sábado, 3 de março de 2018

A Brutal Confusão Brasileira de 2018



Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net

A conjuntura brasileira em 2018 é marcada por muita incerteza, bastante instabilidade e fatal insegurança. A Política atinge um nível insuportável de desgaste. A economia, estolando em vários setores, aguarda mais um vôo de galinha, porque o potencial produtivo do País é maior que a infinita capacidade governamental de prejudicar quem ousa empreender. O brasileiro bota fé na ilusória salvação pela via eleitoreira. Estamos às vésperas de mais uma decepção...

Candidato convicto a Presidente da República é o Jair Bolsonaro. O Deputado federal e ex-Capitão do Exército vem se preparando há anos para tal desafio. Desenhou um perfil conservador. Trabalhou de modo organizado e pioneiro nas redes sociais, focando nos anseios dos jovens e da classe média por mudanças estruturais. Incorporou o componente liberal ao seu discurso antes estatista. Não tem problemas com corrupção. Só precisa tomar cuidado para não sofrer uma traição partidária que o tire de uma disputa com chances de vitória.

Outro candidato certo é o Geraldo Alckmin. Certamente, é quem tem mais recursos financeiros para encarar a disputa. Afinal, tem o apoio escancarado dos banqueiros... Geraldo tem força no Sudeste-Sul, chances no Centro-Oeste, porém segue frágil no Norte-Nordeste. Seu PSDB anda com filme bastante queimado com o tsunami de corrupção. Grandes broncas ameaçam estourar em São Paulo. Se vão atingir Geraldo são outros 500 milhões de dólares... O ideólogo César Maia, pai do também presidenciável Rodrigo, aposta mais no Geraldo que no filhão...

Quem pode integrar a chapa do Geraldo, além do Rodrigo via articulação do papai, é Henrique Meirelles. O ministro da Fazenda de Michel Temer avisou ontem, no Programa do Ratinho, que define a candidatura (ou não) até abril. Pelo sorriso tipo “garoto, maroto, maneiro”, fazendo força para se mostrar “popular”, Meirelles é candidatíssimo... Nem que seja para ser vice do PSDB. Sem chances de disputar a reeleição, o Presidente Temer gostaria de apoiar Geraldo e Meirelles... Fará de tudo para atrair o DEM para repetir a aliança com PMDB, PSDB, PSD e os aliados oportunistas de sempre, desde os tempos do casamento com o PT...

Pela esquerda, quem teria alguma força na disputa é Marina Silva e Ciro Gomes. O PT ainda não decidiu para que lado vai, com a quase certeza de que seu deus-Lula será inelegível – e ainda corre o risco de presidir o parlatório da cadeia. É mais provável que os petistas lançarão alguém para perder brigando. Aliás, antes da derrota, já estão saindo no pau com os possíveis companheiros de corrida presidencial. Ciro é o principal deles. O PC do B também não quer mais jogar no time. E o PSB tende para o pragmatismo fechando com Geraldo Alckmin.

A eleição será muito impactada pelo que vai ocorrer (ou não) na Intervenção Federal na Segurança Pública do Rio de Janeiro. Pequenas vitórias das Forças Armadas beneficiam Jair Bolsonaro. O Presidente Temer tentou um golpe magistral para roubar o discurso bolsonariano sobre a insegurança. O feitiço pode virar contra o financeiro. No entanto, se não houver uma evolução, as prostitutas globalistas repetirão a tática permanente de desmoralizar a capacidade de solução política de problemas das Forças Armadas.

O eleitorado hoje é um cego em tiroteio prontinho para se iludir com a chance quase nula da salvação - sobretudo dentro do atual modelo Capimunista, Rentista e Corrupto no Brasil. A eleição promete discursos em torno da Segurança/Insegurança. Trata-se de um jogo de ilusão. Tal problema não é causa, mas conseqüência do modelo estatal com excesso de leis, infindáveis recursos, muita impunidade, além do principal: o Brasil não fecha suas fábricas de marginais, investindo na formação educacional (moral + ensino de qualidade) da família.

