terça-feira, 30 de outubro de 2018

Bolsonaro, seria uma boa jogar Moro tão cedo no STF?



“A República precisa ser reinstaurada, o Estado reconstruído e a Federação remodelada”. Carlos Abrão e Laércio Laurelli)

Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net

Bandidos do alto e do baixo clero certamente ficaram apavorados com a intenção do Presidente eleito Jair Bolsonaro de convidar o juiz Sérgio Fernando Moro para ocupar o cargo de ministro da Justiça ou ser indicado para ministro do Supremo Tribunal Federal na próxima vaga aberta. A proposta de “namoro e casamento” entre Bolsonaro e o juiz da Lava Jato foi o assunto de maior repercussão e impacto nas recentes entrevistas concedidas por Bolsonaro.

A mídia forte já inventa versões de que Sérgio Moro estaria dizendo a interlocutores não tem descartado a possibilidade de aceitar o convite de Bolsonaro para o Ministério da Justiça. A mesma versão criativa também “revela” que Moro aceitaria de bom grado a indicação para o STF. Outra lenda atribui a Moro um comentário de que a vantagem de integrar o governo neste momento seria afastar o temor de alguns setores da sociedade que seja quebrada alguma regra do Estado de direito.

Tais versões têm grande chance de ser fake news... Sérgio Moro continua sendo uma pessoa reservadíssima. O juiz da Lava Jato, pela repercussão do que decide judicialmente, não têm o hábito de vazar suas opiniões através de “interlocutores”. Quando tem algo a declarar publicamente, Moro se comunica abertamente. Ou seja, ninguém fala por ele. A eventual migração do Poder Judiciário para o Poder Executivo, ou a ida para o Supremo Tribunal Federal assim que houver oportunidade ainda são meras especulações.

Só não são “factóides” porque o Presidente Jair Bolsonaro vai agendar uma conversa pessoal com Sérgio Moro, provavelmente na semana que vem. Na entrevista à RecordTV, Bolsonaro antecipou: “Se tivesse falado isso lá atrás, soaria oportunista. Pretendo, sim (convidar Moro), não só para o Supremo, como quem sabe até para o Ministério da Justiça. Pretendo conversar com ele, saber se há interesse e, se houver interesse da parte dele, com toda certeza será uma pessoa de extrema importância num governo como o nosso”.

As aposentadorias compulsórias dos ministros Celso de Mello (em novembro de 2020) e Marco Aurélio Mello (em julho de 2021) são um fato objetivo. Também não será surpresa se o ministro Gilmar Mendes “pedir para sair” do STF até o final do ano. Não há dúvidas de que uma indicação de Moro para a mais alta corte judiclal do País parece uma grande idéia. No entanto, tirá-lo da 13ª Vara Federal para jogá-lo no time dos 11 do Supremo pode não ser estrategicamente recomendável. Moro ainda tem muito processo importante para julgar. Os bandidos adorariam que ele saísse de lá no curto prazo...

Tem um outro aspecto jurídico que precisa ser levado em conta. Indo para o STF, Moro pode ter vários casos de grande repercussão nos quais ele ficaria impedido eticamente de votar. E Moro tem se mostrado, até hoje, um servidor público ético. Dificilmente, ele aceitaria sair de onde está para um cargo no Executivo. Ainda mais um Ministério da Justiça – que tem um papel fortemente político na estratégia do Governo Federal.

Resumindo: Moro não deve aceitar fazer parte do “dream team” de ministros de Bolsonaro. Já a indicação para o STF deve ser bem vinda, porém na hora certa. Agora, Presidente Eleito Bolsonaro, é mais prudente e produtivo deixar Moro onde está. Será a melhor maneira de prestigiar a Lava Jato que a bandidagem deseja sabotar.

Bolsonaro marcou um golaço simbólico ao prestigiar Moro, mesmo que ele não venha a fazer parte de seu governo. Bolsonaro sinalizou que o Brasil tem de reverenciar aquelas que abriram mão de sua comodidade e segurança pessoal para encarar, corajosamente, o desafio do combate à corrupção e, melhor ainda, a defesa da Honestidade.  

Tão com medinho?

O Globo estampa na primeira página uma manchetinha: “Mídia Crítica é ameaçada com corte de verba publicitária”.

Será que o Grupo Globo já está passando o recibo de pode que receber menos patrocínios chapa branca?






Exemplo de Cascavel



Não... Você não está no Japão, mas sim em Cascavel, no interior do Paraná. Depois da festa pela eleição de Bolsonaro, os eleitores do Mito cumpriram a obrigação cívica de limpar a rua que sujaram... E tem idiota que ainda não entendeu o quanto a mentalidade do brasileiro mudou durante e depois da eleição 2018...  
  
Vida que segue... Ave atque Vale! Fiquem com Deus. Nekan Adonai!

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Independente, analítico e provocador de novos valores humanos, pela análise política e estratégica, com conhecimento criativo, informação fidedigna e verdade objetiva. Jorge Serrão é Jornalista, Radialista, Publicitário e Professor. Editor-chefe do blog Alerta Total: www.alertatotal.net. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos. 
A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 30 de Outubro de 2018.

Nenhum comentário: