sábado, 30 de junho de 2018

O Risco PT nunca pode ser ignorado


Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net


Essa definição fica clara depois que se assiste a um vídeo de propaganda estrelado pelo ideólogo-mor da Petelândia José Dirceu de Oliveira e Silva. Por mera coincidência que não existe, logo depois que foi tirado da cadeia pela segunda turma libertária do Supremo Tribunal Federal, Zé Dirceu retorna do limbo lançando seu livro de memórias – que ele diz ter escrito na cadeia. Que maravilha! Já temos um Gramsci tupiniquim – sem a qualidade do original italiano.

A coincidência da libertação do ideólogo-escritor com o anúncio da propaganda do livro de “relatos de lutas” do anjo Zé Dirceu, do deusinho Lula e da igrejinha do PT apenas comprova o grau de articulação e capacidade de atuação subterrânea de um partido-religião – que só parecia morto e acabado na cabeça de quem não tem a mínima capacidade de avaliação e leitura política. A Petelândia está com tudo e muito prosa!

O próximo passo é o registro de uma candidatura para disputar a Presidência da República. Por enquanto, até 15 de agosto, vai ser encenada a farsa do Presidentro Lula como candidato à sucessão temerária. Lula não será candidato. Mas o que ele simboliza vai disputar o Palácio do Planalto. Quem vai para o pau é o Fernando Haddad. Ele será o “candidato do Lula”... A seita PT confia na capacidade eterna de fidelizar 25% a 30% do eleitorado que veste a grife ou segue a religião de canhota.

O PT tem grande chance de derrota pelo desgaste acumulado pélo Efeito Lava Jato. No entanto, os ideólogos petistas enxergam o longo prazo. Nos aos de roubalheira, os deuses da máquina partidária acumularam fortunas – providencialmente escondidas no exterior. Quem pode muito bem explicar a sacanagem é o “traidor” Antônio Palocci Filho. Mesmo com a delação dele, dificilmente a maior parte da grana malocada no exterior será descoberta. Parte dela já até retornou ou vai voltar ao Brasil disfarçada de “investimentos estrangeiros”...

Resumindo: a seita Petelândia tem o poder da grana e o potencial da sedução sobre uma militância fanática para seguir existindo. O espectro do PT continua assombrando o Brasil. Na avaliação de seus ideólogos, pode não vencer a eleição deste ano. Porém, segue resistente para futuras vitórias.

Por exemplo concreto, o PT aposta em dois acontecimentos: Primeiro, uma vitória do Jair Bolsonaro agora... Depois, um imenso desgaste do governo dele... O PT está pronto para sua especialidade: a oposição covarde e destrutiva... No fim, é só esperar o desastre para pavimentar o retorno triunfal da esquerda ao poder, na eleição de 2022.

Remember: a Petelândia tem muita grana para investir no caos e aguardar o retorno programado ao poder. Tal cenário é bem possível e provável, porque o Brasil é um País Capimunista, Rentista e Corrupto, apaixonado por uma espécie de “socialismo moreno”. A cultura é “Estadodependente”... Não há previsão de que tal característica mude abruptamente.

É por isso que o risco PT não pode ser ignorado. A partir de 2019, o Brasil será obrigado a encarar a continuidade de uma brutal crise estrutural... A Petelândia aposta todas as moedas de ouro neste caos... Esta é a chance de recuperar a hegemonia política, em um prazo razoável de cinco anos...

O mais difícil da “missão” será inventar um novo líder-religioso, nos moldes de um $talinácio, para substituí-lo... Mas as pré-condições histórico-culturais estão aí para permitir tal “milagre”... A novela sobre o “Lula-Livre” (com encenação prevista para agosto/setembro) facilitará a estratégia de campanha petista de olho no futuro...  





Vida que segue... Ave atque Vale! Fiquem com Deus. Nekan Adonai!

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Independente, analítico e provocador de novos valores humanos, pela análise política e estratégica, com conhecimento criativo, informação fidedigna e verdade objetiva. Jorge Serrão é Jornalista, Radialista, Publicitário e Professor. Editor-chefe do blog Alerta Total: www.alertatotal.net. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos. 
A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 30 de Junho de 2018.

Saltimbanco ou Assaltoembanco?



“País Canalha é o que não paga precatórios”

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Maurício Mantiqueira

Na era das aproximacães sucessivas, a lógica já era.