O quadro é de ceticismo e dúvida – muitas dúvidas. O Brasil não tem saída se não mexer na estrutura estatal. A solução é uma Intervenção Institucional. Precisamos de implantar o Federalismo pleno, a Transparência total e as corregedorias públicas locais. Combinando isto com o voto distrital e a possibilidade das candidaturas avulsas dos cidadãos, fugindo do cartório dos partidos políticos, em eleições com votação conferível pelo eleitor.

A representatividade real e a proximidade do cidadão fiscalizando a máquina pública permitirão que se conheçam e se apliquem corretamente os recursos públicos. A redução de gastos permitirá automática redução de impostos. Hoje as despesas públicas são uma caixa preta – aberta a pouquíssimos que dominam a informação e, no final das contas, detêm o Poder.

Por enquanto, a Intervenção Institucional é um sonho em adiantada fase de construção, porque muitos brasileiros conscientes desejam mudar o modelo atual. Além disso, a combinação explosiva de insegurança com violência acelera o processo de ruptura com um modelo estatal que já faliu. O que falta, ainda, é um debate civilizado e racional sobre as soluções desejáveis e possíveis, no curto, médio e longo prazos. O Brasil necessita de um rumo estratégico bem definido. As temporadas eleitoreiras atrapalham tal discussão fundamental.
Se a “galinha” der uma voadinha enganosa, a tendência é a acomodação de sempre, levando a solução de problemas na breca. Mas se a economia estolar, com o aumento da insatisfação, da insegurança e das ameaças objetivas e subjetivas, o clima ficará ainda mais pesado e a brutal conjuntura ficará ainda mais insuportável. Neste caso, o que vem depois, é imprevisível.

Agora, temos de exigir e promover o debate estratégico sobre o Brasil. Já sabermos dos muitos problemas. Temos de propor e executar as soluções viáveis, práticas, em tempo definido e, sobretudo, possível. Temos de fortalecer o diálogo com quem identificamos como “iguais”. Da mesma forma como precisamos viabilizar, de imediato, o debate com aqueles que consideramos (ou eles nos enxergam) como “diferentes”. Não é tarefa fácil. Mas tem de ser feita.





Vida que segue... Ave atque Vale! Fiquem com Deus. Nekan Adonai!

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Independente, analítico e provocador de novos valores humanos, pela análise política e estratégica, com conhecimento criativo, informação fidedigna e verdade objetiva. Jorge Serrão é Jornalista, Radialista, Publicitário e Professor. Editor-chefe do blog Alerta Total: www.alertatotal.net. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos. 
A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 3 de Março de 2018.

13 comentários:

Anônimo disse...

ReaçaBlog
FHC, o pacifista, transportou metralhadoras durante o Regime Militar

Publicado em 1 de Março de 2018 por Editor em ReaçaBlog

O ex-presidente FHC (PSDB), o probo, é um dos maiores articuladores do progressismo no Brasil.

Quando a oposição queria o impeachment de Lula (PT), FHC estava lá para garantir a continuidade do governo mais corrupto de nossa história. Quando a oposição queria o impeachment de Dilma Rousseff (PT), FHC estava lá para dissuadir o processo. Quando se tornou real a possibilidade de a Justiça Eleitoral cassar o registro do PT, FHC estava lá para defender a existência do partido e sua importância para a democracia. Quando deputados do PSDB queriam protocolar a cassação de todos os deputados do PT que se elegeram com recursos da Lava Jato, FHC estava lá para brecar essa iniciativa tucana. Quando Eduardo Cunha (MDB) articulou na reforma política a perda de recursos, tempo de Rádio/TV e cláusula de barreira para partidos nanicos como o PSOL, PSTU, PCO, PCB, PPL, etc., FHC estava lá recebendo Luciana Genro (PSOL) e atuando para o PSDB abrandar a proposta.

