quarta-feira, 27 de junho de 2018

Pode defecar na toga, Arnaldo?



Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net


A regra é clara!  A falha é ainda mais imperdoável quando o erro de julgamento é cometido pela mais Alta Corte tupiniquim. Soltar José Dirceu e perdoar a máfia da merenda escolar de São Paulo tornou a situação tão gravíssima que talvez seja o caso até de o povo brasileiro apelar para um árbitro de vídeo... Será que alguém se habilita lá no Forte Apache – o Quartel General do Exército, em Brasília? Melhor nem perguntar...

A 2ª turma do STF se superou... Ontem, José Dias Toffoli, Gilmar Mendes e Ricardo Lewandowski tomaram decisões que envergonhariam o mais vidiota árbitro de vídeo da Fifa. Com o voto contrário de Edson Fachin – e aproveitando a providencial ausência do decano ministro Celso de Mello -, o trio mandou soltar o ilustre stalinista do Mensalão e do Petrolão José Dirceu de Oliveira e Silva e outro famoso personagem apenas do Mensalão, João Cláudio Jenu – que nega ter sido tesoureiro do Partido Progressista...

Vamos ligar o VAR da Fifa para analisar a última sessão do STF antes do bondoso recesso de meio do ano do Judiciário... Como é que pode soltar Dirceu, se ele foi condenado em segunda instância pela Lava Jato? Como é que pode libertar o Zé, se o plenário do STF já decidiu que a execução da pena pode ser cumprida após decisão colegiada em segunda instância? Anistiado no Mensalão, Dirceu estava preso desde junho, depois de confirmada a condenação a 30 anos e nove meses de prisão por corrupção ativa, lavagem de dinheiro e organização criminosa na Lava Jato...

Ex-petista e ex-subordinado de Dirceu, o ministro José Dias Toffoli concedeu um habeas corpus de ofício suspendendo a execução da pena de Dirceu. A mesma “regra” valeu para Jenu... O juridiquês foi de fazer inveja a um juiz de futebol de várzea: “A plausibilidade dos recursos interpostos quanto à dosimetria da pena, eu concedo ordem de habeas corpus de ofício para excepcionalmente suspender a execução da provisória da pena imposta ao reclamante até que, nos moldes da compreensão que firmei no HC 152752, o Superior Tribunal de Justiça decida sobre o recurso”.

Quem não entendeu nada (além de nós, os ignorantes) foi o ministro Luiz Edson Fachin... Tanto que ele pediu vista... O relator da Lava Jato no STF avaliou que a decisão de Toffoli estava indo contra a decisão do Supremo que autoriza a execução da pena após condenação em segunda instância... Mesmo assim, no que parecia um jogo combinado, Toffoli atendeu a um pedido dos defensores de Dirceu e Janu para que eles ficassem livres até a devolução do caso por Fachin para a conclusão da análise... Gilmar Mendes e Ricardo Lewandowski acompanharam Toffoli...

Outra decisão polêmica da 2ª turma do STF beneficiou um famoso casal petista. O trio Toffoli, Gilmar e Lewandowski também anulou as provas da Operação Custo Brasil - que investigou suspeitas de corrupção no Ministério do Planejamento na época em que por lá reinava Paulo Bernardo, marido da senadora Gleisi Hoffmann. O STF decidiu que não valem as provas encontradas no apartamento da petista. Os ministros alegaram que a ordem para revista não poderia ter sido dada por um juiz de primeira instância. O STF instituiu o “foro privilegiado do apartamento funcional”... O ministro Edson Fachin, derrotado, ficou muito pt da vida...

Mais uma togada suprema? O beneficiado foi um dos mais poderosos membros da cúpula tucana de São Paulo. O Supremo mandou arquivar o processo contra o deputado estadual e ex-presidente da Assembléia Legislativa Fernando Capez – investigado por suposta participação na Máfia da Merenda. O caso corria no Tribunal de Justiça de São Paulo. A acusação era de que a campanha de Capez em 2014 fora abastecida com recursos desviados por uma cooperativa na venda superfaturada de suco de laranja para as escolas...

Uma coincidência chamou a atenção na suprema decisão a favor de Capez. O irmão do deputado, o juiz Rodrigo Capez, figurava até 31 de maio como “colaborador” do gabinete do ministro Dias Toffoli. O ministro, inclusive, é autor de um pósfácio de um livro publicado por Rodrigo Capez em 2017... Até aí, morreu Tancredo Neves... Toffoli não se julgou impedido de analisar o caso Capez... Da mesma forma como nunca se julgou impedido de julgar seu ex-chefe José Dirceu... Portanto, como diria a turma do Forte Apache, as instituições continuam funcionando normalmente... Não precisa apelar ao árbitro de vídeo...

O melhor é esquecer tudo isso e torcer pela Seleção da CBF em dia de jogo decisivo... Aliás, para aumentar a alegria do povo, os caríssimos pedágios de São Paulo estão subindo, em média, 30 centavos, ou muito mais... Tomara que o eleitor se lembre disto na hora do voto... Mas antes que a dedada na urna de resultado inconfiável aconteça, Vpériod, Bruzundanga!

Quem sabe, depois do recesso judiciário, em agosto, o STF resolva libertar Luia Inácio Lula da Silva... Infelizmente, no Brasil, a regra nunca é clara – a não ser no bordão do Arnaldo Cezar Coelho... Aqui, tudo pode acontecer graças ao regramento excessivo que permite o rigor seletivo... Pune um, poupa o outro, em situações parecidíssimas... Novamente, não adiante chamar o árbitro de vídeo... Aqui, a impunidade é vidiota...