Estado de direito é uma quimera.

Dona Onça virou gatolina; deixou de ser fera.

Entre a Cruz e a esfera estamos à espera de uma difiniCão.

Chesterton espanta-se com a Ortodoxia enquanto a felina nem mia.

Espremidos estamos entre os urubúsicos saltimbancos e os “destemidos” assaltantes de bancos.

Em plena disputa para ver quem mais causa estragos, deixam a sociedade ávida por um expiatório “trágos”(bode).

Aposto que primeiro depenaremos negras aves, descuidadas do primeiro embate, como goleiro que confia nas traves.

Enquanto urdem coisas mais graves (verbi gratia, desjaulificação de molusco) isolam-se nos altos picos, como os incas em Cusco.

Pelo ar rarefeito, sentirão oprimido o peito, por causa de tão grande desrespeito ao povo. Saraivada de balas de ovo ?

Estão perdidos no espaço e no tempo. Não sabem nem quem, nem quando, nem onde.

Receberão merecido castigo como um bandido no mundo antigo.

Galés para quem hoje só recebe rapapés.

Em matéria de honra estão nas antípodas. Ataque, ó grande Quissíphodas!

Carlos Maurício Mantiqueira é um livre pensador.

sexta-feira, 29 de junho de 2018

Lula, ficha-imunda, não pode ser candidato!



Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net


Não... No Brasil da Insegurança jurídica, política e econômica, os fora-da-lei ostentam poder abusivo contra a sociedade e o interesse público. Os caríssimos advogados de Lula armam recursos e chicanas não só para libertar Lula como para permitir o registro da candidatura do “presidiário com mordomias” que outros condenados não têm. O ex-Presidente, já condenado por corrupção em um processo, não deveria ter privilégios... Só que não... Lula é um prisioneiro acima do bem e do mal, acima da lei e da ordem... Pode isso, Arnaldo Cezar Coelho?

Claro que não pode. Nem é necessário chamar o árbitro de vídeo da Fifa para resolver o caso do privilegiado Lula. Os 11 ministros do Supremo Tribunal Federal têm o dever moral de acabar depressa com a palhaçada ilegal da candidatura dele. A polêmica tem de ser resolvida antes de 15 de agosto – prazo final para registro de candidaturas. O Caso Lula nem pode parar no Tribunal Superior Eleitoral. Embora ostente popularidade (nada de anormal em um País de povo ignorante que idolatra o crime e pratica a corrupção), Lula não tem condição legal e moral de participar da sucessão do Michel Temer recordista de impopularidade.

Aqui, a sacanagem é clara! O Estado é ladrão – Capimunista, Rentista e Corrupto. Regras em excesso, dando margem a interpretações legais variadas, inviabilizam a Democracia. Parecemos um presídio continental a céu aberto. O cidadão honesto é quem sobrevive em regime prisional semi-aberto. A cultura do “jeitinho” colabora com a roubalheira generalizada. A tendência é judicializar tudo, embora raramente se faça Justiça.

“As instituições funcionam normalmente”... Sim, o normal é a putaria, a transgressão o desrespeito à Lei e à Ordem Pública – que é a efetiva garantidora da vida. Enfim, reina a Ditadura do Crime Institucionalizado... No momento, a organizada bandidagem se reinventa, enquanto o “Mecanismo” sabota a Lava Jato e outros iniciativas que enxugam o gelo no combate à corrupção sistêmica...

Nesta sexta-feira, teremos de enfrentar uma abstinência de Copa da Rússia... Não tem jogo para assistir... As oitavas de final começam apenas no sábado... Usemos o breve intervalo de ópio futebolístico do povo para insistir na tese de que o Brasil só tem solução se for realmente reinventado. Pena que estejamos distantes de uma inédita Intervenção Institucional para refundar a Nação em base Democrática (republicana ou monárquica).

Logo a Copa acaba... Começa a campanha eleitoral mais desacreditada de todos os tempos... Os bandidos profissionais estão prontos para continuar no poder... Novos marionetes do Poder Real Criminoso serão eleitos na base da compra descarada de votos... Só uma brutal crise econômica será capaz de criar pré-condições imediatas para mudanças estruturais efetivas. O botão do “jeitinho” já está acionado para que tudo permaneça como sempre esteve...

É por isso que Lula (preso ou livre) é apenas um pedacinho do gigantesco problema. Em agosto, mês do desgosto, o caso dele vai se resolver, da pior ou melhor maneira possível... Que os ministros do STF curtam suas férias de meio de ano... Que a segunda turma reflita sobre as consequências do que vem decidindo em favor de tantos bandidos...

Enquanto isso, vamos ao mata-mata da Copa... Que vença a Seleção da CBF! Porque o Brasil segue perdendo de goleada na véspera... Vperiód, Bandidagem! Salve Geral...A Onça está pronta pra beber água... Mas só se for água Perrier...





Vida que segue... Ave atque Vale! Fiquem com Deus. Nekan Adonai!

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Independente, analítico e provocador de novos valores humanos, pela análise política e estratégica, com conhecimento criativo, informação fidedigna e verdade objetiva. Jorge Serrão é Jornalista, Radialista, Publicitário e Professor. Editor-chefe do blog Alerta Total: www.alertatotal.net. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos. 
A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 29 de Junho de 2018.

Onça sem Tirocínio



“País Canalha é o que não paga precatórios”

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Maurício Mantiqueira

No momento, no reino feliniano, não há tiro nem raciocínio.

O que mais admiro é vê-la deitada no triclínio.

Talvez seja culpa da tiróide de algum debilóide, o crescimento do bócio de outro beócio amante do ócio.

Sair da letargia pra acabar com anarquia, nem pensar.

Continua impávida diante da situação grave; quase grávida.

No passado, de glórias ávida, defendia com unhas e dentes os frutos do futuro ainda pendentes.

Terá sido em vão a morte de Tiradentes?

E os que morreram na Itália? Se lhes conspurca a mortalha?

É nossa última esperança. Que nos socorra sem tardança!

Pelo o que se lê em jornal, já começou o baile da Ilha Fiscal.

Quanto tempo mais dura o regime caradura?

O reino dos urubus já começou a mostrar pus.

O cão egresso é réu confesso.

O executivo, podre e inativo.

Enquanto vivo, direi “O rei está nu!”

Colapsarei sem aviso, como edifício do Paissandu.

Carlos Maurício Mantiqueira é um livre pensador.

Brasil, Democracia de Araque



Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Luiz Eduardo da Rocha Paiva

O Brasil só entrará nos trilhos com um novo marco legal e isso só será possível com um governo forte para impor profundas mudanças, inclusive preparando o país para o parlamentarismo. A propósito, qual o único presidencialismo que deu certo? Por que proclamamos a República, adotando o presidencialismo e desprezando sete décadas de experiência e amadurecimento do parlamentarismo? Imitação dos EUA?  

Não é necessária uma intervenção militar, apenas o respaldo de Forças Armadas (FA) com um alto nível de poder no núcleo decisório do governo.

Democracia é algo abstrato, admitindo vários níveis de liberdade e distintas visões. Quanto menos educação, maturidade e civismo, é preciso menos liberdade ou o resultado será o mesmo que vivemos no Brasil a partir da Constituição de 1988. Ou seja, liberdade demais e responsabilidade de menos.

A democracia brasileira deveria evoluir de um nível de liberdade apenas um pouco superior ao do regime chamado militar e a partir de governos com poder apenas um pouco inferior ao dos governos militares.

Antes, porém, precisaríamos de uma nova Constituição, feita por um grupo de notáveis sem membros radicais, uma Constituinte com competência apenas para analisar e propor, ficando a aprovação das sugestões com o grupo de notáveis, e depois o projeto completo submetido a referendo popular. Após a Constituição, as leis complementares não poderão mais atender a interesses corporativos e de grupos poderosos, em detrimento da sociedade.

Como selecionar o grupo de notáveis e como auditar a elaboração das leis pelo Congresso, hoje repleto de investigados por corrupção? Este seria o "X" da  questão, pois com essa liderança política corrupta e esse STF, em grande medida, com ela macomunado, vai ser impossível. 

É preciso um poder tipo moderador e é aí que vejo a participação das FA, ainda que isso possa arranhar a atual legalidade, pois é ela que dá o aval àquelas nefastas lideranças políticas e a seus protetores togados. No entanto, será uma solução legítima, a partir do momento em que a nação entenda não haver outra alternativa para se tornar uma democracia de fato, isto é, um regime de liberdade com responsabilidade e de justiça com legalidade e legitimidade. 

