terça-feira, 19 de junho de 2018

Agora entendi!



“País Canalha é o que não paga precatórios”

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Maurício Mantiqueira

“Radar quebrado, tumulto e voos cancelados em Congonhas”
Sonia Racy 16 de Junho de 2018 | 11h19 Estadão, internet

O vampírico desgoverno, além do radar quebrado, também está sem bússola, sem relógio e sem rumo.

Logo, logo levará fumo.

Abundam-lhe as(os) birutas. A maioria de filhos da rima.

A primeira vítima foi um cão; Cãogonhas!

Devotos de Papai Noel e cegonhas, ruins de votos, os sem vergonhas!

E tome urna que a realidade enfurna!

Em nossa luta diuturna por um país melhor, as cenas dos próximos capítulos já sabemos de cor.

A classe polititica teme o verdadeiro confronto:

Pimpão X Onça!

O primeiro é qualquer paspalho que sirva pra quebrar o galho e manter as coisas como sempre foram.

Já nossa felina, se inspira (ou transpira) no lema templário:

"Sator arepo tenet opera rotas”.

Tu, eleitor, comes merda mas peru arrotas! Eleição sem voto impresso é GOLPE!

Nada que uma frase palindrômica não possa resolver:

“Socorram-me, subi no onibus em Marrocos!”

Socorra-nos dona Onça, sem tardOnça, que o país está uma bagOnça!

Se não o fizeres, terá sido em vão a morte do mineiro alferes!

Esconder-se atrás das coxias não era coisa de Caxias!

Venha ao proscênio, como fez o general Stênio.

Construa uma refinaria sem clemência com a porcaria que hoje suga as riquezas do Brasil.

Carlos Maurício Mantiqueira é um livre pensador.

10 comentários:

Loumari disse...

http://www.odiario.info/?p=2185%3E

O Mundo à beira do caos

Por Miguel Urbano Rodrigues 26 de Agosto 2011

A crise do capitalismo é tão profunda que até os líderes dos EUA e da União Europeia e os ideólogos do neoliberalismo assumem essa realidade. Estão alarmados por não enxergarem uma solução que possa deter a corrida para o abismo. Esforçam-se sem êxito para que apareça luz no fim do túnel.
A crise é intrínseca ao próprio capitalismo e não tem saída nesse quadro.
O capitalismo, pela sua própria essência, não é humanizável. Terá de ser destruído. A única alternativa que desponta no horizonte é o socialismo. A resistência dos povos à engrenagem do capital que os oprime cresce na Ásia, na Europa, na América Latina, na África. Eles são o sujeito da História e a vitória final será sua.

A crise do capitalismo é tão profunda que até os líderes dos EUA e da União Europeia e os ideólogos do neoliberalismo assumem essa realidade. Estão alarmados por não enxergarem uma solução que possa deter a corrida para o abismo. Esforçam-se sem êxito para que apareça luz no fim do túnel.

Apesar das contradições existentes, os EUA e as grandes potências da União Europeia puseram fim às guerras interimperialistas - como a de 1914-18 e a de 1939-45 – substituindo-as por um imperialismo colectivo, sob a hegemonia norte-americana, que as desloca para países do chamado Terceiro Mundo submetidos ao saque dos seus recursos naturais.

Mas a evolução da conjuntura mundial demonstra também com clareza que a crise do capital não pode ser resolvida no quadro de uma «transnacionalização global», tese defendida por Toni Negri e Hardt no seu polémico livro em que negam o imperialismo tal como o definiu Lenine. Entre os EUA e a União Europeia (e os países emergentes da Ásia e da América Latina) existe um abismo histórico que não foi nem pode ser eliminado em tempo previsível.

A crescente internacionalização da gestão não desemboca automaticamente na globalização da propriedade. O Estado transnacional, a que aspiram uma ONU instrumentalizada, o FMI, o Banco Mundial e a OMC é ainda uma aspiração distante do sistema de poder.*1

Continua

Loumari disse...

O caos em que o mundo está cair ilumina o desespero do capital perante a crise pela qual é responsável.

A ascensão galopante da direita neoliberal ao governo em países da União Europeia ressuscita o fantasma da ascensão do fascismo na República de Weimar. A Historia não se repete porem da mesma maneira e é improvável que a extrema-direita se instale no Poder no Velho Mundo. Mas a irracionalidade do assalto à razão é uma realidade.

O jogo do dinheiro nas bolsas é hoje muito mais importante na acumulação de gigantescas fortunas do que a produção. O papel dos «mercados» - eufemismo que designa o funcionamento da engrenagem da especulação nas manobras do capital - tornou-se decisivo no desencadeamento de crises que levam à falência países da União Europeia. Uma simples decisão do gestor de «uma agência de notação» pode desencadear o pânico em vastas áreas do mundo.
O surto de violência em bairros degradados de Londres, Birmingham, Manchester e Liverpool alarma a Inglaterra de Cameron e motiva nas televisões e jornais ditos de referência torrentes de interpretações disparatadas de sociólogos e psicanalistas que falam como porta-vozes da classe dominante.

