sexta-feira, 9 de março de 2018

Não perca o seu Latim



“País Canalha é o que não paga precatórios”

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Maurício Mantiqueira                  

Uma pessoa brilhante aconselhou-me a mudar de linha editorial, uma vez que, em sua opinião, os leitores não estariam interessados em conteúdo político; a pauta é o dedinho do Neymar.

Por humano, muitas vezes cometi erros de avaliação. No entanto, considero meus amáveis leitores, uma elite da elite intelectual.

Continuarei procurando analisar a conjuntura nacional com um máximo de humor e um mínimo de irreverência.

Os implantadores da Nova Ordem Mundial e seus agentes internos (traidores da Pátria) estão desesperados. Apostam nas eleições como sendo sua última tábua de salvação.

Até nesse cenário estão em desvantagem. O eleitorado (gado) do voto obrigatório, pensa como um apostador em corrida de cavalos; escolhe o que vai “ganhar” e não o melhor o seu preferido.

Acontece que, no momento, o único pré-candidato que empolga, é um defensor dos valores tradicionais de nosso povo, ordeiro e trabalhador.

A canalha está com dificuldade em escolher um opositor sem passado criminal e que consiga polarizar a disputa.

Se a Onça, em seus altos desígnios, permitir que haja eleição, é porque está disposta a vigiar a lisura da votação e da totalização dos resultados.

Desta vez os “deuses” e “semi-deuses” da capa preta (por medo e não por virtude) não ousarão viabilizar uma fraude.

Em 1793, Napoleão Bonaparte, então capitão de artilharia, evidenciou as suas qualidades militares no cerco de Toulon.Há quem diga ter sido indicado para dominar a rebelião na Vendéia, mas recusou o encargo, dizendo que não atiraria contra franceses.

Talvez assim esteja a Onça; fuzilará apenas os chefes supremos do tráfico. Desarticulados, os diabretes entrarão em declínio.

Carlos Maurício Mantiqueira é um livre pensador.

2 comentários:

Loumari disse...

Mensaje del Papa Francisco para la Cuaresma 2018

https://www.youtube.com/watch?v=65GPvbgbcAw


«Al crecer la maldad, se enfriará el amor en la mayoría» (Mt 24,12)

Queridos hermanos y hermanas:

Una vez más nos sale al encuentro la Pascua del Señor. Para prepararnos a recibirla, la Providencia de Dios nos ofrece cada año la Cuaresma, «signo sacramental de nuestra conversión»[1], que anuncia y realiza la posibilidad de volver al Señor con todo el corazón y con toda la vida.

Como todos los años, con este mensaje deseo ayudar a toda la Iglesia a vivir con gozo y con verdad este tiempo de gracia; y lo hago inspirándome en una expresión de Jesús en el Evangelio de Mateo: «Al crecer la maldad, se enfriará el amor en la mayoría» (24,12)...

Sueli Ambrosio disse...

Ótimo que não tenha mudado sua linha editorial. O meu artigo preferido nesse Blogger é o seu. O máximo! Adoro a sua maneira de escrever e a forma como contextualiza os fatos políticos. Dona Onça, para mim, é o ápice. Que bom que não tenha falado do "dedinho do Neymar". Nosso menino de Ouro é um dos únicos personagens/personalidades brasileiras que levam o nome do Brasil para o mundo de forma limpa e gloriosa. Obrigada!