segunda-feira, 12 de fevereiro de 2018

Débito


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Paulo Roberto Gotaç

A ministra Cármen Lúcia, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), declarou recentemente que o cidadão brasileiro está cansado do Judiciário e adiantou que, apesar do esforço dos responsáveis pelo seu funcionamento, permanece um débito enorme para com a sociedade. 

As numerosas ações paradas aguardando o carimbo da Corte, as decisões unilaterais como, por exemplo, as que concedem habeas corpus em série a corruptos de boa cepa, o reduzidíssimo número de desfechos de processos envolvendo políticos  protegidos pelo foro privilegiado, as pressões para reavaliar questões já decididas anteriormente, com o objetivo de beneficiar pessoas, não de aperfeiçoar a aplicação da lei, como a prisão após condenação em segunda instância e até transgressões à lei magna, cuja guarda constitui a missão do STF, como a que não retirou os direitos políticos da ex-presidente afastada pelo Congresso, são alguns dos enormes obstáculos que a ministra deve encontrar para diminuir o débito por ela mencionado. 

O esforço terá de ser hercúleo, mesmo porque o cidadão não está somente cansado mas, diante dos descalabros com os quais a todo momento é impactado por deliberações dos togados, já se sentou no meio fio, resolveu observar a marcha dos acontecimentos e limita-se a acompanhá-los até o panorama melhorar. 


Paulo Roberto Gotaç Capitão de mar e guerra reformado. 

2 comentários:

Anônimo disse...

Sentamos no meio fio, mas não para ver o panorama melhorar.
Estamos aguardando os únicos que podem fazer alguma coisa para mudar o rumo ao caos.
Alô militares!
Brasil chamando!
Brasil clamando!
Quando prevalecerá o lema da bandeira?
Vamos ter eleições com urnas fraudadas?
Já estão invadindo a Guiana.
Espero que invadam Brasília...

Anônimo disse...

Capitão Durval Ferreira esclarece que é preciso chamar os militares na porta dos quarteis, não pela internet, e que todo sinal eletrônico é passível de ser rastreado, monitorado e decodificado à distância.