Para FHC, se Lula – membro do Foro de SP, entusiasta de ditadores, que quer censurar a imprensa, controlar a economia, aparelhar órgãos do Estado e perseguir opositores – for candidato, é ótimo para a democracia. Já Bolsonaro – que quer imprensa livre, privatizações e reduzir drasticamente o tamanho do Estado – é um perigo. O ex-presidente tucano já entendeu que a eleição do capitão do Exército e deputado federal para a presidência da República é uma possibilidade, sendo assim, tem dado reiteradas declarações condenando Bolsonaro, além de conclamar o centro e as forças progressistas para barrar o deputado.

O ex-presidente é alguém extremamente preocupado com a própria história, haja vista a quantidade de livros feitos após seu período na presidência sobre a sua vida e pensamento. Sua “mística pessoal” é a de alguém que acredita na democracia e condena a luta armada, mesmo que suas declarações sobre a morte do ditador e assassino Fidel Castro (ou declarações sobre grupos de esquerda que minam a democracia) demonstrem o contrário.

O registro de sua atuação no Brasil também não é diferente. O sociólogo da USP, defensor da resistência civil e oposição pacífica, transportou metralhadoras durante o Regime Militar. Quem revela o caso é o próprio ex-presidente no livro “O improvável presidente do Brasil”, publicado primeiramente nos EUA e traduzido posteriormente para o mercado brasileiro.

Anônimo disse...



ReaçaBlog continua II

Diz o ex-presidente FHC, na página 129 (grifos nossos):

“Dito isso, a resistência civil sem dúvida era uma ideia ligeiramente fora de propósito no contexto fortemente polarizado da época. O que explica que alguns dos meus amigos estivessem, de alguma forma, ligados à resistência armada. Não eram necessariamente guerrilheiros: a fronteira, no caso, não era assim tão clara. Alguns chegavam a pegar em armas, mas outros se envolviam em atividades muito menos declaradas: por exemplo, oferecer um quarto em casa para um rebelde em fuga passar a noite. A vida política e social tendia a ser uma só. Certa vez, eu me vi num carro com um grupo de amigos para entregar uma pequena carga de metralhadoras na casa de alguém. O que era feito com perfeita naturalidade, como se fosse apenas mais uma tarefa do dia. Nem sequer me lembro de ter ficado particularmente nervoso.“

O tucano não revela com quem estava no carro, muito menos para qual grupo foi levada a singela “carga de metralhadoras”. Em seguida, FHC ainda diz que se oporia a participar de “assalto a banco ou algo violento”, mas é nítida a romantização de um acontecimento gravíssimo. Mesmo sem participar de “assalto” ou “algo violento“, o ex-presidente pode ter contribuído para o terror e a morte de brasileiros. As guerrilhas de esquerda no Brasil fizeram centenas de vítimas, quantas pessoas podem ter sido mortas com a “pequena carga de metralhadores” que FHC ajudou a transportar?

Essas respostas, evidentemente, não interessam a nenhuma Comissão da Verdade.

Há outro trecho no mesmo livro que mostra a preocupação de FHC em tratar fatos graves como rompantes juvenis.CONTINUA...

Anônimo disse...



ReaçaBlog continua III E TERMINA

Diz o ex-presidente, na página 92 (grifos nossos):

“Um amigo meu, Paulo Alves Pinto, era parente do poderoso general Osvino, que apoiava Jango. Num surto de idealismo juvenil, Paulo, Leôncio Martins Rodrigues, Bento Prato e eu, certa noite, lançamos mãos de revólveres e, já tarde, entramos num carro, rumamos para o aeroporto do Campo de Marte e… quem poderia dizer o que tínhamos em mente? Pensávamos juntar-nos às forças resistentes gaúchas… Pura maluquice. Eu podia ser filho de um general, mas mal sabia disparar um revólver. Tenho para mim que nos deixamos arrebatar pelo momento, horrorizados com o que poderia significar uma ditadura. Naquela noite, fomos forçados a dar meia-volta por uma barreira militar. Poderíamos ter tido pior sorte. E assim terminava, sem incidentes, minha imprudente incursão pela resistência armada – a única tentativa que jamais faria nessa direção.”

Na orelha do mesmo livro, há uma expectativa do ex-presidente quanto ao seu papel na história brasileira:

“Sinto que meu verdadeiro lugar na história só será conhecido daqui a 50 anos. Quando chegar esse momento, se as pessoas puderem lembrar-se de Fernando Henrique Cardoso como o primeiro de uma moderna era de presidentes brasileiros que contribuíram para o país realizasse seu sonho de prosperidade, será o legado mais positivo que posso imaginar.”

Mas por mais que tentem repetidamente reescrever a história, o legado de FHC será o de um político que em todas as ocasiões chaves da política brasileira recente deu sustentação ao “projeto criminoso de poder” da ORCRIM mais perigosa que já passou por nossa República, atuando como articulador e voz da falsa oposição que caracterizou o PSDB em todos os anos de PT no poder.

Esse é FHC.

Não perca nossas publicações e siga nossos canais no Twitter, Telegram e Facebook.

Ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, Prisoner of PT·
·

Anônimo disse...

http://reaconaria.org/blog/reacablog/video-magno-malta-diz-que-fhc-e-voz-de-soros-e-elogia-bolsonaro/
VÍDEO: Magno Malta diz que FHC é voz de Soros e elogia Bolsonaro
https://youtu.be/NPa5I8LOUkA

Anônimo disse...

VÍDEO: General Heleno manda a real sobre a Intervenção Federal no Rio de Janeiro
Publicado em 19 de Fevereiro de 2018 por Editor em ReaçaBlog com 2 Comentários
As declarações do general Augusto Heleno, que comandou as tropas da ONU no Haiti, foram dadas no programa Painel da GloboNews:
https://youtu.be/I4XvQfVTTcc

http://reaconaria.org/blog/reacablog/video-general-heleno-manda-a-real-sobre-a-intervencao-federal-no-rio-de-janeiro/

Anônimo disse...

Governo Temer patrocina terror publicitário nas 3 maiores revistas semanais do país
Publicado em 18 de Fevereiro de 2018 por Editor em ReaçaBlog com 6 Comentários
O governo de Michel Temer segue sua sina de ser uma continuidade dos governos petistas, apenas invertendo o pólo das safadezas e imoralidades em alguns pontos.
O PT sempre teve seus paus-mandados na imprensa, alguns compensados pela assistência com patrocínios do governo e de estatais. Temer faz o mesmo. O PT tinha exército de perfis em redes sociais, além de pagar “influenciadores” para elogiar o governo. Tudo indica que Temer tem o mesmo (procurem os “micheleiros” do Twitter).
Já para defender a sua proposta de Reforma da Previdência, foi-se além. Com anúncios gigantescos, criando “falsas-capas” das revistas semanais, o governo diz que sem apoiarmos a proposta de Temer as crianças de hoje jamais se aposentarão. A revista VEJA, a ISTO É e a ÉPOCA, todas cada dia com maior descrédito e em dificuldades financeiras, aceitaram o anúncio mesmo com todo o desgaste óbvio. A revista Carta Capital, ligada ao PT, não trouxe o anúncio.
Em vez de deixar de anunciar para dar exemplo de zêlo com o dinheiro público numa época de dificuldades, o governo brasileiro resolve patrocinar todas as grandes revistas que são favoráveis à medida. O governo do PT jorrava dinheiro para as revistas que lhe eram serviçais, como a CARTA CAPITAL, e por isso diminuiu anúncios na VEJA, ÉPOCA e, nos últimos anos, ISTOÉ. Temer inverte o movimento do dinheiro, mas não interrompe o fluxo.
http://reaconaria.org/blog/reacablog/governo-temer-patrocina-acao-publicitaria-nas-3-maiores-revistas-semanais-do-pais/

ANONIMO DIZ....
DEVERIA CORTAR AS INIMPUTABILIDADES, OS TRINTA MINISTERIOS BOCA LIVRE. AS VAGABUNDAGENS DA CINCO MERDIAS DE MERDA. POR QUE NAO CORTA TAMBEM OS PALACIOS E EMPREGADOS QUE TEM PARA MORAR E A FARRA DE DISTRIBUIR DINHEIRO PARA SE MANTER NA PSEUDO PRESIDENCIA ONDE E UM ZERO.

Anônimo disse...


ReaçaBlog
Reaçonaria
Brasileiro paga sala VIP em aeroporto para ministros do STJ e STF
Publicado em 10 de Fevereiro de 2018 por Editor em ReaçaBlog
De acordo com a ISTOÉ, o brasileiro pagou R$ 1 milhão ao Aeroporto de Brasília para que nossos distintos ministros do STF e do STJ não se misturem com as pessoas comum.
O mimo, de R$ 120 reais por pessoa, é para a utilização de uma sala VIP que os separa do contato da população que sustenta a mamata das excelências.
Leia também:
Prédio do TSE foi construído pela OAS, custou R$ 327 milhões e replica sede do Partido Comunista Francês
A Justiça Eleitoral vale os R$ 7 bilhões que gastamos com ela?
Os salários maravilhosos do funcionalismo no STF
10 dias após mostrarmos a farra de salários do STF, Cármen Lúcia aumenta transparência

Anônimo disse...

ReaçaBlog
Populista, Temer criará mais um ministério

Publicado em 13 de Fevereiro de 2018 por Editor em ReaçaBlog

De acordo com o G1, o presidente Michel Temer (MDB) não desistiu da criação do Ministério da Segurança Pública e o anúncio deve ficar para depois do carnaval.

Como o Brasil já possui uma Secretaria Nacional de Segurança Pública vinculada ao Ministério da Justiça, a medida é o bom e velho populismo, aumento da burocracia estatal, além da criação de mais um gabinete com foro privilegiado. A SENASP não tinha capacidade de formular políticas públicas de segurança? O Ministério da Justiça não tem capacidade de implementá-las?

Essa é mais uma bomba de gastos em ano eleitoral que o brasileiro terá que pagar.
“A criação de uma pasta da Segurança Pública foi proposta pelo ministro da Justiça, Torquato Jardim, e vem sendo debatida desde novembro de 2017. Além de Torquato e Temer, participam das discussões os ministros Raul Jungmann (Defesa) e Sergio Etchegoyen (Gabinete de Segurança Institucional).

Na semana passada, Temer bateu o martelo em razão do agravamento da crise de segurança. O texto da MP, inclusive, já está pronto e o governo avalia nomes para a função.

Pela proposta, Polícia Federal (PF), Polícia Rodoviária Federal (PRF), Departamento Penitenciário Nacional (Depen) e Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp) saem da alçada do Ministério da Justiça e ficarão subordinados ao novo ministério. A pasta contará com a estrutura já existente no Ministério da Justiça.CONTINUA...

Anônimo disse...



ReaçaBlog
Populista, Temer criará mais um ministério CONTINUA II E TERMINA

Já o Ministério da Justiça, apurou a TV Globo, seguirá desenvolvendo políticas preventivas de combate às drogas e programas de recuperação de ativos no exterior, de política de estrangeiros e refugiados, defesa do consumidor e antitruste e políticas antipirataria.”

O presidente Temer vulgariza o combate à criminalidade.

Leia também:

Mais de 130 mil apadrinhados sem concurso, os 28 ministérios consomem R$ 214 bilhões só em salários

