sexta-feira, 19 de janeiro de 2018

A Porca Elipse segundo Seu João


“País Canalha é o que não paga precatórios”

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Maurício Mantiqueira                  

Os “intelecteucuais” dos esquerdopatas prenunciam o fim do mundo caso o imundo seja mimoseado com Cãodenação ainda mais severa.

O “apústula” digo, apóstolo, o escriba Seu João ninguém, barbudinho infecto como soe acontecer, Cãovoca a militância para provocar o caos.

Bruxas, lumpens e boulos fofos demonstrar-nos-ão que não tem estofos.

Basta um “marciano” (verde) resolver descer o cassetete democrático na putada.

Será um corre-corre na geral como jamais visto. Gritos:

"Senta que o leão é manso!”, “ E os direitos dos manos?!?”

"É festim?!?!”

Bom, mas tudo isso é diversão.

O que é preciso mesmo será obra de dona Onça.

O país está uma esculhambaCão!

Em algum momento afastaremos o desgoverno jumento.

Tarda dona Parda?

“Guntemos” mais um pouco?!?!

De tanto clamar estou ficando rouco.

A felina faz ouvido mouco pro nosso desespero (que não é pouco!).

Pirão primeiro quando a farinha é pouca!


Carlos Maurício Mantiqueira é um livre pensador ou boi de touca?

2 comentários:

Loumari disse...

A INVEJA - A INVEJA DOS INCOMPETENTES

Texto de MIA COUTO

Entrevistamos esta semana o Presidente da Comissão Nacional dos Invejosos, Dr. Shipreita Vida Doutro. Sabendo da importância da inveja, verdadeiro motor de actividades e inactividades da nação, colocámos a este dirigente questões que têm a ver com todos nós. Eis os extractos desta conversa:

Pergunta – Dr. Shipreita, como nasceu a ideia de criar uma Comissão Nacional de Inveja?

Dr. Shipreita – Nasceu por inveja. Nós já estávamos cansados de ver nascerem estruturas e instituições, de ver dinheiros e financiamentos para todos, menos para nós. Então decidimos criar esta Comissão.

Pergunta – Qual é a vossa actividade principal?

Dr. Shipreita – É destruir todos aqueles que se evidenciam ou se colocam acima da média. Nós mobilizamos as forças da inveja e atacamos as pessoas ou as obras que se destacam …

Pergunta – Esse ataque pode manifestar-se como?

Dr. Shipreita – Temos vários métodos: para começar, a tecnologia tradicional. Consultamos um feiticeiro e encomendamos o serviço de desgraçar o tal fulano que está a ter sucesso. Às vezes, recorremos a métodos mais modernos: ameaçamos de morte, intimidamos. A Comissão Nacional não tem matadores próprios, mas temos boa relação com o Sindicato Nacional dos Assassinos, mandamos uns faxes e eles implementam os nossos pedidos.

Pergunta – A inveja é a seiva da Nação e o motor do futuro – este é o vosso lema …

Dr. Shipreita – A ideia é a Nação passar a devorar os seus melhores filhos. Por exemplo, um grande atleta: em vez de sentirmos orgulho, fazemos circular boatos que acabam por lançar o fulano na lama. Um grande artista? Cercamos o tipo de silêncio, ele passa a ser reconhecido só lá fora e acaba por se calar ou mesmo emigrar. Assim, nos vemos livres desses indivíduos que tanto provocam a alma dos invejosos. Outra estratégia é homenagear um valor nacional apenas quando ele já morreu. Aí não há problema, constrói- se uma estátua e ninguém fica ofendido.

Pergunta – Mas não corremos o risco de nos tornarmos uma sociedade pobre alinhada pela mediocridade?

Dr. Shipreita – Mas a mediocridade é a única hipótese de construir uma sociedade igualitária. Fala-se muito de democracia, mas só a inveja é que reduz as diferenças. Deixa de haver bons e maus. Só há mediocres e os resignados pela mediocridade.

Pergunta – E para ser membro da Comissão o que é preciso fazer?

Dr. Shipreita – É preciso ser invejoso a ponto de querer muito mal aos outros. Estamos lançando uma campanha de angariação massiva de membros. Estamos a tentar mostrar que o sucesso de um moçambicano nunca provém do trabalho ou do seu suor. Tem sempre outras causas.

Pergunta – Que mensagem queria, por fim, transmitir aos leitores?

Dr. Shipreita – Quero agradecer a colaboração geral que temos recebido. É muito estimulante ver que a inveja está tão bem distribuída, desde intelectuais responsáveis a simples elementos do povo. Se recebermos fundos compatíveis, iremos instituir o Prémio Nacional da Inveja. E termino desejando ao Imaginadâncias votos de que tudo vos corra mal, isto é, bem.

Mia Couto

Anônimo disse...

Clamar, com resposta dos militares dentro da ordem institucional, só na porta dos quartéis.