sábado, 26 de maio de 2018

Exército não acredita em ruptura institucional



Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net


A tradução mais singela dessa twittada é que o Alto Comando do Exército, definitivamente, não aceita qualquer hipótese de intervenção militar direta para derrubar o governo. Também está claríssimo que o Exército não acredita em ruptura institucional, mesmo diante de vários exemplos objetivos que comprovam como a ação do Crime rompeu com nossas instituições, inviabilizando a Democracia (sinônimo de segurança jurídica, política, econômica, institucional e individual). Resumindo: as Forças Armadas querem apenas cumprir seu papel de servidores públicos. Na visão solidificada da maioria dos Generais, “#1964nuncamais”.

Os militares vão insistir no discurso de que “as instituições brasileiras funcionam normalmente”. Eis a verdade objetiva que muitos insistem em não aceitar. Nem adianta reclamar que esse comportamento é de quem está vivendo numa zona de conforto. Aparentemente, a maioria dos militares que tem a hegemonia sobre as decisões e ações das Forças Armadas rejeita a tese da “intervenção” para derrubar e assumir o governo. Não importa que sejam chamados de “prisioneiros cognitivos de suas convicções estratégicas”. Apenas uma minoria dos Generais acredita em intervenção, porém prefere optar por uma “solução pela via pacífica eleitoral”.

Do ponto de vista da estratégia política, os militares simplesmente demonstram duas coisas: 1) Ou não têm uma estratégia política eficiente, eficaz e efetiva, baseada na realidade objetiva. 2) Ou a estratégia política dos militares é absolutamente irreal, equivocada e acomodada. Aliás, a maioria dos militares vive uma megacontradição e um superparadoxo: a crença deles é estatista-intervencionista, e este é exatamente o modelo brasileiro que causa todos os nossos problemas. Traduzindo: o Estado que se mete em tudo, interferindo abusivamente na vida do cidadão e do empreendedor, é a tragédia tupiniquim. E tudo fica pior com a ação sistêmica do crime e a corrupção sistêmica.

Os militares encontraram na doutrina da Garantia da Lei e da Ordem a possibilidade de sobrevivência institucional e sustentação financeira para manter a tropa em tempos sem guerra convencional. Cada ação de GLO ou as várias “intervenções” humanitárias em operações de emergência social obrigam o Tesouro Nacional a transferir mais verbas para as Forças Armadas mantidas à míngua por seus verdadeiros inimigos – aqueles que não querem a soberania nacional do Brasil. Assim, as Forças Armadas recebem recursos e ficam “bem na foto e na fita” perante a sociedade.

A verdade dói? Problema de quem quiser sentir a dor dela... Apesar de todos os problemas e inconvenientes gerados, os brasileiros devem agradecer muito ao “Movimento dos Caminhoneiros” – indevidamente chamado de “Greve” pela mídia amestrada e abestada. Notem que no twitter do General Villas-Bôas o militar escreve “greve dos caminhoneiros”, corretamente, entre aspas... A ação livre (mesmo corporativa) dos motoristas e donos de caminhões expuseram o Brasil Real, aquele no qual o Estado-Ladrão manda, e força a obediência de quem tenta sobreviver e produzir.   

Os bloqueios e carreatas dos caminhoneiros, legais ou não, ganharam adesão popular. O movimento animou a massa para outros protestos que acontecerão de agora em diante. O fenômeno fugiu ao controle dos seus ideólogos e radicalizou (ainda mais) o processo político brasileiro. Se isso é bom ou ruim é o tempo que vai dizer... O que mais assustou os donos do poder foi os caminhoneiros pedindo “Intervenção Militar”. Apavorou até a maioria dos militares que não querem saber disso... Por isso, é tão urgente “resolver o problema” dos caminhoneiros... Vai que a maioria esmagadora da população brasileira concorda com eles...

Cuidado com as leituras feitas por analfabetos políticos... Os caminhoneiros hoje são ideólogos mais eficientes e populares que os intelectuais orgânicos que infestam nossos extremos da politicagem...

E para os militares mais conservadores resta agora um consolo. Já que não querem mais dirigir a Nação, pelo menos dá para dirigir o caminhão do rebelde motorista que ocupa estradas... Quem sabe se, de caminhão, as “aproximações sucessivas” chegam mais depressa ao destino...

Os bloqueios em estradas começam a se dissipar, com ou sem a ajuda dos militares... Porém, o movimento dos caminhoneiros, não...


Parou por quê?









Vida que segue... Ave atque Vale! Fiquem com Deus. Nekan Adonai!

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Independente, analítico e provocador de novos valores humanos, pela análise política e estratégica, com conhecimento criativo, informação fidedigna e verdade objetiva. Jorge Serrão é Jornalista, Radialista, Publicitário e Professor. Editor-chefe do blog Alerta Total: www.alertatotal.net. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos. 
A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 26 de Maio de 2018.

5 comentários:

Ecoovila Ecologia Cooperativa Vila Planalto disse...

