quarta-feira, 4 de abril de 2018

NARCO-GOVERNO


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Antônio José Ribas Paiva

Todas as revoluções financiam-se com atividades criminosas que, eufemísticamente, denominam “apropriação de meios”.

Os Comunistas brasileiros, a partir de 1967, roubaram bancos e massacraram inocentes, até que foram derrotados e expulsos do Brasil.

A anistia repatriou os criminosos, que integraram a política e passaram a aparelhar o Estado aos seus interesses, roubando dinheiro público e massacrando os cidadãos, direta e indiretamente .

Com a queda do muro de Berlim e o fim do comunismo na Europa , a comunalha objetivou criar a URSAL, apoiada por organismos internacionais controlados por Londres.

Já contavam com vários focos de narcoguerrilheiros nas Américas, que os apoiaram  com meios e capitais para o projeto.

Em 1990, todas  as organizações guerrilheiras das Américas reuniram-se em São Paulo, no Hotel Danúbio, e fundaram o FORO de SÃO PAULO, organismo terrorista, que centralizou as ações voltadas para a criação da UNIÃO DAS REPÚBLICAS SOCIALISTAS DA AMÉRICA LATINA-URSAL.

Apoiados pelo narcoterrorismo e por organismos internacionais, os comunistas do FORO DE SÃO PAULO, elegeram quase todos os presidentes da América Latina, que passaram a financiar a narcoguerrilha com dinheiro público.

No BRASIL, a Nova República intensificou o financiamento do Narcotráfico, que foi fortalecido com dinheiro público, com a eleição do PT.
     
financiador do Narcotráfico, em detrimento dos brasileiros, que amargam o desemprego, a miséria e, em consequência disso, 10 milhões de compatriotas  foram assassinados até agora.

Usando o dinheiro público, a classe política criminosa promoveu intensa e permanente campanha de desmoralização das Forças Armadas, que ficaram acuadas nos quartéis, enquanto o narcotráfico prosperava e assumia o poder no BRASIL.
   
Inadvertidamente, os comandantes militares limitaram -se a treinar as tropas para a guerra convencional, enquanto o país era devastado por guerras de quinta geração e pelos NARCOGOVERNOS, que controlam, absolutamente, o processo político -partidário e a alta administração pública, nos Três Podetes e níveis , fraudando os eleitores.


Por tudo isso, não podemos aceitar eleições fraudadas pelo crime, sob pena de perdermos a soberania, porque o mundo precisa de um Brasil estável politicamente, cujo consequente desenvolvimento econômico, alavanque o progresso dos povos.

Senhores generais, o nosso Brasil continente não pode continuar governado pelo Narcotráfico, portanto, as FORÇAS PATRIÓTICAS, civis e militares, devem INTERVIR CONSTITUCIONSLMENTE, imediatamente, para limpar o Estado e restabelecer as instituições, e libertar o povo brasileiro da DITADURA DO NARCOTRÁFICO.

BRASIL!ACIMA DE TUDO!

Antônio José Ribas Paiva, Jurista, é Presidente do Nacional Club.

2 comentários:

Anônimo disse...

Apoiado!

Anônimo disse...

Capitão Durval Ferreira diz que, se a possibilidade de fraude nas eleições fosse na magnitude que se apregoa, os militares não se candidatariam. Por isso a esquerda está em busca de votos verdadeiros (acrescento: sugerindo voto nulo ou abstenção aos que "não gostam de política").