segunda-feira, 13 de agosto de 2018

Camões vira na tumba



“País Canalha é o que não paga precatórios”

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Maurício Mantiqueira

A degradação total de nosso sistema de ensino abriu uma oportunidade para o surgimento de uma nova língua: o portuespinho.

Hoje vemos jovens inteligentes, com iniciativa e muitos deles com sucesso financeiro, mas desorientados em matéria de comunicação (verbal e escrita).

Seguem alguns exemplos aterrorizantes:

Monastério em lugar de mosteiro (deixa qualquer purista de cabelo em pé não obstante sua origem grega).

Cedência em lugar de cessão!


Gratitude em prejuízo de gratidão.

Havia um personagem cômico na televisão do passado, que se corrigido por outrem em sua maneira de falar, respondia: “Entendeu? Então não me sacrifique!”

Bem disse o poeta: “Última flor do Lácio, inculta e bela...”

O perigo maior está no corretor automático de texto, presente em quase todos computadores. Programado por mal falantes, em breve destruirá o que resta de nossa flor (já murcha).

Prefiro o linguajar de nosso caipira (o piracicabano é o melhor!).

Adoro a riqueza de imagens de um mineiro do passado. Quando um casal estava esperando numa estação e a locomotiva aparecia, o marido dizia:
“Muié, junta os trens que a coisa vem vindo!”

O TSE NÃO CUMPRE a LEI do voto impresso. Essa eleição é GOLPE.

Carlos Maurício Mantiqueira é um livre pensador.

Um comentário:

Anônimo disse...

É mais um “gorpi “.