Prezado Jorge Serrão! O senhor é um dos jornalistas mais bem informados do país, principalmente quando falamos de grande relevãncia da pátria brasileira. Portanto, quando leio o vosso texto, que igualmente é lido por todos os safados esquerdopatas em busca de aguá da fonte, e vejo vossas palavras negativas à intervenção imediata, já posso sentir o cheiro de polvora do ar que virá na noite antes do despertar de um novo dia para o Brasil e os filhos de Deus que aqui são missionários de um NOVO MUNDO.. DEUS O ABENÇOE!

Anônimo disse...

Mas vai chegar a hora que não vai mais ter dinheiro para pagar os soldos. E aí?
O problema é o gasto exagerado do governo para se manter e manter aposentadorias do setor público.
Como resolver isso?

Anônimo disse...

Os militares não tem hoje combustível e nem balas, ou seja, são meros fantoches.

Almanakut Notícias - São Paulo - SP - Brasil disse...

É preciso mudar o rumo do Brasil, para mudar os comandos das Forças Armadas, o STF e a máquina pública!

Esse militares são covardes, do rabo preso e estão causando incertezas na população, em relação ao futuro!

1964 nunca mais, também para quem sobreviveu ao pós-1964!

Agora, retirar essa corja, impedir os sujos de continuarem na vida pública, e convocar novas eleições, é garantir a plena e limpa democracia!

OSVALDO disse...

Referente ao assunto "Exército não acredita em ruptura institucional ", tanto vocês quanto o resto da população brasileira estão totalmente equivocados quanto a toda essa situação em que o País passa.
Muito bem dito quando informado: " que o Alto Comando do Exército, definitivamente, não aceita qualquer hipótese de intervenção militar direta para derrubar o governo."
Esse é o ponto crucial de tudo.
Realmente eles não não fazer nada, ainda mais com a força que eles t~em em não se insubordinarem por causa do que é dito no Art. 142 da comuno socialista constituição de 1988.
Mas o principal de tudo não é tão somente sobre esse artigo. Por detrás de tudo existe uma outra organização criminosa, escondida sob a égide de uma outra associação grandiosa e mundial, ainda está em plena estabilidade e fazendo tudo para que a situação permaneça como está, com o apoio dos militares, de alto comando, principalmente os comandantes das três forças, que também são participes dessa organização, que a bem da lembrança, começou a se formar em 1958, bem antes da intervenção militar de 64. Ali já articulavam, nas costas dos babacas comunistas que queriam tomar conta do País. Viram a oportunidade de se aprimorar, para num futuro talvez próximo, conseguissem o seu intento.
Passaram-se décadas até chegar no Governo do General Figueiredo e as portas foram abertas aos comunas que estavam fora do País.
Era o que eles precisavam. O estopim da bomba ser aceso !
Ajudaram até para a colocação de um Presidente do povo que os poderia ajudar, mas quando viram o erro cometido providenciaram uma doença repentina e o possível gatilho foi-se embora.
Perguntem o porquê de expurgarem esse homem.
Pelo simples fato dele ter atuado nos Governos Militares e entender o pensamento desses, bem como dos civis e agregados aos comunistas, portanto seria um atrapalhativo político para o intento da organização.
Sabemos então quem assumiu ao Governo à época.
O chamado, por mim, " o senhor dos anéis ", visto seu envolvimento com essa organização, a qual acabou por fazer a liderança dela, junto a outros mais antigos ou mais novos, mas com os mesmos ideais.
Aos poucos irão chegando ao meu entendimento. Não se desesperem !
Enfim chegamos na era Lula. A época propícia para fecharem o círculo que ainda estava aberto.
Lula foi o gatilho que precisavam para acabar de entortar o País.
Ele foi o "laranja"; "o bucha"; "o trouxa", o "o que entrou de gaiato no navio !".
Afoito e desatento, aliado à sua idiotice, fez com que seus antigos amigos comunistas se candidatassem e conseguissem uma vaga na barca que ele providenciava.
Tudo conforme planejavam, os membros da verdadeira organização criminosa.
Deixaram que ele e seus amigos fizessem tudo como queriam e até deram ajudas preciosas, com o envolvimento de outras pessoas ligadas à organização e em pontos chaves, como por exemplo, na Petrobrás, BNDES, Vale do Rio Doce e por aí afora.
Instalou-se o caos até nas Forças Armadas e sorrateiramente chegou-se ao ponto em que Lula sai do Governo, entra a Dilma e a expulsam para que Temer assumisse o poder.
Fechou então o círculo !
Hoje, com essa situação toda, causada e criada pelos caminhoneiros, estão a todo custo querendo fazer a continuação do que se passou até agora e, aparentemente, estão conseguindo com a ajuda dos "amigos" militares, que por força de lei, primeiramente e depois pela amizade ao chefe dentro da organização, não farão nada e tudo irá acabar voltando como antes no quartel de Abrantes. A não ser que isso tudo seja um desvario meu, tenho as minhas convicções e não cedo um milímetro dela, pois se todos estudarem o que eu cito aqui, chegarão ao ponto que cheguei e no mesmo entendimento.
Um abraço e que Deus nos ajude com a sua justiça, esperando que Ele consiga fazer o desfecho dos caminhoneiros ser positivo para a nação.