sexta-feira, 6 de abril de 2018

O Bordão


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Paulo Roberto Gotaç

O bordão popular  “da cabeça de juiz, da barriga de grávida ou da bunda de neném, ninguém pode antecipar o que virá", se desatualizou em relação ao sexo antecipado dos bebês, após o advento das precisas técnicas de ultrassonografia do ventre materno. 

O que emergirá dos pequenos intestinos exibe também alto grau de previsibilidade, determinado pela qualidade do leite ofertado. 
Continuará válido, quando se trata da cabeça dos togados que compõem a suprema Corte? 

Para serem nomeados, não precisam de aprovação em concurso público, não atendem exigências relativas a currículos acadêmicos ou comprovantes de experiência jurídica e nem mesmo necessitam do juizado, bastando, para ascenderem ao mais alto cargo da magistratura, a indicação do presidente e a confirmação de natureza exclusivamente política na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado. 

É lícito então afirmar que suas soluções serão perfeitamente previsíveis e afinadas com os interesses e ideias de quem os nomeou, atitude inconsistente com a prática da justiça isenta e imparcial. 

Paulo Roberto Gotaç Capitão de mar e guerra reformado.

Nenhum comentário: