domingo, 16 de setembro de 2018

A insuportável leveza do Judiciário



Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por H. James Kutscka

Na última semana com a festa “nonsense” de praxe, tomou posse na presidência do STF o ministro Dias Toffoli.

Convém esclarecer que é “nonsense” para nós, reles mortais, não para eles, ungidos que são pelo poder de mandatários nem sempre com boas intenções, visando na maioria das vezes, apenas proteger seus rabos.
No passado, Luiz Fux já tocou guitarra e cantou Tim Maia em sua posse.
Talvez uma síndrome de Peter Pan, como Martin Mac Fly encarnado por Michael J. Fox (quase Fux) em “De volta para o futuro”.

Motivo para tal comemoração  é claro existe, o cargo é vitalício, com mordomias mil, que vão desde ter alguém para lhes colocar a capa de urubu e puxar  a cadeira para que sente sua excelentíssima bunda ao custo mensal de  R$ 12.000,00, até o direito de aumentar seu próprio salário em dezesseis por cento, quando o governo jura que a inflação do ano não deve passar de 4,3% no mesmo momento em que é tirado do trabalhador R$ 10,00 do salário mínimo para economizar o gasto público.
Segundo o ex-ministro e atual presidenciável, Meirelles, esses dez reais não fazem falta ao trabalhador.

Se você também acha, vote nele.

Mas de volta ao tema desse artigo, em sua posse, Dias Toffoli, livre leve e solto, se deu o direito de cantar “Tempo Perdido” do Legião urbana.
-Temos nosso próprio tempo, (seria uma ameaça?)  cantou. 
Renato Russo deve estar se revirando no túmulo e pensando que seria mais apropriado cantar “Que país é esse?”.
Já Roger, do Ultraje a Rigor, tenho certeza, acharia mais honesto que ele cantasse:
Morar nesse país
É como ter a mãe na zona
Você sabe que ela não presta
E ainda assim adora essa gatona
Não que eu tenha nada contra
Profissionais da cama
Mas são os filhos dessa dama
Que você sabe como é que chama
Filha da puta
É tudo filho da puta.
Alegre convidado para a festa, desfilava impávido, o desembargador Rogério Favreto, autor do fracassado “golpe do plantonista” para soltar o muar de São Bernardo, (para quem não sabe, ex-assessor jurídico de Zé Dirceu junto com Toffoli).
Fortalecido o eixo do mal, Toffoli , Lewandovsky, Gilmar Mendes, já podemos ver os primeiros resultados da nefasta conjuntura.
Como primeira medida, Toffoli que já havia soltado Dirceu, suspende a ação penal que pairava sobre a cabeça de Guido Mantega e de uma só canetada, livra a cara dos marqueteiros do PT, João Santana e Monica Moura.
Aproveitando a onda, Lewandovsky manda arquivar os processos contra Renan Calheiros e Romero Jucá.  Gilmar Mendes indicado para o cargo em 2002 por FHC, manda soltar Beto Richa.
Para finalizar, em sua primeira audiência com o Nhônho o presidente da Câmara dos deputados, aquele que afirmou que não estava ali para ouvir o povo, o ministro Toffoli irá discutir, entre outros assuntos de relevância, o financiamento de campanha de mulheres candidatas e de quem seria a decisão de cassar Maluf.
Pode?
Se você, meu caro leitor, precisava de mais razões para votar nas próximas eleições em alguém que não faça parte do circo dos horrores em que se transformou nossa república, espero ter contribuído para mostrar que se faz necessária uma urgente e total limpeza nas instituições. 
Dia sete de outubro será o dia da revolução branca, onde liquidaremos com toda essa gente, nossa arma será silente, mas definitiva: o voto.
Em tempo: Que faz o vice-presidente da Guiné Equatorial no Brasil com malas contendo dezenas de milhões de dólares em época eleitoral? Não prometo um pirulito para quem adivinhar porque não poderia pagar tantos.

H. James Kutscka é Escritor e Publicitário.

Um comentário:

Anônimo disse...

Sr. Kutscka, quando o senhor afirma em seu bem escrito artigo que o "...Dia sete de outubro será o dia da revolução branca..." eu lhe pergunto: Com essa votação eletrônica "caixa preta"? Como e quem garantirá a lisura da votação e da apuração??

O que eu vejo é que os senhores comandantes militares - mesmo sem recursos, nem tropas, nem viaturas - deveriam - isso sim!! - "chutar o pau da barraca" e embargar essa votação "faz-de-conta" antes que o mal seja cometido!! Não concordo que a ela devam se submeter obedientemente (Basta de obediência cega a leis imorais e injustas!)

Urgente, essencial, indispensável, VITAL, é gerar nova Constituição, enxuta e prática.

Encarcerar toda essa corja de urubus e políticos mal intencionados, que só criam leis péssimas e a favor do Mal...a quem os senhores militares obedientemente bateram continência e concederam condecorações!! Basta!!

Militar de verdade tem de ser CORAJOSO e DECIDIDO. E ter amor à Pátria e ao BEM!

O tempo dirá quem são REALMENTE os nossos militares...

Sds
Clóvis