Luiz Eduardo da Rocha Paiva é General de Divisão, na reserva.

À Procura de um Muro?


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Gaudêncio Torquato

A observação pode parecer exagerada, mas pesquisas feitas logo após a vitória de Donald Trump atestam: o mega-empresário de topete agressivo e peito empinado ganhou o pleito por causa do muro. Sim, o gigantesco muro que ele prometeu construir separando o México dos Estados Unidos, tendo como objetivo fechar fronteiras escancaradas que mexicanos e outros grupos latinos ainda usam para tentar a vida sob a bandeira norte-americana. Pesquisas apontavam a questão migratória como a mais sensível para o eleitorado conservador republicano, forte o suficiente para garantir vitória ao seu candidato.
Trump sabia que o muro abriria polêmica, seria considerado ideia extravagante e dispendiosa, e que, a depender da reação interna, poderia, até, deixá-lo em banho-maria. Exatamente como parece acontecer hoje, o muro está encostado nas laterais do debate. Sabia também ele que a promessa de construção do muro seria suficiente para animar a corrente nacionalista, que brandia o refrão: “a América para os americanos em primeiro lugar”. 
Pois bem, a estratégia deu certo. O chamado Cinturão da Ferrugem- compreendendo partes de Michigan, Pensilvânia, Ohio e Virgínia Ocidental, regiões que concentravam usinas siderúrgicas e outros setores até a década de 80 – voltou a se animar. O muro trouxe esperança para áreas que haviam perdido empregos com a globalização. A esperança disparou a autoestima. Trump fechou compromisso e, pimba, levou a melhor.
Comparemos a situação com nossas plagas e circunstâncias. Que discurso os nossos presidenciáveis têm recitado para envolvimento do eleitor? O discurso mais onipresente parece ser o de “pôr ordem na bagunça”. Mesmo assim, trata-se de um conjunto de referências mosaicadas, uma aqui, outra acolá. O eleitor, saturado de mesmice, tem a atenção focada no perfil que denota defesa da ordem, combate à bandidagem e até mesmo restrição ao próprio corpo parlamentar que integra: o capitão Jair Bolsonaro. Ele capitaliza as atenções não por seus méritos, mas por defeitos de seus adversários.
Sua expressão de cunho militar-repressiva é avocada como bitola para regular as engrenagens da política e da administração. Sua visão de militar abriga o acervo das empresas públicas sob o império do Estado, não devendo, portanto, ser privatizadas, e esse discurso, também do gosto das esquerdas, baixa na cuca das massas como defesa das riquezas nacionais, preservação dos bens públicos. As massas entendem privatização como retirada do patrimônio do Estado para entregar aos “larápios dos negócios privados”. Tentar esclarecer sobre a viabilidade de um Estado eficiente, não paquidérmico, é chover no molhado. Não entra como coisa positiva no sistema cognitivo do povo.
Outra falha gritante na expressão dos atores políticos é a ausência de um “Projeto para o Brasil”, uma peça estruturada, com começo, meio e fim, contemplando todas as áreas e setores, da infraestrutura técnica ao território social e ao panorama tributário. Não se ouviu, até o momento, algo que contenha uma abordagem completa envolvendo as temáticas nacionais. Eventuais respostas de pré-candidatos se limitam aos assuntos de momento, circunscritos ao tema levantado, geralmente segurança pública, educação ou saúde.
E nenhum protagonista, até esse instante, chegou a esboçar um desenho de seu muro, o vértice, a coluna vertebral de sua identidade. As tentativas são tímidas, genéricas, algumas parecendo platitudes. Perdem-se no oceano de mesmices. Ou no oásis de repetições.
Gaudêncio Torquato, jornalista, é professor titular da USP, consultor político e de comunicação Twitter@gaudtorquato

quinta-feira, 28 de junho de 2018

Mourão bate no Judiciário gravemente queimado



Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net


Os grupos organizados nas redes sociais cansam de criticar o Supremo Tribunal Federal e a atuação (mais política, disfarçada de jurídica) dos seus ministros. A reclamação apenas amplia o desgaste de imagem dos membros Judiciário. Na prática, os criticados magistrados são inatingíveis. Decidem o que querem, como lhes é conveniente, porque o exagerado aparato legal brasileiro dá margem a qualquer interpretação, a favor e contra um réu ou reclamante. Nesta zona legal, causa e conseqüência se confundem. A toga corre atrás do próprio rábula...

A sessão de ontem do STF foi apenas mais uma prova do funcionamento pífio de um Judiciário que se acostumou a interferir nas decisões do Executivo, também legislando via imposição de interpretações convenientes de jurisprudência. O polêmico Gilmar Mendes reclamou: “Nós já temos as mãos queimadas em matéria de controle de emenda constitucional com aquele caso dos precatórios, em quem produzimos um verdadeiro desastre”. O ministro Luiz Fux aproveitou a queimação gilmariana para alfinetar as recentes decisões dos colegas: “Nós estamos não com as mãos queimadas. Estamos com o corpo todo queimado porque há outras decisões que também que são muitos díspares do ideário do Supremo”.

Claramente queimado perante a opinião pública – o que pouco importa para ministros que parecem executar, legislar e julgar em outro planeta -, o STF deu uma queimada nos planos privatizantes do trio presidencial Michel Temer, Moreira Franco e Eliseu Padilha. O ministro Ricardo Lewandowski tomou uma decisão monocrática que deixou os rentistas arrepiados. Ele concedeu uma liminar proibindo a venda do controle acionário de estatais brasileiras sem autorização legislativa. O patético da situação é que o ministro está certíssimo da silva... Não adianta o Gato Angorá soltar a franga...

Essa perniciosa insegurança jurídica incomoda os militares. Vide o recente pronunciamento do novo presidente do Clube Militar. O General Antônio Mourão soltou o verbo contra a suprema decisão que botou José Dirceu em liberdade:

“Ontem tive a honra e o privilégio de assumir a Presidência do Clube Militar, onde juntamente com a equipe formada pelos Gen Eduardo, Santos e Cel Lindenblat iremos não só dar continuidade ao excelente trabalho realizado pela equipe do Gen Pimentel, como também atuar no sentido de apoiar incondicionalmente nossos candidatos oriundos da família militar”.

Pondera Mourão: “Contudo, ao retornar para casa, tive o desprazer de ver a decisão da 2ª Turma do STF, colocando em liberdade o facínora José Dirceu, um guerrilheiro fajuto e, pior ainda, ladrão dos parcos recursos desta Nação. A argumentação do Ministro Toffoli soou como um tapa na cara da população ordeira e que paga os pesados impostos, os quais alimentam os salários e mordomias dessa casta. Óbvio que o time formado por Gilmar e Lewandowski de imediato coonestou a tese de que a dosimetria da pena de Dirceu poderia ser revista. Ora minha gente, independente do tempo que tenha de cumprir, a verdade é que Dirceu está condenado em 2ª instância e portanto deveria aguardar na cadeia a solução do seu caso”.

O General Mourão finaliza fuzilando: “O trio de Ministros constitui o exemplar perfeito daquilo que Skousen denominou de "homo marxianus" (homem marxista). Esta espécie, infelizmente ainda abundante em nosso País, considera que nada é mau, desde que atenda suas conveniências. Libertou-se de todas as restrições da honra e da ética que o confinavam e que a humanidade havia tentado usar como base para a harmonia nas relações humanas. Quantas leis houverem, igual número ele as quebrará. VEGONHOSA DECISÃO!!!!!”.

O General Mourão não falou nada diferente do que pensa a maioria da população brasileira acerca do Judiciário e sua mais alta Corte. Felizmente, o STF ainda garante a plena liberdade de expressão – inclusive para receber críticas duríssimas de quem quer que seja. O problema concreto é: estamos longe de resolver o problema estrutural da insegurança individual, jurídica, política e econômica – que são a base da Democracia.

Resumindo: Judiciário queimado significa a incineração do regime democrático. O Brasil arde no inferno antidemocrático. Até quando suportaremos tamanho regime de exceção?




Três Neurônios


Vida que segue... Ave atque Vale! Fiquem com Deus. Nekan Adonai!

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Independente, analítico e provocador de novos valores humanos, pela análise política e estratégica, com conhecimento criativo, informação fidedigna e verdade objetiva. Jorge Serrão é Jornalista, Radialista, Publicitário e Professor. Editor-chefe do blog Alerta Total: www.alertatotal.net. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos. 
A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 28 de Junho de 2018.