Em Washington, congressistas influentes manifestam o temor de que, o «fenómeno britânico» alastre aos EUA e, nos guetos das suas grandes cidades, jovens latinos e negros imitem os das minorias da Grã-bretanha, estimulados por mensagens e apelos no Twitter e no Facebook.
Mas enquanto a pobreza e a miséria aumentam, incluindo nos países mais ricos, a crise não afecta os banqueiros e os gestores das grandes empresas. Segundo a revista «Fortune», as fortunas de 357 multimilionários ultrapassam o PIB de vários países europeus desenvolvidos.
Nos EUA, na Alemanha, na França, na Itália os detentores do poder proclamam que a democracia política atingiu um patamar superior nas sociedades desenvolvidas do Ocidente. Mentem. A censura à moda antiga não existe. Mas foi substituída por um tipo de manipulação das consciências eficaz e perverso. Os factos e as notícias são seleccionados, apresentados, valorizados ou desvalorizados, mutilados e distorcidos, de acordo com as conveniências do grande capital. O objectivo é impedir os cidadãos de compreender os acontecimentos de que são testemunhas e o seu significado.

Continua

Loumari disse...

Os jornais e as cadeias de televisão nos EUA, na Europa, no Japão, na América Latina dedicam cada vez mais espaço ao «entretenimento» e menos a grandes problemas e lutas sociais e ao entendimento do movimento da Historia profunda.

Os temas impostos pelos editores e programadores – agentes mais ou menos conscientes do capital – são concursos alienantes, a violência em múltiplas frentes, a droga, o crime, o sexo, a subliteratura, o quotidiano do jet set, a vida amorosa de príncipes e estrelas, a apologia do sucesso material, as férias em lugares paradisíacos, etc.

Evitar que os cidadãos, formatados pela engrenagem do poder, pensem, é uma tarefa permanente dos media.

As crónicas de cinema, de televisão, a música, a crítica literária reflectem bem a atmosfera apodrecida do tipo de sociedade definida como civilizada e democrática por aqueles que, colocados na cúpula do sistema de poder, se propõem como aspiração suprema a multiplicar o capital.

Em Portugal surgiu como inovação grotesca um clube de pensadores; os debates, mesas redondas e entrevistas com dóceis comentadores, mascarados de «analistas», são insuportáveis pela ignorância, hipocrisia e mediocridade da quase totalidade desses serventuários do capital. Contra-revolucionários como Mário Soares, António Barreto, Medina Carreira, Júdice; formadores de opinião como Marcelo Rebelo de Sousa, um intoxicador de mentes influenciáveis que explica o presente e prevê o futuro como se fora o oráculo de Delfos; jornalistas his master’s voice, como Nuno Rogeiro e Teresa de Sousa; colunistas arrogantes que odeiam o povo português e a humanidade, como Vasco Pulido Valente, pontificam nos media imitando bruxos medievais, servindo o sistema em exercícios de verborreia que ofendem a inteligência.

O Primeiro-ministro e o seu lugar-tenente Portas, exibindo posturas napoleónicas, pedem «sacrifícios» e compreensão aos trabalhadores enquanto, submissos, aplicam o projecto do grande capital e cumprem exigências do imperialismo.

Desde o inicio do primeiro governo Sócrates, o que restava da herança revolucionária de Abril foi mais golpeado e destruído do que no quarto de século anterior.

Ao Portugal em crise exige-se o pagamento de uma factura enorme da crise maior em que se afunda o capitalismo.

Nos EUA, pólo hegemónico do sistema, o discurso do Presidente Obama, despojado das lantejoulas dos primeiros meses de governo, aparece agora como o de um político disposto a todas as concessões para permanecer na Casa Branca. A sua última capitulação perante o Congresso estilhaçou o que sobrava da máscara de humanista reformador. Para que o Partido Republicano permitisse aumentar de dois biliões de dólares o tecto de uma divida publica astronomica- já superior ao Produto Interno Bruto do país - aceitou manter intocáveis os privilégios indecorosos usufruídos por uma classe dominante que paga impostos ridículos e golpear duramente um serviço de saúde que já era um dos piores do mundo capitalista. A contrapartida da debilidade interior é uma agressividade crescente no exterior.

Centenas de instalações militares estadounidenses foram semeadas pela Ásia, Europa, América Latina e África.

Continua

Loumari disse...

