domingo, 24 de junho de 2018

Retrovisor da História



Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Antônio José Ribas Paiva

A “Nova República”, criada pelo então Ministro do Exército, Gen. Leônidas Pires Gonçalves, que empossou ilegitimamente Sarney, tem praticado TERRORISMO DE ESTADO, contra o povo brasileiro, desde que entronizada.

Atentando contra todos os OBJETIVOS NACIONAIS PERMANENTES, para COMUNIZAR o BRASIL.
     
O Gen Ex. João Batista Figueiredo, então Presidente da República, ao invés de defender o povo e o Brasil, como lhe competia, limitou-se a fazer beicinho e jogar  a faixa presidencial na mesa, saindo pela garagem.
   
Desde então, o povo brasileiro foi abandonado à sanha daqueles que foram presos pela REVOLUÇÃO POPULAR DE 1964, porque queriam submeter a Nação à DITADURA COMUNISTA DO PROLETARIADO.
   
Os comandantes militares retiraram-se para os quartéis, sob a alegação de que o povo brasileiro teria sido ingrato.

Ora, os militares não são marcianos, são nacionais da terra, da profissão das armas e, por detê-las, têm maior responsabilidade na defesa da Pátria. 
   
O fato é, que abandonaram o protagonismo político, até agora.
   
Durante esse período, de quase duas gerações, o crime apossou-se do Poder do Estado, massacrando mais de 10 milhões de brasileiros.
   
Finalmente, esse genocídio comoveu os comandantes militares, que voltaram ao protagonismo, para induzir a história e salvar o Brasil.
 
Por tudo isso, não podemos concordar com eleições viciadas pelo crime. Precisamos limpar os Poderes da República e aprimorar as instituições para, ao depois, elegermos governantes e representantes, porque os usurpadores perderam a legitimidade para o trato da coisa pública.
   
Quando lembramos aos comandantes militares a necessidade de intervirem é com o objetivo de colaborar, com o que devem fazer, mostrar apoio, legitimar as suas iniciativas. A conotação não é crítica, objetiva evitar equívocos. Não é o momento dos áulicos, é a hora dos patriotas!

INTERVENÇÃO CÍVICO-MILITAR JÁ !!!

Antônio José Ribas Paiva, Jurista, é Presidente do Nacional Club.

2 comentários:

Anônimo disse...

O povo não foi ingrato, os que foram ingratos são os mesmos daquela época que queriam implantar o comunismo, que foram anistiados e desde então, se apossaram do estado e vem ao longo de tantos anos, fazendo lavagem cerebral nas novas gerações com o mesmo intuito daquela época. Nunca abandonaram os ideais comunistas. O que é pior, mentindo insistentemente que lutavam por democracia. Esquerdistas nunca são democráticos; são totalitários em qualquer parte do planeta. Quem estava segurando a onda eram os militares enquanto participavam das decisões políticas, como por exemplo, enquanto os ministros da defesa eram militares. E depois que o FHC comunista colocou um ministro da defesa civil o pais está aceleradamente atingindo o objetivo comunista.

Carlos Donizeti dos Santos disse...

Sr. General. Concordo com o Sr., mas cadê essa Redentora? Já não está demasiado distante, lá atrás o ponto-de-não-retorno? Será, temo eu, que tudo isso não está passando de omissão e/ou prevaricação? Espero e acredito estar errado nisso, que não se passa de estratégia militar, mas pessoas estão morrendo, adoecendo, ficando desempregadas por conta dessa corrupção e ideologia canhota sendo dia a dia implantada.
Espero estar totalmente errado, sou patriota e clamo pela Redentora. Nós, o povo, acredito que já fizemos o suficiente e demonstramos isso. Cadê as F.A.? Precisamos de ação concreta.
Grande e fraternal abraço.