sábado, 22 de setembro de 2018

O perigoso desafio democrático no Brasil



Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net

Seja qual for o resultado da eleição presidencial de 2018, não importa quem vença, o grande derrotado será o processo de construção da Democracia brasiliana. A polarização política, em tons radicais, ideológicos, intolerantes e criminosos, tende a ampliar o ambiente de violência descontrolada. O caos interessa aos controladores externos do Brasil.Seus vassalos internos, agentes conscientes ou inconscientes, seguem o roteiro da barbárie com extrema maestria. Impera uma “Demo-Cracia” – uma espécie de “governo demoníaco”.

O Brasil opera sob regime falsamente democrático. Não temos aqui os pressupostos básicos da Democracia: segurança legal, jurídica, política, econômica e individual. Democracia depende do exercício consciente da Liberdade. O ato e o fato liberal, objetivos, só acontecem quando a Liberdade é limitada por direitos e deveres bem definidos e socialmente cumpridos por um consenso objetivo dos cidadãos plenamente Educados. No caso, Educação se define pela combinação da formação moral familiar com um ensino humanista e científico de qualidade.

A Democracia não tem hegemonia no Brasil. Quem dita as ordens por aqui é o Crime Institucionalizado (ou Organizado). O crime se organiza e se institucionaliza quando ocorre a associação delitiva entre criminosos de toda a espécie e agentes da máquina estatal. O Crime não se organiza sem a participação de membros da burocracia do Estado e seus políticos – os “eleitos” pelo povo. Já deu para constatar que eleição nem sempre é sinônimo de Democracia. Eleição é um mero mecanismo de escolha... No Brasil, o voto tem um fortíssimo componente criminoso.

No Brasil, a hegemonia é da Cleptocracia. O governo dos criminosos cumpre objetivos claramente definidos. O principal é a conquista, manutenção e ampliação do Poder Político – o efetivo garantidor do Poder Econômico que sustenta a superestrutura criminosa. Os “negócios” ocorrem na formalidade burocrática. Mas o Crime evolui, principalmente, na informalidade. Por isso, não é fácil de ser reprimido, neutralizado e derrotado. Quando descoberta, o sistema criminoso se reinventa.

A cleptocracia usa o povo para eleger seus representantes. É assim que o Crime ganha “legitimidade”. É fácil até enxergar o político corrupto ou suspeito de associação criminosa. O difícil é identificar, claramente, como funciona cada estrutura criminosa. Os negócios parecem (ou são) invisíveis. Empresas de fachada e empresários “laranjas” ocultam os esquemas criminosos. É assim que políticos ou servidores públicos enriquecem rapidamente. A casa cai, geralmente, com as vaidosas ostentações de luxo e riqueza. Também desaba quando os bandidos brigam entre si...

Um aspecto pouco debatido e percebido em tempos eleitoreiros é que a Cleptocracia promove uma organizada e completamente ilegal compra de votos. Nas periferias do Norte/Nordeste, o eleitor se corrompe por R$ 300 reais. No Sudeste e interior do Brasil, a compra do voto sai por R$ 150 a R$ 200 reais. Em algumas comunidades dominadas por narcotraficantes e por milícias, custa até mais barato. Na maioria das vezes, o curral eleitoral obedece às ordens opressoras dos bandidos fechados com seus candidatos-parceiros. A “Justiça” eleitoral prefere ignorar o crime eleitoreiro...         

Todos esses bandidos e seus exércitos de ignorantes não querem mudanças estruturais no Brasil. Eles preferem que o Governo do Crime continue ditando as ordens. O Crime Institucionalizado está pronto e com muita grana para investir na escolha de seus políticos-companheiros. Os bandidos farão de tudo para tumultuar o processo eleitoreiro. Já esfaquearam – e quase mataram – o candidato Jair Bolsonaro... Não será fácil derrotar os criminosos institucionalizados...

Resumindo: No Brasil, a renovação política só acontecerá por acidente da História. O Crime não quer Democracia...

O desafio democrático no Brasil não é apenas perigoso. Também pode ser mortal. A guerra civil não-declarada tende a se ampliar...



Vida que segue... Ave atque Vale! Fiquem com Deus. Nekan Adonai!

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Independente, analítico e provocador de novos valores humanos, pela análise política e estratégica, com conhecimento criativo, informação fidedigna e verdade objetiva. Jorge Serrão é Jornalista, Radialista, Publicitário e Professor. Editor-chefe do blog Alerta Total: www.alertatotal.net. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos. 
A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 21 de Setembro de 2018.

Nenhum comentário: