quarta-feira, 19 de setembro de 2018

Polarização Eleitoral



Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Henrique Abrão e Laércio Laurelli

A guerra da sucessão nem de longe se asssemelha àquela da secessão havida no ano de 1861 nos EUA, entre o Norte (desenvolvido) e o Sul (escravagista) com a libertação da escravidão e força maior à industrialização do continente norte americano.

Os tucanos de bico não muito limpo depois da reeleição foram incapazes de retomar o poder. Eis o motivo da polarização entre a direita pré militar e a esquerda bolchevista. Mas o que precisamos é de idéias centradas para tirar o Brasil do buraco e confiar num parlamento que tenha metas a seguir e saiba legislar, um executivo de peso e o judiciário que saiba ocupar o seu espaço perante as instituições democráticas.

O resultado do segundo turno dará a visão do amanhã se queremos o progresso e desenvolvimento ou o mais do mesmo,com a ruptura dos campos minados de patrulhamento ideológico nas universidades e comunidades científicas, as melhores mentes se despediram do País e mergulharam de cabeça no primeiro mundo.

Não há dinheiro para museu,arte,ciência,somente se aplica a Lei Rouanet para os amigos que defendem com unhas e dentes o continuismo da esquerda que se apropriou das estatais e fundos de pensão fazendo poucos milionários e a maioria miserável. Erráticas políticas públicas adotadas, como se fosse possível conferir um carro para cada brasileiro, milhares foram devolvidos e não pagos, explodiu o preço do combustível, esses bilhões se empregues na malha do metrô e transporte público transportaria 8 milhões de pessoas e não apenas 1 milhão de brasileiros dos quais mais da metade não conseguiu continuar a pagar seu carro por causa da taxa de juros.

Um Brasil em contradição que confere 430 bilhões somente de desonerações fiscais e persegue aos magistrados e promotores pelas migalhas de 4 300 reais de um auxilio moradia que sequer paga o condomínio e o IPTU do imóvel no qual habitam. Eis o modelo brasileiro radicalizado,desestruturado e mordido por todos aqueles visando ganhos em escala. O exemplo do vice da Guiné Equatorial é gritante chegou ao País com 16 milhões de dólares em jóias e dinheiro não declarado e ainda como os mandantes da esquerda, se considera acima da lei, ainda que tenha sido processado e condenado em vários Países.

O Brasil precisa rapidamente sair da polarização e encontrar o meio termo, o equilíbrio a situação que supere e suplante os desmandos,as injustiças e a pobreza de corpo e de alma. Saibamos encarar de frente ainda que com o rumo incerto as urnas eletrônicas que nos dão a nítida sensação que a manipulação de mentes e de discursos arrebatadores não serão capazes de infundir na consciência do eleitor a sabedoria do resultado.

Carlos Henrique Abrão (ativa) e Laércio Laurelli (aposentado) são Desembargadores do Tribunal de Justiça de São Paulo.

Nenhum comentário: