domingo, 18 de fevereiro de 2018

Vento Cambiante


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Renato Sant’Ana

E não é que Lula ganhou uma colher de chá do Judiciário! O Tribunal Regional Federal da 4ª Região, TRF4, (em 14/02/18) rejeitou pedido de Antônio Palocci para ser ouvido novamente e dedurar o chefão.

Os advogados alegaram que Palocci poderia elucidar inúmeros aspectos da investigação, revelando coisas que ele não disse na instrução para não atrapalhar um eventual acordo de colaboração premiada. Ele queria passar o bizu sobre assuntos como a formação e o financiamento da Sete Brasil, as conversações das quais teria participado para organizar o esquema de propina decorrente das sondas, os atos que ele praticou na operacionalização do recebimento de propinas, as vantagens indevidas que ele solicitou, a origem e o destino das propinas, etc. Em suma, Palocci queria pregar o último prego no caixão de nosso guia universal...

Mas o TRF-4 barrou! Lula ficou agradecido, claro. E a galera adversária, frustrada. É que há certa ansiedade por assistir ao último capítulo dessa novela. E o depoimento de Palocci no mínimo traria grandes emoções! Aí veio o desembargador federal João Pedro Gebran Neto, com aquele jeitão circunspecto, e tascou: "um novo interrogatório não se mostra fundamental na avaliação das provas".

Deduragem desnecessária: já se sabe bastante. É o que está dizendo o desembargador. Se já descobriram tudo, então o que Palocci tem a dizer nada acrescenta.

Mas ia ser um arraso! Poucos comparsas, se houver algum, conhecerão em pormenores as tretas de Luiz Inácio Lula da Silva como o seu ex-ministro. Se ele abrisse o bico de novo, calava a falação lulopetista, que tenta enfiar o blá-blá-blá da "falta de prova" nas cabeças que têm um vazio a ser preenchido com narrativas. E ainda revelava ao povão as maquinações do nefasto Foro de S. Paulo!

Mas não deu. É uma pena. Se Gebran Neto aceitasse o pedido da defesa de Palocci, ninguém ia notar nada errado. Mas não... Ele tinha que estar naquela "vibe" do rigor jurídico e da imparcialidade nas decisões... Será que ele não podia dar uma colher de chá pra torcida?

P.S. Leia a carta de Antonio Palocci, desfiliando-se do PT, 26/09/2017:

http://www.folhapolitica.org/2017/09/bomba-em-carta-de-desfiliacao.html


Renato Sant'Ana é Psicólogo e Bacharel em Direito.

Nenhum comentário: