terça-feira, 10 de abril de 2018

O Sono dos Justos



Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por H. James Kutscka

Na última quinta-feira, depois de uma quase intoxicação auditiva, provocada pela verborragia de metade dos ministros do supremo, tentando justificar o injustificável, despertei tranquilo e recuperado como a muito   tempo não me sentia.

Ainda naquela região limítrofe entre os domínios de Morpheus e a realidade, comecei a tentar entender o porquê de tal sentimento de paz.
Aqui estendo  aos meus leitores  a conclusão a que cheguei: Com o voto de  Ministra  Carmem Lúcia, - na noite anterior - sem dúvidas  resultado de uma  cuidadosa  introspecção  sobre  o texto de um Twiter,  postado pelo General  Villas Boas,  saíra  das  minhas costas, (assim  como de milhões   de brasileiros) o peso que carregamos por tantos anos, da impunidade dos tantos canalhas  que  se locupletam na política, que são  estimulados pela  certeza da  impunidade que impera em terras  tupiniquins. Talvez o mais expressivo deles, por sua prepotência e alarmante ignorância, tenha sido o muar de São Bernardo e sua corte de asnos e mulas.

A besta iria por fim para o estábulo em Curitiba.

Estaríamos pagando ainda seu feno, mas pelo menos, não teríamos de ouvir suas bravatas.

Muito mais rápido do que se esperava, agiram as autoridades e na sexta-feira, a ordem de prisão já havia sido emitida pelo juiz Moro: O muar deveria apresentar-se em Curitiba até às 17:00 horas.

Na mesma tarde, tomando um sol à beira da piscina em minha casa de campo, paga com meu próprio suor, enquanto consultava livros pesquisando para a próxima obra que estou escrevendo, parei um pouco para observar o céu azul com algumas nuvens, as arvores da mata que me cerca, os pássaros em seu voo, e não pude deixar de pensar o quanto vale a liberdade fruto da honestidade. O todo poderoso ladrão seria agora o que não iria dormir.

Às cinco da tarde, como qualquer pessoa com dois neurônios ativos no cérebro, poderia imaginar, o marginal encastelado na sede do sindicato em São Bernardo, cercado por uma tropa de asnos, resolveu não se entregar a justiça, resistindo assim a uma ordem de prisão.
Essa é a abertura da Ópera buffa do operariado. Cenário: sindicato dos metalúrgicos em São Bernardo do Campo em São Paulo.

Duração da encenação com a participação especial de vários artistas e seus asseclas, indefinida, ou enquanto a plateia criminosa (pois para esse humilde escriba quem defende criminoso também o é) seguir aplaudindo o espetáculo estrelado por líderes sindicais, palhaços políticos, mulas e postes, criados pelo ator principal, assim como suas petulantes crias, que prometem   por fogo no país com ajuda de movimentos terroristas disfarçados de movimentos sociais.

O espetáculo terminou no sábado com uma carreata de SUVs da Polícia Federal pelas marginais com suas luzes piscantes conduzindo o meliante até suas dependências (da PF na Lapa) para de lá, levá-lo de helicóptero até Congonhas.

Consta que lula havia “exigido” ser levado de Jatinho até sua suíte na PF do Paraná.

Ainda sábado, exatamente às 21:30h quando estou finalizando esse artigo, não tenho como saber: Se foi mesmo lula que embarcou no humilde Cessna apertadinho que esperava o helicóptero em uma área  reservada  do aeroporto, se isso não foi uma manobra divergente da PF (pois todas as imagens eram de muito longe e não dava para se ter uma visão clara o suficiente para se identificar as pessoas, ou se foi uma espécie de pequena compensação, pelas tantas ofensas dirigidas pelo muar, principalmente ao Juiz Moro.

A viagem será lenta e nem um pouco confortável.

Um final digno para a triste paródia protagonizada por mais de trinta   anos por um asno, que ungido por outros de sua mesma estirpe, assaltaram esse país, causando milhares de mortes de forma direta ou indireta.

Dois dias atrás, para alguns ministros do STF, bastou perceber o movimento da folhagem para ficarem expertos.

Não podemos esperar do muar de São Bernardo a mesma cautela.

Aproxima-se a hora da onça beber água.

A resistência patética e brutal de seus seguidores, somente faz lhe aumentar a sede.

Alguém ainda tem dúvida da urgência de uma intervenção militar?

Esta noite vai ser a terceira ou quarta em que eu, e milhões de brasileiros honestos vamos dormir muito bem, obrigado. 

O que deixou de ser uma prerrogativa do muar e seus acólitos da mesma ORCRIM.

H. James Kutscka é Escritor e Publicitário.

3 comentários:

Q disse...

A onça está atenta.

Anônimo disse...

Corrigindo a frase:
Essa é a abertura da ópera bufa da "PELEGADA TERRORISTA".

Anônimo disse...

Com a prisão de sua estrela maior, o palestrante Lula, as palestras passam para a segunda figura, Dilma.kkkk. É melhor fechar rápido.