segunda-feira, 23 de julho de 2018

Ooops!


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por H. James Kutscka

- Você sabe com quem está falando?

Para desvendar o segredo, caro leitor, aí vai a resposta a tal pergunta quando cuspida sobre você por quer que seja

Invariavelmente por trás dela, se esconde um bobalhão prepotente, inculto e estúpido que de alguma maneira, seja ela qual for, conseguiu algum poder político ou financeiro na vida, e a usa como escudo de sua ignorância e falta de trato.

Quase sempre alguém que foi tirado da sarjeta, mas a sarjeta jamais será tirada dele.

A falta de lei, segurança e justiça em que estamos vivendo, estimula a proliferação desse tipo de energúmenos.

O uso da infame pergunta, retorna com força total pela absoluta falta de argumentos de uma classe de gente desclassificada, que povoa normalmente os metros quadrados mais caros da cidade.

A onda de prepotência vai se espalhando, desde os Três Poderes até a ralé endinheirada.

O fenômeno faz parte do caos institucional, e é apenas um dos sintomas da anarquia em que vivemos.

Até quando?

Eu diria: - até que um poder maior e verdadeiro, aquele que emana de um povo cansado de ser humilhado, seja aplicado como adrenalina nas veias das forças armadas, que investidas do poder a elas outorgado pela constituição e com o total apoio das pessoas pensantes do país, venha pôr ordem na “suruba”.

Diante da onça, do retorno da justiça e da ordem, as últimas palavras dessa corja, com a finura que lhes é característica, que   entrarão para a história serão:

-Ooops!

Nos fodemos! não imaginamos com quem estávamos mexendo, e complementarão como Bin Laden, para uma de suas mulheres, quando percebeu que os Seals haviam invadido seu esconderijo:

- Não acenda a luz.

No caso tupiniquim, de vergonha de serem expostos, agora no buraco de onde nunca deveriam ter saído. 

Por falar em onça, um amigo do Temer, disse, ele ter lhe confidenciado, que sua maior tristeza em ser preso, seria ficar sem a Marcela.

Para sua tranquilidade senhor presidente, fique sabendo que até nós, em seu caso, ficaríamos no mínimo tristes.

H. James Kutscka é Escritor e Publicitário.

Nenhum comentário: