quarta-feira, 5 de setembro de 2018

O Exército na guerra eleitoreira de 2018


Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net

Pelo menos uma parte da torcida do Flamengo já sabe que as Forças Armadas não vão tolerar qualquer golpe jurídico armado pelo Partido dos Trabalhadores para tentar sabotar o processo eleitoral, usando o Presodentro Lula como vetor do caos. A galera rubro-negra já sabe que o General Eduardo Villas-Bôas, Comandante do Exército, tem liderado, pessoalmente, uma “guerra” nos bastidores em defesa da legalidade e da lisura no pleito de 2018. Logicamente, nem todos os poderosos que encontram com o General não vão passar o recibo do que é dito nas reuniões reservadíssimas.

Acontece que sempre alguém categorizado vaza alguma informação... O recado direto é: As Legiões não aceitam Gol de mão nem “juiz” roubando. Se Lula vai entender ou não a metáfora futebolística (coisa que tanto gosta) nem a torcida do Corinthians sabe... O que se tem certeza é que Lula candidato fake, já barrado pelo Tribunal Superior Eleitoral, recorre ao Supremo Tribunal Federal para tentar o milagre de disputar, novamente, o Palácio do Planalto. Nos cantinhos do STF, a previsão é de que Lula já perdeu o jogo de véspera...

Um velho ditado prega que “em tempos de guerra (eleitoreira) circulam mentiras por ar, mar e terra”. Por isso, o Exército Brasileiro soltou ontem (4 set) uma nota oficial para esclarecer uma “fake News” que anda circulando nas redes sociais da Internet: “Cumpre destacar que o Exército não recebeu solicitações para realizar verificação, avaliação ou auditoria técnica do funcionamento e segurança dos equipamentos eletrônicos de apuração. Não cabe à Instituição o papel de “validadora da inviolabilidade das Urnas Eletrônicas”.

O EB só admite, publicamente, que “vem participando, historicamente, a pedido da Justiça Eleitoral, da segurança física dos locais de votação e apuração (GVA)”. O Centro de Comunicação Social do Exército deixa claro: “A missão das tropas designadas para essas operações é garantir o democrático exercício do voto, com a normalidade necessária, e a posterior apuração, onde o processo eleitoral exija reforço na segurança pública”.

Além da eleição, o que preocupa os comandantes militares (e não ficará escrito em nenhuma nota oficial) é a explosão de violência, faltando quase um mês para a dedada eletrônica de 7 de outubro, sem direito à auditoria e conferência do voto. Barbaridades como as ocorridas na madrugada desta quarta-feira (5 set) em Bauru, uma cidade de médio porte no interior de São Paulo. Uma hora de troca intensa de tiros entre alguns policiais militares e uma quadrilha que levou muita grana de três agências bancárias. Operações de guerra idênticas se repetem pelo interior do Brasil. País em batalha civil não-declarada.

Uma hora, o Exército será obrigado a entrar mais pesadamente no conflito, a exemplo do que já ocorre no Rio de janeiro sob Intervenção Federal. Mas isto só deve ocorrer depois do resultado da eleição presidencial – ainda imprevisível, porém com um favoritismo da chapa formada pelo Capitão Jair Bolsonaro e pelo General Antônio Mourão. O Crime Institucionalizado torce, fanaticamente, para que os dois sejam derrotados.

Primo do famoso Cabo da Faxina e fã de um lendário militar da China (o Marechal Massari Konoku), o poderoso Negão da Chatuba nos consola: “Certamente, os 11 ministros do Supremo Tribunal Federal não torcerão pelo time dos bandidos”... Os militares também acreditam na profecia do Chatubão...  




Vida que segue... Ave atque Vale! Fiquem com Deus. Nekan Adonai!

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Independente, analítico e provocador de novos valores humanos, pela análise política e estratégica, com conhecimento criativo, informação fidedigna e verdade objetiva. Jorge Serrão é Jornalista, Radialista, Publicitário e Professor. Editor-chefe do blog Alerta Total: www.alertatotal.net. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos. 
A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 5 de Setembro de 2018.

4 comentários:

jomabastos disse...

Todo mundo sabe perfeitamente que o ato eleitoral, poderá ser sabotado através das atuais Urnas Eletrônicas sem um voto impresso que permita sua total auditoria.

jomabastos disse...

Embora o Bolsonaro seja favorito nestas eleições, ele tem que trabalhar muito para vencê-las.

Em sua campanha eleitoral, o Bolsonaro não pode simplesmente dividir o Brasil em Direita e Esquerda, afirmando categoricamente que não necessita de votos de eleitores que no primeiro turno irão votar em partidos de esquerda não comunista, e deste modo correr o risco de perder as eleições no segundo turno.

Loumari disse...

General diz Exército não fiscalizará Urnas Eletrônicas " Villas Boas " " Eleições 2018 "

https://www.youtube.com/watch?v=-A59ACgZ-os

Anônimo disse...

O Lula é tão arrogante e pretensioso, se achando acima de tudo e de todos, que nem percebeu que está fazendo um grande favor para os outros partidos. Com a sua teimosia, o tempo vai passando e eles se desgastando e perdendo votos. Sei que ele está aguardando o seu pupilo assumir o STF para soltá-lo, mas mesmo que isso ocorra, numa possibilidade ínfima, ele já era. TCHAU querido!! A esquerda teve sua grande chance e mostrou para que veio. Agora é hora de arcar com os resultados.