Estamos Tofolidos!



“País Canalha é o que não paga precatórios”

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Maurício Mantiqueira

Além de falidos estamos todos fo..... sem ouvir da felina, rugidos.

Antes que um tarado cape de vez o que resta da Cãostituição, devemos dar-lhe um corretivo para que aprenda que fel não é merenda.

Não consigo imaginar que numa corporaCão de mais de duzentos mil brasileiros falte um, apenas um, que na “festa” da destruição da Pátria não solte nem um pum !

Medo do quê ? Dos mais esmerdalhados ? De puniCão ?

O estado atlético do mais poderoso não é lá uma brastemp !

A invocar a temperança, de coração ou má fé, dá um tiro no próprio pé.

Transforma nossas vidas boas em malho de bigorna e passará para História como um novo Cadorna.

Em assuntos interna corporis não me meto. Estudo humildemente a Batalha de Caporetto. Há mais de cem anos os italianos tomaram na rima.

Perderam todos a autoestima ?

Ó ! dona Onça, enquanto nem mias, perecem os ideais de Caxias !

Liquide primeiro os urubus !

Depois a porcada. Em seguida a raça de torquemada.

O tempo ruge. Deixe de lado o Baton e o Rouge.

À falta de relógio use clepsidra; está na hora de matar a vermelha Hydra.

Carlos Maurício Mantiqueira é um livre pensador.

quarta-feira, 27 de junho de 2018

Pode defecar na toga, Arnaldo?



Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net


A regra é clara!  A falha é ainda mais imperdoável quando o erro de julgamento é cometido pela mais Alta Corte tupiniquim. Soltar José Dirceu e perdoar a máfia da merenda escolar de São Paulo tornou a situação tão gravíssima que talvez seja o caso até de o povo brasileiro apelar para um árbitro de vídeo... Será que alguém se habilita lá no Forte Apache – o Quartel General do Exército, em Brasília? Melhor nem perguntar...

A 2ª turma do STF se superou... Ontem, José Dias Toffoli, Gilmar Mendes e Ricardo Lewandowski tomaram decisões que envergonhariam o mais vidiota árbitro de vídeo da Fifa. Com o voto contrário de Edson Fachin – e aproveitando a providencial ausência do decano ministro Celso de Mello -, o trio mandou soltar o ilustre stalinista do Mensalão e do Petrolão José Dirceu de Oliveira e Silva e outro famoso personagem apenas do Mensalão, João Cláudio Jenu – que nega ter sido tesoureiro do Partido Progressista...

Vamos ligar o VAR da Fifa para analisar a última sessão do STF antes do bondoso recesso de meio do ano do Judiciário... Como é que pode soltar Dirceu, se ele foi condenado em segunda instância pela Lava Jato? Como é que pode libertar o Zé, se o plenário do STF já decidiu que a execução da pena pode ser cumprida após decisão colegiada em segunda instância? Anistiado no Mensalão, Dirceu estava preso desde junho, depois de confirmada a condenação a 30 anos e nove meses de prisão por corrupção ativa, lavagem de dinheiro e organização criminosa na Lava Jato...

Ex-petista e ex-subordinado de Dirceu, o ministro José Dias Toffoli concedeu um habeas corpus de ofício suspendendo a execução da pena de Dirceu. A mesma “regra” valeu para Jenu... O juridiquês foi de fazer inveja a um juiz de futebol de várzea: “A plausibilidade dos recursos interpostos quanto à dosimetria da pena, eu concedo ordem de habeas corpus de ofício para excepcionalmente suspender a execução da provisória da pena imposta ao reclamante até que, nos moldes da compreensão que firmei no HC 152752, o Superior Tribunal de Justiça decida sobre o recurso”.

Quem não entendeu nada (além de nós, os ignorantes) foi o ministro Luiz Edson Fachin... Tanto que ele pediu vista... O relator da Lava Jato no STF avaliou que a decisão de Toffoli estava indo contra a decisão do Supremo que autoriza a execução da pena após condenação em segunda instância... Mesmo assim, no que parecia um jogo combinado, Toffoli atendeu a um pedido dos defensores de Dirceu e Janu para que eles ficassem livres até a devolução do caso por Fachin para a conclusão da análise... Gilmar Mendes e Ricardo Lewandowski acompanharam Toffoli...