Mas «a cruzada contra o terrorismo» não produziu os resultados esperados. As agressões americanas aos povos do Iraque e do Afeganistão promoveram o terrorismo em escala mundial em vez de o erradicar. Crimes monstruosos foram cometidos pela soldadesca americana no Iraque e no Afeganistão. O Congresso legalizou a tortura de prisioneiros. A «pacificação do Iraque», onde a resistência do povo à ocupação é uma realidade não passa de um slogan de propaganda. No Afeganistão, apesar da presença de 140 000 soldados dos EUA e da NATO, a guerra está perdida.

Os bombardeamentos de aldeias do noroeste do Paquistão por aviões sem piloto, comandados dos EUA por computadores, semeiam a morte e a destruição, provocando a indignação do povo daquele país.

O bombardeamento da Somália (onde a fome mata diariamente milhares de pessoas) por aviões da USAF, e de tribos do Iémen que lutam contra o despotismo medieval do presidente Saleh tornou-se rotineiro. Como sempre, Washington acusa as vítimas de ligações à Al Qaeda.
Na África, a instalação do AFRICOM, um exército americano permanente, e a agressão da NATO ao povo da Líbia confirmam a mundialização de uma a estratégia imperial.

O terrorismo de Estado emerge como componente fundamental da estratégia de poder dos EUA.
Obviamente, Washington e os seus aliados da União Europeia tentam transformar o crime em virtude. Os patriotas que no Iraque, no Afeganistão, na Líbia resistem às agressões imperiais são qualificados de terroristas; os governos fantoches de Bagdad e Kabul estariam a encaminhar os povos iraquiano e afegão para a democracia e o progresso; o Irão, vítima de sanções, é ameaçado de destruição; o aliado neofascista israelense apresentado como uma democracia moderna.

A perversa falsificação da Historia é hoje um instrumento imprescindível ao funcionamento de uma estratégia de poder monstruosa que, essa sim, ameaça a Humanidade e a própria continuidade da vida na Terra.

O imperialismo acumula porém derrotas e os sintomas do agravamento da crise estrutural do capitalismo são inocultáveis.

O capitalismo, pela sua própria essência, não é humanizável. Terá de ser destruído. A única alternativa que desponta no horizonte é o socialismo. O desfecho pode tardar. Mas a resistência dos povos à engrenagem do capital que os oprime cresce na Ásia, na Europa, na América Latina, na África. Eles são o sujeito da História e a vitória final será sua.

Vila Nova de Gaia, 15 de Agosto de 2011

1 - Estes temas são tratados em profundidade pelo economista argentino Claudio Katz num livro a ser editado brevemente

Este artigo foi publicado no “Avante!” nº 1969, de 25.08.2011

Loumari disse...

https://www.youtube.com/watch?v=d3YAJd5RUhA&t=138s

Inondations 2018, sanctuaire de Lourdes: la journée du 14 juin et la réouverture de la Grotte.

Inundações 2018, Santuário de Lourdes: o dia 14 de Junho e a reabertura da Gruta.

Na sequência da inundação do rio Gave de Pau, que inundou a área da Gruta de Lourdes em 13 de Junho de 2018, funcionários e voluntários do Santuário foram trabalhar para limpar o local. Graças a seus esforços combinados, a Gruta foi reaberta na noite de 14 de Junho, às 20h45. A possessão Mariana pode excepcionalmente se realizar na Gruta e também marcar o evento e agradecer os benfeitores e aos doadores: não houve danos no Santuário. Na Gruta, o Bispo de Tarbes e Lourdes, Monsenhor Nicolas Brouwet, agradeceu aos benfeitores e doadores que permitiram que o Santuário, por sua generosidade, se equipasse com equipamentos anti-inundações que pudessem ser implantados efectivamente. Ele também agradeceu aos funcionários e voluntários que estiveram activos nas últimas 48 horas, terminando com os peregrinos a quem agradeceu pela sua grande paciência. Um vídeo de Laurent Jarneau para o site Sanctuaire de Lourdes.

Loumari disse...

*Aunque usted no lo crea: El oro de Venezuela también es de todos*

https://www.youtube.com/watch?v=oBvLj6dAoDQ

A pesar de que el Presidente de la República Hugo Chávez afirmó que las reservas de oro volverían a Venezuela para "recuperar la soberanía", se conoció que casi 10,93 toneladas de oro han sido vendidas aunque usted no lo crea.

Loumari disse...

Maduro saca en secreto 2,1 toneladas de oro de Venezuela

El cargamento habría sido enviado a Emiratos Árabes Unidos

MIAMI, Estados Unidos.- El gobierno de Nicolás Maduro ha decidido sacar las pocas reservas en oro que le quedan a Venezuela y protegerlas en bancos del otro lado del mundo: Emiratos Árabes Unidos (EAU), según ha revelado una investigación del periodista Javier Ignacio Mayorca.

Según el investigador del Observatorio Venezolano del Crimen Organizado, efectivos de la Fuerza Armada Nacional (FAN) llevaron a cabo un operativo secreto el miércoles en la noche para trasladar 2,1 toneladas de oro del Banco Central de Venezuela al Aeropuerto Internacional de Maiquetía, desde donde un vuelo especial las llevó al Golfo Pérsico.

Los lingotes de oro fueron repartidos en 57 cajas que un Airbus A6-RRJ se encargó de llevar al paraíso fiscal, que integra la lista de elaborada por la Unión Europea al respecto.

Este movimiento contradice una medida adoptada por Hugo Chávez en 2012. En aquel entonces, el fallecido presidente repatrió el oro venezolano depositado en bancos del exterior para evitar las “turbulencias” de los mercados internacionales.


https://www.cubanet.org/noticias/maduro-saca-en-secreto-21-toneladas-de-oro-de-venezuela/

Loumari disse...

Adendo – o Decálogo de Lenin:

O “Decálogo de Lênin”, são os “10 mandamentos” da Ideologia Socialista, escrita em 1913 e atribuída ao lider revolucionário russo Vladimir Lênin, pai do comunismo.

Em 1913, Lênin escreveu o “Decálogo” que apresentava acções táticas para a tomada do Poder.

a) Qualquer semelhança com os dias de hoje, não é mera coincidência.

b) Tendo a História se encarregado de pôr fim à questão ideológica, a meditação dos ideais, então preconizada, poderá revelar assombrosas semelhanças nos dias de hoje, senão vejamos:

1.. Corrompa a juventude e dê-lhe liberdade sexual;

2.. Infiltre e depois controle todos os veículos de comunicação de massa;

3.. Divida a população em grupos antagônicos, incitando-os a discussões sobre assuntos sociais;

4.. Destrua a confiança do povo em seus líderes;

5.. Fale sempre sobre Democracia e em Estado de Direito, mas, tão logo haja oportunidade, assuma o Poder sem nenhum escrúpulo;

6.. Colabore para o esbanjamento do dinheiro público; coloque em descrédito a imagem do País, especialmente no exterior e provoque o pânico e o desassossego na população por meio da inflação;

7.. Promova greves, mesmo ilegais, nas indústrias vitais do País;

8.. Promova distúrbios e contribua para que as autoridades constituídas não as coíbam;

9.. Contribua para a derrocada dos valores morais, da honestidade e da crença nas promessas dos governantes. Nossos parlamentares infiltrados nos partidos democráticos devem acusar os não-comunistas, obrigando-os, sem pena de expô-los ao ridículo, a votar somente no que for de interesse da causa socialista;

10.. Procure catalogar todos aqueles que possuam armas de fogo, para que elas sejam confiscadas no momento oportuno, tornando impossível qualquer resistência à causa…


#Uma alta autoridade eclesiástica parece oferecer-nos uma explicação indirecta para o facto. Trata-se de Mons. André Sheptyskyj, Arcebispo de Lvov e Patriarca de Halich, líder da Igreja Católica na Ucrânia durante as perseguições de Lenine e Stalin. No início da II Guerra Mundial, escreveu ele à Santa Sé: “Este regime só pode se explicar como um caso de possessão diabólica colectiva”. E pediu ao Papa que sugerisse a todos os sacerdotes e religiosos do mundo que “exorcizassem a Rússia soviética” *. Mons. Sheptyskyj faleceu em 1944. Seu processo de beatificação está em andamento.

A crueldade inumana da seita socialo-comunista e a desproporção entre seus satânicos feitos e os êxitos que alcançou são de molde a confirmar a impressionante declaração do heróico Prelado ucraniano.

Loumari disse...

Documental completo | Chavismo: La Peste del siglo XXI [HD]

https://www.youtube.com/watch?v=nwN0DRfbREs&t=37s

El comandante Hugo Chávez se erigió a sí mismo como un caudillo redentor que acabaría con las mafias del pasado y refundaría a Venezuela. Una vez que llegó al poder gradualmente se fue convirtiendo en un déspota que persiguió y encarceló a la oposición política, enconó a la sociedad, expropió empresas y llevó a uno de los países más ricos del mundo a la ruina.
El propósito de Chavismo: la peste del siglo XXI es desenmascarar una de las mentiras políticas más devastadoras y dañinas de la historia de América Latina.

Loumari disse...

Impactantes INSTRUCCIONES DADAS a Maduro, para ANCLARSE en la DICTADURA Elecciones PRESIDENTE 2018

https://www.youtube.com/watch?v=PqQeaFwy59o&t=1s