quinta-feira, 15 de março de 2018

Semáforo, Sinal, Farol, Sinaleira



“País Canalha é o que não paga precatórios”

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Maurício Mantiqueira                  

A instalação do primeiro semáforo em São Paulo em 1935, criou uma comoção nas “zelites”.

Circunspectos senhores indignaram-se por ter que “obedecer” a uma coisa inanimada.

“É uma tentativa de cercear nossa liberdade individual!“

A necessidade obriga. Com o crescimento vertiginoso do número de veículos e a precariedade de nossas ruas e avenidas, para evitar (ou apenas diminuir) o número de acidentes, as pessoas passaram a respeitar a máquina.

Um gênio que conheci no passado disse-me que o grande motivo que levou a sua aceitação foi a “igualdade”. O mecanismo dá luz verde ou vermelha de maneira uniforme e impessoal.

Quando um sinal deixa de funcionar (por pane, destruição ou falta de energia elétrica) muitas vezes é enviado ao cruzamento um agente de trânsito. Recém investido do “poder estatal”, logo é tentado a dele abusar.

Os motoristas de um lado buzinaram por achar que a repartição do tempo estava desigual.

“Ah é!” “Estão reclamando? Agora vocês vão ver!”

O caos está estabelecido.

Hoje em dia, o nível de indignação popular contra o desgoverno corrupto é de tal ordem, que haverá agressões aos guardinhas e, mais tarde, aos urubus de capa preta.

Não se fatia a Constituição impunemente.

A Onça é parda, mas não falha.

Carlos Maurício Mantiqueira é um livre pensador.

3 comentários:

Loumari disse...

MENSAGEM. 12-03-2018 SANTÍSSIMA VIRGEM MARIA E SÃO RAFAEL ARCANJO OLIVETO CITRA (SA) ITÁLIA

https://www.youtube.com/watch?v=lxDFVgDrTWU

Pedro Rodrigues disse...

E inventaram mais uma taxa!

Anônimo disse...

PRÓXIMOOO !!!