sexta-feira, 22 de junho de 2018

Ando pensando seriamente em me divorciar...


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por H. James Kutscka

Nosso relacionamento  esgarçou-se , já não é mais o mesmo. 

O amor incondicional que senti por ela desde a primeira infância está prestes a acabar.

Por exemplo: ao longo do tempo descobri que ela não era séria.

E nos últimos tempos, que servia a vários cafetões que vivem da exploração de seu corpo maravilhoso, rico em atributos.

Antes que os amigos se preocupem, quero deixar claro que, minhas relações conjugais andam muito bem, obrigado.

Trata-se de algo muito maior.  Quero divorciar-me da Pátria amada Brasil.

Penso  em atender à sugestão de vários amigos que já o fizeram, de ir-me daqui.

Não precisa ser para muito longe.  O Paraguai já estaria bom.

Isso dá uma dimensão para o leitor entender a que ponto cheguei.

Nesse  mesmo momento, aproveitando-se  do efeito anestésico,   causado   pela Copa do Mundo sobre esse povo sofrido, vem a notícia do Palácio da Justiça,  onde se encontram  nossos  super-heróis tupiniquins, com suas capas pretas e máscaras de pau,  de  que; depois   de mais de setenta  anos  (nos quais  aceitaram  por burrice  ou conveniência) o artigo da constituição que  autorizava  a condução coercitiva  de réus para   depoimento, mais uma vez rasgaram a constituição na cara  (ou costas) do povo (pois esse assistia  aos convenientes  jogos  da Rússia). Talvez porque  agora , tal artigo, pela primeira  vez comece  a atingir  suas  magnificências.

Liderados por Bagre Cego o “Hoobin   Rod” que rouba dos pobres para dar aos ricos, que com seu proverbial super-poder de diarreia verbal, foi fundamental na aprovação da inconstitucionalidade do artigo, por 5X4 para os bandidos.

Apenas mais uma super cagada do Bagre Cego na cabeça de todos os brasileiros de bem.

Traduzindo, para que todos entendam, e já pedindo perdão pelo uso de uma expressão chula, foi a aplicação do proverbial: Não no meu cu, Jacu.
Muita relação chega ao fim por muito menos, mas nem tudo são notícias ruins.

Com o devido pedido de perdão antecipado a todos meus   amigos argentinos, só ainda estando casado com esse país, para entender a alegria que senti, ao ver a cara do Maradona, quando o Messi perdeu o pênalti contra a Islândia.

Ainda resta algo de bom nesse “estarmos juntos”, algo de bom que quiçá possa salvar nossa convivência. 

Isso talvez, quando a copa acabar e a onça sair da frente da televisão, para fazer um breve lanchinho de carne vermelha.

H. James Kutscka é Escritor e Publicitário.

Um comentário:

Q disse...

Eu só não vou embora pq ainda tenho negócios aqui, mas meu desejo é de cair fora dessa pocilga