domingo, 18 de março de 2018

Descrédito Nacional


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Henrique Abrão e Laércio Laurelli

Recentes estatísticas indicam que quase 50% dos brasileiros não bota fé na política ou nas eleições que se avizinham, um preço elevado para o destino da democracia brasileira. Significa dizer que teremos um festiva de votos brancos,nulos e abstenções. Ao que tudo indica o sistema caminha errático e na contramão da história.

Nunca deveriam existir tantos candidatos ao cargo de presidente da república. Em países desenvolvidos os candidatos se agrupam em dois ou três no máximo para o debate franco, aberto e livre. Esse modelo desastroso coloca o eleitor em dúvida e constitui a principal dificuldade da representatividade.

Não falamos de esquerda, direita, ou centro, na França de tantas inquietações, o jovem candidato se empenhou em revisitar o ambiente político e buscar alianças centrado na força que persegue ideais fortes nacionais.

Temos uma visitação forte de estrangeiros que somente aumentam o contingente do desemprego,além da forte marginalidade. Somos um Brasil de muitas leis e paradoxalmente sem lei. Os crimes organizados mandam no Estado e ao lado disso as classes políticas totalmente desacreditadas não empunham qualquer bandeira de revigoramento da economia, do desenvolvimento e crescimento.

Radicalizar nunca, acreditar sempre, mas mudar o modelo político e o vazio das urnas,ainda que eletrônicas, mas a permanecer essa guerra da mídia e de notícias falsas não chegaremos a lugar algum. O Brasil precisa dar um salto de qualidade e com isso juntar-se às economias desenvolvidas, sair das commodities e dar importância à tecnologia de ponta,criando empresas, startups, e grandes fundos que invistam no potencial do jovem brasileiro,tirando-o do desemprego,com bolsas e patrocínios no exterior.

A caminhada não tem sido pavimentada,já que a insegurança é grande e as circunstâncias de infraestrutura carentes, de tal modo que não colhemos boas exportações e as importações sofrem alta tributação. Quando precisamos de um livro,uma revista e  um trabalho internacional, além da burocracia pagamos um preço custoso para trazer ciência e saber para o território local o que é inaceitável.

O correio no exercício do seu monopólio foi quebrado, com débito de 2 bilhões, as estatais esmagadas por má administração e os fundos de pensão das estatais literalmente afundados pela sanha insaciável dos ladravazes que nos governaram tempos atrás. Como superar o impasse e confiar nos poíticos, se o sistema está emperrado e a representatividade é um zero a esquerda.

O desanimo somado ao descrédito já retirou do Brasil nos últimos 5 anos 500 mil brasileiros e se a linha de produção continuar teremos logo mais um milhão de brasileiros no exterior para tentar ter uma vida digna e condições essenciais de trabalho, segurança,saúde e transporte. O governo não faz  a lição de casa ,causa retrocesso e não implementa medidas economicas salutares.

Nada evolui em termos de reforma tributária ou simplificação da burocracia para a finalidade do empreendedorismo. Não demorará muito e seremos abandonados pelos estrangeiros em todos os sentidos, não mais farão turismo aqui e nenhum investimento acontecerá diante da instabilidade marcante.

Se a democracia é imprescindível também o é a reforma política e partidária,não temos um modelo confiável. E a quantidade de candidatos não oferece um horizonte de qualidade, donde nossos sentimentos de consciência sobre o futuro e as alianças que serão constituídas para um novo roteiro neste Brasil que jamais ousou ser grande e destruir a imagem jabuticaba do jeitinho e do mecanismo maior
de retrocesso que nos campeia há séculos.

Carlos Henrique Abrão (ativa) e Laercio Laurelli (aposentado) são Desembargadores do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo.

Um comentário:

Anônimo disse...

A POLITICA NÃO FUNCIONA E O JUDICIARIO MUITO MENOS... A OPERAÇÃO TARTARUGA JÁ DURA 3 DÉGADAS E O CNJ TAMBÉM NÃO FUNCIONA... TRANSFORMADO EM MAFIA O QUE ROLA NO JUDICIARIO SÃO CRIMES,SABOTAGENS,INCOMPETENCIA,PREVARICAÇÃO,CORRUPÇÃO E CAMBALACHOS QUE ATÉ DEUS DUVIDA... JUIZES E PROMOTORES DEVERIAM RECEBER POR PRODUÇÃO,SE NÃO TRABALHAREM DEVERIAM PERDER A TOGA, POIS A VERGONHA JÁ PERFERAM...