quinta-feira, 20 de setembro de 2018

Estado de choque da mídia vendida


“País Canalha é o que não paga precatórios”

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Maurício Mantiqueira

O mais triste do período eleitoral é ver como um poderoso cai.

Outrora respeitados jornais, hoje se sujeitam a obedecer ordens de traidores da Pátria.

Tenho dó de jornalistas, que por desespero, se sujeitam a escrever mentiras para preservar seus empregos e o sustento de suas famílias.

Nojo tenho da cúpula editorial que pretende tapar o sol com a peneira para iludir seus leitores fiéis que, por ingênuos, ainda não se deram conta de que a marca continua a mesma, mas o conteúdo está a serviço do mal.

As tiragens diminuem, os anunciantes fogem para mídias mais eficazes, e os leitores remanescentes, perplexos, se perguntam para o que servem hoje em dia as minguadas páginas impressas ou as postadas às pressas nos portais da internet.

Se fizermos uma reflexão profunda veremos que só servem para limpar a rima.

Num passe de mágica, dizer que um poste mijado (derrotado no primeiro turno em sua pretensão reeleitoral) agora é Cãodidato apto a despontar como adversário preferencial para tentar conter o tsunami verde-amarelo, seria ridículo se não fosse trágico.

Em setembro, viram na tumba veneráveis julhos.

A mesquita foi substituída pela mesquinha subserviência.

Pobre país que vê perecer um símbolo da verdade e da ponderação.

Hoje, pasquim mentiroso está a serviço do melhor postor (ou impostor ?).

Hoje, arauto do estado vendilhão “precifica” a vergonha e vende o pão.

Carlos Maurício Mantiqueira é um livre pensador.

2 comentários:

Anônimo disse...

Qual mãe não nasceu analfabeta? Nem sabia falar, nem andar. Uma pessoa adulta que não aprendeu a ler e escrever, não significa que vá criar filhos e netos na marginalidade.

jomabastos disse...

O grande inimigo do Bolsonaro, serão as Urnas Eletrônicas sem auditoria(teria que ser a 100% para ter total viabilidade), simultaneamente apoiadas pelo comunista Toffoli e pelo TSE.