“O negócio é levar vantagem em tudo, certo?”... Continua valendo a famosa “Lei de Gérson”, que estigmatizou o craque “Canhotinha de Ouro” no inesquecível comercial do cigarro Vila Rica, na distante década de 70 do século passado... Vpériod, Bruzundanga! Salve a Seleção! E salve a impunidade!



Eeeeeeerrrrrrroooooouuuuuu!

No tempo em que não havia árbitro de vídeo, quem brilhava era Mário Vianna (com dois ennes”)... Ele brilhou na Rádio Globo e na Rádio Guanabara. Mas existe este áudio raro, do Palmeiras e Corinthians de 14 de dezembro de 1963, narrado por Flávio Araújo, na Rádio Bandeirantes. Nele se pode escutar o famoso “errou” (com vários erres), marca registrada do Titio Mário Vianna...


Salve a Seleção

Todos os gols da Seleção Brasileira na Copa de 1970 narrados pelos mestres Jorge Curi (Rádio Nacional) e Waldir Amaral (Rádio Globo), incluindo também o famoso "Brasil!" do não menos brilhante Edmo Zarife.


Vida que segue... Ave atque Vale! Fiquem com Deus. Nekan Adonai!

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Independente, analítico e provocador de novos valores humanos, pela análise política e estratégica, com conhecimento criativo, informação fidedigna e verdade objetiva. Jorge Serrão é Jornalista, Radialista, Publicitário e Professor. Editor-chefe do blog Alerta Total: www.alertatotal.net. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos. 
A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 27 de Junho de 2018.

5 comentários:

jomabastos disse...

O STF é a mescla de quatro Tribunais Supremos:
Supremo Constitucional, Supremo Judiciário, Supremo Administrativo e Supremo eleitoral. E ainda constrói legislação.
Esta mescla acontece no Brasil, na Venezuela e em muitos países ditatoriais.

jomabastos disse...

Os Juízes do STF se intitulam ou são intitulados "Ministros", porque na realidade mandam e desmandam neste Brasil, isto é, vivemos em algo idêntico a uma ditadura.
Politicamente pouco difere da Venezuela.
Socialmente temos mais de 13 milhões de famílias (cerca de 60 milhões de brasileiros) extremamente pobres que vivem do Bolsa Família e que nem fazem parte das estatísticas de desemprego. Esta é uma realidade que todo mundo brasileiro quer esconder.

Anônimo disse...

Anônimo Anônimo disse...
A “página virada” de Toffoli
Brasil 27.06.18 12:05
*Na sabatina de Dias Toffoli no Senado Federal em 2009, o então postulante ao cargo de ministro do STF afirmou que sua ligação com o PT “é uma página virada da história” e que no Supremo passaria a agir como “juiz da Nação”.
- Em 2015, sobre quem acha que ele tem uma dívida com o PT por ter sido nomeado por Lula para a Corte, Toffoli disse à Veja que “é só um ignorante, um imbecil, um burro, um néscio para pensar dessa forma”.
De lá para cá, o ministro tomou, entre outras, as seguintes decisões:
– mandou soltar o ex-ministro petista Paulo Bernardo em junho de 2016, pulando duas instâncias (TRF e STJ);
– votou contra a prisão em segunda instância em outubro de 2016, dois meses após Lula ter sido indiciado pela PF no caso do triplex e mesmo tendo dito em fevereiro daquele ano que sempre teve consigo “que não era necessário aguardar o recurso especial” junto ao STJ “nem o extraordinário” junto ao STF.
– votou em maio de 2017 a favor da soltura de José Dirceu, seu ex-chefe na Casa Civil do governo Lula, que estava em prisão preventiva na Lava Jato desde agosto de 2015;
– votou em março de 2018 pelo impedimento da prisão de seu padrinho Lula até o dia 4 de abril;
– votou pela concessão do HC de Lula em 4 de abril;
– votou pela concessão do HC do ex-ministro petista Antonio Palocci em 11 de abril;
– votou em 24 de abril para tirar de Sergio Moro as menções da delação da Odebrecht a Lula que tratam do sítio de Atibaia e do Instituto Lula;
– votou, em 26 de junho, pela anulação de provas recolhidas pela Polícia Federal contra o casal petista Gleisi Hoffmann e Paulo Bernardo na busca realizada no apartamento funcional dela, no âmbito da Operação Custo Brasil;
– votou novamente, em 26 de junho, pela soltura de seu ex-chefe José Dirceu, condenado em segunda instância a 30 anos de prisão.
Este é Dias Toffoli, senhoras e senhores – o “juiz da nação”, que chama de “imbecil” quem considera ou desconfia de que sua ligação com o PT não é “uma página virada da história”.
*oantagonista.
CONFIAR EM COMUNISTA OU EM SATÃ, TANTO FAZ!
PRECISA-SE RECICLAR ESSES MINISTROS PARA NÃO SE FABRICAREM DITADORES, JÁ!

Anônimo disse...

🇧🇷 Também podemos rezar para um patriota matar esses Vermes da segunda turma, pois o exército nos dias de hoje é composto por generais frouxos, esses também serão escravos do comunismo pois o próximo passo dos comparsas das organizações criminosas será a fraude nas urnas e a libertação do bunda suja.

Anônimo disse...

Segundo o Capitão Durval Ferreira, todos os ministros do STF estão fazendo "teatro" para fazer de conta que alguma providência está sendo tomada. Por isso, o que um faz o outro desfaz, e revezando no papel de mau. Lembro que todos professam a agenda revolucionária, estão lá para isso e não para defender o Estado de Direito, que consideram uma inutilidade burguesa. Fachin defende o poliamor.