Outra decisão polêmica da 2ª turma do STF beneficiou um famoso casal petista. O trio Toffoli, Gilmar e Lewandowski também anulou as provas da Operação Custo Brasil - que investigou suspeitas de corrupção no Ministério do Planejamento na época em que por lá reinava Paulo Bernardo, marido da senadora Gleisi Hoffmann. O STF decidiu que não valem as provas encontradas no apartamento da petista. Os ministros alegaram que a ordem para revista não poderia ter sido dada por um juiz de primeira instância. O STF instituiu o “foro privilegiado do apartamento funcional”... O ministro Edson Fachin, derrotado, ficou muito pt da vida...

Mais uma togada suprema? O beneficiado foi um dos mais poderosos membros da cúpula tucana de São Paulo. O Supremo mandou arquivar o processo contra o deputado estadual e ex-presidente da Assembléia Legislativa Fernando Capez – investigado por suposta participação na Máfia da Merenda. O caso corria no Tribunal de Justiça de São Paulo. A acusação era de que a campanha de Capez em 2014 fora abastecida com recursos desviados por uma cooperativa na venda superfaturada de suco de laranja para as escolas...

Uma coincidência chamou a atenção na suprema decisão a favor de Capez. O irmão do deputado, o juiz Rodrigo Capez, figurava até 31 de maio como “colaborador” do gabinete do ministro Dias Toffoli. O ministro, inclusive, é autor de um pósfácio de um livro publicado por Rodrigo Capez em 2017... Até aí, morreu Tancredo Neves... Toffoli não se julgou impedido de analisar o caso Capez... Da mesma forma como nunca se julgou impedido de julgar seu ex-chefe José Dirceu... Portanto, como diria a turma do Forte Apache, as instituições continuam funcionando normalmente... Não precisa apelar ao árbitro de vídeo...

O melhor é esquecer tudo isso e torcer pela Seleção da CBF em dia de jogo decisivo... Aliás, para aumentar a alegria do povo, os caríssimos pedágios de São Paulo estão subindo, em média, 30 centavos, ou muito mais... Tomara que o eleitor se lembre disto na hora do voto... Mas antes que a dedada na urna de resultado inconfiável aconteça, Vpériod, Bruzundanga!

Quem sabe, depois do recesso judiciário, em agosto, o STF resolva libertar Luia Inácio Lula da Silva... Infelizmente, no Brasil, a regra nunca é clara – a não ser no bordão do Arnaldo Cezar Coelho... Aqui, tudo pode acontecer graças ao regramento excessivo que permite o rigor seletivo... Pune um, poupa o outro, em situações parecidíssimas... Novamente, não adiante chamar o árbitro de vídeo... Aqui, a impunidade é vidiota...

“O negócio é levar vantagem em tudo, certo?”... Continua valendo a famosa “Lei de Gérson”, que estigmatizou o craque “Canhotinha de Ouro” no inesquecível comercial do cigarro Vila Rica, na distante década de 70 do século passado... Vpériod, Bruzundanga! Salve a Seleção! E salve a impunidade!



Eeeeeeerrrrrrroooooouuuuuu!

No tempo em que não havia árbitro de vídeo, quem brilhava era Mário Vianna (com dois ennes”)... Ele brilhou na Rádio Globo e na Rádio Guanabara. Mas existe este áudio raro, do Palmeiras e Corinthians de 14 de dezembro de 1963, narrado por Flávio Araújo, na Rádio Bandeirantes. Nele se pode escutar o famoso “errou” (com vários erres), marca registrada do Titio Mário Vianna...


Salve a Seleção

Todos os gols da Seleção Brasileira na Copa de 1970 narrados pelos mestres Jorge Curi (Rádio Nacional) e Waldir Amaral (Rádio Globo), incluindo também o famoso "Brasil!" do não menos brilhante Edmo Zarife.


Vida que segue... Ave atque Vale! Fiquem com Deus. Nekan Adonai!

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Independente, analítico e provocador de novos valores humanos, pela análise política e estratégica, com conhecimento criativo, informação fidedigna e verdade objetiva. Jorge Serrão é Jornalista, Radialista, Publicitário e Professor. Editor-chefe do blog Alerta Total: www.alertatotal.net. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos. 
A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 27 de Junho de 2018.