segunda-feira, 30 de julho de 2018

Uma Nova Era: a do VTNC



“País Canalha é o que não paga precatórios”

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Maurício Mantiqueira

Sempre fui um estudioso da História.

Tentarei deixar constância de fatos contemporâneos para facilitar o trabalho dos pesquisadores, no futuro, quando forem escrever sobre nossa Idade da Merda.

Desde 1.985, quando dona Onça falou “Não brinco mais !” e saiu de cena fazendo beicinho, começou a Era do Quanto Pior Melhor (também conhecida como a Era do Início da Grande Roubalheira, nas palavras de um grande empreiteiro de obras públicas).

Em 1.990, após uma espetacular hiperinflação, iniciou-se a Era do Salvador da Pátria, eleito pelo medo do bicho papão.

Com seu impeachment, entramos na Era da Vanguarda do Atraso, quando um espertalhão, com o apoio dos implantadores da Nova Ordem Mundial, conseguiu a mágica de acabar com a incerteza monetária. Então virou “deus”.

Conseguindo a reeleição a qualquer preço, apoiou o bicho papão que foi eleito após três tentativas malogradas. Em seguira, tivemos a Era Antológica. Abatida a proboscídea, começou a Era Foda-se o país.

"Anjos” mais puros que a Virgem Maria, tinham singelas “poupanças' em espécie, no valor equivalente a treze milhões de dólares estadunidenses, em um modesto apartamento, o que não é prova de corrupção, no entender dos urubus de turno.

Com a inação de Onça e suas coirmãs, ao estilo dos três macaquinhos que não veem, não falam e não ouvem, inauguramos a Era VTNC.

Isso porque o mantra é “As instituições estão funcionando”.

A título de prolegômeno, arrisco dizer que a Era seguinte será PQP !

Carlos Maurício Mantiqueira é um livre pensador.

Um comentário:

Loumari disse...

Desemprego em Portugal cai para 7%

https://www.youtube.com/watch?v=etdDyll1A_Q

Há 16 anos que o desemprego em Portugal não era tão baixo.

O Instituto Nacional de Estatística reviu esta segunda-feira a taxa de desemprego de Maio para os 7%, o mínimo desde Outubro de 2002.

Desce uma décima em relação a Abril e 6 décimas em relação a Fevereiro deste ano, quando a taxa estava nos 7,6%.

A tendência deve manter-se, já que na estimativa provisória de Junho o INE prevê que a taxa de desemprego no mês passado tenha ficado nos 6,7%, o que equivale a cerca de 347 mil pessoas em Portugal sem emprego.

No que diz respeito ao desemprego jovem, apesar de também ter diminuído quase um por cento em Junho, um em cada cinco jovens em Portugal continua sem trabalho.


euronews (em português)

30 de Julho 2018