domingo, 11 de março de 2018

“É inconstitucional investigar juiz”? Jura?



Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net

O Judiciário – ou Judasciário – brasileiro é questionado internacionalmente. O jornal francês Lê Monde produziu uma bela ilustração para retratar uma horrível situação: o tribunal de exceção brasileiro. Deveria ser chocante a imagem de um homem de toga (lembra o GM?) pronto para acionar o mecanismo de enforcamento da mulher que simboliza a Justiça. Ele só aguarda a ordem tirana de outro magistrado. O ato é testemunhado por cidadãos vestindo a camisa da seleção brasileira. Um Presidente vestido carnavalescamente sorri. Ao fundo da imagem, o “Pato” de tróia...


A imagem francesa não é tão chocante quanto o conteúdo do vídeo de dois minutos produzido pelo grupo Migalhas, para divulgar a XVI Conferência da Advocacia Mineira, em Juiz de Fora. Indagada sobre o futuro da Lava Jato, a ex-Corregedora Nacional de Justiça, ministra aposentada Eliana Calmon, escancara como funciona a impunidade para favorecer os próprios integrantes do Poder Judiciário. Eliana Calmon foi objetiva e sincera:

“Ela é efetiva...  Acho que não vai chegar ao poder Judiciário. Eu já estive conversando com os integrantes da Força Tarefa. O que eles dizem: os próprios advogados dos colaboradores não querem que os seus clientes falem sobre os juízes. Por que? Os advogados se inutilizam e os juízes ficam.... Nunca mais perdoam... E existe o espírito de corpo.... Então o advogado não quer que haja denúncia... Sem a denúncia fica difícil punir juiz”.

Eliana Calmon prossegue: “Eu era magistrada de carreira, eu era ministra do STF, eu sofri horrores. Para fazer uma investigação financeira de desembargador, quase fui crucificada. Eu fazia inspeção: Cadê imposto de renda? Ah aqui a gente não entrega, não. Mas tem que entregar... Eu dava 48 horas... O auditor da Receita que acompanhava a inspeção, em um instante... Patrimônio a descoberto... O que ganha não dá para ter este patrimônio. Dez dias para explicar...”.

Segundo Calmon, as respostas eram: “Casou com mulher rica... Tirou na loteria... E não explicavam... O que não se explica no patrimônio vem daonde? Caiu do céu? Vamos investigar... Sabe o que meus colegas do CNJ diziam? É inconstitucional investigar juiz...”. Ou seja, quando é conveniente, os magistrados podem ser mais iguais que os outros... A burocracia corporativa do judiciário mais parece o samba do magistrado louco...

Loucura mesmo é o tal do rigor seletivo – praticado pelo Ministério Público ou pelo Poder Judiciário. Sobram exemplos recentíssimos. A suprema magistrada Rosa Weber alegou prescrição e mandou arquivar o processo em que o tucano José Serra era acusado de receber dinheiro de caixa dois nas eleições presidenciais de 2010. Após quase 14 anos de tramitação no STF, o ministro Marco Aurélio também usou a prescrição para arquivar denúncias sobre desvios de verba em Roraima pelo senador emedebista Romero Jucá.

Outras supremas decisões já tinham salvo os poderosos Renan e Sarney... Brevemente, as apostas indicam que os próximos a serem poupados serão Aécio Neves e o grande líder Luiz Inácio Lula da Silva... O “mercado jurídico” já descobriu qual é a malandragem para garantir a salvação de clientes complicadíssimos: postergar o processo ao máximo, com infindáveis recursos, para atingir a prescrição dos crimes. Logicamente, isto só funciona para os amigos do “Sistema”. Os inimigos tomam pau na hora. Pretos e pobres também se danam rapidinho, puxando logo cadeia...

Enquanto a impunidade é garantida aos políticos e empresários amigos, os outros produtores e empreendedores brasileiros entram pelo cano, caso esta seja a vontade das “Gestapos” de plantão em nosso regime Capimunista Rentista. A máquina de repressão econômica arrebenta empresários para arrancar dinheiro... A grana “roubada” acaba desviada pelo sistema de corrupção e serve para sustentar a caríssima estrutura burocrática estatal. Veja o caso do Amauri Ribeiro...



Até quando vamos aceitar pagar essa conta bilionária, sem reagir? A paciência da maioria dos brasileiros está se esgotando. Os falsos vôos da galinha econômica podem não ser suficientes para aplacar a ira dos sem-grana que ainda são assaltados (a imposto armado) pelos ladrões do poder público.

   

Releia o artigo de sábado: Lava Jato, quando chegarás aos bancos?









*FAÇA SUA INSCRIÇÃO!* - http://AvancaBrasil.vpeventos.com

ARAUTOS DA MAFIONARIA


Leia o artigo de José de Abreu: Carta Aberta (a la Temer) sobre Livro Censurado


Vida que segue... Ave atque Vale! Fiquem com Deus. Nekan Adonai!

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Independente, analítico e provocador de novos valores humanos, pela análise política e estratégica, com conhecimento criativo, informação fidedigna e verdade objetiva. Jorge Serrão é Jornalista, Radialista, Publicitário e Professor. Editor-chefe do blog Alerta Total: www.alertatotal.net. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos. 
A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 11 de Março de 2018.

2 comentários:

Braga disse...

Parabéns pelo excelente serviço prestado a Sociedade Brasileira.

Anônimo disse...

Achei "isso" em uma pesquisa na "net" ...

Notas Políticas Do Jornalista Jorge Serrão
Deveria ser chocante a imagem de um homem de toga (lembra o GM?) pronto para acionar o mecanismo de enforcamento da mulher que simboliza a Justiça. Ele só aguarda a ordem tirana de outro magistrado. O ato é testemunhado por cidadãos vestindo a camisa da seleção brasileira.

Fonte:
https://lorotaspoliticaseverdades.blogspot.com/2018/03/notas-politicas-do-jornalista-jorge_11.html