STF também tem farra das passagens aéreas

Brasileiro paga sala VIP em aeroporto para ministros do STJ e STF
ANONOMO DIZ...
QUANTO CUSTA AO PAIS MANTER ESTE VIGARISTA OPORTUNISTA TRASTE NO PODER. MANTENEDOR DA BURROCRACIA E VAGABUNDAGEM BRASILEIRA A PESO DE OURO PARA FINGIR QUE TRABALHAM.CORTAR PRIVILEGIOS NAO. QUANTAS MORADIAS TEM ESTE FINORIO E QUANTOS ASPONES PARA SE MANTER NO PODER. A REALEZA DELE CUSTA LAGRIMAS E SUFOCO DO POVO BRASILEIRO. E ESTAFETA DA MALDIÇAO DAS MUMIAS PSDB, PT E AS CELULAS CANCEROSAS DOS CINQUENTA PARTIDINHOS MEIA BOCA DO TOMA LA DA CA.NUNCA SENTAREMOS A MESA COM O PRIMEIRO MUNDO SEREMOS SEMPRE OS TRAMBIQUEIROS DO MERDA SUL E ASSOCIADOS.

Anônimo disse...

BLOG DO ORLANDO TAMBOSI
Liberal e anti-ideológico, combatendo o lulopetismo desde 2005.
sábado, 3 de março de 2018
Eleitores e bananas
Durante um mês, veremos a democracia representativa ser enxovalhada à luz do dia, sem qualquer pudor, com os eleitores tratados como bananas. Editorial do Estadão:
O deputado cassado Eduardo Cunha está preso desde outubro de 2016, cumprindo pena por corrupção, mas seu “legado” como presidente da Câmara ainda se faz sentir. Foi ele o principal artífice da minirreforma política que permitirá aos atuais deputados federais trocarem de partido no período entre 7 de março e 7 de abril, sem nenhum tipo de punição.
Pode-se dizer que a tal emenda constitucional foi feita à imagem e semelhança de seu articulador. Aprovada em fevereiro de 2016, a medida permite que políticos eleitos pelo sistema proporcional possam mudar de partido no último ano de mandato, dentro de um período estipulado de 30 dias. Ou seja, abriu-se uma janela de oportunidade para que esses políticos possam perseguir de maneira explícita seus interesses pessoais, sem qualquer consideração pelo eleitor que o elegeu seu representante.
A troca de partido é feita de acordo com estratégias eleitoreiras. O parlamentar terá a chance de se juntar àquelas legendas que lhe ofereçam melhores condições de conquistar um novo mandato. Não há nada nessa negociação que se aproxime, nem remotamente, de alguma afinidade ideológica ou programática. Tudo o que importa – tanto para o político que está em busca de dinheiro e viabilidade eleitoral como para o partido que pretende engordar sua bancada prometendo a políticos de outros partidos um bom palanque e razoável financiamento – é melhorar as chances de vitória nas urnas. Essa vitória garante, para os partidos, as desejadas fatias do Fundo Partidário e do novo Fundo Eleitoral, dinheiro que alimentará essa engrenagem eleitoreira, criando uma espécie de moto-contínuo. CONTINUA...

Anônimo disse...


BLOG DO ORLANDO TAMBOSI CONTINUA II E TERMINA
Tudo isso abastarda a representação parlamentar e partidária. Em nenhum momento desse arranjo se leva em conta o eleitor ou as instituições democráticas. A emenda aprovada sob a batuta de Eduardo Cunha cria um monstro constitucional. Conforme a Constituição (artigo 14, parágrafo 3.º, inciso V), uma das condições de elegibilidade é “filiação partidária”. Logo, quando um eleitor escolhe um candidato em eleição proporcional, está votando antes de mais nada em sua legenda, sem a qual o político nem poderia se candidatar. Foi isso o que entenderam tanto o Tribunal Superior Eleitoral como o Supremo Tribunal Federal em diversas decisões a respeito do tema desde 2008.
Segundo essas decisões, o político só poderia reivindicar o mandato ao mudar de partido se invocasse uma das seguintes causas, consideradas justas: a incorporação ou fusão de partidos, a criação de novo partido, a mudança substancial ou desvio reiterado do programa partidário e grave discriminação pessoal. Mas, com a emenda constitucional legada por Eduardo Cunha e seus sequazes, feita sob medida para quem não nutre senão uma relação utilitária com a democracia, tudo ficou mais simples para os políticos “infiéis”.
Assim, a partir da segunda semana de março, o País assistirá estupefato e impotente ao pornográfico “troca-troca partidário”. Durante um mês, veremos a democracia representativa ser enxovalhada à luz do dia, sem qualquer pudor. Conforme constatou reportagem do Estado, há até uma tabela de valores prometidos pelos partidos a parlamentares que se dispuserem a integrar seus quadros e, assim, aumentar sua participação nos fundos públicos destinados à atividade partidária, cujo porcentual é proporcional ao tamanho da bancada.
O MDB, por exemplo, promete repassar a cada deputado R$ 1,5 milhão para a campanha. Os senadores em busca de reeleição terão R$ 2 milhões. Legendas como PP, PR e PTB, segundo se diz, topam dar R$ 2,5 milhões para os deputados que vestirem suas camisas.
Com o veto às doações empresariais, tornou-se explícita a incapacidade da maioria dos atuais partidos de convencer seus eleitores a financiar suas campanhas, sobretudo porque grande parte dessas legendas não representa senão os interesses de seus donos. Na falta de criatividade e de compromisso cidadão, resta transformar o Congresso em feira livre, em que eleitores são tratados como bananas.

