sábado, 11 de agosto de 2018

E o supremo rombo de R$ 250 bi contra empresários?



Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net

Não importa quem vença a eleitoragem presidencial de 2018. Além do risco concreto de governabilidade nos próximos quatro anos, o Presidente tem uma bomba econômica programada para detonar, ainda mais, o rombo nas contas governamentais. O Governo Federal será obrigado a devolver aos Estados os bilhões de reais que foram inconstitucionalmente cobrados na base de “imposto sobre imposto”. A safadeza atinge mais de R% 250 bilhões. A União só admite R$ 100 bilhões.

Além da cobrança federal indevida, o problema chama atenção para vários problemas: 1) a falha estrutural do nosso federalismo de araque; 2) a fúria arrecadadora do governo que cumpre a lei conforme as conveniências; 3) a lentidão e embromação do Judiciário na resolução de problemas essenciais; 4) a guerra aberta e o conflito permanente de interesses entre os poderes executivo, legislativo e judiciário (assim mesmo, grafados em letrinha minúscula); 5) A irresponsabilidade da máquina estatal em produzir rombos bilionários, promovendo calotes contra a sociedade.

O problema tributário é surreal. Em março de 2017, depois de longa demora, o Supremo Tribunal Federal decidiu que o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) cobrado pelos governos estaduais não pode ser considerado na base de cálculo do PIS/Cofins cobrado pelo governo federal. O acórdão da decisão que manda a União devolver a grana aos contribuintes só foi publicado em outubro do ano passado. Só que, até agora, o STF não definiu quando será a devolução da grana. Dane-se quem pagou a mais “imposto sobre imposto”.

Mais surrealismo? A cobrança indevida ocorreu entre 2003 e 2014. No entanto, a Procuradoria Geral da Fazenda Nacional ingressou com um recurso no SPF para impedir qualquer devolução retroativa. A pendenga foi parar na relatoria da ministra Cármen Lúcia, antes dela presidir o STF. Durante seu mandato, ela não agendou a votação da pendenga em plenário. Cármen Lúcia deixa o cargo no dia 13 de setembro. Será que o presidente José Dias Toffoli vai também postergar a decisão sobre o caso de gigantesco impacto econômico?

Endividado até o talo com impostos, o setor produtivo é prejudicado pelo descaso do Judiciário e pela voracidade arrecadatória do Executivo. A safadeza é que o contribuinte opera na imprevisibilidade. Tudo indica que a devolução dos R$ 250,3 bilhões cobrados erradamente acontecerá gradualmente na forma de créditos tributários. Os valores seriam abatidos ao longo do tempo pelas empresas. A ressalva é que a União deixará de arrecadar R$ 45,8 bilhões – na avaliação da Receita Federal. A retirada do Imposto sobre Serviços (ISS) municipal da base do tributo federal gera um outro impacto de R$ 6,54 bilhões.

Será que nossos presidenciáveis falarão sobre esse assunto tão sério nos pretensos “debates” de televisão? Vamos ficar esperando... Sentados, de preferência...

Pedido de socorro aos leitores

Quarta à noite, por volta das 20h, este Editor-chefe do Alerta Total teve seu celular roubado na pacata cidade de São Paulo.

Um euroafroameríndio, de bicicleta, arrancou o Sansung S 8 da minha orelha, quando encerrava uma reunião de trabalho, caminhando pela Rua Pedro de Toledo, na Vila Clementino, perto do metrô Santa Cruz.

O jovem, com capacidade física de atleta, lamentavelmente tem vocação para ladrão – coisa normal no Pais da impunidade, da roubalheira e da falta de Educação (formação familiar ética + ensino de qualidade).

Assim, privado do meu instrumento de trabalho essencial, humildemente, pelo aos leitores, amigos e inimigos que colaborem, na vaquinha, para a aquisição de um novo smartphone, para que n;ao fique muito tempo incomunicável...

Quem quiser e puder, favor depositar qualquer contribuição nas seguintes contas:


Nos botões do lado direito deste site, temos as seguintes opções:

I) 
Depósito em Conta Corrente no Banco do Brasil.
Agência 722-6, C/C: 209042-2, em favor de Jorge Serrão.

II) Depósito em Conta Poupança da Caixa Econômica Federal ou em agências lotéricas: 2995 013 00008261-7, em favor de Jorge Serrão.

III) Depósito no sistema PagSeguro, da UOL, utilizando-se diferentes formas (débito automático ou cartão de crédito).

IV) Depósito no sistema PayPal, para doações feitas no Brasil ou no exterior.






Vida que segue... Ave atque Vale! Fiquem com Deus. Nekan Adonai!

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Independente, analítico e provocador de novos valores humanos, pela análise política e estratégica, com conhecimento criativo, informação fidedigna e verdade objetiva. Jorge Serrão é Jornalista, Radialista, Publicitário e Professor. Editor-chefe do blog Alerta Total: www.alertatotal.net. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos. 
A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 11 de Agosto de 2018.

2 comentários:

Anônimo disse...

Esse assunto lembra a situação a que chegou o Chile antes do Pinochet. Depois que ele chutou o pau-da-barra dos comunistas, simplesmente aniquilando-os no estádio de Santiago, cortou todos os benefícios, as mamatas e as bolsas disso e daquilo. Foi dramático e o resultado só apareceu muitos anos depois. Comunista é sempre assim, ou eles matam todos ou são matados para sobrevivência dos que restarem.

Anônimo disse...

Com exceção de uns três, os candidatos não tem propostas plausíveis. São meramente fantasias e sonhos que serão esquecidos em janeiro de 2019. Os de sempre, então, estão repetindo o repertório das últimas derrotas. Mais ridículo é o candidato que, no decorrer do "debate", vai pegando carona nas idéias dos outros. Não tem jeito, é Bolsonaro ou... Bolsonaro.