho que, nos anos 1950, promoveu ostensiva campanha contra a estatização do petróleo.
Ia falar sobre o “populismo” imputado ao candidato Bolsonaro, mas deixo a tarefa para depois.
PS – No caso do animador da Globo, a recente retirada de sua candidatura não anula o espaço global gasto na promoção do falso candidato. Nem invalida as minhas observações, pelo contrário, as confirmam.
Ipojuca Pontes, cineasta, jornalista, e autor de livros como ‘A Era Lula‘, ‘Cultura e Desenvolvimento‘ e ‘Politicamente Corretíssimos’, é um dos mais antigos colunistas do Mídia Sem Máscara. Também é conferencista e foi secretário Nacional da Cultura.

Anônimo disse...

http://midiasemmascara.org/artigos/indicados-editor/destaques/reflexoes-inevitaveis-de-fim-de-ano/
Reflexões (inevitáveis) de fim de ano
Graça Salgueiro
26 de dezembro de 2017 - 21:34:31
Não há o que comemorar. Apesar de a imprensa anunciar com assombro algumas “vitórias” da suposta direita conservadora, o que se viu na realidade foi maquiagens e arranjos na base do Photoshop, limpezas cosméticas para enganar incautos.
Muito se celebrou sobre o “acordo de paz” na Colômbia, onde as FARC, agora partido político oficial com outro nome mas a mesma sigla e planos estratégicos, saiu dos montes e se incorporou à vida civil. Na ONU, e com o aval do governo dos Estados Unidos, as FARC foram retiradas da lista negra como grupo terrorista. Deixaram e entregaram as armas? Só uma meia dúzia de fuzis e pistolas velhas enquanto o arsenal pesado continua bem guardado, em Cuba e Venezuela, ou em alguns esconderijos secretos dentro do território nacional. Suas fichas criminais foram lavadas e hoje permanecem mais imaculadas do que os lírios do campo. Criou-se uma lei especial para julgar seus crimes que não vão puni-los com prisão mas, bem ao contrário, vão premiá-los com 16 cadeiras no Parlamento, mesmo e apesar de mais de 80% da população ter rejeitado esta excrescência, mais um crime cometido contra suas vítimas.
Acabou-se a guerrilha mais antiga e financeiramente mais poderosa da América Latina? Evidentemente que não. Mais uma maquiagem foi feita. Uma parte dos guerrilheiros hoje aparece como uma “dissidência”, para que o movimento permaneça ativo fazendo o que de melhor sabem: produzir e comercializar cocaína, em pasta base ou pó, que garante os bilionários lucros aos chefões.
Na Venezuela a oposição tornou-se maioria na Assembléia Nacional mas não teve o direito de legislar, pois o ditador Maduro a despeito do rechaço da população num fraudulento e inconstitucional plebiscito instalou uma Assembléia Nacional Constituinte que é quem DE FATO está mandando no país. A miséria e a opressão aumentam a cada dia, mas a cosmética segue, com o apoio do Foro de São Paulo (FSP), numa rodada de conversações ocorridas na República Dominicana onde a palavra final ficou com a ditadura.CONTINUA...

Anônimo disse...


http://midiasemmascara.org/artigos/indicados-editor/destaques/reflexoes-inevitaveis-de-fim-de-ano/CONTINUAII E TERMINA
O Chile realizou eleições presidenciais e a vitória coube ao ex-presidente Sebastián Piñera, um bilionário que é visto como “conservador”, pelo simples fato de ser dono de uma grande fortuna. Em 2013, quando Piñera estava em seu primeiro mandato, a CELAC realizou seu primeiro encontro oficial no Chile e, a propósito desse evento escrevi o artigo-denúncia em meu blog Notalatina [1]. Naquela ocasião, Piñera, que era visto como democrata e conservador, “odiado” pelo FSP, impediu que o Paraguai – que é membro oficial do bloco – participasse do encontro para não causar “constrangimento” nos outros países membros do MERCOSUL e UNASUL que o haviam suspendido pela deposição – legítima e constitucional – de Fernando Lugo. Como se não bastasse, Piñera prestou homenagens no túmulo do ex-ditador Salvador Allende, para agradar o ditador Raúl Castro, de Cuba, que desejava colocar flores em sua memória.
Seu governo anterior foi pífio, e tanto é prova disso que apenas 56% da população em condições de votar participou das eleições, sendo sua vitória consagrada de fato por apenas 28% da população.
Mas nem tudo foi desgraça. Uma maquiagem foi desfeita quando Mônica Valente, Secretária Executiva do Foro de São Paulo, confirma a análise que fiz em meu livro “O Foro de São Paulo – a mais perigosa organização revolucionária das Américas” [2], quando afirma que o “novo” MERCOSUL, a UNASUL e a CELAC foram criadas pelo FSP para melhor expandir seus tentáculos.
Em março o processo contra Lula deve ser julgado em segunda instância e só depois disso saberemos se essa organização revolucionária criminosa realmente está enfraquecida, ou se renascerá das cinzas como a Fênix. A ver…
Notas:
[1] http://notalatina.blogspot.com.br/2013/01/um-assassino-preside-celac-e-chavez.html
[2] “O Foro de São Paulo – a mais perigosa organização revolucionária das Américas”, Capítulo 7, pág. 96 – As sucursais do Foro de São Paulo: Fórum Social Mundial, Mercosul, Alba, Unasul e Celac.

jomabastos disse...

Excelente e rico artigo!
Vou empregar algumas palavras e frases deste artigo para tecer meu comentário.
----
Em 2018, os "donos do poder" não irão mudar suas práticas hediondas, pelo contrário, irão acelerar a consolidação do já poderoso Crime Institucionalizado. Os donos do poder desejam que nada mude, apenas querem que a Constituição seja “reformada”, para ficar do mesmo jeitinho como sempre esteve, pronta a salvaguardar o poder do Crime Institucionalizado.
Precisamos de uma nova Constituição enxuta e programática, fácil de ser cumprida por qualquer cidadão, sem necessidade de diferentes interpretações pelo poder Judiciário. Também precisamos, sem falta, de um Tribunal Constitucional fora das garras políticas, que tenha como único objetivo fiscalizar a constitucionalidade das leis criadas pelo legislativo - Federal, Estadual e Municipal - , assim como a constitucionalidade das sentenças proferidas pelo Judiciário. E uma nova Constituição nunca poderá ser elaborada sem uma Intervenção Institucional.
O cidadão normal tem pouca ou nenhuma chance de defesa contra este Monstruoso Estado Autocrata. Uma Intervenção Institucional é a única saída civilizada e democrática para acabar com o Estado-Ladrão e o Crime Institucionalizado. As Forças Armadas têm o dever supra-constitucional de defender e proteger a Pátria de seus inimigos internos e externos. As Forças Armadas não têm direito de barrar o processo de Intervenção Institucional, seja por ação ou inação.
Se o Brasil não mudar, certamente que irá perecer como Nação, e então, este país será apenas uma imensidão de terra subdesenvolvida, em franco processo de fragmentação por uma guerra civil não-declarada, já em andamento.
Tenhamos foco nas soluções, e não aceitemos ficar reféns de um poderoso Estado Ladrão e do Crime Institucionalizado.



Loumari disse...

Por Jorge Serrão – serrao@alertatotal.net

terça-feira, 30 de abril de 2013

Comissão da Verdade rasga Constituição ao pregar que relatório vai embasar ações criminais anti-anistia

Que punição é cabível a quem desrespeita a Constituição Federal no Brasil? Certamente, nenhuma. Se houvesse alguma penalidade claramente prevista, a Comissão Nacional da Verdade poderia ser alvo de uma ação criminal por flagrante desrespeito à Lei Maior. Acontece que dificilmente algo acontecerá no País da Impunidade que parece cada vez mais ampla, geral e irrestrita.

A revanchista CV impôs ontem um golpe contra a Carta de 1988 e, por extensão, contra o STF. Se a Presidenta Dilma Rousseff é conivente com tal ato pode ser enquadrada em Crime de Responsabilidade. O Super Joaquim Barbosa não vai fazer nada contra isto, caso seja devidamente acionado? E os militares, que são os principais alvos da má intenção da CV, continuarão “apenas observando tudo” – igualzinho ao papagaio verde-oliva da piada de português (que não faz nada, mas presta uma atenção danada)?

Ontem, em entrevista coletiva em São Paulo, o sociólogo Paulo Sérgio Pinheiro, claramente rasgou a Constituição, ao finalmente explicitar que o relatório final da CV pretende embasar processos criminais contra aqueles que forem apontados como violadores dos direitos humanos que agiram no período fixado pelo artigo 8º das Disposições Transitórias da Constituição de 1988. A intenção revanchista da CV vai diretamente de encontro ao que está claramente escrito na própria Constituição.

Pinheiro deixou claro ontem que o relatório final da CV fará recomendações para que o Brasil respeite uma decisão da Corte Interamericana de Direitos Humanos da Organização dos Estados Americanos (OEA) que, desde 2010, questiona a validade de nossa Lei de Anistia de 1979. Pinheiro também frisou que, em todos os países em que órgãos similares à CV foram formados, “investigações servem para a responsabilização de criminosos”.

Quem não é analfabeto, basta ler o artigo 8º das Disposições Transitórias, que embasa a própria criação da CV (Lei 12.528, de 18 de novembro de 2011). No texto legal, está claro que a Anistia não pode ser derrubada, como desejam os sete membros da CV, com suas visões revanchistas e revisionistas da História. Será que no Brasil não vale mais o que está escrito na Constituição, por vontade da petralhada que aparelha os podres poderes em torno do Governo do Crime Organizado?

Ler mais: http://www.alertatotal.net/2013/04/comissao-da-verdade-rasga-constituicao.html?utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed%3A+AlertaTotal+%28Alerta+Total%29

Loumari disse...

Naquele dia de 1 de Maio de 2013 eu enviei o meu comentário via e-mail ao meu correspondente permanente no Brasil o jornalista Jorge Serrão e disse eu a ele:

Olá Jorge!

Hoje como sempre leio o teu jornal, mas te confesso que hoje só causou-me uma profunda depressão.
Estás aí a bramares, empenhando todas as tuas forças, energia, e convicções, até parece que te pões de joelho e imploras os teus compatriotas para que recapacitem e que se revoltem contra este regime inumano que vai levar a nação a ruína e vai causar grandes desgraças humanitárias, mas todos te lêem, mas mantém-se inactivos, indiferentes como se não estivessem conscientes do perigo iminente que lhes conduzirá a agonia!? Estão a deixar os ratos a proliferar, e amanhã serão invadidos pela peste devastadora.
Como canta o Júlio Iglésias: vés llorar la Bíblia.
Invés de eu continuar a falar do que me travessa pela mente, então decidi confiar-te a Deus. Só Deus sabe o que está a engendrar isto tudo. Coloco-te aqui abaixo um texto onde Deus ele mesmo fala. Neste mundo, clarividentes e altruístas como tu, sofrem o martírio. E se és porção de Cristo, muito mais ainda.


JEREMIAS 7:23,34 Mas isto lhes ordenei, dizendo: Dai ouvidos a minha voz, e EU serei o vosso Deus, e vós sereis o meu povo; e andai em todo o caminho que eu vos mandar, para que vos vá bem.
Mas não ouviram, nem inclinaram os seus ouvidos, mas andaram nos seus próprios conselhos, no propósito do seu coração malvado; andam para trás e não para diante.
Desde o dia em que vossos pais saíram da terra do Egipto, até hoje, enviei-vos todos os meus servos, os profetas, todos os dias, madrugando e enviando-os;
Mas não me deram ouvidos, nem inclinaram os seus ouvidos, mas endureceram a sua cerviz, e fizeram pior do que seus pais.
Dir-lhes-ás, pois, todas estas palavras, mas não te darão ouvidos; chamá-los-ás, mas não te responderão.
E lhes dirás: Uma gente é esta que não dá ouvidos a voz do Senhor, seu Deus, e não aceita a correcção: já pereceu a verdade, e se arrancou da sua boca.
Corta o cabelo da tua cabeça e lança-o fora, e levanta o teu pranto sobre as alturas; porque já o Senhor rejeitou e desamparou a geração do seu furor;
Porque os filhos de Judá fizeram o que parece mal aos meus olhos, diz o Senhor: puseram as suas abominações na casa que se chama pelo meu nome, para a contaminarem.
E edificaram os altos de Tofeth, que está no vale do filho Hinom, para queimarem no fogo a seus filhos e a suas filhas; o que nunca ordenei, nem me subiu ao coração.
Portanto, eis que vêm dias, diz o Senhor, em que nunca se chamará mais Tofeth, nem vale do filho de Hinom, mas o vale da matança; e enterrarão em Tofeth, por não haver mais lugar.
E os cadáveres deste povo servirão de pasto as aves dos céus e aos animais da terra; e ninguém os espantará.
E farei cessar nas cidades de Judá, e nas ruas de Jerusalém, a voz de folguedo e a voz de alegria, a voz de esposo e a voz de esposa, porque a terra se tornará em desolação.