sábado, 31 de março de 2018

Sábado de Aleluia e Protesto



Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net

A fake news mais engraçada nos últimos dias informa sobre um novo atentado à caravana de campanha do pré-candidato a presidiário Luiz Inácio Lula da Silva. Segundo o relato altamente verossímil, um terrorista jogou uma carteira de trabalho dentro do ônibus (aquele mesmo que quase foi assassinado por tiros de revólver calibre 22). O pavor e o desespero psicológico foram generalizados quando o documento se abriu e nada estava escrito nele. Tinha apenas a foto do companheiro poderoso chefão... Realmente, não podemos tolerar este hediondo ato de terror contra os membros da seita Petelândia e seu líder máximo...

Falando sério, neste sábado de Aleluia tem manifestação agendada em várias cidades brasileiras. Além de exigir que o Supremo Tribunal Federal não pratique a suprema impunidade em favor de Lula, o ato deste 31 de março tem foco na defesa da Intervenção Institucional (o termo mais correto). Em São Paulo, a partir do meio-dia, haverá uma carreta-palco na Avenida Paulista, em frente ao Top Center, perto da rua Joaquim Eugênio de Lima. Estaremos lá para dar os recados necessários e fortalecer a mobilização em favor das mudanças estruturais no Brasil.

Três fenômenos gravíssimos chamam a atenção. Primeiro, não temos Democracia – segurança do Direito através do exercício da razão pública. Segundo, não existe “normalidade” institucional. As instituições, corrompidas, não funcionam normalmente, porque nossos poderes republicanos são reféns do Crime Institucionalizado, seja de modo ostensivo ou velado. Terceiro, sobrevivemos em flagrante insegurança – seja jurídica, coletiva ou individual -, com sintomas de guerra civil: 60 mil assassinatos por ano, além de ataques sistemáticos permanentes contra os agentes e forças de segurança pública.  

A prioridade brasileira tem de ser a Intervenção Institucional. As Forças Armadas apóiam, porque não dá para ficar enxugando o gelo em ações táticas contra comerciantes ilegais de drogas, armas e outros produtos (incluindo a hedionda venda de órgãos humanos). O processo de mudanças é inevitável, a não ser que a maioria esmagadora dos brasileiros faça a opção a favor do Crime Institucionalizado, da Demagogia Autoritária e do Subdesenvolvimento Insustentável...

O Brasil tem de ser reinventado a partir de um Projeto Estratégico de Nação que defina uma Constituição enxuta, programática, centrada nas seguintes bases fundamentais: 1) Federalismo pleno, fortalecendo os poderes locais; 2)Transparência Total das contas públicas; 3) Controle/fiscalização direto dos cidadãos sobre os poderes e órgãos públicos; 4) Voto livre, universal, distrital e com recall; 5) Investimento prioritário em Educação (formação moral familiar + ensino de qualidade). O resto é conseqüência...

Tudo melhora no curto prazo com o estabelecimento da Democracia – a plena Segurança Jurídica, Institucional e Individual. O coletivismo populista não sobrevive no pleno ambiente democrático. O crime organizado também não prospera facilmente. A barbárie também se torna insustentável, intolerável e imperdoável. A Justiça se torna eficaz, eficiente e efetiva. A Política ganha sustentabilidade. A Ordem Pública assegura a vida normal do cidadão.

Nossa obrigação imediata é focar em soluções práticas a partir da Intervenção Institucional. Os problemas desviam nosso foco e atenção. Precisamos de fé, inteligência e vontade política individual para solucionar o Brasil, reinventando nossa Nação.

Aos brasileiros de bem, tudo; aos inimigos, a força implacável da Lei!

Vamos para a rua neste 31 de março. Dia 3 de abril, a partir das 18 horas, tem mais. E no dia 4 de abril, vamos torcer para o STF cumprir seu dever...  


Releia o artigo de sexta: Por que a pressa para detonar Temer?






Vida que segue... Ave atque Vale! Fiquem com Deus. Nekan Adonai!

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Independente, analítico e provocador de novos valores humanos, pela análise política e estratégica, com conhecimento criativo, informação fidedigna e verdade objetiva. Jorge Serrão é Jornalista, Radialista, Publicitário e Professor. Editor-chefe do blog Alerta Total: www.alertatotal.net. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos. 
A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 31 de Março de 2018.

Aleluia, Alelula ou Alelulia?


“País Canalha é o que não paga precatórios”

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Maurício Mantiqueira

Ultimamente nossos títulos têm demonstrado dúvidas.

Hoje, dia de malhar o Judas, a porcada vive na era do “deus nos acuda!”.

Quão mais próximo ficarem da papuda, tão mais ficarão em silêncio; Caluda!

Urubu lisinho ou raposa felpuda, ambos com medo de que a coisa expluda.

Será que o Zé sarnento (vulgo Zebedeu) já entendeu que se fu...?

De avião ou autogiro, como será a fuga do vampiro ?

Peço liçonça a dona Onça para implorar uma soluCão.

Acabam-me as rimas e os assuntos.

Quem sabe se marcharmos todos juntos a felina acorde e veja que o país está do precipício ao borde.

“Não mais, musa, não mais... que a lira tenho destemperada e a voz enrouquecida” por cantar à Onça ensurdecida.

Somos duzentos milhões de palhaços querendo ver o circo pegar fogo ?

Quantos de nós ainda teremos que morrer nas mãos do crime organizado para que os poderosos aceitem que as instituiCães NÃO estão funcionando.

Que algum patriota armado ligue a tecla “foda-se” e restabeleça mais que a ordem, a nossa esperança.

Por velho, não tenho mais medo de morrer e sim de ver meu país entregue aos abutres.

Carlos Maurício Mantiqueira é um livre pensador.

Mecanismo – Nos Intestinos do Poder



Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Agamenon Mendes Pedreira

É muito complicado entender este país. Para se explicar o Brasil, temos que recorrer a metáforas, analogias, complicados desenhos esquemáticos e até mesmo a séries da Netflix.

Em mais uma tentativa vã, inútil e infrutífera de entender a nossa realidade (dada a incapacidade intelectual dos meus 17 leitores e meio), desta vez vou comparar o Brasil a um organismo humano. Se é que existe qualquer coisa de humano neste país.

O problema do Brasil é fisiológico. Para ser mais exato, do aparelho digestivo. O fenômeno da digestão no Brasil ocorre nos três poderes: no Executivo, no Legislativo e, por último, no Judiciário. Seriam como o duodeno, o mesentério e o cólon retal. Os três atuam de forma unívoca, conjunta e harmônica com um único e exclusivo objetivo: fazer mer%ˆ&*%$#da, compor o bolo fecal, construir os coprólitos, que, tal e qual tijolos, vão edificando em camadas a ordem constitucional brasileira.

Em outras circunstâncias, mais heterodoxas, o aparelho gastroinstitucional é utilizado na contramão, ou seja, iniciando-se no reto na direção do intestino grosso, quer dizer, do Executivo, desta vez com o objetivo de fo&**ˆ%%der com o povo brasileiro. Essa prática política sodomita, muito embora condenada pela Igreja Católica, é adotada com entusiasmo por membros dos três poderes que, para tanto, usam a prerrogativa do “furo privilegiado”.

Entretanto, data máxima venérea, desta vez o STF (Supremo Tribunal Furicular) foi longe demais. Os nossos magistrados, togando e andando para a opinião púbica, acabaram provocando uma incontrolável diarreia jurídica: soltaram o Maluf, soltaram o Piccianni e querem soltar o Lula.

Na verdade, os supremos magistrados estão querendo livrar o ex-presidente Luiz Inácio Lalau da Silva da prisão de ventre domiciliar, à qual já foi condenado em segunda instância. Para isso, querem julgar semana que vem um Habeas Porcus, que, modus in rabus, se for aprovado, vai criar uma nova jurisimprudência, soltando 90% da bandidagem trancada nas cadeias dos país.

Ao povo brasileiro, perdido no meio de tanta impunidade, violência e corrupção, só vai restar uma alternativa: pedir para ser preso. Só mesmo trancado numa penitenciária de segurança máxima o cidadão honesto e pacífico vai ter tranquilidade suficiente para poder continuar trabalhando feito um burro para pagar os seus impostos em dia.

Agamenon Mendes Pedreira é adevogado do Diabo junto com o Dr. Kakay. Agamenon não trabalha para nosso site. Por isso, roubamos o artigo da página dele, porém dando o devido descrédito ilegal.

Hora da Forca



Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por José Maurício de Barcellos

Confesso que neste final de quaresma e no limiar desta nova páscoa, não me é grato nem um pouco tratar do assunto do qual vou falar. Bem que tentei e visto que da vez anterior bati forte nos gatunos da esperança de nossa gente até pensei que seria o suficiente, mas aí fui ferido pelo olhar lânguido, sofrido e triste de três pequeninos órfãos do tráfico de drogas, no enterro de um chefe de família do morro de São Carlos, no Rio de Janeiro, a que compareci e diante daquela cena que insiste em permanecer em mim, não mais consegui impedir o ímpeto de continuar denunciando os verdadeiros assassinos do pai daquelas criancinhas. Se antes chamei todos de traidores, aqui incluindo os esquerdopatas “papa-defunto gay”, agora clamo ao povo que sejam levados à forca. É isso mesmo. É o que merecem.
Não me refiro ao desforço físico propriamente dito por que não defendo a pena de morte, conquanto admita a morte em combate. Penso como um dia disse o grande jurista italiano Enrico Ferri: que a medicina avança tanto que “o futuro (não muito distante) falará da morte da pena, não da pena de morte”. A forca à qual me refiro resume-se a um castigo muito mais doído do que a morte do corpo dos tais patifes, na medida em que estrangula seu poder, asfixia sua empáfia, estanca sua soberba e sufoca o mal do qual se alimentam, apeando-os do poder ou metendo-os no xilindró. Não auguro tortura maior para aquelas pessoas abomináveis.
Desde que o mundo é mundo que se sabe que o castigo para o traidor é a forca. Assim, talvez não ande muito mal ao falar, em tempos da páscoa, da condenação devida aos traidores do Brasil, já que nas Escrituras se falou da forca em que morreu também um traidor. Judas Iscariotes – um entre os doze - traiu o Filho do Homem que veio para salvar a humanidade. Os onze do Supremo para salvar um ladrão vão trair uma Nação inteira, mas não estão sozinhos.
Aos tais mandarins da República se aliaram todos quantos estão pretendendo preservar a figura do ex-presidente condenado visando a que tudo permaneça apodrecido como agora está e como ficará depois das eleições vindouras. Creiam, porém, tal aliança maldita, conquanto ousada e oportunista, pois composta de gente inescrupulosa, sem princípios e valores, vai se desmanchar ao som dos primeiros embates e depois os aliados vão se trair entre eles para em seguida baterem em retirada como coiotes assustados, tal como ocorreu em 1964.
A verdade é que em face da condenação definitiva do “Ogro” no Tribunal Regional Federal de Porto Alegre, em 26 de março último, tudo quanto queira se arguir para indultar o ex-presidente a mim pouco importa e ao povo do bem igualmente. Ou se prende o bruto ou vamos para o vinagre e se põe na rua tudo que é corrupto alvejado pela Lava Jato ou processado pela Justiça. Os partidários da liberdade para o referido condenado são bem conhecidos.
É traidor do Brasil e da mais legítima expectativa do povo: todo execrável político, quer integre o grupo dos canalhas quer pertença à turma dos covardes, e com ele seus correligionários que governam todos os entes da Federação; os Ministros da Suprema Corte; os príncipes e os mandarins encastelados em uma máquina pública que suga dos que nada tem; a banca e seus banqueiros; os empresários do mal mancomunados com os políticos; as associações profissionais acolitas dos corruptos e dos bandidos do colarinho branco; as entidades sociais chupins dos cofres públicos, a imprensa mercenária e sócia dos poderosos e, também, aqueles que em nome de um comodismo covarde subjugam as Forças Armadas, impedindo que saiam em defesa do povo vitimado, para colocar a ferros toda aquela corja de traidores.
O cidadão de bem, o trabalhador honesto e toda a Nação estão sendo traídos. É dever de todos nós lutarmos por ela com os meios e pela forma que pudermos. É dever de todos certamente, mas àqueles aos quais a Pátria além de tudo o mais entregou suas armas devem liderar a luta, ou seja, devem partir na frente. Não pode haver vingança ou retaliação ou mesmo vãs ameaças destas que os assustem. Não capitulem, o Brasil merece inclusive o sangue de seus filhos. Ponham os temores e interesses pessoais de lado e cumpram primeiro com a Pátria seu dever, que a história não os esquecerá.
O ex-presidente sentenciado não podia estar merecendo tratamento especial. Está puxando 12 anos de cadeia, mas não vai preso. Está inelegível, mas a todos insulta proclamando que é candidato a presidente da república. Não poderia estar fazendo campanha política, mas percorre o Brasil inteiro subindo em palanques, com a benção da Justiça Eleitoral. Quem são os traidores que protegem aquele pulha?
A decisão da Suprema Corte de colocar um ladrão condenado acima da lei e dos interesses do País foi a gota que transbordou o cálice de nossa tolerância e paciência cívica. Defender a democracia é entender que esta não viceja onde o crime prevalece e lhe enxovalha, todo santo dia. “Saber o que é certo e não fazê-lo é a pior das covardias”, disse Confúcio. Saibam os que se escondem atrás não só das palacianas escrivaninhas cujas gavetas guardam suas surradas desculpas e, também, das cortinas esfarrapadas que ornamentam as equivocadas defesas de um já exaurido e depravado estado de direito, que a hora da opção chegou. O que estão pretendendo? Vão trair o Brasil fechando os olhos para a luta de nossa gente contra este estado de coisa ou se opor aos traidores lhes dando um rotundo basta a todo mal que há trinta anos impingem à Nação Brasileira?
Sustenta-se, historicamente, que no Brasil as Forças Armadas não intervêm sem antes o povo por elas clamarem exaustivamente. É verdade. Acontece que diante desta última e inaceitável afronta da Suprema Corte, os movimentos patriotas e independentes que lograram, a par da nojenta classe política que os flanquearam, apear do poder a guerrilheira Dilma, estão convocando para que, em 3 de abril próximo, todos os cidadãos de bem exijam nas ruas aos gritos a prisão do condenado mais execrável da era moderna e da história contemporânea e a continuidade das ações de combate ao desmando e à corrupção. Para rua iremos e nela devemos ficar até sermos atendidos.
Espero e confio que a partir daí as Forças Armadas e as entidades dos homens livres adotem, de imediato e sem tergiversar, as medidas profiláticas necessárias para livrar o Brasil desse pequeno contingente de celerados que domina e escraviza nossa gente. É justamente desta forca para os bandidos que levaram nossa Nação ao caos, vitimando mais de 20 milhões de brasileiros, que falo desta tribuna.
Nossa presença nas ruas naquela data de abril é a alavanca que, acionando o cadafalso da história, vai proporcionar que se pendure toda essa corja repugnante na corda que eles próprios trançaram e que por último os 11 Ministros do STF esticaram desafiadoramente, a partir de suas acintosas e debochadas atitudes contra o povo do Brasil em favor de um facínora desprezível. A hora da forca chegou!

Jose Mauricio de Barcellos ex-Consultor Jurídico da CPRM-MME é advogado.

sexta-feira, 30 de março de 2018

Por que a pressa para detonar Temer?



Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net

A suprema ilegitimidade para tentar blindar o condenado e condenável Luiz Inácio Lula da Silva popularizou a falência institucional brasileira que muitos preferiam ignorar. Sofremos os efeitos diretos da aceleração do processo de ruptura jurídica, com efeitos políticos, econômicos e (psico)sociais. Dúvidas imediatas: Qual será o curto final da judicialização da politicagem? O Presidente Michel Temer aguanta até a eleição, ou será derrubado antes? A quem interessa o “investimento no caos”?

No mercado, a impressão é que os negócios podem decolar ou naufragar. Tudo depende do que possa acontecer no curto prazo, a partir do dia 4 de abril. O Brasil vive um impasse com o julgamento do ilegítimo habeas corpus (que de preventivo nada mais tem) pedido por Lula ao Supremo Tribunal Federal. A instabilidade é alimentada pela impressão popular - verdadeira ou falsa – de que a mais alta Corte do Judiciário se submete ao Mecanismo do Crime Institucionalizado.

A idiotizada esquerda aposta no caos. Seus estrategistas avaliam que o descontrole institucional acelera o processo revolucionário para um golpe no estilo bolivariano. O fictício atentado ao ônibus de Lula foi mais uma manobra desesperada para radicalizar o insano processo de desmoralização do Judiciário. Não é coincidência que a blindagem a Lula acontece ao mesmo tempo em que se acelera a derrubada de Michel Temer. Aliás, ele nem deveria ter assumido o lugar da Dilma. Devia ter caído junto com ela, mas isto não interessou aos “parceiros no crime institucionalizado”.

Ontem, o Ministério Público Federal pediu e o supremo ministro Luis Roberto Barroso autorizou a prisão temporária de amigos íntimos de Michel Temer. Ficou evidente que existe um plano tático para abrir um novo processo contra o Presidente da República. O plano imediato, na verdade, é forçar a substituição dele pelo presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, que já é presidenciável e, se derem mole, acaba candidato à reeleição dele mesmo ao Palácio do Planalto...

O coronel João Batista Lima Filho – que seria portador de um câncer - presta depoimento à Polícia Federal nesta sexta-feira da Paixão. Ele é o ponto focal para acertar Michel Temer. O advogado José Yunes e o ex-deputado Wagner Rossi são outros alvos da devassa para apurar se um decreto temerário favoreceu empresas no Porto de Santos, em troca de propinas. Investiga-se até uma reforma na casa da filha do Presidente, Maristela Temer, em São Paulo.

Fala sério! As broncas contra Temer e o (P)MDB eram antigas e conhecidas. Sempre se falou, nos bastidores, sobre o poderio de Temer nos negócios em torno do Porto de Santos. A perguntinha óbvia-ululante é: Por que motivo, só agora, pertinho do julgamento de Lula, resolve se investigar o Coronel Lima, Yunes e Rossi por suspeitas de arrecadarem grana para Michel Temer, mascarando a distribuição do dinheiro em doações de campanhas eleitorais?

Outra perguntinha inconveniente: Por que o Grupo Globo – cujos controladores foram padrinhos da indicação de seu advogado Luis Barroso para o cargo de supremo magistrado – resolveu espancar Michel Temer agora? Por que a Globo deu tanto destaque ao absolutamente falso “atentado” ao condenado Lula? Por que a mesma Globo transformou em mito histórico a figura da inexpressiva vereadora Marielle Franco – assassinada bárbara e politicamente?

Nada é por acaso em tempos de ocaso dos inimigos de ocasião. Por que a pressa para detonar Temer, enquanto se articula uma suprema salvação para Lula? Aparentemente, o objetivo imediato é fragilizar o Presidente para facilitar negócios a preço de banana em fim de feira. Qualquer idiota sabe que o grande capital transnacional deseja assimilar o estratégico e lucrativo setor elétrico, de preferência sem pagar um pedágio altíssimo à turma do MDB – que sempre controlou o setor em todos os desgovernos da Nova República de 1985...

O complô contra Temer não é por causa da possibilidade dele disputar a reeleição. O líder do governo, Carlos Marun, erra redondamente ao levantar tal hipótese, citando os “canhões da conspiração contra Temer”. Evidentemente – como lembrou ontem o supremo magistrado Luiz Edson Fachin – ninguém está livre de investigações, desde que respeitadas as leis e a estabilidade das instituições. O probleminha é que isso é ficção no Brasil. As interpretações do excesso de leis atendem às conveniências dos donos do poder. As instituições nunca estiveram tão instáveis e em cheque, por sofrerem influência direta do Crime Organizado (aliança delitiva entre bandidos de toda espécie e o “mecanismo” estatal).

Nos bastidores, especula-se escancaradamente que Michel Temer já tem na manga do elegante paletó uma reação ao golpe que tenta derrubá-lo imediatamente – ou até impedir sua eventual manobra de reeleição. Alegando o descontrole da violência no País, Temer estaria tentado a decretar Estado de Defesa. Assim, usaria os militares para se manter no poder. O plano parece bacana... O negócio é se as Forças Armadas aceitarão sustentar, explicitamente, um governo já apodrecido antes de começar, um ano e onze meses atrás...

O Alerta Total insiste: O Brasil precisa de atitude do povo para que as mudanças estruturais ocorram da forma mais pacífica e democrática possível! Atitudes imediatas? Não caia no “Conto da Eleição”. Elimine parte dos bandidos institucionais no nascedouro. Reeleja ninguém! Vamos aumentar a pressão sobre os governantes e a classe política. O foco é reinventar o Brasil. Sem a Intervenção Institucional (Civil, mas com apoio integral dos militares) nada vai mudar...  

Os inimigos do Brasil - e os idiotas que são agentes conscientes ou inconscientes deles – não desejam mudanças estruturais. Por isso, investem no ilusório “Conto da Eleição” e em todas as manobras que possam desmoralizar (ainda mais) o Presidente Michel Temer, mereça ou não o marido da bela Marcela.

Para terminar, outra dúvida interestelar: aquela estação espacial chinesa, perdida no espaço, cairá na cabeça do Temer ou do Lula? Cartinhas com a resposta para a sede da Frota Estelar... Até lá, torcemos que STF não signifique Submisso Tribunal Falido... Do jeito que a coisa desanda no Brasil, amanhã vão querer malhar Jesus, torcendo para Lula ressuscitar... Tudo pode acontecer na Nação de chuteiras que confunde Jesus com Genésio...



Três Neurônios

Quem ainda não viu dê uma olhadinha nos “Três Neurônios”, com H. James Kutscka, Pedro Chaves e o Zé Ruela que edita este blog

  








Vida que segue... Ave atque Vale! Fiquem com Deus. Nekan Adonai!

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Independente, analítico e provocador de novos valores humanos, pela análise política e estratégica, com conhecimento criativo, informação fidedigna e verdade objetiva. Jorge Serrão é Jornalista, Radialista, Publicitário e Professor. Editor-chefe do blog Alerta Total: www.alertatotal.net. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos. 
A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 30 de Março de 2018.

Paixão ou Peixão?


“País Canalha é o que não paga precatórios”

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Maurício Mantiqueira

A única coisa que a porcada sente é Cãopaixão:

Pelos que foram pegos de tal forma com a boca na botija que não há salvação possível. Nem o urubusário se anima a tamanha façanha !

O limite da desfaçatez foi o salvo Cãoduto ?

O peixão-sereio caiu na rede. Com a voracidade de um dourado debate-se para escapar por algum lado.

Mas triste é o seu fado. Hoje, é boi encurralado.

Ao lado de Dimas (ou dilmas ?), pregado na Cruz, vê de suas chagas escorrer o pus.

Mais por diversão que por ódio, ansiamos por escrache de urubus. Além de inCãopetentes são burros. Não compreendem do povo os urros.

Para os “bocas de cabra” que bebiam Chateau Petrus na garrafa, agora ,em sua última ceia, comerão o pão que o diabo amassou.

O “ídalo” perdeu o carisma.

Terá um triste fim; como Policarpo Quaresma.

Teme as papudas como ao Iscariotes Judas.

Seus impuros trinta dinheiros não o livrarão dos grilhões; nem seus enfurnados bilhões.

Vendida sua alma, como um Fausto, não terá mais paz.

Aqui se paga o que aqui se faz.

Carlos Maurício Mantiqueira é um livre pensador.

Prendam Barrabás e soltem Jesus


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Henrique Abrão e Laércio Laurelli

A pirotecnia do modelo governamental nacional inspira o mote de soltem Jesus e mantenham Barrabás detrás das grades, mas hoje se formos levar em conta o raciocínio quem seria um e o outro, no diletante cenário que nos impele ao sistema tragicômico de polemização sem um mínimo de razoabilidade e qualquer critério.

Dentro desse ângulo a corrupção poderá ser chamada de Barrabás, sinal das trevas, e a luz que limpa e higieniza tudo e todos é o Senhor que vem para acabar com toda sujeira, imundice e despudor que estão infectando literalmente  todos os aspectos da vida pública.

No entanto,como se torna difícil prender e manter preso o Barrabás. As pressões são tantas e as cortes não tem uniformidade, donde os julgamentos nos dão a impressão que tudo é um momento de mudança, e reflexão sobre o que nos espera nas urnas em 2018.

Conseguiremos superar a radicalização e separar os males do Estado penal que apenas comete crime e nos enxota para a vexatória posição de simples contribuintes. Falham nossos governantes, não conseguem combater os principais problemas, a falta de remédios nas farmácias populares, os serviços de segurança,saúde e transporte,além das chuvas que castigam todo o Brasil.

Apenas a febre amarela registrou mais de 500 mortes em todo o País, algo impensável e inaceitável na conjuntura do século XXI. Teremos o dever de
votar, nosso voto é obrigatório, para escolher aqueles que vão nos crucificar e tirar nosso sossego nos próximos anos, que sucatearam mais a máquina pública e colocarão escuridão na vida da Nação.
candidatos profissionais, há Países nos quais ser político é doação e vocação, cujo salário é simbólico e o eleito precisa comprovar ter ocupação profissional que se lhe assegure uma vida digna. Combateremos o estado marginal o estado malfeitor que nunca privilegiou o welfare state, mas simplesmente cobra tributos e nos ameaça. Se não passar a reforma, a tributação subirá.
pagar as próprias despesas e repor perdas salariais.



Há poucas boas opções. O essencial é que não repitamos os votos nos

Que tipo de político nossa Pátria identifica? Os espertalhões de plantão, os que assumem os cargos mas viajam e não querem apenas uma plataforma porém preconizam o topo e assim nos mostram que todos são muito iguais. E a criminalização da política não é novidade, posto que os representantes do povo são representantes deles próprios. Criticam todos e com muita enfase, mas não há autonomia do judiciário que sequer tem verba para

Vivemos numa estranheza capital, e na semana santa devemos lutar para a mantença da prisão de Barrabás, o culpado e soltura de Jesus o inocente que veio em defesa da sociedade e da libertação não apenas do pecado mas da escravidão pelo cultivo de bens materiais e transitórios. O quadro político é avesso e divorciado do anseio da sociedade, os chefões dos partidos se organizam,as esperanças não se renovam, mas o barulho das ruas é inadiável para que no dia 4 de abril no julgamento do habeas corpus que de preventivo nada mais tem, se tome a decisão em prol da Nação.

Continuaremos a lutar pelo sonho do amanhã, renovação de cada dispersão da cidadania e implementação de medidas que reduzam o tamanho e peso do Estado brasileiro, o úncio e exclusivo responsável pela calamidade de milhões de brasileiros abandonados e jogados à própria sorte.


Carlos Henrique Abrão (ativa) e Laércio Laurelli (aposentado) são Desembargadores do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo.

quinta-feira, 29 de março de 2018

Vamos acabar com a tributagem, Presidente?



Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net

O consolo previsível deste ano eleitoreiro é que haverá uma consistente discussão de tendência liberal, democrática e conservadora para neutralizar e se contrapor ao habitual discurso de promessas vazias e populistas da esquerda – incluindo nela a inconsistente social-democracia. Entre os vinte e poucos pré-candidatos que se apresentam até agora, a pauta de mudanças no modelo está prevista no discurso de pelo menos três: Jair Bolsonaro (PSL), Flávio Rocha (PRB) e João Amoedo (Novo).

Tomara que eles proponham soluções possíveis para desgraças como a insegurança jurídica, a violência e a “tributagem”. A vantagem importante é que a esquerda revolucionária ou a canhota envergonhada não se propõem a tratar destes três temas com um mínimo de seriedade. A canalhice ou a idiotice deles impedem que se trate como prioridade uma revisão do aparato legal, da Segurança Pública e da quase centena de impostos abusivos no Brasil.

A “tributagem” é apavorante. O Brasil tem uma das maiores cargas tributárias do mundo. Parece que os 208 milhões de brasileiros só servem para pagar contas – principalmente as públicas. Os governos Federal, estaduais e municipais nunca cortam ou racionalizam seus próprios gastos e exagerados privilégios. Os governantes repassam, para o cidadão pagar, o alto custo da sua corrupção, incompetência e desperdício. Nunca há recursos suficientes para conter a voracidade tributária da máquina pública.

Circula nas redes sociais uma mensagem que precisa ser lida e relida por todos os pagadores de impostos tupiniquins. Os números são assustadores. O Estado-Ladrão pratica extorsão contra o cidadão e o empresário. Vide o percentual médio do peso dos impostos sobre vários produtos ou serviços:

Medicamentos -36%
Luz - 45,81%
Telefone - 47,87%
Gasolina - 57,03%
Cigarro - 81,68%

PRODUTOS ALIMENTÍCIOS BÁSICOS

Carne bovina - 18,63%
Frango - 17,91%
Peixe - 18,02%
Sal - 29,48%
Trigo - 34,47%
Arroz- 18,00%
Óleo de soja - 37,18%
Farinha - 34,47%
Feijão - 18,00%
Açúcar - 40,40%
Leite - 33,63%
Café -  36,52%
Macarrão - 35,20%
Margarina - 37,18%
Molho tomate - 36,66%
Biscoito - 38,50%
Chocolate - 32,00%
Ovos - 21,79%
Frutas - 22,98%
Álcool - 43,28%
Detergente - 40,50%
Sabão em pó - 42,27%
Desinfetante - 37,84%
Água sanitária - 37,84%
Esponja de aço - 44,35%

PRODUTOS BÁSICOS DE HIGIENE

Sabonete - 42%
Xampu - 52,35%
Condicionador - 47,01%
Desodorante - 47,25%
Papel Higiênico - 40,50%
Pasta de Dente - 42,00%

MATERIAL ESCOLAR

Caneta - 48,69%
Lápis - 36,19%
Borracha - 44,39%
Estojo - 41,53%
Pastas plásticas - 41,17%
Agenda - 44,39%
Papel sulfite - 38,97%
Livros - 13,18%
Papel - 38,97%

BEBIDAS

Refresco em pó - 38,32%
Suco - 37,84%
Água - 45,11%
Cerveja - 56,00%
Cachaça - 83,07%
Refrigerante - 47,00%
Sapatos - 37,37%
Roupas - 37,84%
Computador - 38,00%
Telefone Celular - 41,00%
Ventilador - 43,16%
Liquidificador - 43,64%
Refrigerador - 47,06%
Microondas - 56,99%
Tijolo - 34,23%
Telha - 34,47%
Móveis - 37,56%
Tinta - 45,77%
Casa popular - 49,02%
Mensalidade Escolar - 37,68% (ISS DE 5%)

ALÉM DESTES IMPOSTOS, VOCÊ PAGA:

- DE 15% A 27,5% DO SEU SALÁRIO A TÍTULO DE IMPOSTO DE RENDA;

- BANCA O SEU PLANO DE SAÚDE,

- O COLÉGIO DOS SEUS FILHOS, 

- IPVA, IPTU, INSS, FGTS e por aí vai...
- ETC.

A desgraça nós sentimos no bolso. O problema é que não adianta apenas baixar ou eliminar os impostos. É fundamental mudar o modelo estatal. A única saída é uma Intervenção Institucional que implante o Federalismo pleno no Brasil, junto com uma prática de transparência total sobre as receitas, despesas e tarifas de todos os órgãos e serviços públicos na União, estados e municípios. A fiscalização popular direta – checando em tempo real se não existe nem desperdício ou roubalheira – vai reduzir a praticamente zero a máquina estatal de corrupção.  

O Brasil precisa de atitude do povo para que as mudanças estruturais ocorram da forma mais pacífica e democrática possível! Atitudes imediatas? Reeleja ninguém! Vamos aumentar a pressão sobre os governantes e a classe política. O debate sério sobre a “tributagem” tupiniquim, na campanha eleitoral de 2018, ajudará bastante para acelerar o processo inevitável pelas mudanças. 

Três Neurônios

Quem ainda não viu dê uma olhadinha nos “Três Neurônios”, com H. James Kutscka, Pedro Chaves e o Zé Ruela que edita este blog

  









Vida que segue... Ave atque Vale! Fiquem com Deus. Nekan Adonai!

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Independente, analítico e provocador de novos valores humanos, pela análise política e estratégica, com conhecimento criativo, informação fidedigna e verdade objetiva. Jorge Serrão é Jornalista, Radialista, Publicitário e Professor. Editor-chefe do blog Alerta Total: www.alertatotal.net. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos. 
A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 29 de Março de 2018.