Anônimo disse...

Ledo engano. A turma aqui de baixo sabe muito bem em quem não votar.
Todo mundo já sabe que eleições no Brasil não passa de um fla-flu, de um jogo armado, senão qualquer um poderia se candidatar.

Loumari disse...

LEVÍTICO 19:2 Fala a toda congregação dos filhos de Israel, e dize-lhes: Santos sereis, porque EU, O SENHOR, VOSSO DEUS, SOU SANTO.


ECLESIASTES 12 LEMBRA-TE DO TEU CRIADOR, nos dias da tua mocidade, antes que venham OS MAUS DIAS, e cheguem os anos, dos quais venhas a dizer: Não tenho neles contentamento:


Orai sem cessar.
Em tudo dai graças, porque esta é a vontade de Deus, em CRISTO JESUS, para convosco.
Não extingais o Espírito.
Não desprezeis as profecias;
Examinai tudo. Retende o bem;
Abstende-vos de toda a aparência do mal.
E o mesmo DEUS DE PAZ vos santifique em tudo; e todo o vosso espírito, e alma, e corpo, sejam plenamente conservados irrepreensíveis, para a vinda do nosso Senhor Jesus Cristo.
Fiel é o que vos chama, o qual também o fará.
(1 TESSALONICENSES 5:17)


Porque o mesmo Senhor descerá do céu, com alarido, e com voz de arcanjo, e com a voz de trombeta de Deus, e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro.
Depois nós, os que ficamos vivos, seremos arrebatados juntamente com eles, nas nuvens, a encontar o Senhor nos ares, e assim estaremos sempre com o Senhor.
Portanto, consolai-vos uns aos outros com estas palavras.
(1 TESSALONICENSES 4:16)


Confortai as mãos fracas, e fortalecei os joelhos trementes.
Dizei aos tribulados de coração: Esforçai-vos, não temais; eis que o vosso Deus virá com vingança, com recompensa de Deus; ELE VIRÁ, E VOS SALVARÁ.
Então os olhos dos cegos serão abertos, e os ouvidos dos surdos se abrirão.
Então os coxos saltarão como cervos, e a língua dos mudos cantará: porque águas arrebentarão do deserto e ribeiros no ermo.
E a terra seca se transformará em tanques, e a terra sedenta, em mananciais de águas; e nas habitações em que jaziam os chacais, haverá erva com canas e juncos.
E ali haverá um alto caminho, um caminho que se chamará o caminho santo; o imundo não passará por ele, mas será para aqueles: os caminhantes, até mesmo os loucos, não errarão.
Ali não haverá leão, nem animal feroz subirá a ele, nem se achará nele; mas os remidos andarão por ele.
E os resgatados do Senhor voltarão, e virão a Sião com júbilo: gozo e Alegria alcançarão, e deles fugirá a tristeza e o gemido.
(ISAÍAS 35:3,10)